Efeitos da Aspirina (ácido acetilsalicílico)

Atualizado em
Comentários: 85

O que é a aspirina?

O ácido acetilsalicílico, chamado abreviadamente de AAS, é um fármaco do grupo salicilato, presente no mercado desde 1899 sob o nome comercial de Aspirina® , da empresa alemã Bayer.

O AAS também pertence ao grupo dos anti-inflamatórios não esteroides (AINES), o mesmo dos famosos diclofenaco, ibuprofeno, nimesulida e cetoprofeno. Entretanto, a aspirina apresenta alguns efeitos benéficos e colaterais particulares que a diferencia do resto dos anti-inflamatórios (leia: ANTI-INFLAMATÓRIOS | AÇÃO E EFEITOS COLATERAIS).

Uma particularidade da Aspirina é o fato de que, dependendo da dose usada, seus efeitos são completamente diferentes. A partir da dose 500 mg, o AAS exerce seus efeitos anti-inflamatório, antipirético (contra febre) e analgésicos (contra a dor). Quando usado em doses mais baixas, 100 mg ou 200 mg, o AAS apresenta apenas um efeito de inibir a ação das plaquetas do sangue.

Efeito antiagregante

O AAS é hoje em dia muito mais usado como um antiagregante plaquetário do que como anti-inflamatório. Vamos explicar.

As plaquetas são as células do sangue responsáveis por iniciar o processo de coagulação. A coagulação é um mecanismo de defesa do corpo para estacar sangramentos. Quando um vaso sofre alguma lesão, um punhado de plaquetas se dirige ao local, agregando-se de modo a formar uma espécie de rede protetora, estancando o sangramento até a chegada dos fatores da coagulação que vão fazer o reparo definitivo da lesão. A perfeita função das plaquetas é, portanto, essencial para uma boa coagulação.

A Aspirina tem como um dos seus efeitos inibir essa agregação das plaquetas, tornando o processo inicial da coagulação mais difícil de ocorrer. Esse é o efeito conhecido popularmente por “afinar o sangue”.

Mas por que os médicos precisam afinar o sangue, isto é, inibir a agregação plaquetária em alguns doentes?

A trombose é basicamente uma coagulação anormal que ocorre dentro do vaso sanguíneo, impedindo o fluxo de sangue. Uma trombose dentro de uma coronária é a causa do infarto do miocárdio, assim como uma trombose dentro de um vaso cerebral causa AVC. O uso contínuo de AAS dificulta a formação de coágulos, o que acaba também por dificultar a formação de trombos.

Portanto, o uso da Aspirina está indicado em todos os pacientes com risco elevado de desenvolver trombos.

O AAS é usado como antiagregante nas doses que variam entre 75 e 325 mg. Doses mais altas, acima de 200 mg, costumam ser usadas naqueles que já tiveram um evento cardiovascular. Nos pacientes com elevado risco, mas que nunca tiveram um evento trombótico anterior, costumamos prescrever o AAS infantil, cuja dose é de 100 mg.

A aspirina é uma importante arma para evitar a trombose dos stents colocados em angioplastia das artérias coronárias. Normalmente ela é prescrita junto com outro antiagregante plaquetário como o clopidogrel ou ticlopidina, para potencializar a inibição das plaquetas.

Efeitos anti-inflamatórios

Em doses iguais ou maiores que 500 mg, a Aspirina age não só como antiagregante plaquetário, mas também com anti-inflamatório. O seu efeito, porém, é muitas vezes inferior ao de vários outros anti-inflamatórios mais recentemente lançados no mercado. O AAS, por exemplo, é um mau analgésico para dores musculares, cólicas de origem intestinal e inflamações de pele.

Existe, entretanto, algumas doenças onde o efeito anti-inflamatório e analgésico da aspirina ainda é dos mais eficazes. São elas:

O ácido acetilsalicílico também tem se mostrado eficaz em outras doenças, como no tratamento das cólicas menstruais, na prevenção da pré-eclampsia e na prevenção de pólipos intestinais e do câncer de cólon.

