Doenças do cigarro e como parar de fumar

Foto do autor

Escrito por: Dr. Pedro Pinheiro

Atualizado em:
Tempo de leitura estimado do artigo: 4 minutos

Introdução

Atualmente, cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o planeta são fumantes. Estima-se que nas próximas duas décadas esse número se elevará para 1.6 bilhão, com grande contribuição dos países mais pobres, onde o consumo de tabaco tem aumentado e já representa a maior fonte de lucros da indústria tabagista.

Tamanho consumo faz com que o cigarro seja atualmente a principal causa de morte prevenível em todo mundo. Uma em cada dez mortes de adultos está relacionada ao tabaco. Isto significa 6 milhões de óbitos por ano, 14 mil mortes por dia ou 1 morte a cada 6 segundos por doenças causadas pelo fumo.

Para se ter uma ideia da tragédia que é o cigarro, em todo o mundo morrem mais pessoas de doenças relacionadas ao tabagismo do que de AIDS, álcool, drogas ilegais, assassinatos, suicídios e acidentes automobilísticos juntos.

O cigarro é diretamente responsável por:

  • Nove em cada 10 mortes por câncer de pulmão.
  • Três em cada 10 mortes por qualquer tipo de câncer.
  • Três em cada 10 mortes por doenças cardiovasculares.
  • Oito em cada 10 casos de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), como o enfisema pulmonar ou a bronquite crônica.
  • Uma em cada 2 mortes de fumantes.

Custos do tabagismo

Os gastos anuais no mundo com os problemas de saúde  causados pelo tabagismo ultrapassam os 200 bilhões de dólares. Pessoas que fumam consomem em média 40% mais recursos dos sistemas de saúde que os não fumantes. Enquanto isso, empresas que comercializam cigarros, como a Philip Morris, apresentam lucro maior que a Nike e o McDonald’s.

O Brasil gasta perto de meio bilhão de reais no tratamento das doenças relacionadas ao fumo. Nos EUA trabalhos mostram que a cada dólar investido em programas de prevenção ao fumo, poupa-se 50 dólares do sistema de saúde.

Perigos do cigarro

As principais causas de morte relacionadas ao tabaco são as doenças cardiovasculares, o câncer de pulmão e a DPOC (enfisema e bronquite cônica).

Um fumante de longa data tem sua expectativa de vida reduzida em cerca de 13 anos, e pelo menos 50% dos fumantes morrerão de alguma doença diretamente causada pelo cigarro. Nos EUA 1/3 das doenças cardiovasculares, incluindo infartos e AVC, são causadas pelo cigarro.

Um simples cigarro contém cerca de 600 substâncias. Ao ser aceso, o processo de combustão transforma essas 600 substâncias em mais de 7000 produtos químicas, sendo, pelo menos, 400 delas sabidamente tóxicas ao organismo e cerca de 70 reconhecidamente carcinogênicas (i.e. que causam câncer). Entre as substâncias nocivas que absorvemos quando fumamos um cigarro podemos citar: ácido acético, metanol, chumbo, tolueno, arsênio, metano, amônia, cadmium, hexamina, monóxido de carbono, alcatrão e nicotina.

O cigarro também provoca deposição de material radioativo nos pulmões dos fumantes. Uma pessoa que fuma 1 maço e meio de cigarro por ano recebe uma quantidade de radiação ionizante equivalente a 4000 radiografias de tórax. Temos um texto que fala exclusivamente sobre a radiação do cigarro: VOCÊ SABIA QUE CIGARROS SÃO RADIOATIVOS?

Principais doenças e problemas relacionadas ao cigarro

Todas as doenças listadas abaixo ocorrem com maior frequência em indivíduos que fumam:

Fumo passivo

Já está comprovado que o fumo passivo pode levar às mesmas doenças do fumo ativo. Por isso, as leis antitabagismo, cada vez mais restritivas em todo mundo, não são apenas uma questão de não-fumantes incomodados com o cheiro da fumaça dos fumantes. É uma questão de saúde pessoal e pública.

