Insuficiência cardíaca: o que é, sintomas e tratamento

Atualizado:

Tempo estimado de leitura: 7 minutos.

O que é insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca é uma condição que surge quando os músculos do coração não são capazes de bombear o sangue efetivamente. De forma simples, podemos dizer que o paciente com insuficiência cardíaca é um paciente com o coração fraco.

A insuficiência cardíaca pode surgir de forma rápida, como nos casos de infarto agudo do miocárdio com necrose extensa do músculo cardíaco, ou pode se instalar lentamente, como nos casos de hipertensão arterial por muitos anos, que provoca constante e prolongado estresse ao coração.

Como funciona o coração?

O coração é um órgão composto basicamente por músculos, que, ao se contraírem, são responsáveis pelo bombeamento de sangue para todos os tecidos. O coração funciona como o motor do nosso corpo.

O coração humano é composto por quatro câmaras:

  • Ventrículo esquerdo.
  • Ventrículo direito.
  • Átrio esquerdo.
  • Átrio direito.

Os ventrículos são as cavidades maiores e mais musculosas, sendo as mais importantes no bombeamento do sangue para o corpo.

Câmaras cardíacas
Legenda: AD: átrio direito; AE: átrio esquerdo; VD: ventrículo direito; VE: ventrículo esquerdo; AO: artéria orta; VP: artéria pulmonar.

A circulação do sangue pelo corpo se dá da seguinte forma:

  1. O coração recebe sangue cheio de oxigênio vindo dos pulmões e o envia para o resto do corpo através da contração do ventrículo esquerdo (sangue em vermelho na ilustração abaixo).
  2. Os tecidos recebem o sangue e trocam o oxigênio (O₂) por dióxido de carbono (CO₂).
  3. O sangue, agora pobre em O₂ e rico em CO₂, volta ao coração pelas veias, chega no lado direito do coração, entra no átrio direito, depois no ventrículo direito e é finalmente bombeado para os pulmões (sangue em azul na ilustração abaixo).
  4. Nos pulmões, o sangue volta a ficar rico em oxigênio e pobre em dióxido de carbono.
  5. Esse sangue re-oxigenado vai para o lado esquerdo do coração, cai no átrio e depois no ventrículo esquerdo, de onde será bombeado de volta para os tecidos, reiniciando o ciclo.
Circulação cardiopulmonar
Circulação cardiopulmonar

Portanto, o lado direito do coração é responsável pelo bombeamento do sangue para os pulmões e o lado esquerdo pelo bombeamento do sangue para os tecidos.

A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração não consegue mais desempenhar uma ou ambas funções eficientemente. A insuficiência cardíaca pode então ser do coração esquerdo, direito ou de ambos.

O que causa insuficiência cardíaca?

Como já dito, o coração é composto basicamente por músculos. Qualquer situação que provoque perda de força do músculo cardíaco irá resultar em insuficiência cardíaca.

Infarto agudo do miocárdio

A principal causa de insuficiência cardíaca é a isquemia cardíaca ou o infarto do miocárdio.

Infarto significa morte tecidual, que no caso do coração se refere ao músculo cardíaco. Logo, quanto mais extenso for o infarto, mais fibras musculares morrerão e, consequentemente, mais fraco ficará o coração. Se o infarto necrosar uma extensa área, o paciente pode até morrer por falência aguda da bomba cardíaca, chamada insuficiência cardíaca aguda.

A insuficiência cardíaca também pode se desenvolver lentamente nos pacientes com doença isquêmica. O paciente pode sofrer vários pequenos infartos ao longo dos anos – com ou sem sintomas claros – provocando um progressivo acúmulo de tecido cardíaco necrosado e insuficiente.

Nesses casos, a insuficiência cardíaca se instala de forma mais lenta e progressiva, sendo chamada insuficiência cardíaca crônica.

Para mais informações sobre o infarto agudo do miocárdio: Sintomas do infarto agudo do miocárdio.

Hipertensão arterial

Outra causa comum de insuficiência cardíaca é a hipertensão arterial não controlada adequadamente.