Efeitos colaterais

Se o AAS diminui a incidência de tromboses, por que não usá-lo em todo mundo? Por causa dos seus efeitos colaterais. Assim como qualquer anti-inflamatório, o AAS apresenta como efeito colateral uma maior incidência de gastrites, úlceras gástricas e duodenais, e consequentemente, hemorragia digestiva. Quanto maior é a dose do AAS, maior é o risco de lesão gástrica: Todavia, mesmo doses baixas, como 80 mg, apresentam risco.

O AAS se liga às plaquetas de modo irreversível. Isto significa que aquelas plaquetas que sofreram ação da aspirina, não conseguirão nunca mais participar da coagulação. Portanto, o efeito antiagregante do AAS dura o tempo de vida das plaquetas que é de 5 a 10 dias, ou seja, o AAS tomado hoje fará efeito durante pelo menos 5 a 7 dias. Esta informação é importante para cirurgias, extração dentária ou qualquer outro evento potencialmente hemorrágico, quando uma perfeita coagulação é necessária para a segurança do procedimento.

A inibição da função das plaquetas também é responsável pela contraindicação do AAS na dengue ou qualquer outra doença que curse com plaquetas baixas como a púrpura trombocitopênica idiopática. Imaginem o estrago que pode acontecer quando um paciente que já tem poucas plaquetas e apresenta-se sob risco de sangramentos toma uma droga que atrapalha a função destas.

O AAS também não deve ser tomado em doenças como catapora (varicela) e gripe, principalmente por crianças e adolescentes, devido ao risco do aparecimento da síndrome de Reye, uma doença grave que cursa com edema cerebral e insuficiência hepática fulminante.

A aspirina, assim como qualquer outro anti-inflamatório, deve ser evitada em pacientes com insuficiência renal crônica. Quanto maior for a dose, maior o será o risco de piora da função renal (leia: REMÉDIOS QUE PODEM FAZER MAL AOS RINS). O seu uso só deve ser admitido quando os benefícios compensam os riscos, como, por exemplo, AAS em doses baixas em doentes com alto risco cardiovascular.

O uso crônico de aspirina também está associado a um maior risco de presbiacusia, conhecida como surdez do idoso.

Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Buscopan Buscopan (escopolamina): Bula simplificada
Guillain-Barré Síndrome de Guillain-Barré: o que é, causas e sintomas
Albendazol Albendazol (bula): para que serve e como tomar
Soluço Soluços: causas e tratamento (adultos e crianças)
Hipertensão Hipertensão Arterial: o que é, sintomas e tratamento
Terbinafina Cloridrato de Terbinafina: remédio para micoses (bula)
AVC AVC (derrame cerebral): sintomas, causas e tratamento
metoclopramida Cloridrato de metoclopramida (Plasil) – Para que serve?
Embolia Embolia: o que é, tipos, sintomas e causas
AVC 7 sintomas do AVC – Derrame cerebral
Ivermectina Ivermectina (Bula): para que serve e posologia
Dexametasona Dexametasona (bula): para que serve e posologia
Aneurisma cerebral Aneurisma cerebral: sintomas e tratamento
Ácido mefenâmico para cólica menstrual Ácido mefenâmico (Postan) para cólica menstrual
AIT O que é ataque isquêmico transitório (AIT ou mini-AVC)
Fibrilação atrial Fibrilação atrial: o que é, causas, tratamento, risco de AVC
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

85 comentários em “Efeitos da Aspirina (ácido acetilsalicílico)”

  1. Sou cardiopata. Tomo por ordem médica AAS diario de 100 mg. Vou fazer cateterismo e sou informado que não preciso de suspender o AAS. Não há risco?

    Responder
  2. Meu pai teve um Avc Isquemico e como parte do tratamento fez uso de AAS, porém temos observado sangue na urina. Pode ter haver com o AAS?

