Glossário – Dicionário médico

Definições rápidas e simples dos principais termos médicos.

ABCDEF
GHIJLM
NOPQRS
TUVXZ 

Esse glossário foi recentemente criado e está em constante construção, sendo atualizado semanalmente. Se você não encontrou a definição para um termo que procurava, mande-nos uma mensagem para contato@mdsaude.com com o título “novo termo para glossário” para que possamos incluí-lo na lista.

  • Clique nos links em vermelho para ir para a definição da palavra.
  • Clique nos links em azul para ir a um artigo com explicações detalhadas sobre o termo.

A

O que é?


  • Acantose nigrans: doença da pele caracterizada por hiperceratose (aumento da espessura da camada mais superficial da pele) e hiperpigmentação (lesões de cor escurecida que dão aspecto verrucoso à pele). As áreas mais acometidas são a nuca, axilas, face lateral do pescoço, membros, região ao redor do umbigo e região abaixo das mamas. As principais causas são diabetes mellitus, obesidade, câncer do aparelho digestivo, hipotireoidismo, hipertireoidismo, acromegalia, síndrome dos ovários policísticos e síndrome de Cushing.

  • Acetábulo: cavidade em formato côncavo no osso da pelve onde a cabeça do osso fêmur se encaixa e cria a articulação coxo-femural, também chamada de quadril ou anca.

  • Acidente vascular cerebral: É a morte súbita de células cerebrais devido à falta de oxigênio, causada pelo bloqueio do fluxo sanguíneo ou ruptura de uma artéria cerebral. Sinônimo de acidente vascular encefálico.

Explicamos o acidente vascular cerebral em detalhes no artigo: AVC (derrame cerebral): sintomas e tratamento.



  • Acufeno: também chamado de zumbido ou tinido, é a percepção de um som exterior, que na verdade não existe. O acufeno pode ser perceptível em apenas um ou em ambos os ouvidos; pode ter alto ou baixo volume.

Falamos especificamente do acufeno no artigo: Zumbido no ouvido (acufeno e tinido).


  • Adenomiose: é uma doença na qual existem fragmentos de tecido do endométrio dentro do miométrio, que é a camada muscular do próprio útero.

Explicamos a adenomiose em detalhes no artigo: Adenomiose uterina – sintomas e tratamento.


  • Agorafobia: é um tipo de transtorno de ansiedade em que o paciente tem medo de situações nas quais não consiga escapar, evitando lugares que o fazem se sentir preso, desamparado ou envergonhado. O paciente teme uma situação real ou prevista, como usar transporte público, estar em espaços abertos ou fechados, ficar em uma fila ou estar no meio de uma multidão. Em casos graves, o paciente nem sequer consegue sair de casa. A agorafobia é um transtorno que pode vir junto ou separado com a síndrome do pânico.

  • Alvéolos: são pequenos sacos de ar dentro dos pulmões, onde ocorre a troca de oxigênio e dióxido de carbono.

  • Amaurose fugaz: é uma condição na qual há cegueira temporária de um ou ambos os olhos devido à falta de fluxo sanguíneo para o olho.

  • Anasarca: edema generalizado por vários pontos do corpo.


  • Anemia: condição na qual há um número reduzido de glóbulos vermelhos no sangue, também chamados de hemácias ou eritrócitos. A anemia também pode ser provocada por uma quantidade reduzida de hemoglobina.

Explicamos a anemia em detalhes no artigo: Anemia – tipos, causas e sintomas.


  • Aneurisma: é uma dilatação anormal de uma parte de um vaso sanguíneo causada por uma fragilidade da sua parede. A fraqueza ocorre habitualmente por doença do vaso, que perde sua elasticidade e torna-se mais frágil e menos resistente à pressão que o sangue exerce no seu interior. Quanto maior for o tamanho do aneurisma, maior é o seu risco de ruptura.

Explicamos os aneurismas em detalhes no artigo: Aneurisma: o que é, causas, sintomas e tratamento.


  • Anosmia: é o nome que dado à perda do olfato. Quando a perda do olfato é parcial, chamamos de hiposmia.

  • Ansiedade: sensação de apreensão e medo, frequentemente caracterizada por sintomas físicos como palpitações, sudorese, falta de ar e sensação de estresse.