Irmãs gêmeas idênticas: a da direita é fumante; a da esquerda nunca fumou.

Cânceres de pulmão em não-fumantes são pouco comuns, mas boa parte destes acometem pessoas que moram na mesma casa de um fumante. 90% dos cânceres de pulmão ocorrem em fumantes, os restantes 10% ficam em boa parte com os fumantes passivos.

Um não-fumante casado com um fumante tem 20% mais de chances de morrer de câncer de pulmão e doenças cardiovasculares que não-fumantes não expostos ao fumo passivo. Não fumantes que vivem com fumantes apresentam uma mortalidade até 15% maior que pessoas sem contato frequente com o cigarro.

Filhos de pais que fumam, expostos ao fumo passivo intradomiciliar por pelo menos 25 anos, tem o dobro de chances de desenvolver câncer de pulmão.

Recém-nascidos expostos ao cigarro durante a gestação apresentam quase 4 vezes mais chances de morte súbita. O risco de má formação fetal em mães fumantes também é maior. Mulheres grávidas expostas ao fumo passivo apresentam bebês com baixo peso ao nascerem.

Benefícios de parar de fumar

Os seguintes benefícios são alcançados quando se para de fumar:

  • Após 72 horas: melhora a respiração.
  • 1 mês: aumenta a perfusão de sangue para a pele, melhorando sua aparência.
  • 3 a 9 meses: os problemas respiratórios, como a tosse, desaparecem. A função pulmonar aumenta em 10%.
  • 1 ano: risco de infarto cai pela metade.
  • 10 anos: risco de câncer de pulmão cai pela metade.
  • 15 anos: risco de infarto é igual ao de não fumantes.

Após 15 anos de abstinência do cigarro, o risco de câncer cai em 90%, todavia, nunca será igual ao de quem nunca fumou.

ATENÇÃO: não existe quantidade segura de cigarros nem cigarro light. Quem fuma está sujeito a todos esses riscos, seja apenas um cigarro ou três maços por dia. Obviamente, quanto maior a quantidade, maior o risco.

Alguns trabalhos científicos tentaram avaliar o benefício da redução da carga tabágica em até 50% como alternativa para aqueles que tem dificuldade em largar o fumo. Nenhum conseguiu mostrar vantagens, a mortalidade permanece a mesma. Os benefícios só ocorrem para quem abandona de vez o vício.

Como parar de fumar

Cerca de 20% da população adulta é fumante. 70% destes, quando questionados, expressam desejo de parar de fumar e 40% afirmam já terem tentado pelo menos uma vez largar o vício. A taxa de sucesso, porém, é menor que 10%.

A nicotina é uma substância psicoativa capaz de causar grande dependência física. A ausência de nicotina na circulação de pessoas viciadas em cigarros causa intenso desejo de fumar e sintomas de abstinência como:

  • Irritabilidade.
  • Insônia.
  • Angústia.
  • Aumento do apetite.
  • Ansiedade.
  • Dificuldade de concentração.
  • Depressão

Algumas substâncias como café e álcool sevem como gatilhos para o desejo de fumar.

Na hora que se decide tentar parar de fumar é importante lembrar que o ato de fumar além de ser uma dependência física, é também um comportamento adquirido, que podemos simplificar chamando “força do hábito”.

Por isso, o tratamento psicológico pode ser tão importante quanto o medicamentoso, descrito seguir. A pessoa tem que realmente desejar para de fumar.

Reposição de nicotina

Pode-se oferecer nicotina sem o cigarro através de adesivos de pele, gomas de mascar (pastilha elástica) ou spray nasal.

A quantidade de nicotina oferecida desta maneira é menor que no cigarro, por isso, acaba sendo mais fácil abandonar o tabaco e depois a reposição de nicotina do que cortar o fumo e a nicotina de uma só vez.

Bupropiona (Zyban)

A bupropiona é um antidepressivo especialmente eficaz no controle da dependência da nicotina. O tratamento é normalmente feito com 12 a 24 semanas de uso da droga.