    Responder
    • Geralmente, o AAS sozinho não causa sangramento. MAs ele pode facilitar o sangramento se já houver alguma lesão. Ou seja, é preciso investigar a causa da hematúria (sangue na urina).

      Responder
  3. Se as varizes das pernas são provocadas porque o sangue não corre fluentemente nas veias, se o sangue fosse afinado pelo efeito da Aspirina 100, os pacientes que sofrem de varizes não beneficiariam cdom a toma do AAS ?

    Responder
    • Não, porque o problema é nas válvulas das veias, não é uma questão de “sangue espesso”. O que o AAS faz na verdade não é “afinar o sangue”, mas sim reduzir a ação das plaquetas. O AAS reduz levemente o risco de trombose, mas ele não age no problema, que são as veias doentes.

      Responder
  4. Tomo marevan é o meu cardiologista me receitou aas faz 15 dias que estou tomando e faz 2 dias que está apresentando sangue no meu xixi

    Responder
    • Não é normal. A anticoagulação pode estar excessiva. O ideal é fazer logo um INR para ver se não há sinais de intoxicação cumarínica (efeito excessivo do Marevan).

      Responder
  5. Bom dia desde que comecei tomar aas por causa de um avc sempre aparece hematomas esverdeado com roxo típico de pancadas seria por causa da medicação desde já obrigado

    Responder
  6. Dr.Sou diabético e tomo metformina(Glifagem 500) um no almoço e dois na janta.
    E tomo AAS de manhã após o café,posso continuar ou tá errado?

    Responder
  7. Caro Dr.
    Não sei se ainda acompanha esses comentários, mas coloquei um Stent a uns dois anos, tomo Aspirina Prevent, Lipstat, Selozok e Pantoprazol Sódico Sesqui-hidratado, pois tenho gastrite e exofagite.
    Minha dúvida é se posso trocar e passar a tomar AAS Infantil e Omeprazol?

    Responder
  8. Caro Dr.
    O Dr escreveu acima: “Efeitos anti-inflamatórios do AAS” …”Em doses iguais ou maiores que 500 mg, a Aspirina age não só como “agregante plaquetário”, mas também com anti-inflamatório”….
    PERGUNTA: Agregante ou Anti-Agregante?

    Responder
  9. Tive um episodio de AIT, o neuro me prescreveu 2 comprimidos de AAS de 100mg todos os dias e 1 comprimido de Clopidrogel todos os dias, com 3 meses de uso tive uma hemorragia digestiva alta indo parar na UTI e lá ficando por 3 dias, por conta própria parei de tomar o Clopidrogel e só continuo com os 2 AAS todos os dias, até agora tudo bem e nenhum incômodo intestinal.
    Fiz a coisa certa em interromper o Clopidrogel por conta própria ???

    Responder
  10. Eu tenho dores de cabeça constantes. Fui ao neuro e ele me receitou um remédio que me deixa muito apática quando tomo. Descobri que o único medicamento que acaba com minha dor (minha cabeça dói muito na região da uca) é o melhoral. Quando eu tomo o melhoral em menos de 10 minutos a dor some. Tenho tomado em média uns 3 comprimidos por dia há mais de 10 anos. Isso pode me prejudicar em alguma coisa? Se eu não tomo o melhoral a dor não passa.

    Responder
  11. Olá! Parabéns pelo artigo, super interessante e esclarecedor.
    Recentemente passei por um procedimento de ressonancia com contraste e ocorreu uma tromboflebite. O médico me receitou apenas Nimesulida para aliviar a dor e disse que não é necessário mais nada pois trata-se de uma veia superficial.
    Porém estou com muitas dores e penso que seria interessante afinar o sangue para facilitar que este coagulo seja absorvido, porém o medico não deu muitas esperanças que isso possa ocorrer, mas quero fazer o possível para não perder a minha veia.
    Se utilizar o ASS pode ajudar ??
    Tenho em casa o infantil de 86mg, posso tomar umas 5 ASS de 12 em 12 horas ?
    Um grande abraço, Silvia.

