O que são medicamentos anti-inflamatórios (AINES)?

Atualizado em
Comentários: 75

Resumo do artigo: TL; DR

  • O que é: anti-inflamatórios não esteroides (AINES) são medicamentos que atuam reduzindo processos inflamatórios. Muito utilizados para tratar dores leves a moderadas e inflamações, especialmente osteoarticulares.
  • Efeitos básicos: antipirético (reduz febre), analgésico (alivia dor) e anti-inflamatório (diminui inflamação).
  • Tipos: existem mais de 20 tipos, com potências e efeitos colaterais distintos. Exemplos: Diclofenaco, Ibuprofeno, Naproxeno, Nimesulida, entre outros.
  • Indicação: indicados para dores e inflamações de várias origens, como artrite reumatoide, cólica menstrual, traumas, enxaqueca e mais. Atuam majoritariamente como sintomáticos. Não tratam a causa da doença, apenas aliviam os sintomas.
  • Mecanismo de ação: quadros inflamatórios estão relacionados a uma substância chamada prostaglandina. A prostaglandina é produzida pela enzima ciclooxigenase (COX). AINES inibem COX, reduzindo prostaglandinas e, consequentemente, inflamação, dor e febre.
  • Efeitos colaterais: agravamento de várias condições, incluindo hipertensão, insuficiência renal e insuficiência cardíaca. Provocam também “afinamento” do sangue, aumentando o risco de sangramento.
  • Recomendação: uso seguro com orientação médica, mas risco elevado com automedicação. Grupos de risco incluem idosos, grávidas, pacientes com problemas renais, hepáticos, cardíacos e outros. Deve-se evitar consumo sem supervisão médica.

O que são os anti-inflamatórios não esteroides?

Os anti-inflamatórios não esteroides (AINE ou AINES), como o próprio nome diz, fazem parte de uma classe de medicamentos que agem sobre processos inflamatórios no organismo.

Os AINES são uma das classes de medicamentos mais vendidas no mundo, sendo especialmente eficazes no tratamento das dores de leve a moderada intensidade e nas inflamações, principalmente ao nível osteoarticular.

Todos os anti-inflamatórios apresentam três efeitos básicos:

  • Antipirético (abaixa a febre).
  • Analgésico (combate a dor).
  • Anti-inflamatório (reduz a inflamação).

As diferenças entre os mais de 20 tipos de anti-inflamatórios presentes no mercado costumam estar na potência de cada uma dessas três ações e nos tipos de efeito colaterais.

Neste artigo falaremos sobre os benefícios e os riscos do uso os anti-inflamatórios não esteroides.

Exemplos de anti-inflamatórios não esteroides

Existem dezenas de anti-inflamatórios, alguns exemplos são:

Todos os anti-inflamatórios citados acima são fármacos que apresentam mecanismos de ação semelhantes, mas com particularidades entre cada uma delas.

Para que servem os anti-inflamatórios?

Em geral, os anti-inflamatórios são medicamentos utilizados como sintomáticos, ou seja, eles aliviam os sintomas, mas não tratam diretamente as doenças que os estão provocando.

Um paciente com faringite, por exemplo, pode tomar AINES para aliviar a dor de garganta, mas se a causa for uma infecção bacteriana, é preciso também tomar um antibiótico para curar a infecção.

Os AINES devem ser prescritos preferencialmente para o tratamento dos quadros de dor de leve a moderada intensidade e/ou quando há inflamação de origem osteoarticular.

Entre as condições mais indicadas podemos citar:

Como agem os anti-inflamatórios?

De forma bem simplificada, podemos dizer que os quadros inflamatórios surgem quando há um aumento da produção de uma substância chamada prostaglandina. A prostaglandina é gerada através da ação de uma enzima chamada ciclooxigenase (COX).