Temos um artigo específico sobre a bupropiona, que pode ser acessado através do seguinte link: Bupropiona – Remédio para parar de fumar.

Vareniclina

A Vareniclina é uma droga que age nos receptores cerebrais de nicotina, “enganando” o cérebro que julga que está recebendo nicotina. O tratamento também dura 12 a 24 semanas.

Atenção: Tanto a Vareniclina como a Bupropiona são drogas, por isso, podem apresentar efeitos colaterais e apresentam algumas contraindicações. Não se deve tomar esses medicamentos por conta própria, sem avaliação médica, sob o risco de graves efeitos adversos.

O tratamento da dependência do cigarro é realizado com aconselhamento médico associado a terapia medicamentosa. Quando se dissocia um do outro, os resultados não são bons.

Cigarros eletrônicos

Apesar de serem cada vez mais populares, os cigarros eletrônicos não são considerados uma boa opção para quem deseja parar de fumar. Primeiro porque eles não parecem ser seguros; segundo porque estudos mostram que 77% dos usuários do cigarro eletrônico permanecem fumando os cigarros convencionais.

Explicamos os cigarros eletrônicos em detalhes no seguinte artigo: Cigarro eletrônico faz mal?


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Saiba mais

Artigos semelhantes

Ficou com alguma dúvida?

Comentários e perguntas

Deixe um comentário


51 respostas para “Doenças do cigarro e como parar de fumar”

  1. aghata
    Gostaria das referências que o sr. usou sobre esses dados Dr.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Quais exatamente? Eu uso dezenas de fontes em cada texto.
  2. Avatar de Pedro Pinheiro
    Pedro Pinheiro
    Luiz, sim, só que eu preciso dirigir para ir ao trabalho, para fazer compras, para levar os filhos ao colégio, etc. Eu não preciso fumar para nada. Não fumar não muda minha vida em nada. Se dirigir fosse desnecessário, eu não dirigia. Eu por exemplo, não dirijo bêbado, pois isso aumenta em muito o risco de morrer no trânsito. Todo mundo que dirige bêbado bate e morre? Não, isso significa que dirigir bêbado não causa mortes?

    Você concorda que radiação causa câncer? Então porque houve gente no Japão que após a Segunda Guerra não teve câncer? Isso significa que radiação atômica não causa câncer? Exposição solar excessiva causa câncer de pele? Então porque todo mundo que vive nos trópicos não tem câncer?

    O fumo CAUSA todas essas doenças descritas no texto, isso está comprovado. Você está tendo um raciocínio linear, que não funciona em medicina. Ter ou não uma doença não depende de apenas um único fator. Vou dar o exemplo do câncer de pulmão. As toxinas do cigarro alteram o DNA das células do trato respiratório. Isto já foi comprovado. Em muitos casos esta lesão do DNA faz com que a célula normal transforme-se em uma célula maligna, gerando o câncer. Todo mundo que fuma terá câncer? Não. Na verdade, se soubéssemos de antemão quem terá câncer ao fumar, seria ótimo. Mas isso é imprevisível. Em algumas pessoas essas alterações do DNA levam ao câncer, em outras não. Porém, se um fumante tem a sorte de não ter câncer, pode ter o azar de ter doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Se não tem DPOC, pode ter infarto, e assim por diante.

    Você está se apegando muito ao termo “causa”. Se eu te disser que fumantes têm comprovadamente 20x mais chances de ter câncer de pulmão do que não fumantes, você aceita dizer que cigarro causa câncer de pulmão? E se disser que mais de 90% dos pacientes com câncer de pulmão são fumantes, o termo “causa” não se encaixa?

    Quando a gente diz que certa substância causa determinada doença é porque ela aumenta o risco. Isso não significa que obrigatoriamente o paciente a terá. Como o cigarro aumenta o risco de dezenas de doenças, é pouco comum encontrar um fumante de longa data saudável.

