Impinge (tínea): causas, sintomas e tratamento

Autor: Dr. Pedro Pinheiro - Revisado por: Dra. Joana Brack

Atualizado em:

Tempo estimado de leitura: 4 minutos.

O que é impinge?

A impinge, também chamada de impigem, Tínea ou Tinha, é o nome popular para as dermatofitoses, um grupo de micoses que podem acometer pele, unhas e cabelos.

Os fungos que provocam as dermatofitoses são chamados de dermatófitos. Existem mais de 50 espécies de fungos dermatófitos, distribuídos entre 9 gêneros. Nos humanos, os principais gêneros que causam infecção são Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton.

Entre as espécies mais comuns nos homens podemos citar:

  • Trichophyton rubrum.
  • Trichophyton tonsurans.
  • Trichophyton interdigitale.
  • Trichophyton mentagrophytes.
  • Microsporum canis.
  • Epidermophyton floccosum.

A característica central dos dermatófitos é colonizar as camadas mais superficiais da pele (epiderme), onde eles encontram sua principal fonte de alimento: a queratina, uma proteína abundante em unhas, pelos e pele.

Os dermatófitos obtêm os nutrientes que precisam a partir da queratina existente nos extratos mortos da epiderme. Por isso, eles não necessitam invadir a pele, embora isso possa ocorrer em algumas situações.

A reação inflamatória que a tínea provoca, caracterizada por vermelhidão e intensa coceira, resulta da reação das células da pele às enzimas libertadas pelo fungo durante o processo de metabolização da queratina.

Transmissão

As espécies de dermatófitos são divididas de acordo com o seu habitat primário. Os dermatófitos zoofílicos vivem em animais mamíferos, os dermatófitos antropofílicos vivem no ser humano e os dermatófitos geofílicos vivem livremente no solo.

A transmissão dos fungos é feita por contato direto com a pele. Esse contato por ser ao andar descalço em locais úmidos e quentes, como o chão de vestiários, ao usar toalhas ou roupas de pessoas contaminadas, por contato de pele com pele, como nos casos de esportes de luta, ou por contato direito com o pelo de animais infectados.

As espécies zoofílicas, transmitidas de animais para humanos, são responsáveis por cerca de 30% das dermatofitoses humanas e geralmente provocam um quadro mais intenso, com muita inflamação.

Já as espécies antropofílicas, transmitidas de humano para humano, representam a maior parte das infecções e por já estarem mais adaptados aos seres humanos provocam um quadro mais crônico, com menos inflamação, mas de longa duração.

Tipos de dermatofitose

A impinge pode surgir em qualquer área da pele ou onde haja pelos ou unhas. Os principais tipos de dermatofitoses são:

  • Tinea corporis: infecção por dermatófitos em superfícies da pele que não sejam os pés, virilha, rosto, couro cabeludo ou barba.
  • Tinea pedis: infecção por dermatófitos no pé, também chamado de frieira ou pé-de-atleta, especialmente quando acomete a região entre os dedos dos pés.
  • Tinea cruris: infecção por tínea na virilha.
  • Tinea capitis: infecção dos cabelos e do couro cabeludo por tínea.
  • Tinea unguium: infecção fúngica da unha, também chamada de onicomicose.
  • Tinea barbae: infecção dos pelos da barba.

Termos adicionais que também podem ser usados ​​para descrever apresentações menos comuns são Tinea faciei (infecção da face) e Tinea manuum (infecção da mão).

As impinges são tipicamente micoses superficiais. Ocasionalmente, infecções por dermatófitos penetram no folículo piloso e na derme, causando uma infecção mais profunda chamada granuloma de Majocchi.

Sintomas

Os sintomas específicos dependem da região da pele em que o fungo está provocando inflamação, seja unha, pele ou pelo. Clique nos links acima para saber mais detalhes sobre cada um dos tipos de tínea.

Em geral, o local acometido costuma apresentar lesões avermelhadas, descamativas, com coceira.

Conforme é possível ver nas fotos mais abaixo, são muito comuns as lesões em forma de anel, que vão se expandindo do centro para a periferia. As bordas costumam ser avermelhadas e o centro mais claro.

No couro cabeludo, essas lesões pode ocasionar áreas de perda dos cabelos.

Locais do corpo onde há mais umidade e calor, como as dobras e regiões com pelos, costumam ser as mais afetadas, pois esse ambiente é mais propício para a proliferação dos fungos.

Imagens

Tratamento

O tratamento da tínea é habitualmente feito com antifúngico tópico. Algumas opções eficazes de pomadas ou cremes incluem:

Na tinea capitis, o shampoo de cetoconazol costuma ser uma boa opção.

Nos pacientes que não melhoram com tratamento tópico, os antifúngicos podem ser administrados em comprimidos por via oral. Os mais utilizados são:

A onicomicose não costuma responder ao tratamento tópico, sendo a terbinafina por via oral o tratamento mais indicado.

Explicamos o tratamento com mais detalhes nos textos específicos para cada dermatofitose.

Prevenção

Não é fácil prevenir a infecção por fungos dermatófitos, pois eles podem ser contagiosos mesmo antes dos sintomas aparecerem.

Algumas dicas ajudam a reduzir o risco:

  • Mantenha a pele sempre limpa. Lave as mãos frequentemente e tome banho logo após o treino ou uma partida em que haja contato físico com outras pessoas.
  • Não use roupas grossas por longos períodos em clima quente e úmido. Evite transpiração excessiva. Mantenha sempre pés e virilhas secas.
  • Evite contato com animais com doenças de pele.
  • Não compartilhe itens pessoais. Não deixe que outras pessoas usem suas roupas, toalhas, escovas de cabelo, equipamentos esportivos ou outros itens pessoais.
  • Não ande descalço em vestiários ou piscinas públicas.

Referências


Autor(es)

+ Informações | + posts

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

+ Informações | + posts

A Dra, Joana Brack é médica formada pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Pós Graduação em Dermatologia pela UFRJ.

Relacionados
Pitiríase versicolor Pitiríase versicolor (pano branco)
Micose de unha Fotos de micose de unha (onicomicose)
Escabiose Fotos de sarna humana (escabiose)
Molusco contagioso Molusco contagioso: sintomas, causas e tratamento
Vídeo micose de unha Vídeo: Micose nas unhas (onicomicose)
Síndrome mão-pé-boca Fotos da doença mão-pé-boca
Onicomicose Micose de unha: sintomas, causas e tratamento
Paroníquia no dedo da mão Unha inflamada (paroníquia): causas e tratamento
Sarna Sarna humana (escabiose): sintomas e tratamento
Mão-pé-boca Síndrome mão-pé-boca: sintomas e tratamento
Caspa Caspa: causas, sintomas e tratamento
Micose virilha Micose na virilha (tinea cruris): sintomas e pomada
Micose de virilha Fotos de micose na virilha (tinea cruris)
Urticária no tronco Fotos de urticária (alergia na pele)
Escarlatina Fotos do rash da escarlatina
Desidrose Disidrose: causas, sintomas e tratamento
Candidíase Candidíase: tipos de infecção por Candida
Cobreiro Herpes zoster: causas, sintomas e tratamento