Explicamos a ansiedade em detalhes no artigo: Transtorno de ansiedade generalizada.


  • Anticorpos: também chamados de imunoglobulinas, são um grupo de proteínas de alto peso molecular produzidas normalmente pelos linfócitos B após estimulação por um antígeno, geralmente um germe invasor, como bactérias ou vírus. Os anticorpos fazem parte da nossa defesa imunológica; eles ligam-se aos germes invasores, neutralizando-os para que outras células do sistema imunológico possam destruí-los.

  • Articulação: chamadas popularmente de juntas, uma articulação é a conexão entre dois ou mais ossos. Exemplos de articulações. joelho, tornozelo, punho, cotovelo, ombro.

  • Articulação coxo-femural: o mesmo que quadril.

  • Artrite reumatoide: doença inflamatória de origem autoimune que ataca o tecido conjuntivo das articulações, tornando-as doloridas, inflamadas e, às vezes, deformadas.

Falamos sobre a artrite reumatoide no texto: Artrite Reumatoide: sintomas, causas e tratamento.


  • Auto-anticorpos: anticorpos produzidos de forma indevida contra estruturas do nosso próprio organismo.



B

O que é?

  • Bacia: o mesmo que pelve.

  • Bactéria: são microrganismos unicelulares que podem existir como de vida livre ou como parasitas, dependendo de outro organismo para viver.

Falamos sobre as doenças provocadas por bactérias no texto: Quais são as doenças causadas por bactérias?


C

O que é?

  • Câncer: tumor maligno que surge por mutação das células, que tendem a se proliferar de forma descontrolada, crescendo de forma potencialmente ilimitada, expandindo localmente e à distância, gerando metástases.

Explicamos o câncer no artigo: Como surge o câncer?


  • Carcinoma: carcinoma é um tipo de câncer que pode surgir em praticamente todos os tecidos do corpo. Chamamos de carcinoma o câncer que se origina de um tecido epitelial, ou seja, o tecido que recobre nossa pele e a maioria dos nossos órgãos.

Explicamos o carcinoma em detalhes no artigo: O que é um carcinoma?


  • Cavidade pélvica: cavidade no centro da pelve, onde se localizam órgãos, como bexiga, canal vaginal, útero e reto.

  • Ceco: é a parte inicial do intestino grosso, situada no quadrante inferior direito do abdômen. O ceco recebe material fecal do íleo, porção final do intestino delgado, que se abre nele. O apêndice fica anexado ao ceco.

  • Cinetose: conhecida também como enjoo de movimento, é um quadro de enjoo, com ou sem vômitos, que ocorre em algumas pessoas quando estão passivamente em movimento, seja dentro de um automóvel, avião, trem ou barco.

Para saber mais sobre a cinetose, leia: O que é cinetose (enjoo de movimento)?


  • Cisto: saco ou cápsula fechada com uma membrana, geralmente preenchida com fluido ou material semissólido, que se desenvolve anormalmente em uma cavidade ou estrutura do corpo.

  • Cisto de Baker: também conhecido como cisto poplíteo, é uma pequena bolsa de líquido que surge na região atrás do joelho, chamada fossa poplítea (ver definição de cisto).

Falamos sobre o cisto de Baker no artigo: Cisto de Baker (cisto poplíteo).


  • Cisto mamário: pequena coleção líquida, envolta por uma membrana, que fica localizada dentro da mama (ver definição de cisto).

Explicamos os cistos de mama em detalhes no artigo: Cisto na mama: sintomas e risco de ser câncer.


  • Cisto de ovário: Cisto que cresce em um dos ovários (ver definição de cisto). Existem vários tipos de cisto no ovário, os mais comuns são os chamados cistos funcionais, como cisto folicular e cisto de corpo lúteo.

Explicamos os cistos de ovário em detalhes no artigo: Cisto no ovário: sintomas e tratamento.


  • Cisto pilonidal: também conhecido como abscesso pilonidal, é uma lesão que ocorre habitualmente na parte superior da prega que divide as nádegas, logo acima do ânus (ver definição de cisto)

Falamos sobre o cisto pilonidal no artigo: Cisto pilonidal: causas, sintomas e cirurgia.