    Responder
  12. Estou tomando Somalgin Cardio há 20 dias por indicação da Cardio, porém tenho sentindo muita fraqueza muscular, e tive um episódio de dormência no lábio superior e nariz. TEm relação com o remédio?

    Responder
  13. Boa noite Dr. Passei por uma nefrectomia devido a um tumor de rim. Gostaria de saber se há alguma contra indicação para tomar AAS diariamente, recomendação do cardiologista, pois tenho histórico de alto teor de colesterol e triglicérides sanguíneo. Graças a Deus o outro rim funciona perfeitamente.
    Obrigado

    Responder
  14. olá bom dia,meus pais tomam aas todos os dias e dizem que é bom p um monte de coisa e reduz o colesterol ruim,é verdade?pode tomar todo dia?

    Responder
  15. Boa noite ! Estive tomando AAS e no momento estou com Refluxo Gastrico. Existe algum medicamento ou suprimento que pode atenuar os efeitos colaterais do AAS neste caso ?

    Responder
  16. Boa noite ! Estive tomando AAS e no momento estou com Refluxo Gastrico. Existe algum medicamento ou suprimento que pode atenuar os efeitos colaterais do AAS neste caso ?

    Responder
  17. Ótimo artigo. Só uma correção! No artigo é mencionado o uso de outros fármacos para potencializar a inibição das plaquetas (clopidogrel, ticlopidina). Estes fármacos não são agregantes, mas sim Anti agregantes plaquetários.

    Responder
  18. Ótimo artigo. Só uma correção! No artigo é mencionado o uso de outros fármacos para potencializar a inibição das plaquetas (clopidogrel, ticlopidina). Estes fármacos não são agregantes, mas sim Anti agregantes plaquetários.

    Responder
  19. fui submetido a angiologia com colocação stents e meu medico receitou AAS 100, porém me ataca o estomago, posso tomar aspirina prevent 100 em seu lugar ?

    Responder
      • Agradeço a informação , vou usar aspirina prevent.

        Em Segunda-feira, 4 de Novembro de 2013 17:49, Disqus escreveu:

        Settings

        A new comment was posted on MD.Saúde

        Responder
  20. fui submetido a angiologia com colocação stents e meu medico receitou AAS 100, porém me ataca o estomago, posso tomar aspirina prevent 100 em seu lugar ?

    Responder
  21. Se o paciente fez exames de coagulação como proteína C, fibrinogênio, C3, C4, dimeros-D, e dois dias antes tomou AAS, os resultados dos exames vão ter influencia da medicação?

    Responder
  22. A descrição sobre a utilização de AAS, são bem claras e eficientes. É um ótimo artigo que esclareceu minhas dúvidas e receios. Os médicos não fornecem tantos detalhes, passam o remédio e pedem para voltar em 30 dias. Obrigado

    Responder
  23. Excelente Matéria! AAS tamponado é a melhor opção. Eu NÃO tive infarto miocárdio nem AVC pelo menos perceptível, graças ao ante agregante plaquetário. Após 40 anos TODOS devem conversar com o clínico ou cardiologista para saber se pode ou não usar este fármaco. A minha monografia de final curso foi sobre AAS, valeu demais pra minha própria vida. Farmacêutica Bioquímica Lucia Macedo.

    Responder
  24. tenho 55 anos tomo dois aas 100mg por semana pois tenho medo de infarto ou avc é uma preocupação meu pai faleceu com 57 anos de infarto e eu me lembro que ele tomava aspirina mas não doi o suficiente pois ele não quis operar na época

    Responder
  25. Se a ASS tem efeito retardativo na formação de AVC, e eu tenho o vicio de fumar, quantas ASS devo tomar por dia para que não corra o risco de ficar com o sangue grosso e ter uma AVC?

    Responder
    • O efeito antiagregante não aumenta conforme a dose. Além disso, o AAS ajuda, mas ele não faz milagre. O malefício do cigarro é muito maior que o potencial benefício do AAS.

      Responder