6 tipos de eczema: causas, sinais e tratamento

O que é eczema?

Eczema ou dermatite são os termos usados para descrever um grupo de doenças dermatológicas que provocam inflamação ou irritação da pele.

Clinicamente, os eczemas se manifestam com vermelhidão, coceira, descamação, rachaduras e pele mais áspera. Em alguns casos, podem também ocorrer bolhas.

As dermatite são muito comuns e são responsáveis por até uma em cada três consultas ao dermatologia. Cerca de 10 a 20% das crianças e até 3% dos adultos apresentam algum tipo de eczema.

O eczema não é uma doença contagiosa. Você não vai “pegar” o eczema só porque tocou na ferida ou teve contato próximo de alguém com algum quadro de dermatite.

Causas

Embora a causa exata das dermatites seja desconhecida, sabemos que as pessoas que desenvolvem o eczema o fazem por causa de uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Quando um irritante ou alérgeno “ativa” o sistema imunológico de um individuo geneticamente susceptível, as células de defesa do organismo começam a se comportar de forma inapropriada, causando um quadro de inflamação na pele.

A dermatite de contato é um bom exemplo. Ela surge por lesão direta da pele após contato com substâncias irritantes, tais como ácidos, solventes, ou detergentes, ou por reação alérgica após contato com algum alérgeno, tipo bijuterias, látex ou hena.

Tipos

Existem várias causas de eczema. As mais comuns são:

  • Dermatite atópica.
  • Dermatite de contato.
  • Eczema disidrótico.
  • Eczema numular.
  • Dermatite seborreica.
  • Dermatite de estase.

Dermatite atópica

Dermatite atópica

A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é a forma mais comum de eczema. Muito comum em bebês e crianças, ela também pode acometer adultos.

Ao contrário do que muita gente pensa, a dermatite atópica não é uma doença alérgica. Ela parece surgir por conta de um defeito genético em uma proteína da pele, facilitando o surgimento de inflamação e sintomas de coceira, descamação, pele seca e vermelhidão.

As faces extensoras das articulações, como as fossas dos cotovelos e dos joelhos, são áreas frequentemente atingidas, tanto nas crianças quanto nos adultos.

O tratamento é feito principalmente com hidratação da pele e eliminação de fatores que favorecem o agravamento das lesões, tais como, calor, suor, estresse, mudanças bruscas de temperatura e exposição a certos produtos químicos ou soluções de limpeza.

Para saber mais detalhes sobre a dermatite atópica, leia: DERMATITE ATÓPICA – Sintomas, causas e tratamento.

Dermatite de contato

Dermatite de contato

A dermatite de contato, como o próprio nome diz, é uma forma de eczema que ocorre quando a pele entra em contato com uma substância que causa alergia ou irritação.

Em até 80% dos casos, a dermatite de contato é desencadeada por substâncias que causam irritação direta sobre a pele. Somente em 20%, a dermatite de contato é provocada por uma reação alérgica.

Produtos irritativos são aqueles que provocam dermatite em praticamente todas as pessoas, contanto que haja contato com a pele por tempo suficiente.

Pacientes com dermatite de contato irritativa geralmente são pessoas mais susceptíveis, que desenvolvem eczema com contato menos prolongado que a maioria da população. Detergentes, álcool, ácidos, alguns tipos de metais e borracha são exemplos de substâncias irritantes.

A dermatite de contato alérgica só surge quando a pessoa tem alergia à substância em contato com a pele. Nesses casos, só um grupo restrito de pessoas desenvolve essa forma de eczema. Níquel, hena, látex, desodorantes são exemplos de substâncias que costumam provocar dermatite de contato alérgica.

O eczema de contato provoca habitualmente intensa vermelhidão e coceira, que ficam mais ou menos restritos ao local onde o agente irritante esteve contato.

A chave do tratamento dessa forma de dermatite é remover o contato com o produto que causa irritação ou alergia.

Explicamos a dermatite de contato com detalhes no artigo: DERMATITE DE CONTATO – Causas, sintomas e tratamento.