Os anti-inflamatórios agem inibindo a ação dessa enzima COX. Sem COX, há menor produção de prostaglandinas e menos estímulo para ocorrer inflamações. Como é a presença da prostaglandina que estimula o surgimento de inflamação, dor e febre, a sua inibição pelos AINES acaba tendo efeito analgésico, antipirético e anti-inflamatório.

O problema é que existem mais de um tipo de prostaglandina e de ciclooxigenase. Nem toda prostaglandina causa inflamação ou febre e nem toda COX age sobre todos os tipos de prostaglandinas. Como a ação dos anti-inflamatórios sobre a produção de prostaglandinas não é seletiva, além de abortar a inflamação, podem surgir também os efeitos colaterais, como veremos mais adiante.

Ações da COX no organismo

As COX e as prostaglandinas são responsáveis pelos seguintes efeitos no organismo:

Proteção do estômago contra ácidos produzidos no seu interior.

As prostaglandinas agem no estômago inibindo a produção de ácido clorídrico e aumentando a produção do muco que reveste e protege a parede estomacal.

Quando as prostaglandinas são inibidas, o estômago fica mais vulnerável à ação do ácido, aumentando o risco do surgimento de gastrite e úlceras. Não é por acaso que uma das principais causas de hemorragia digestiva alta é o sangramento de úlceras gástricas ou duodenais provocadas pelo uso indiscriminado de AINES.

Existe uma classe de anti-inflamatórios chamada inibidores seletivos da COX-2, que conseguem inibir as prostaglandinas responsáveis pela inflamação sem alterar as prostaglandinas que protegem o estômago. O Colecoxibe e o Etoricoxibe são dois exemplos de AINES seletivos que apresentam baixa incidência de lesões gástricas.

Fluxo de sangue no rins

As prostaglandinas agem nos rins aumentando o fluxo de sangue. Em pessoas com rins saudáveis, a ação das prostaglandinas renais é baixa e o uso de AINES por pouco tempo acaba não provocando grandes problemas.

Porém, pacientes com doenças renais ou com problemas que causem diminuição do aporte de sangue para os rins, como insuficiência cardíaca, desidratação ou cirrose, dependem muito da ação das prostaglandinas para manterem os rins funcionando bem.

Nesses pacientes, o uso de AINES é contraindicado, pois todos eles provocam inibição das prostaglandinas que agem nos rins, o que invariavelmente leva ao agravamento da insuficiência renal.

Explicamos a lesão renal provocada por anti-inflamatórios com detalhes no artigo: Anti-inflamatórios fazem mal para os rins.

Coagulação sanguínea

Além atuar na produção das prostaglandinas, a COX também estimula a produção de tromboxano A2, uma substância que estimula a agregação das plaquetas, facilitando a sua ação nos processos de coagulação do sangue.

Quando a COX e o tromboxano A2 são inibidos pelos AINES, uma das consequências é a redução da capacidade de agregação das plaquetas, o que diminui a capacidade de o organismo de coagular o sangue.

Essa inibição da coagulação pode ser perigosa em pacientes com elevado risco de hemorragia ou que vão ser submetidos à alguma cirurgia. Em geral, os AINES devem ser suspensos alguns dias antes de qualquer operação.

Todos os AINES agem como antiagregantes plaquetários, mas o AAS (ácido acetilsalicílico) é o fármaco dessa classe que exibe maior efeito sobre as plaquetas.

Esse efeito colateral é frequentemente aproveitado nos pacientes com elevado risco de infarto ou AVC. O que as pessoas chamam de “afinar o sangue” é, na verdade, uma descrição leiga para a potente ação antiplaquetária do AAS (aspirina).

Efeitos colaterais dos anti-inflamatórios

Os AINES são medicamentos seguros, se administradas com indicação médica. O problema é que essa seja, talvez, a classe de fármacos mais utilizada como automedicação pela população.

Existem inúmeros efeitos colaterais e interações com outros medicamentos que devem ser considerados antes de tomar um anti-inflamatório.