  • Cisto renal complexo: cisto que surge em um dos rins e possui conteúdo no seu interior com algum material sólido, às vezes com septos, áreas de fibrose e contornos irregulares (ver definição de cisto).

  • Cisto renal simples: cisto benigno, com conteúdo líquido, que surge em um ou ambos os rins (ver definição de cisto).

Explicamos os cistos renais no artigo: O que é cisto renal?


  • Cisto sinovial: cisto que habitualmente apresenta-se como um pequeno nódulo arrendondado e de consistência mole acima das articulações ou tendões, principalmente nas mãos e punhos (ver definição de cisto).

Explicamos o cisto sinovial no artigo: Cisto sinovial: causas, sintomas e tratamento.


  • Citoplasma: é o espaço dentro da células entre a membrana plasmática e o núcleo.

  • Coágulo: massa gelatinosa formada por plaquetas e fibrina no sangue para interromper sangramentos. Um coágulo sanguíneo se forma para tentar reparar um dano à parede de um vaso sanguíneo, seja uma artéria ou veia. Quando os coágulos sanguíneos se formam de forma inadequada dentro de uma artéria ou veia, eles podem causar obstrução ao fluxo sanguíneo, um processo chamado de trombose.


  • Cólon: também chamado de intestino grosso. É a última parte do intestino, se estende do ceco ao reto. O cólon é um órgão longo em forma de tubo, com cerca de 1,5 metro de comprimento, cujo papel é remover a água dos alimentos digeridos e formar o resíduo sólido denominado fezes, que move-se do cólon para o reto e deixa o corpo através do ânus.

  • Comorbidade: é a presença de uma ou mais doenças de forma concomitante, porém independente, à doença de interesse no momento. Exemplo: em um paciente que se contamina com Covid-19, caso ele já tenha previamente diabetes, hipertensão, obesidade, asma ou qualquer outra condição de saúde, todas elas serão classificadas como comorbidades.

  • Congênito(a): condição ou doença que já existe ao nascimento, adquirida durante o desenvolvimento intra-uterino na gravidez.

D

O que é?

  • D-dímero: fragmento de fibrina habitualmente produzido quando há degradação de um coágulo. O aumento dos níveis de d-dímeros no sangue é um marcador da formação de coágulos no sangue e serve para auxiliar no diagnóstico de tromboses ou embolia. Recentemente tem sido utilizado como marcador de gravidade e risco de trombose nos pacientes com Covid-19.

  • Demência: perda da função cerebral que piora com o tempo e afeta a memória, o pensamento, o comportamento e a linguagem, sendo grave o suficiente para interferir no funcionamento social ou ocupacional.

Explicamos a demência no artigo: Demência: causas, sintomas e tratamento.


  • Dislipidemia: aumento dos níveis de colesterol sanguíneo.

  • Duodeno: é a parte inicial do intestino delgado, localizado logo após o estômago. O duodeno é a a menor parte do intestino delgado, com cerca de 25 cm de comprimento. Apresenta uma estrutura em forma de “C” que contorna a cabeça do pâncreas e é mais largo que as outras porções do intestino delgado. Ele recebe comida parcialmente digerida do estômago. Suas funções incluem neutralização do ácido gástrico, mistura do suco biliar nos alimentos, ativação de enzimas digestivas e absorção inicial de água e nutrientes.

E

O que é?

  • ECMO: acrônimo para oxigenação por membrana extracorpórea. Tratamento que fornece suporte respiratório e circulatório, envolvendo uma máquina que faz o bombeamento de sangue do corpo através de um oxigenador de membrana para trocar dióxido de carbono por oxigênio. A ECMO é habitualmente utilizada para oxigenar o sangue quando os pulmões estão gravemente doentes e a ventilação mecânica (respirador artificial) não consegue ser eficaz.

  • Edema: é o inchaço dos tecidos moles como resultado do acúmulo de líquido em excesso. Pode ocorrer na pele ou nos órgãos. Quando o edema ocorre de forma generalizada pelo corpo, ele recebe o nome de anasarca.

Falamos mais sobre o edema no artigo: Inchaço nas pernas (edema – retenção de líquido).


