Tadalafila (5 mg e 20 mg): para que serve e efeitos colaterais

Foto do autor

Escrito por: Dr. Pedro Pinheiro

Atualizado em:
Tempo de leitura estimado do artigo: 5 minutos

O que é a tadalafila?

A tadalafila é um medicamento que pertence à família dos inibidores da fosfodiesterase Tipo 5 (PDE5). Seu nome comercial mais conhecido é Cialis®.

A tadalafila atua relaxando os vasos sanguíneos e aumentando o fluxo de sangue para determinadas áreas do corpo, incluindo o pênis, motivo pelo qual é frequentemente utilizada no tratamento da disfunção erétil.

Além da tadalafila, existem outros 3 fármacos que também fazem parte dos inibidores da PDE5:

  • Sildenafila (Viagra®).
  • Vardenafila (Levitra®).
  • Avanafil (Spedra® ou Stendra®).

Apesar da semelhança, cada um dos 4 inibidores da PDE5 apresenta características específicas, posologia individual e tempo de ação distinto. A tadalafila, por exemplo, é a que apresenta maior tempo de ação, permanecendo ativa no corpo por até 36 horas.

Nota: este artigo não aspira ser uma bula completa da tadalafila. Nosso objetivo com esse texto é simplificar o tema e explicar de forma didática as informações mais relevantes para quem estiver pensando em utilizar a tadalafila, especialmente no tratamento da impotência sexual.

Para que serve a tadalafila?

A tadalafila é um medicamento indicado no tratamento de três condições:

A tadalafila também costuma ser utilizada como tratamento off-label do edema pulmonar de grande altitude, também conhecido como mal da montanha.

Mecanismo de ação

Para entender como a tadalafila age, precisamos antes falar rapidamente sobre o processo de ereção do pênis.

Existem duas estruturas cilíndricas altamente vascularizadas dentro do pênis chamadas corpos cavernosos. Quando ocorre um estímulo sexual, o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos aumenta e essas estruturas agem como esponjas, absorvendo todo o sangue que chega.

O enchimento dos corpos cavernosos de sangue faz com que o pênis aumente de tamanho, volume e torne-se ereto.

Anatomia da ereção

Quando ingurgitados, os corpos cavernosos comprimem as veias dorsais, que são os vasos responsáveis por drenar o sangue do pênis. Com a via de drenagem obstruída, o sangue permanece no pênis, mantendo-o ereto enquanto houver estímulo sexual. Após o orgasmo ou a cessação do estímulo, o corpo cavernoso se esvazia, e o pênis retorna ao estado flácido.

Como um inibidor da fosfodiesterase Tipo 5, como a tadalafila, ajuda na ereção?

Para explicar como a tadalafila funciona na disfunção erétil, precisamos entrar um pouco na fisiologia da ereção. De forma didática, proponho dividirmos a ereção em 10 etapas:

  1. Estímulo inicial: o processo todo começa com um estímulo sexual, que pode ser visual, tátil, olfativo, auditivo ou psicológico.
  2. Sinal do sistema nervoso central: o estímulo sexual ativa áreas específicas do cérebro, que enviam sinais através da medula espinhal até os nervos pélvicos.
  3. Liberação de óxido nítrico: os nervos pélvicos são estimulados e liberam neurotransmissores, especialmente um, chamado óxido nítrico.
  4. Produção de cGMP: o óxido nítrico difunde-se para as células do músculo liso dos corpos cavernosos do pênis, ativando uma substância chamada monofosfato de guanosina cíclico (cGMP).
  5. Relaxamento do músculo liso: o cGMP provoca o relaxamento do músculo liso nos corpos cavernosos, levando à dilatação das artérias penianas e ao aumento do fluxo sanguíneo para o pênis.
  6. Enchimento de sangue: o aumento do fluxo sanguíneo preenche os corpos cavernosos, fazendo com que o pênis se expanda e endureça.
  7. Compressão das veias: o enchimento dos corpos cavernosos comprime as veias que drenam o sangue do pênis, mantendo o sangue retido e sustentando a ereção.
  8. Manutenção da ereção: enquanto o estímulo sexual persistir, os níveis de cGMP permanecem elevados, mantendo a ereção.
  9. Degradação do cGMP: A fosfodiesterase tipo 5 (PDE5) é uma enzima que degrada o cGMP. Quando o estímulo sexual cessa ou o orgasmo ocorre, há uma redução abrupta na produção do cGMP, fazendo com que seus níveis baixem por ação da PDE5.
  10. Retorno ao estado flácido: com a degradação do cGMP pela PDE5, o músculo liso se contrai, reduzindo o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos, permitindo que o sangue saia do pênis, retornando-o ao estado flácido.

Como tadalafila é um inibidor da PDE5, ela faz com que os níveis de cGMP permaneçam elevados por mais tempo, não só facilitando, mas também prolongando o tempo de ereção.