Alguns dos efeitos adversos mais comuns dos anti-inflamatórios são:

Portanto, apesar de ser uma droga muito usada e relativamente segura, ela está longe de ser isenta de complicações. O seu consumo sem indicação médica ou por longos períodos pode provocar consequências graves.

Pacientes que não devem tomar anti-inflamatórios sem orientação médica

Por todos os problemas que já foram explicados até aqui, faz sentido tratar os anti-inflamatórios como uma classe de medicamentos que não deve ser tomada sem orientação médica, principalmente se você fizer parte dos seguintes grupos:

  • Idosos.
  • Grávidas.
  • Pacientes com insuficiência renal.
  • Pacientes com cirrose.
  • Pacientes com hipertensão descontrolada.
  • Pacientes com insuficiência cardíaca.
  • Pessoas que consomem, em média, mais de 3 doses de álcool por dia.
  • Pacientes medicados com varfarina.
  • Pacientes com risco de hemorragia.
  • História de úlcera péptica ou gastrite.

Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Médica graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pela Universidade do Porto. Nefrologista pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e pelo Colégio de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Gota - Ácido úrico elevado Ácido úrico alto: causa, sintomas, riscos e tratamento
Câimbras Câimbra nas pernas, panturrilhas e em outros músculos
Gota: o que é, sintomas, crises e tratamento Gota: o que é, sintomas, crises e tratamento
Fibromialgia Fibromialgia: o que é, sintomas, causas e tratamento
Ibuprofeno Ibuprofeno: indicações, efeitos adversos e doses
Fascite plantar Fascite plantar: o que é, causas, sintomas e tratamento
Nimesulida Nimesulida: para que serve, como tomar e efeitos colaterais
Menisco Lesão do menisco: o que é, causas, sintomas e tratamento
Lesão renal por anti-inflamatórios Anti-inflamatórios (AINE) fazem mal para os rins?
Ácido mefenâmico para cólica menstrual Ácido mefenâmico (Postan) para cólica menstrual
colchicina Colchicina: indicações, doses e efeitos adversos
Esporão do calcâneo Esporão de calcâneo: causas, sinais e tratamento
Dor Melhores remédios para cada tipo e intensidade de dor
Dor As 10 doenças mais dolorosas nos seres humanos
Cisto de baker Cisto de Baker: o que é, como surge e tratamento
Síndrome do túnel do carpo Síndrome do túnel do carpo: sintomas e tratamento
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

75 comentários em “O que são medicamentos anti-inflamatórios (AINES)?”

  1. Pacientes que tem UCE( urticárias crônica espontânea),não devem tomar AINES,pois pode exacerbar as crises e até dar angiodemas.

    Responder
    • O fato de você ter alergia a anti-inflamatórios não significa que você terá alergia ao contraste. Você pode fazer o exame, mas o ideal, pelo seu histórico de alergia, é que tenha um médico presente na hora da administração do contraste.

      Responder
  2. Dr sou alérgica s dipirona , paracetamol , relaxantes musculares, anti-inflamatórios da classe profano ! Estou com dor horrível quadril e vou fazer ressonância . Gostaria de saber se corticoides e meloxicam seriam de muito risco para alergia tbem ! Obg

    Responder
  3. Boa Tarde,
    Estava lendo uns artigos sobre anti inflamatórios. Descobri que Diclofenaco e Ibuprofeno podem causar problemas graves no coração. Vi também que Nimesulida é tóxico para o fígado. Minha pergunta é se existe algum anti inflamatório que não tenha efeito colateral, ou que tenha um efeito menor ao organismo?

    Responder
    • Se não for possível evitar anti-inflamatórios, o ideal é tomar os seletivos da Cox-2 junto com omeprazol. E tomar pelo menor tempo possível.

      Responder
  4. Se a sua função renal é normal, você pode tomar por 2 ou 3 dias, caso a dor seja muito intensa. Se, entretanto, já houver alterações da creatinina, o ideal mesmo é evitar.