Eczema disidrótico

disidrose

A disidrose, também conhecida como eczema disidrótico, é uma doença de pele que provoca lesões em formas de pequenas bolhas pruriginosas nas palmas das mãos e plantas dos pés.

Habitualmente, essas pequenas bolhas persistem por 3 a 4 semanas e depois desaparecem, provocando descamação da pele.

Não sabemos o que causa a desidrose e, na maioria dos casos, um fator causador não costuma ser encontrado. Todavia, vários fatores de risco já foram identificados. Os mais comuns são:

O tratamento é feito através de medidas gerais de cuidados destinadas a reduzir a irritação da pele. Nos casos mais severos, pomadas ou comprimidos de corticoides podem ser utilizados.

Para saber mais sobre a desidrose, leia: DISIDROSE – Causas, sintomas e tratamento.

Eczema numular

O eczema numular, também chamado de eczema discoide, é uma doença inflamatória crônica da pele caracterizada por lesões avermelhadas e de forma ovalada, com diâmetro variando de 1 a 10 cm, que coçam e costumam envolver as extremidades e/ou o tronco.

A maioria dos pacientes tem mais de 50 anos, embora indivíduos de qualquer idade possam ser afetados.

As causas exatas do eczema numular ainda são desconhecidas. Inúmeros fatores têm sido implicados na origem da doença, incluindo ressecamento e diminuição da produção de oleosidade na pele.

o tratamento do eczema numular envolve medidas gerais para reduzir a secura da pele e a exposição a substâncias irritantes, além de pomadas à base de corticoides e fototerapia.

Para informações mais detalhadas sobre a dermatite numular, leia: ECZEMA NUMULAR – Causas, sintomas e tratamento.

Dermatite seborreica

Dermatite Seborreica

A dermatite seborreica é uma forma de eczema bastante comum e de pouca gravidade. Essa forma de dermatite é uma inflamação crônica que surge em áreas da pele que contêm grande número de glândulas sebáceas.

As lesões surgem habitualmente em áreas com grande produção de oleosidade na pele, como couro cabeludo, face, região peitoral, canal auditivo e costas. Quando acomete o couro cabeludo, a produção de caspa é um dos seus sinais mais comuns.

As lesões de pele costuma ser placas avermelhadas que coçam e podem descamar.

As causas da dermatite seborreica não estão totalmente esclarecidas. A teoria mais aceita atualmente é de que a oleosidade produzida pelas glândulas sebáceas permite a criação de um ambiente favorável ao crescimento de fungos do gênero Malassezia (antigamente chamada de Pityrosporum ovale).

Os casos leves, somente com caspa no couro cabeludo, podem ser controlados apenas com shampoo anti-caspa.

Se não houver melhora com os shampoos anti-caspa tradicionais uma consulta com o médico dermatologista faz-se necessária. O uso de pomadas, loções ou shampoos especiais com corticoides pode ser necessário para o controle das lesões.

Para mais informações sobre a dermatite seborreica, leia: DERMATITE SEBORREICA – Causas, sintomas e tratamento.

Dermatite de estase

A dermatite de estase, também chamada de dermatite gravitacional ou eczema venoso, acontece quando o paciente tem insuficiência venosa dos membros inferiores, ou seja, uma má circulação sanguínea nas veias das pernas, geralmente com múltiplas varizes.

A insuficiência venosa ocorre quando as veias das pernas estão doentes e não conseguem drenar adequadamente o sangue de volta para o resto do corpo, provocando represamento e aumento da pressão nas veias das pernas.

Esse aumento da pressão provoca vazamento de líquido nas veias e na pele, resultando em inchaços e vermelhidão nas pernas.

Os sintomas da dermatite de estase incluem:

  • Inchaço nas pernas, principalmente nos pés e tornozelos.
  • Vermelhidão.
  • Comichão.
  • Dor.

O tratamento do paciente com dermatite de estase envolve o tratamento da insuficiência venosa crônica, da secura da pele, do prurido e da inflamação.


Referências


RELACIONADOS