É importante destacar que a tadalafila atua como facilitador da ereção ao prolongar a ação do cGMP, mas não influencia diretamente sua produção. A ereção só ocorre com estímulo sexual, que promove a liberação de óxido nítrico e, subsequentemente, cGMP. Sem estímulo sexual, não há liberação de óxido nítrico ou cGMP, resultando na ausência de ereção. Portanto, a eficácia da tadalafila depende da presença de estímulo sexual para iniciar o processo fisiológico necessário para a ereção.

Explicamos mais o papel dos inibidores da PDE5 no artigo: Remédios para Impotência: Viagra, Cialis, Levitra, Spedra.

Como a tadalafila ajuda nas outras doenças?

No caso da hiperplasia prostática benigna, o relaxamento dos músculos da próstata e da bexiga reduz a resistência ao fluxo urinário, aliviando os sintomas de obstrução urinária e melhorando a micção.

Na hipertensão pulmonar, a inibição da PDE5 resulta em níveis elevados de cGMP nas células do músculo liso dos vasos pulmonares, promovendo vasodilatação. A vasodilatação diminui a resistência vascular pulmonar, reduzindo a pressão arterial nos pulmões e melhorando a função cardíaca.

No mal da montanha, os inibidores de PDE5 melhoram a vasodilatação pulmonar e a oxigenação, melhorando a função respiratória, aliviando sintomas como dor de cabeça, náusea e cansaço e ajudando a prevenir o edema pulmonar de alta altitude.

Nomes comerciais

A tadalafila foi lançada no mercado em 2003 sob o nome comercial Cialis®. Ela é comercializada em comprimidos de 5 mg, 10 mg e 20 mg. Atualmente, a tadalafila pode ser encontrada nas farmácias com os seguintes nomes:

  • Tadalafila genérica (várias marcas).
  • Cialis®.
  • Cianeo®.
  • Ciavor®.
  • Dalí®.
  • Hislafi®.
  • H-For®
  • Nesta®.
  • Tada®.
  • Zyad®.

Como tomar a tadalafila?

A tadalafila é utilizada em diferentes dosagens para tratar disfunção erétil, hiperplasia prostática benigna ou hipertensão arterial pulmonar. As dosagens recomendadas são:

Disfunção erétil

Existem duas formas de tomar a tadalafila para disfunção erétil:

  1. Uso sob demanda: 10 mg em dose única cerca de 30 minutos antes da atividade sexual prevista; não tome mais de uma vez ao dia. A melhora da função erétil dura por até 36 horas após uma dose única. Ajuste a dose com base na eficácia e na tolerabilidade; você pode reduzir para 5 mg ou aumentar para 20 mg por dose.
  2. Uso diário: 2,5 mg uma vez ao dia, sem levar em conta o momento da atividade sexual; pode aumentar para 5 mg uma vez ao dia com base na eficácia e na tolerabilidade.

Os homens podem continuar a administração diária de tadalafila indefinidamente. Alguns dados sugerem que a tadalafila diária é mais eficaz do que a tadalafila sob demanda para melhorar a função erétil a longo prazo. Para aqueles que usam um regime diário, a dose de 5 mg costuma ser mais eficaz do que 2,5 mg.

A tadalafila diária pode ser particularmente eficaz em indivíduos que não respondem bem à toma sob demanda.

Hiperplasia prostática benigna

  • Tadalafila 5 mg uma vez ao dia.

Observação: Se o tratamento for iniciado com tadalafila e finasterida concomitantemente, a duração recomendada da tadalafila é de no máximo 26 semanas. Não combine a tadalafila com um bloqueador alfa-1 (doxazosina, prazosina, alfuzosina, tansulosina ou silodosina) devido ao pouco benefício adicional e à maior probabilidade de efeitos adversos.

Se o paciente tiver disfunção erétil e hiperplasia prostática benigna, a tadalafila 5 mg ao dia pode ser inicialmente usada como monoterapia para ambas condições.

Hipertensão arterial pulmonar

  • Dose inicial: tadalafila 40 mg uma vez ao dia; pode-se também começar com 20 mg uma vez ao dia e aumentar para 40 mg após aproximadamente 4 semanas.

Observação: consulte um especialista em hipertensão arterial pulmonar para todas as decisões; a escolha da terapia depende da etiologia, da estratificação de risco e das comorbidades cardiopulmonares. A tadalafila é contraindicada em pacientes que tomam riociguat devido à hipotensão potencialmente grave.

Efeitos adversos

Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes):

  • Cefaleia (dor de cabeça).

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes):

  • Dor nas costas.
  • Tontura.
  • Dispepsia (indisposição gástrica).
  • Rubor facial (vermelhidão no rosto).
  • Mialgia (dor muscular).
  • Congestão nasal (nariz entupido).
  • Diarreia em pacientes idosos.
  • Náuseas.
  • Fadiga.

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes):

  • Hiperemia conjuntival (vermelhidão nos olhos).
  • Sensação de dor nos olhos.
  • Inchaço das pálpebras.
  • Falta de ar.
  • Vômitos.
  • Edema periférico (inchaço nas mãos, pés e pernas).

