Cólica Menstrual: causas, sintomas e tratamento

Tempo estimado de leitura: 3 minutos.

Incidência da cólica menstrual

A cólica menstrual, chamada em medicina de dismenorreia, é uma das queixas ginecológicas mais comuns.

Dividimos as cólicas menstruais em duas categorias: dismenorreia primária, que é a cólica menstrual que surge sem que haja alguma doença ginecológica por trás, e dismenorreia secundária, que é aquela causada por doenças ginecológicas, como endometriose, miomas ou infecções.

A cólica menstrual surge tipicamente em adolescentes, geralmente um ou dois anos após a menarca (primeira menstruação), época em que o ciclo hormonal ovulatório já encontra-se estabelecido.

Até 90% das adolescentes e 1/4 das mulheres adultas sofrem de cólicas menstruais. Não existe diferença de prevalência entre mulheres de diferentes etnias ou nacionalidades, mas a dismenorreia tende a melhorar conforme a mulher envelhece.

A dismenorreia em si não causa grandes problemas de saúde, porém em algumas mulheres a cólica é tão intensa que compromete seus afazeres diários.

Como referido na introdução deste texto, dividimos as cólicas menstruais em dois grupos: dismenorreia primária e dismenorreia secundária. Neste texto vamos dar ênfase à dismenorreia primária, aquela que surge sem que haja uma doença ginecológica por trás. Todavia, antes de prosseguirmos, vale a pena perdemos algumas linhas resumindo a dismenorreia secundária.

Dismenorreia secundária

Ao contrário da dismenorreia primária, que surge logo após as primeiras menstruações, a dismenorreia secundária geralmente surge em mulheres após seus 20-30 anos. Para ser caracterizada como dismenorreia secundária, a cólica menstrual precisa ter como causa, ou fator agravante, alguma condição ginecológica identificada. As mais comuns são:

Dismenorreia primária

A partir de agora, sempre que falarmos em cólica menstrual estaremos nos referindo à dismenorreia primária.

Por muitos anos a cólica menstrual foi um sintoma que recebeu pouca importância, sendo a dor frequentemente associada a condições emocionais e psicológicas das mulheres. Entretanto, atualmente já conhecemos o mecanismo fisiopatológico que leva às cólicas menstruais, não havendo relação com estado emocional, personalidade da paciente ou estresse.

Durante o ciclo menstrual a parede do útero vai se tornando mais grossa e vascularizada à espera da implantação de um possível embrião. Se o óvulo liberado não é fecundado, a queda nos níveis hormonais faz com esse excesso de parede do útero desabe, caracterizando a menstruação (se você quiser ler sobre o ciclo menstrual: Ciclo Menstrual).

Durante o descolamento da parede uterina, isto é, durante a menstruação, há a liberação de uma substância chamada prostaglandina, que causa contrações no útero. Essas contrações são importantes para que o útero expulse todo o tecido uterino descamado. Todavia, em algumas mulheres as contrações são tão intensas que até mesmos os vasos sanguíneos que irrigam o útero ficam comprimidos, causando uma isquemia temporária do mesmo (angina do útero). As mulheres que costumam ter intensas cólicas menstruais geralmente apresentam níveis elevados de prostaglandina no fluido menstrual.

Fatores de risco

O principal fator de risco é a idade; as cólicas são comuns em mulheres antes dos 20 anos e vão melhorando conforme a mulher envelhece. Entretanto, algumas pacientes podem continuar apresentando quadros de cólica menstrual muito incômodos mesmo com o passar com anos. Entre os fatores de risco para a dismenorreia, podemos citar:

Sintomas

A cólica menstrual é uma dor que caracteristicamente inicia-se junto, ou logo antes da menstruação, amenizando progressivamente nas primeiras 72 horas.

As cólicas são intensas e intermitentes, tendendo a localizar-se na região inferior do abdômen. Em algumas mulheres a dor pode irradiar-se para as costas ou membros inferiores (para saber mais sobre outras causas de dor abdominal, leia: Dor abdominal – Principais Causas). Náuseas, suores, diarreia, tonturas, dor de cabeça e cansaço podem surgir junto com as cólicas.

Tratamento

O remédio de primeira linha no tratamento das cólicas menstruais são os anti-inflamatórios (AINES), que agem diminuindo a liberação das prostaglandinas e apresentam boa resposta em até 90% dos casos. Atualmente o mais indicado é o Ácido Mefenâmico (Ponstan®), mas há dúvidas se ele é realmente superior aos outros anti-inflamatórios no controle da cólica.

Outra opção além dos AINES são os anticoncepcionais orais, que ao controlar os níveis hormonais fazem com menstruação e as cólicas sejam menos intensas. Os anticoncepcionais em injeção ou adesivo também funcionam.

Mulheres que não respondem aos tratamento acima devem ser investigadas para dismenorreia secundária.

Em relação a tratamentos caseiros para as cólicas menstruais, o uso de bolsas de água quente são efetivos para aliviar as dores. Exercícios físicos regulares, ingestão de líquidos e uma dieta pobre em gorduras também são indicados e melhoram as cólicas

A acupuntura é uma opção, mas ainda não existem evidências inequívocas de que este procedimento seja superior ao placebo.

Se você quiser informações mais detalhadas sobre o tratamento da cólica menstrual, leia: Tratamento da cólica menstrual.


Referências


Autor(es)

+ Informações | + posts

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

+ Informações | + posts

A Dra. Fernanda Campos é formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e se especializou em Ginecologia e Obstetrícia no Instituto Fernandes Figueira. Especialista em gestação de alto risco.

Possui mestrado e doutorado pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Atualmente trabalha como chefe da maternidade do Hospital Universitário Gaffreé e Guinle, professora da UNIRIO e médica obstetra do Grupo Perinatal.

Relacionados
Atraso menstrual 15 Causas comuns de menstruação atrasada
Dismenorreia Melhores tratamentos para cólica menstrual
Ácido mefenâmico para cólica menstrual Ácido mefenâmico (Postan) para cólica menstrual
Engravidar menstruada É possível engravidar estando menstruada?
Pílula para não menstruar Tomar anticoncepcional para não menstruar
Menopausa Menopausa: Causas, Sintomas e Tratamento
Ciclo mesntrual Ciclo menstrual: como ocorre a menstruação
Menarca Menarca – Primeira menstruação da vida
Menstruação Menstruação – 30 perguntas e respostas
Dor pélvica Causas de dor pélvica crônica nas mulheres
Adenomiose Adenomiose uterina: o que é, sintomas e tratamento
Sintomas da menopausa 25 sintomas da menopausa e do climatério
Grávida menstruada Mulheres Grávidas Podem Menstruar?
TPM Síndrome de Tensão Pré-Menstrual (TPM)
Ovulação Ovulação: sintomas, causas e testes diagnósticos
Coletor menstrual Coletor Menstrual – como usar, prós e contras
Fogacho Calores da Menopausa (Fogacho)
Sangramento uterino Sangramento uterino anormal (menstruação anormal)