  3. Avatar de Pedro Pinheiro
    Pedro Pinheiro
    Esses dados contra o cigarro são obtidos, entre outros, através de estudos epidemiológicos. Este tipo de estudo é feito frequentemente em medicina, não só com cigarro. É o mesmo tipo de estudo que descobriu os efeitos maléficos da radiação, do excesso de colesterol, da pressão arterial elevada, etc. Vou dar um exemplo simples de como funcionam estes trabalhos. Podemos acompanhar 10.000 fumantes e 10.000 não-fumantes durante o período de 20 anos. Depois compara-se as doenças e as causas de morte em cada grupo. Se nos não-fumantes houve um índice de 1% de câncer de laringe e nos fumantes de 28%, isso indica claramente que o cigarro é um fator de risco para esta doença. Este meu exemplo é simplista, pois os atuais trabalhos são bem mais complexos e rigorosos, de modo que fatores confusionais não interfiram na interpretação final. Mas a ideia é esta. São dados objetivos, repetidos centenas de vezes ao longo das últimas 6 décadas.

    Quando se diz que o fumo causa a doença X não significa que o fumante obrigatoriamente sofrerá desta doença. Indica que fumar aumenta a sua probabilidade de tê-la. Em medicina a gente trabalha com o conceito de risco e probabilidade.

    Também é equivocada a afirmação de que os fumantes têm apenas uma doença relacionada ao cigarro. Eu diariamente vejo fumantes com doenças pulmonares, cardíacas, das artérias, de pele, etc. Aliás, se vc pesquisar bem o paciente fumante de longa data, é raro encontrar apenas uma alteração.

    Agora, se vc me perguntar se o indivíduo pode fumar durante 60 anos e não ter doenças, eu digo que até pode. Mas a probabilidade é baixíssima.

  4. pedro
    ola dr. pedro uma pesoa me falou que ate meu esperma tem bastante odor de cigarro sto e vedade????
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Eu nunca ouvi falar disso, mas é possível que aconteça.
  5. sueli
    Se faz tanto mal, é um problema de saúde pública, porque não fornecem os medicamentos gratis ou mais baratos?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Não sei como é no Brasil, mas aqui em Portugal esses medicamentos são subsidiados.
      1. sueli
        Tentei comprar, aqui temos que pagar. Tem os adesivos que acabam sendo caros também. Tem grupos de terapia com médicos e psicólogos, nunca frequentei, mas pelo que já li, não se usa remédios. Talvez num futuro próximo devam fornecer também. O champix que não é dos mais caros custa em torno de 1200,00 reais ou seja em torno de 350 a 400 euros.
        1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          O Champix aqui tá custando cerca de 40 euros a caixa de 28 comprimidos e 80 euros a caixa de 56 comprimidos.
  6. Reinaldo Mathias
    Dr. Pedro Pinheiro, meu nome é Reinaldo, tenho 60 anos. Comecei a fumar aos 13 anos de idade e parei aos 31. Portanto, faz 28 anos que deixei. Pela sua experiência e pelas suas observações empíricas, qual é a minha chance de mesmo após quase 29 anos sem fumar, desenvolver alguma doença ligada ao meu antigo hábito de fumar ? Obrigado.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Muito baixa.
  7. Sabrina Carvalhais
    Olha eu parei de fumar gracas ao cigarro eletrônico, me dei muito bem com, minha saude meu pulmao agradece… Eu recomendo
  8. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Lamento, Jussara, mas não conheço nenhum pra te indicar.Talvez um médico dermatologista conheça algum.
  9. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Sim, o remédio é eficaz, principalmente se a pessoa realmente quiser parar de fumar.
  10. Marcelo Alves
    fumar não causa diabetes coisa nenhuma conheço uma colega que nunca fumou e tem diabetes e um cara de 50 anos que sempre fumou desde os 14 anos e nunca teve nada até agora me explica isso ,
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Eu editei o seu comentário, pois em uma discussão civilizada não é preciso utilizar palavrões.