  • Edema pulmonar: é o edema que ocorre no pulmão. Também chamado de edema agudo do pulmão (EAP), é uma emergência médica causada pelo extravasamento de água dos vasos sanguíneos para o tecido pulmonar, enchendo os alvéolos de água e tornando a respiração difícil.

Para saber mais sobre o edema de pulmão, leia: Edema pulmonar – Sintomas e tratamento.



  • Endométrio: camada de tecido que recobre o interior do útero. A descamação do endométrio é que dá origem à menstruação.

  • Endometriose: é uma doença caracterizada pelo aparecimento de pedaços de endométrio fora do útero. A endometriose pode acometer bexiga, intestinos, apêndice, vagina, ureter e, raramente, órgãos distantes da pelve, tais como pulmões e sistema nervoso central.

O artigo sobre endometriose pode ser acessado através do link: Endometriose: o que é, sintomas e tratamento



  • Escarlatina: é um quadro de rash de pele (manchas avermelhadas) por quase todo o corpo, que ocorre em algumas pessoas após episódio de amigdalite e/ou faringite provocado pela bactéria Streptococcus pyogenes.

Explicamos a escarlatina no artigo: Escarlatina – sintomas, causas e tratamento.


F

O que é?

  • Fármaco: o mesmo que remédio ou medicamento. Substância química dotada de propriedades farmacológicas.

  • Fêmur: é o osso mais longo e mais volumoso do corpo humano; localiza-se na coxa.

  • Fibromialgia: doença de causa ainda não totalmente esclarecida, caracterizada por dor crônica, rigidez e sensibilidade dos músculos, tendões e articulações, sem inflamação detectável em nenhum deles. A fibromialgia não causa dano corporal ou deformidade. No entanto, a fadiga atinge 90% dos pacientes.

Falamos de fibromialgia com detalhes no texto: Fibromialgia: sintomas, pontos de dor e tratamento.


  • Fibrose: também conhecida como cicatriz fibrótica, a fibrose é uma cicatrização patológica em que o tecido conjuntivo substitui o tecido normal após um processo de lesão ou inflamação prolongada. A fibrose pode provocar considerável remodelação do tecido e à formação de tecido cicatricial permanente. O exemplo mais simples de fibrose são as cicatrizes que se formam na pele.

G

O que é?

  • Glicose: é o açúcar simples. A glicose é encontrada no sangue e é a principal fonte de energia do nosso organismo.



H

O que é?

  • Hemodiálise: processo de filtração do sangue através de uma máquina específica, indicado para pacientes com falência grave dos rins.

Explicamos a hemodiálise no artigo: Hemodiálise: o que é, para que serve e como se faz.


  • Hemácias: também chamados de glóbulos vermelhos ou eritrócitos, são as células responsáveis pelo transporte de oxigênio pelo sangue. A redução do número de hemácias é chamada de anemia.

  • Hemoglobina: é uma proteína rica em ferro presente nas hemácias que se liga às moléculas de oxigênio, transportando-as dos pulmões para outras partes do corpo. É a hemoglobina que dá ao sangue sua cor vermelha. Uma deficiência de hemoglobina provoca anemia.

  • Hepatite: Inflamação do fígado. A hepatite pode ter várias causas, sendo as infecções virais, medicamentos, álcool, excesso de gordura no fígado e doenças autoimunes as principais.

Explicamos a hepatite com mais detalhes no artigo: Hepatite: tipos, causas e sintomas.


  • Hiperglicemia: níveis elevados de glicose no sangue. Geralmente é considerado hiperglicemia valores de glicose no sangue acima de 125 mg/dl em jejum de pelo menos 8 horas ou acima de 180 mg/dl até 2 horas após a última refeição.

  • Hipoglicemia: níveis baixos de glicose no sangue. Em geral, consideramos hipoglicemia valores da glicose sanguínea menores que 55 mg/dl nos indivíduos sem diabetes ou menores que 70 mg/dl nos pacientes diabéticos.

Falamos mais sobre a hipoglicemia no texto: Hipoglicemia – O que é, sintomas e tratamento.



I

O que é?

  • IgG: sigla para imunoglobulina G. É um anticorpo de memória, mais específico, criado habitualmente após alguns dias ou semanas de contato com o germe invasor.

  • IgM: sigla para imunoglobulina M. É o primeiro anticorpo a ser criado durante uma infecção. É menos específico e serve de defesa até os anticorpos IgG estarem prontos.