Quando o paciente apresenta uma pressão arterial elevada, o coração precisa fazer mais força para vencer a resistência dos vasos sanguíneos e distribuir o sangue pelo corpo.

Assim como ocorre com qualquer músculo exposto a um estresse frequente, a parede dos ventrículos começa a crescer e ficar mais forte, um processo chamado hipertrofia cardíaca.

O que parece algo bom é, na verdade, a fase precoce de uma insuficiência cardíaca. O tipo de hipertrofia do coração que ocorre na hipertensão arterial difere daquela que ocorre nos atletas que possuem o coração mais forte.

Reparem na figura abaixo que o coração hipertrofiado pela hipertensão apresenta as paredes mais grossas e consequentemente menos espaço para o ventrículo se encher de sangue. Apesar de estar mais musculoso, o coração se enche menos e, por isso, bombeia menos sangue a cada contração.

Insuficiência cardíaca

Essa é a fase de insuficiência cardíaca diastólica, ou seja, o coração não consegue se encher na diástole, período de relaxamento do coração que ocorre entre as sístoles (contrações cardíacas).

Como quem manda o sangue para o corpo é o ventrículo esquerdo, ele é quem mais sofre com as pressões arteriais elevadas. Quando realizamos um ecocardiograma, o primeiro sinal de sofrimento cardíaco pela hipertensão é a hipertrofia do ventrículo esquerdo.

Essa fase precoce da insuficiência cardíaca é o momento ideal para que o tratamento médico seja instituído, pois ainda há possibilidade de reversão do quadro.

Se a pressão arterial não for tratada e permanecer alta por anos a fio, o coração irá sofrer até o ponto em que não consegue mais se hipertrofiar.

Imaginem um elástico que você puxa o tempo todo. Uma hora ele acaba por perder sua elasticidade e fica frouxo. É mais ou menos isso que ocorre com o coração. Depois de muito tempo sofrendo estresse, o músculo cardíaco começa a se estirar e o coração fica dilatado e fraco.

Nessa fase dilatação cardíaca temos um músculo com pouca capacidade de contração e um coração que já não consegue bombear o sangue adequadamente, apresentando o que chamamos insuficiência cardíaca sistólica.

Para mais informações sobre a hipertensão arterial: Hipertensão Arterial: o que é, sintomas e tratamento.

Doença das válvulas cardíacas

Outra causa comum de insuficiência cardíaca são as doenças das válvulas do coração.

Sempre que uma válvula cardíaca apresenta alguma alteração, seja congênita ou adquirida durante a vida, como nos casos de endocardite, febre reumática, calcificação das válvulas, etc., o coração começa a ter dificuldades em bombear o sangue, iniciando-se o processo de dilatação semelhante ao da hipertensão.

Miocardite

Miocardite é a inflamação do miocárdio, o músculo cardíaco. A miocardite grave enfraquece o coração e reduz sua capacidade de bombeamento.

A miocardite pode ser causada por uma infecção viral, uma reação a um medicamento ou parte de uma condição inflamatória mais geral.

Falamos da miocardite com detalhes no artigo: Miocardite: o que é, causas, sintomas e tratamento.

Fatores de risco

Existem várias outras doenças que causam insuficiência cardíaca, quase todas provocam de alguma maneira doença isquêmica cardíaca ou enfraquecimento direito do músculo cardíaco.

Os principais fatores de risco são:

Sintomas

Os sintomas da insuficiência cardíaca dependem da câmara mais afetada e da gravidade do quadro. A disfunção do coração é, na maioria das vezes, um quadro progressivo e lento.

Os principais sintomas da insuficiência cardíaca são:

  • Falta de ar e cansaço aos esforços.
  • Falta de ar ao deitar-se.
  • Inchaço (edema) nas pernas, tornozelos e pés.
  • Batimento cardíaco rápido ou irregular.
  • Reduzida tolerância ao exercício.
  • Maior necessidade de urinar durante a noite.
  • Inchaço do seu abdômen (ascite).
  • Falta de apetite e náusea.
  • Edema agudo do pulmão.