      Você está usando uma argumentação não científica para rebater uma afirmação com base científica. Explico.

      Do ponto de vista científico, a sua argumentação tem graves erros lógicos. Você incorre em 3 falácias graves. A primeira é achar que a observação de um único caso é suficiente para se estabelecer uma relação causal definitiva. Veja essa afirmação: “fulano levou um tiro e não morreu, logo, ser baleado não causa morte”. Veja como é semelhante a “fulano fumou durante 36 anos e não teve diabetes, logo, fumar não causa diabetes”.

      O segundo erro é ainda mais grave, pois você estabelece uma relação causal definitiva em uma situação de relação negativa. Quando você diz “meu colega nunca fumou e tem diabetes, logo fumar não causa diabetes”, isso é completamente ilógico. É como dizer: “meu colega nunca enfiou uma agulha no olho e mesmo assim é cego, logo, enfiar uma agulha no olho não causa cegueira.”

      O terceiro erro é ignorar que a observação de um número pequeno de pessoas, no caso específico da sua argumentação, uma única pessoa, é insuficiente para que a situação possa ser extrapolada para a população em geral. É preciso lembrar que há fatores confusionais, como genética, estilo de vida, doenças associadas, exposição ambiental, idade, sexo, etc, que podem amenizar ou agravar determinadas relações de causa e efeito. Para se identificar fatores de risco é preciso estudar uma amostra da população, e não somente um ou dois indivíduos desta população.

      Não é cientificamente válido o argumento: “se fulano fumou durante anos e não teve câncer de pulmão, podemos afirmar que cigarro não causa câncer de pulmão”. Do ponto de vista científico você tem que fazer um estudo com milhares de pessoas fumantes e não fumantes e depois comparar os casos de câncer de pulmão em ambos os grupo. Não é o fato de existirem casos de fumantes que não tiveram câncer que conta, mas sim o fato de que no grupo dos fumantes, a incidência de câncer de pulmão é muito maior que no grupo dos não fumantes. Estamos falando em fatores de risco, o que significa que tal atitude aumenta de forma relevante o risco de surgimento de uma doença.

      Esses estudos existem no caso do cigarro e do diabetes. A população que fuma tem uma incidência maior de diabetes que a população que não fuma. Isso é cientificamente e estatisticamente comprovado. Repare que no texto eu uso a expressão: “Todas as doenças listadas abaixo ocorrem com MAIOR FREQUÊNCIA em indivíduos que fumam”. Eu não disse que todas as doenças abaixo ocorrem OBRIGATORIAMENTE em quem fuma.

      1. César Magalhães
        E-X-C-E-L-E-N-T-E Explicação Dr. Pedro Pinheiro. PARABÉNS !
      2. LEA

        Dr. Pedro, gostei da sua resposta ao Marcel Alves em 27/03/2015 (faz tempo, né? ) onde o senhor fala que os males que o fumo causa nem sempre funcionam da mmesma forma. Isso aconteceeu na minha família: enquanto minha filha, infelizmente foi uma vítima. vindo a falecer com um cancer no púlmão aos 65 anos, uma prima de minha mãe, igualmente fumante, completou 93 anos. Ambas começaram a fumar na adolescência.Sem contar que meu pai, fumante, faleceu de embolia pulmonar aos 56 anos. Todos tres vítimas do cigarro. Escapei porque, após uma pneumonia, parei de fumar. Há mais ou menos 30 anos.