  • Íleo: é a última parte do intestino delgado. Com cerca de 2 a 4 metros de comprimento, o íleo localiza-se entre o jejuno e o início do intestino grosso. Suas funções incluem a digestão e absorção de carboidratos, gorduras e sais biliares.

  • Imunoglobulina: também chamados de anticorpos, são glicoproteínas produzidas pelos linfócitos B. São proteínas especializadas em atacar germes invasores.

  • Inflamação: é uma reação criada pelo sistema imunológico, marcada por dilatação dos pequenos vasos sanguíneos e infiltração de leucócitos, que produz vermelhidão, calor, inchaço e dor como resposta a uma infecção, irritação ou lesão. A inflamação pode localizada ou generalizada.

Para mais detalhes, leia: O que são inflamação, pus, abscesso e empiema?


  • Intestino delgado: é a parte inicial, mais estreita e tortuosa dos intestinos, localizada entre o estômago e o cólon. Tendo, em média, 6 a 7 metros de comprimentos no total, o intestino delgado é dividido em 3 porções: duodeno, jejuno e íleo. Essa parte do intestino é responsável por secretar enzimas digestivas e é o principal local da digestão e absorção dos alimentos em pequenas moléculas.

  • Intestino grosso: o mesmo que cólon.

J

O que é?

  • Jejuno: é a 2ª porção do intestino delgado, localizada entre o duodeno e o íleo. O jejuno tem cerca de 2,5 metros de comprimento e apresenta paredes mais espessas, com vasos mais calibrosos e com mais dobras circulares que o íleo. O jejuno é a parte responsável pela absorção de aminoácidos e lipídios já parcialmente digeridos pelo estômago e pelo duodeno.

K

O que é?

  • Kernicterus: é uma condição provocada por icterícia grave no recém-nascido, com depósito do pigmento bilirrubina no cérebro, podendo levar à paralisia cerebral, perda de audição, problemas de visão ou retardo do desenvolvimento mental. Também conhecida como encefalopatia bilirrubínica.

L

O que é?

  • Lactante: mulher que amamenta.

  • Lactente: bebê que é amamentado.

  • Laparoscopia: tipo de cirurgia em que pequenas incisões são feitas na parede abdominal, por meio das quais um laparoscópio e outros instrumentos podem ser inseridos para permitir que as estruturas dentro do abdome e da pelve sejam vistas e operadas. Vários procedimentos cirúrgicos podem ser realizados de forma laparoscópica, sem a necessidade de uma grande incisão cirúrgica.

  • Laparoscópio: instrumento de fibra óptica inserido através de uma incisão na parede abdominal e usado para examinar visualmente o interior da cavidade abdominal. O procedimento no qual é utilizado um laparoscópio chama-se laparoscopia.

  • Leucócitos: também conhecidos como glóbulos brancos, são um grupo de células do sangue que fazem parte do sistema imunológico e estão envolvidas com a proteção do organismo contra germes invasores. Existem cinco tipos de leucócitos: neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos e basófilos.

  • Leucocitose: elevação do número de leucócitos no sangue.

Falamos sobre a leucocitose no artigo: O que Significam Leucocitose e Neutrofilia?


  • Linfedema: edema provocado por falha na drenagem linfática. O linfedema costuma surgir no braço ou perna após a remoção dos vasos linfáticos ou gânglios linfáticos nas axilas ou virilha. Geralmente causa inchaço indolor.

  • Linfócitos: um tipo de leucócito, uma das nossas várias células de defesa do sistema imunológico. Existem dois tipos principais de linfócitos: linfócitos B e linfócitos T. As células B produzem anticorpos que neutralizam bactérias e toxinas, enquanto as células T atacam as próprias células do corpo quando foram dominadas por vírus ou se tornaram cancerígenas.


  • Linfócitos T: um tipo de linfócito capaz de atacar diretamente células infectadas por vírus, células tumorais ou células estranhas ao corpo, como no caso de rejeição de transplantes.

  • Linfoma: é um dos tipos de câncer das células do sangue, que surge quando as células do nosso sistema linfático sofrem transformações malignas. Existem dois tipos de linfoma, que são chamados de linfoma Hodgkin e linfoma não-Hodgkin.