Perda de visão: casos raros de neuropatia óptica isquêmica anterior não arterítica foram relatados em usuários de tadalafila. Pacientes com diabetes, hipertensão, colesterol alto, doença cardíaca ou fumantes têm risco aumentado. Qualquer alteração na visão durante o tratamento deve levar à suspensão do medicamento e consulta imediata ao médico.

Priapismo: a tadalafila pode, em casos raros, causar priapismo, uma ereção prolongada e dolorosa que dura mais de quatro horas. O priapismo é uma condição médica que requer tratamento imediato para evitar danos permanentes ao tecido erétil do pênis.

Contraindicações

A tadalafila é contraindicada para pacientes alérgicos a qualquer componente do comprimido. Quem tem alergia a um dos inibidores da PDE5 geralmente também tem aos outros fármacos do mesmo grupo.

A tadalafila não deve ser administrada a pacientes que utilizam nitratos, como propatilnitrato (Sustrate®), isossorbida (Monocordil®, Cincordil®, Isordil®), nitroglicerina (Nitradisc®, Nitroderm TTS®, Nitronal®, Tridil®), e dinitrato de isossorbitol (Isocord®).

A tadalafila também é contraindicada para mulheres (grávidas ou não), recém-nascidos e crianças. Não há restrições específicas para idosos.

Advertências e precauções

A tadalafila deve ser usada com cautela em pacientes com:

Interações medicamentosas

  • Nitratos: elevado risco de hipotensão grave (exemplos: propatilnitrato, isossorbida, nitroglicerina e dinitrato de isossorbitol).
  • Cetoconazol: aumenta muito a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Itraconazol: aumenta muito a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Eritromicina: aumenta muito a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Ritonavir: aumenta muito a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Fenitoína: aumenta a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Rifampicina: reduz a concentração sanguínea de tadalafila.
  • Anti-hipertensivos: a tadalafila pode aumentar os efeitos hipotensores de medicamentos anti-hipertensivos. No entanto, estudos mostraram que não há interação clinicamente significativa com várias classes, incluindo bloqueadores de canais de cálcio, inibidores da ECA, beta-bloqueadores e diuréticos.
  • Bloqueadores Alfa-adrenérgicos: a tadalafila pode aumentar os efeitos hipotensores da doxazosina, mas não da tansulosina.
  • Álcool: não há interação significativa com o álcool em baixas doses, mas pode causar tontura em altas doses.

Dúvidas comuns

A tadalafila aumenta o tamanho do pênis?

Não, a tadalafila, nem qualquer outro inibidor da PDE5, não aumenta o tamanho do pênis.

A tadalafila pode causar infarto?

A tadalafila é geralmente segura quando usada conforme prescrição médica, mas pode haver riscos, especialmente em pessoas com condições cardíacas preexistentes. Estudos indicam que, em raros casos, a tadalafila pode estar associada a eventos cardiovasculares graves, incluindo infarto do miocárdio. Isso é mais provável em pacientes com doenças cardíacas não diagnosticadas ou não controladas. Não é esperado que pessoas saudáveis tenham infartos ao tomar a tadalafila.

A tadalafila genérica é tão eficaz quanto o Cialis?

Sim, a medicação genérica e de marca são equivalentes.

Mulheres podem tomar tadalafila?

A tadalafila é aprovada para o tratamento de disfunção erétil em homens. Estudos sobre o uso da tadalafila em mulheres são limitados, e a segurança e eficácia não foram estabelecidas para esta população. Algumas pesquisas exploram seu potencial uso para condições como disfunção sexual feminina, mas até o momento, não há aprovação regulatória ou diretrizes claras para o uso de tadalafila em mulheres. Os fabricantes costumam tratar como contraindicação o uso de tadalafila por mulheres.

A tadalafila faz efeito em quanto tempo?

A tadalafila começa a fazer efeito aproximadamente 30 minutos após a administração. A ação da tadalafila pode durar até 36 horas, o que proporciona uma janela prolongada para atividade sexual espontânea.

Qual é o preço da tadalafila?

A tadalafila genérica é bem mais barata que o Cialis. A caixa de 4 comprimidos da tadalafila 20 mg custa entre 3 e 6 reais. A caixa de 30 comprimidos da tadalafila 5 mg custa entre 8 e 15 reais.


Referências


Autor(es)

Dr. Pedro Pinheiro

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Saiba mais

Artigos semelhantes

Ficou com alguma dúvida?

Comentários e perguntas

Deixe um comentário


2 respostas para “Tadalafila (5 mg e 20 mg): para que serve e efeitos colaterais”

  1. Jorge Mambuque
    Uma pessoa com insuficiência renal, em tratamento de hemodiálise, com um quadro saudável pode tomar a tadalafila? E qual é a dosagem mais recomendada a de 20 mg por demanda ou 5 mg diária?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Nos pacientes em hemodiálise, a dose indicada da tadalafila é de 5 mg 30 minutos antes da atividade sexual.