  11. Inês
    Meu nome é Inês e sou fumante desde os 12 anos de idade e hoje te ho 51 anos.
    Como conseguir que um médico receite os remédios indicados neste texto, pois já pedi para ginecologistas, gastroenterologista, fisiatra e eles alegam que ansiolíticos só podem ser prescritos por psiquiatras. Acho um absurdo, pois todas as especialidades médicas sabem os prejuízos do tabagismo no ser humano. Alguém pode pedir para que campanhas sejam feitas na mídia informando sobre essas medicações e como conseguí-las?!!!!
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      O problema é falta de experiência dos médicos com essas drogas e com o tratamento do tabagismo. Não faz parte do dia-a-dia da maioria dos médicos usá-las, por isso, muitos se sentem inseguros em prescrevê-las. O especialista em tratar vícios é o mesmo o psiquiatra, e como ele está habituado a usar esses medicamentos em várias outras doenças, fica fácil prescrevê-los de forma correta.
  12. milton
    deixei de fumar. motivo ? : deixei de comprar tabaco. resulta mesmo estou a um mês sem fumar.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Boa!
  13. rose
    qual o primeiro passo para parar de fumar ,
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não comprar mais cigarro. Se não conseguir, procure ajude médica.
    2. Tullio Belo
      Se concentre na dor, dor de fumar e a dor de não fumar escolha a sua dor. ;)
  14. Eni Racional
    Parabens por esse espaço, seria tão bom se nós que nao podemos arcar com tal tratamento pudessemos ter livremente aqui em Sao Paulo- Zona leste (Cangaiba). Agradecida……
    Marieni..
  15. Maria I. Vieira
    oi, sou Maria Vieira. minha Mãe tem problemas de circulação,tem de fazer cirurgia vascular.O dedo mínimo do pé ficou roxo e foi por isso que se descobriu a doença. ela ñ consegue parar de fumar, está com 70 anos.eu fumava em média 2 carteiras por dia. parei repentinamente de fumar. tentando dar incentivo à ela. faz 15 dias que parei e até agora a única coisa que mudou foi o apetite.Mas ñ sinto vontade de fumar e isso me assusta um pouco. PK ñ tive outras reações? é como se nunca tivesse fumado antes.Por favor, me ajude a entender.!
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Nem todo mundo tem problemas na hora de parar de fumar. Cada organismo reage de uma forma diferente à falta de nicotina.
  16. Paulo
    Caro Dr. no final do ano passado consegui parar de fumar, depois de 30 anos de vício, com um remédio chamado FUMASIL, infelismente parece que a industria do tabaco do Brasil se assustou com o sucesso deste medicamento pois ele foi cortado, desapareceu de circulação misteriosamente, pior do que isso é que por causa do remédio ter sido cortado eu voltei a fumar e as pessoas como eu vão continuar sem conseguir parar, vão continuar a morrer e a prejudicar os seus familiares e a sociedade em geral, estranho é ninguém falar sobre esse remédio …
    A cura existe !
    Mas o lucro gerado pela doênça fala mais alto …
  17. Socorro
    sou acs-eu fumo ha varios anos e nao consigo parar sozinha, mais ja consultei com varios medicos e pedi para fazer algum tratamento mais eles sempre diz pra eu diminuir a quantidade de cigarros,mesmo assim nao conseguir parar o que fazer e que profissional devo procurar?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não há necessariamente uma especialidade. Hoje em dia já há vários médicos que tratam o vicio de fumar. Pode ser inclusive clínico geral ou pneumologista.
  18. Natalia
    Olá Dr, Boa tarde; tenho uma duvida, meu pai morreu de avc de tronco cerebral, ele fumava bastante desde os 13 anos faleceu com 61, não tinha pressão alta, diabetes, colesterol, nada apenas fuvama e bebia cerveja todos os dias….minha duvida é: foi o cigarro que o matou ou ele carregava com ele alguma causa genénica….o avc foi isquemico ficou 40 dias na uti em como e faleceu …por favor responda a minha duvida…obrigada
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Com certeza o cigarro teve influência.
  19. Sou fumante e queria muito , muito mesmo parar de fumar . Quando paro de fumar por mais ou menos 1 hora eu fico tonta . Gostaria que voces me ajudassem .