Para saber mais sobre o linfoma, leia: Linfoma – Tipos, sintomas e tratamento.


  • Linhas de Pastia: também chamado de Sinal de Pastia, são linhas avermelhadas que se formam nas dobras da pele de pacientes com escarlatina, como axilas, virilhas, atrás dos joelhos, pescoço e prega do cotovelo.

M

O que é?

  • Melasma: também chamado de cloasma, é um tipo de mancha escurecida que surge em áreas da pele expostas ao sol, principalmente na face. O melasma ocorre com mais frequência nas mulheres, especialmente nas de pele mais morena e em idade reprodutiva.

Explicamos o melasma no artigo: Melasma: causas, sintomas e tratamento.


  • Menstruação: perda cíclica de sangue, secreções e fragmentos de tecido do endométrio, com intervalos de aproximadamente um mês, que ocorre nas mulheres em idade reprodutiva que não engravidam após a ovulação.

Explicamos a menstruação com mais detalhes no artigo: Ciclo menstrual – como ocorre a menstruação.


  • Mialgia: dor muscular.

  • Miocardite: é a inflamação do músculo do coração, chamado de miocárdio. Existem dezenas de causas de miocardite, incluindo infecções por vírus, bactérias, protozoários ou fungos, medicamentos, doenças autoimunes, consumo exagerado de álcool ou cocaína

Para informações mais detalhadas: Miocardite: o que é, causas, sintomas e tratamento.



N

O que é?

  • Nefrite: inflamação aguda ou crônica do rim causada por infecção, processo degenerativo ou doença vascular.

  • Nulípara: mulher que nunca pariu.

O

O que é?

  • Osso púbico: o mesmo que púbis.

  • Oxímetro: instrumento utilizado para medir o grau de saturação de oxigênio do sangue.

P

O que é?

  • Papilomavírus humano: também conhecido como HPV, é uma numerosa família de vírus que provoca desde verrugas até câncer do colo de útero.

  • Paramétrio: é a camada de gordura e o tecido conjuntivo que envolve o útero. O paramétrio ajuda a conectar o útero a outros tecidos da pelve.

  • Pelos pubianos: pelos que crescem na região do púbis a partir da puberdade.

  • Pelve: também chamada de bacia, a pelve é um conjunto de ossos chatos divididos em 4 partes: sacro, ílio, ísquio e púbis. É na pelve que se inserem os membros inferiores e é na cavidade pélvica que ficam órgãos como bexiga, canal vaginal, útero e reto.

  • Perimétrio: é a mais externa das três camadas que formam a parede do útero.

  • Puberdade: é o nome dado às mudanças físicas e psicológicas que ocorrem no corpo durante a pré-adolescência e a adolescência, geralmente entre os oito e os treze anos nas meninas e entre os nove e os quatorze anos nos meninos.

Explicamos a puberdade no artigo: Puberdade (masculina, feminina, precoce e tardia).


  • Púbis: 1) Um dos ossos da pelve, localizado na região central e anterior da bacia. Também chamado de osso púbico. 2) Também é chamada de púbis a região em forma de triângulo na extremidade inferior do baixo ventre, que fica coberta pelos pelos pubianos ao começar a puberdade.

Q

O que é?

  • Quadril: também chamado de articulação coxo-femural ou anca, é a articulação formada pela união entre a parte proximal do osso fêmur e o acetábulo (parte da pelve onde a cabeça do fêmur se encaixa).

R

O que é?

  • Rash: é uma erupção da pele com uma ou mais áreas irritadas ou inchadas de cor avermelhada.

  • Reto: são os últimos 15 a 20 centímetros do cólon. O reto armazena as fezes até que saiam do corpo pelo ânus.

S

O que é?

  • Saturação de oxigênio: é o nível de oxigenação do sangue. De fato, a saturação de O2 mede a porcentagem de hemoglobina ligada ao oxigênio no sangue e é representada como saturação arterial de oxigênio (SaO2). A saturação de oxigênio é um parâmetro vital para definir o conteúdo de oxigênio no sangue e a capacidade de fornecimento de oxigênio para os tecidos. Nos adultos, o intervalo normal de SaO2 é de 95 a 100%. Um valor inferior a 90% é considerado baixa saturação, o que requer suplementação externa de oxigênio.


