Eczema Numular: causas, sintomas e tratamento

O que é eczema numular?

O eczema numular, também chamado de dermatite numular ou eczema discoide, é uma doença inflamatória crônica da pele caracterizada por lesões avermelhadas múltiplas, pruriginosas e de forma ovalada ou arrendondada, envolvendo as extremidades e/ou o tronco.

O eczema numular ocorre em cerca de 0,2% da população e afeta os homens com mais frequência do que as mulheres. A maioria dos pacientes tem mais de 50 anos, embora indivíduos de qualquer idade possam ser afetados.

Ainda que os sintomas possam ser incômodos, a doença pode ser tratada na maioria dos casos com pomadas à base de corticoides. O prognóstico costumam ser muito bom, com controle da doença em quase 100% dos pacientes e remissão a longo prazo na maioria.

O eczema numular não é contagioso, o que significa que ele não pode ser transmitido de uma pessoa para outra através do contato direto com a pele.

Causas

As causas exatas do eczema numular ainda são desconhecidas.

Inúmeros fatores têm sido implicados na origem da doença, incluindo ressecamento e diminuição da produção de oleosidade na pele.

Como na maioria das formas de eczema, é provável que a causa da dermatite numular seja uma combinação de disfunção da barreira de gordura da pele e uma resposta anormal do sistema imunológico.

O ressecamento da pele interfere na sua oleosidade, que, por sua vez, permite que alérgenos ambientais penetrem na pele e induzam uma resposta alérgica ou irritante, semelhante à que ocorre na dermatite de contato.

Fatores de risco

Os fatores que podem servir de gatilhos para o surgimento do eczema numular incluem:

  • Danos à pele, tais como picadas de insetos, abrasões, arranhões ou queimaduras térmicas ou químicas.
  • Dermatite atópica.
  • Pele seca, principalmente no inverno.
  • Contato com metais, especialmente níquel ou mercúrio.
  • Varizes ou má circulação nos membros inferiores.
  • Medicamentos, como cremes de neomicina, isotretinoína, ribavirina ou interferon.

Casos de eczema numular na mama têm sido relatados em mulheres submetidas à mastectomia e reconstrução mamária com implantes.

Sintomas

O eczema numular geralmente se apresenta com manchas arredondadas, avermelhadas, com diâmetro variando de 1 a 10 cm e que provocam intensa coceira e/ou ardência.

O prurido costuma ser mais intenso à noite e pode causar irritabilidade e insônia.

Na fase aguda, as lesões são bem avermelhadas, úmidas e com formação crostas. Com o tempo, elas tornam-se mais escurecidas, secas e escamosas, ocasionalmente com uma parte central mais clara, formando imagem de anel.

As pernas e os braços são os locais mais frequentemente envolvidos. O envolvimento do tronco é menos comum. Se a face, couro cabeludo ou pescoço também tiverem lesões, outros diagnósticos, que não a dermatite numular, devem ser considerados.

Uma das complicações mais comuns do eczema numular é a infecção da lesão por bactérias da pele, principalmente pelo Staphylococcus aureus. A presença de pus na lesão é um sinal de infecção bacteriana.

As lesões fortemente escoriadas pelo ato de cocar ou que tenham sido infectadas podem deixar cicatrizes permanentes. As lesões nas nas pernas levam mais tempo para cicatrizar e podem deixar manchas mais escuras que duram anos.

O eczema numular tende a ser uma doença crônica com remissões e recaídas. Os pacientes precisam ser informados que, uma vez desenvolvido o eczema numular, as lesões podem retornar de tempos em tempos durante vários anos.

Evitar fatores exacerbantes e manter adequada hidratação da pele podem ajudar a reduzir a frequência das recaídas.

Fotos

Diagnóstico

O diagnóstico de eczema numular é geralmente clínico, baseado na identificação das típica de lesões arredondas e altamente pruriginosas em um paciente com pele difusamente seca.

Biópsias da pele ou exames laboratoriais geralmente não são necessários para o diagnóstico. No entanto, um swab de pele para cultura bacteriana pode ser realizado nos pacientes com lesões purulentas ou intensa inflamação ao redor, sempre que houver suspeita de infecção bacteriana secundária.

Tratamento

O tratamento do eczema numular envolve medidas destinadas a reduzir a inflamação, o ressecamento da pele e a exposição a substâncias irritantes.

Medidas gerais

As medidas gerais para reduzir a secura da pele e a exposição a substâncias irritantes podem incluir:

  • Limitar o banho a uma vez ao dia com água morna usando produtos de limpeza neutros e sem sabão.
  • Evitar água muito quente.
  • Aplicação de hidratante na pele pelo menos duas vezes ao dia e imediatamente após o banho.
  • Suplementação oral com L-histidina, um aminoácido essencial que melhora o ressecamento da pele.
  • Considere a possibilidade de obter um umidificador para toda a casa ou, pelo menos, para o quarto do paciente.
  • Evitar atividades que causem fricção ou lesão da pele.
  • Lavar a roupa com sabão em pó ou detergentes que sejam hipoalérgicos. Enxague as roupas duas vezes para eliminar resíduos de produtos químicos.
  • Medicamentos anti-histamínicos ajudam a reduzir a coceira.

Cremes e pomadas

Corticosteroides tópicos (cremes ou pomadas) de alta potência, tais como betametasona, triancinolona ou clobetasol, são a primeira linha de tratamento para o eczema numular.

Os corticosteroides tópicos são aplicados uma ou duas vezes ao dia por duas a quatro semanas ou até a resolução das lesões. na maioria dos pacientes, esse tratamento é eficaz.

Para lesões mais resistentes ao tratamento tópico, a aplicação de injeção de triancinolona diretamente na lesão pode ser uma opção.

Fototerapia

Pacientes com doença intensa que não respondem aos corticosteroides tópicos podem ser tratados com terapia com raios ultravioleta B de banda estreita.

Normalmente, são necessários de 10 a 30 tratamentos, administrados duas a três vezes por semana, para que uma resposta seja observada. Depois que todas as lesões forem eliminadas, a frequência pode ser reduzida para uma vez por semana durante um mês, e depois a cada duas semanas por dois meses, conforme necessário e tolerado.

Quando a terapia com raios ultravioleta B de banda estreita não estiver disponível, a luz solar natural pode ser uma alternativa. Os pacientes devem ser instruídos a começar com 10 minutos de luz solar direta e desprotegida entre 10h e 14h, aumentando progressivamente a duração da exposição até um máximo de 30 minutos diários.

Os pacientes com pele muito clara e aqueles com cabelos ruivos ou loiros devem limitar o tempo de exposição a um máximo de 20 minutos. Áreas não afetadas da pele devem ser cobertas para limitar a exposição solar desnecessária.

Medicamentos

Para pacientes com doença grave, extensa ou resistente, um ciclo curto de corticosteroides sistêmicos pode ser tentado. Os esquemas mais utilizados são:

  • Triancinolona intramuscular na dose de 40 mg administrada uma vez a cada três meses
  • Prednisona por 20 dias: 40 mg por dia por 5 dias, seguido de 30 mg/dia por 5 dias, depois 20 mg/dia por 5 dias e, finalmente, 10 mg/dia por 5 dias.

O metotrexato ou a ciclosporina são terapias alternativas para os pacientes nos quais os corticosteroides sistêmicos são contra-indicados ou quando a doença se retorna logo após a descontinuação do medicamento.

Se houver infecção bacteriana das lesões, o uso de antibióticos está indicado.


Referências


RELACIONADOS