    Responder
    • Logo após, não. Você pode interromper o ibuprofeno e passar a tomar nimesulida. Mas eu acho que o ibuprofeno é uma opção melhor.

      Responder
  5. Oi …
    Então eu tive um forte dor de dente no dia que parei o anticoncepcional aí comecei a tomar amoxicilina , nimesulida, ibuprofeno, e assim de adulto. Fui a médico pois não passava a dor ele mim aplicou diclofenaco minha menstruação está atrasada 7 dias fiz três teste de gravidez tudo negativo alguns desses medicamentos pode ter algo a ver.

    Responder
    • Existe um grande risco de você ser também alérgica a anti-inflamatórios. Sugiro que você procure um imunoalergista pra fazer os testes e descobrir quais são as classes de fármacos seguras.

      Responder
  6. Dr Pedro, qual é mais eficaz no alivio da dor de dente pós-extração: nimesulida ou ibuprofeno? Pesquisei em bases de dados mas nada encontrei, tem algum conhecimento sobre o assunto? A nimesulida sendo seletiva de COX-2 é superior em analgesia?

    Responder
  7. Tive infecção urinaria e terminei o tratamento com antibioticos nessa semana e agora estou com afta na boca,sera que foi por causa do remedio? Porque raramente tenho esse problema de aftas.

    Responder
    • Você tem que me dar mais dados para eu poder lhe ajudar. Foi prescrito nimesulida para o que? Antibiótico para o que? Qual antibiótico?

      Responder
    • Há alguns estudos que mostram que o Meloxicam pode interferir na ovulação, podendo, assim, influenciar o ciclo menstrual.

      Responder
    • Você tinha uma infecção no rim e tomou duas drogas que são nefrotóxicas. Se você está urinando pouco, sugiro que procure um médico para avaliar o funcionamento dos seus rins.

      Responder
  8. Toma o anti-inflamatório logo após as refeições e com leite e meia hora antes das refeições quando for tomar o anti-inflamatório , toma um comprido de omeprazol de 20 mg para proteger o seu estomago .. Procedendo assim , pode tomar o anti-inflamatório tranquilo , conforme determina as rescrições médicas , que não terás problema com dor no estômago , caso tenha gastrite …. É assim que faço e dá muito certo …

    Responder
    • O omeprazol ajuda, mas nem sempre ele consegue impedir lesões do estômago pelos anti-inflamatórios. O uso crônico é sempre complicado.

      Responder
  9. estou com com quase 12 semanas de gravida e com tendinite no ombro o que posso fazer para passar esta dor insurpotavel, poderei tomar algum anti-inflamatorio

    Responder
  10. Ola, olha tomei um anti inflamatorio (Spidufem) e o mesmo atacou meu estomago, parei de toma-lo, gostaria de saber quanto tempo o remedio faz efeito em meu organismo e como ja tem uma semana que parei e ainda não melhorei se sera preciso tomar remedio para melhorar

    Responder
    • Não, nenhum AINE inibe a ação dos anticoncepcionais. Na verdade, há alguns estudos que até sugerem aumento da eficácia.

      Responder
  11. Sou alérgica ao ácido acetilsalicilico, dipirona, diclofenaco e ibuprofeno. Há algum medicamento que posso tomar em caso de inflamação?

    Responder
    • Provavelmente só corticoides. Mas devido aos efeitos colaterais, não é uma droga para ser usada sem orientação médica.

      Responder
  12. eu tomo amiodarona recomendo pelo meu cardiologia e todo ano que vou fazer exame o mesmo mantem,pois sem o mesmo posso ter taquicardia.Mas Dr.Pedro Pinheiro, diz que esse medicamento provoca figado gorduroso, o que devo fazer?

    Responder
    • PODE provocar, não necessariamente provoca. Todo medicamente tem efeitos colaterais. O que importa é pesar os riscos e os benefícios. O risco de uma arritmia é maior do que o risco de você desenvolver esteatose. Portanto, o uso da amiodarona é indicado.

      Responder