  20. sheila
    Falar oque todo fumante sabe é facil, ninguem quer ter nem uma destas doenças, mas médico e remédio de graça tambem não temos 
  21. C Carson
    A quantidade de cigarros faz alguma diferença? Eu tento ficar nos 3 por dia e tb faço ginástica…Eu acho tão gostoso fumar, infelizmente…
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Quanto mais cigarros vc fuma, pior. Porém não existe uma quantidade mínima que seja segura.
  22. Ju Franco
    Boa Noite Dr. Pedro, parabéns pelo site, ótimo…Estou desenvolvendo tcc sobre os prejuizos do tabaco no envelhecimento, vc teria algum livro para indicar onde relate os tratamentos estéticos adequados para uma pele de tabagista. Obrigada pela atençao. Jussara     
  23. Roseli Barros
    Parei de fumar a 33 dias, fumava 3 maços por dia , e essa semana passei mal e descobri que estou com pneumonia. É comum parar de fumar e ter pneumonia? realmente não entendi, nem resfriada eu fiquei, tem alguma explicação para essa pneumonia?
    Roseli
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Pode ser só coincidência.
  24. sergio
    olá, gostaria de saber quanto tempo duram os sintomas relacionados a abstinência da nicotina??
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      3 a 4 semanas
  25. Marinaferreiratavaresoliveira
    parei de fumar tem um mes as vezes sinto vontade de fumar e pior meu marido fuma mas me esforco o bastante pois eu quero continuar sem fumar (imagine um fumante do seu lado fumando e voce querendo parar de fumar) mas sinto uns sintomas estranhos como tontura o coracao acelera, meu corpo treme parece que vou desmaiar ,queria saber o porque deses sintomas
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Isso pode ser abstinência à nicotina.
  26. Eumando
    show tambem vou para de fumar ate pq perdi as contas de quantos cancers e doencas o cigarro causa nao podemos aceitar isso somos mais fortes quando queremos boa sorte a todos retorno em 30dias.
  27. Josy Lede
    amada boa sorte já tem 1 ano e 5 meses que parei de fuma sem remedio so com minha força de fonça de vontade.fumei durante 15 anos hj tenho 30 anos comercei fuma com 14 anos..boa sorte..;;;)))
  28. branco
    Ola, tenho 62 anos e fumo desde os treze   peguei uma gripe forte, e comecei a tomar remedios e fazer inalação, o cigarro não tinha gosto, e provocava muito a tosse, aproveitei o tratamento, e desde o dia 18/02/2012, estou sem fumar e não tenho vontade do cigarro, acho que agora vai, vou fazer umas avaliações médicas para comecar com exercicio, respiratórios , caminhada  
  29. Luisa
    Olá, tenho 55 anos e estou a 37 dias sem fumar, fumei desde os 14 anos e estava fumando cerca de 50 cigarros/dia (2 maços e meio), as 2 primeiras semanas foram muito difíceis, fiquei muito agitada, não conseguia dormir e só pensava no cigarro. Agora estou bem melhor mas desde os primeiros dias que tenho tido muitas aftas e isto está me incomodando muito. Alguém sabe como posso me livrar delas? 
    Uma dica que me ajudou muito foi água gelada, na hora da fissura ajuda muito e posso garantir que a auto estima aumenta muito também. Estou feliz em manter minha decisão de não fumar.
  30. Tenho 42 anos, fumo desde os 12 anos, hoje estou numa média de 2 maços por dia.
    Procurei ajuda médica, onde o mesmo, depois de alguns exames me indicou o champix. Meu maior problema é o valor deste tratamento, mesmo porque este tratamento será feito para mim, e para meu marido, pois nós dois somos fumantes. Então  quero saber se a prefeitura ou secretaria da saúde não deveria nos ajudar a adquirir estes medicamentos. O valor médio dele é de 900,00 para cada pessoa. Será que não existe um modo do Brasil ajudar, já que dizem que os fumantes trazem tanto prejuizo ao pais.?
    E será que este remédio é mesmo eficaz, pois 900,00 é dinheiro né?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Tem que conversar como seu médico. Nos últimos meses têm surgido alguns questionamento sobe a segurança deste medicamento. Procure um especialista em tratar tabagismo.