  • Síndrome: grupo de sinais e sintomas que ocorrem juntos e caracterizam uma anormalidade ou condição específica.

T

O que é?


  • Tecido adiposo: camada de gordura habitualmente localizada por baixo da pele. O tecido adiposo é composto por células que acumulam gotículas de lipídios em seu citoplasma.

  • Tecido conjuntivo: também chamado de tecido conectivo, é um grupo de tecidos orgânicos responsáveis por unir, ligar, nutrir, proteger e sustentar os outros tecidos. São exemplos de tecido conjuntivo: tecido óssea, cartilaginoso, adiposo e fibroso.


  • Transtorno alimentar: são um conjunto de distúrbios psiquiátricos que têm em comum comportamentos alimentares anormais, geralmente relacionados com uma preocupação exagerada com o peso corporal. Exemplos de transtornos alimentares incluem a anorexia nervosa, bulimia e o transtorno da compulsão alimentar periódica.

  • Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade: é um distúrbio neuro-comportamental muito comum na infância, que se caracteriza por hiperatividade, impulsividade e/ou desatenção, que são desproporcionais à idade da criança e intensos o suficiente para afetar o seu funcionamento cognitivo, acadêmico, comportamental, emocional e social.

Para mais informações: Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade.


  • Trombose: é a formação de um coágulo de sangue dentro de um vaso sanguíneo, provocando interrupção ou grave limitação do fluxo de sangue.

U

O que é?

  • Urticaria: quadro de múltiplas lesões de pele, com aparência arredondada, avermelhada, bordas elevadas e intensa coceira. Geralmente provocada por reação alérgica a alimentos ou remédios, pode também ser causada por infecção, exposição a intenso calor ou frio ou doenças de origem imunológica.

Artigo sobre urticária: Urticária – Causas, sintomas e tratamento.


  • Útero: Órgão muscular e oco em forma de pera localizado na parte inferior do abdômen da mulher, entre a bexiga e o reto. O útero é órgão responsável por carregar e nutrir o feto durante a gravidez. A estreita porção inferior do útero é chamada de colo do útero. A parte superior mais ampla é o corpo do útero, que é composto por três camadas de tecido: endométrio, miométrio e perimétrio.

  • Uveíte: conjunto de doenças nos olhos, decorrente de uma inflamação da úvea, que é formada pela íris, corpo ciliar e coroide.

V

O que é?

  • Vacina: fármaco criado para gerar um resposta imunológica específica contra um germe, como vírus ou bactérias. A imunização através da vacinação é uma das formas mais efetivas de se prevenir doenças infecciosas graves e interromper epidemias.

Explicamos as vacinas no artigo: Vacinas: tipos, como funcionam e calendário.


  • Vírus: são agentes infecciosos microscópicos, sendo até 10.000 vezes menores que a maioria das bactérias. São a estrutura biológica mais comum em nosso planeta, sendo mais numerosos que animais, plantas, fungos, parasitos e bactérias juntos. Para a maioria da comunidade científica, os vírus não são considerados seres vivos.

Explicamos as doenças provocadas por vírus no artigo: Quais são as doenças causadas por vírus?


W

O que é?

  • Wolff-Parkinson-White: síndrome causada por uma anormalidade no sistema elétrico do coração. Na síndrome de Wolff-Parkinson-White há uma conexão elétrica extra dentro do coração que atua como um curto-circuito, fazendo com que o coração bata muito rapidamente e às vezes de maneira irregular.

Artigo sobre a síndrome de Wolff-Parkinson-White: O que é a Síndrome de Wolff-Parkinson-White?


X

O que é?

  • Xantoma: pequenos nódulos firmes e amarelados que surgem na pele, frequentemente indicando alguma doenças subjacentes, como dislipidemia grave.

Y

O que é?

  • Yersinia: grupo de bactérias que parecem bastonetes sob o microscópio. Um exemplo é a Yersinia pestis, bactéria que causa peste bubônica.

Z

O que é?

  • Zoonose:  infecções transmitidas de um animal para os seres humanos.

Falamos sobre as zoonoses no artigo: Zoonoses – Doenças transmitidas por animais.