Falta de ar (dispneia)

A falta de ar, chamada dispneia, costuma ser um sintoma que vai se agravando ao longo do tempo. Inicialmente, o paciente sente cansaço e falta de ar apenas para esforços grandes. Depois, para esforços médios.

Nas fases avançadas da doença, o paciente pode se cansar com tarefas simples, como tomar banho e pentear o cabelo. Em estágios finais, o paciente tem intensa falta de ar e precisa de oxigênio mesmo estando em repouso.

Edema pulmonar

A incapacidade de bombear o sangue para os tecidos, causa acúmulo de líquidos nos pulmões. É como se fosse um congestionamento. O sangue que sai dos pulmões não consegue chegar eficientemente ao coração porque esse não consegue bombear o sangue que já se encontra dentro dele.

Essa lentidão no fluxo pulmonar causa extravasamento de líquidos, um quadro chamado congestão pulmonar. Por conta disso, a doença é frequentemente chamada insuficiência cardíaca congestiva.

Em casos graves, o paciente pode desenvolver edema pulmonar, que é uma urgência médica. Nesse quadro, o paciente tem tanta água no tecido pulmonar, que é como se ele estivesse se afogando.

Dispneia paroxística noturna

Outro sintoma típico da insuficiência cardíaca é a dispneia paroxística noturna, uma falta de ar que só surge quando o paciente se deita.

Quando deitamos, o sangue que se encontra nas pernas deixa de sofrer interferência da gravidade e consegue retornar mais facilmente ao coração e aos pulmões.

Se temos um coração esquerdo fraco e aumentamos a quantidade de sangue que chega aos pulmões, acabamos por favorecer o surgimento de congestão pulmonar. Por isso, muitos pacientes com insuficiência cardíaca não toleram ficar muito tempo deitado. Alguns precisam dormir com mais de um travesseiro, de forma a manter sempre o tronco mais alto que o resto do corpo, diminuindo, assim, a quantidade de sangue que retorna aos pulmões pelo lado direito do coração.

Retenção de líquidos e edemas

Quando o coração esquerdo começa a não conseguir bombear o sangue eficientemente, os rins passam a receber menos sangue o necessário. Os rins interpretam isso como uma queda no volume de sangue do corpo e começam a reter água e sal para tentar encher as artérias.

O resultado é um excesso de água no organismo, que se traduz com o aparecimento de edemas (inchaços), principalmente nas pernas.

Se também houver insuficiência do coração direito, esses edemas são ainda maiores, pois além do excesso de água, o ventrículo direito não consegue fazer com que o sangue das pernas chegue aos pulmões. Ocorre então um grande represamento de sangue nos membros inferiores e aparecimento de volumoso inchaço nas pernas.

Dependendo do grau de disfunção cardíaca, pode haver edemas até a barriga, chamado ascite.

Síndrome cardiorrenal

Em estágios avançados, a insuficiência cardíaca pode provocar prolongada redução do aporte de sangue para os rins, o que provoca insuficiência renal.

Inicialmente, com o aumento da retenção de água, o quadro é temporariamente corrigido. Com o passar do tempo, porém, o aumento do volume de líquidos no corpo tende a sobrecarregar ainda mais os pulmões e o coração.

O surgimento de insuficiência renal provocado pela insuficiência cardíaca é chamado síndrome cardiorrenal.

Falamos da síndrome cardiorrenal com detalhes no artigo: Síndrome cardiorrenal – Definições e causas.

Arritmias cardíacas

Corações dilatados também apresentam distúrbios na condução elétrica e são mais susceptíveis a arritmias. Uma das consequências da insuficiência cardíaca grave pode ser a morte súbita por fibrilação ventricular, uma arritmia maligna equivalente a uma parada cardíaca.

Classificação NYHA

A Classificação da New York Heart Association (NYHA) fornece uma maneira simples de classificar o grau da insuficiência cardíaca. Ela classifica os pacientes em uma das quatro categorias com base em suas limitações durante a atividade física.

Classificação da NYHA — estágios da insuficiência cardíaca:

  • Classe I: sem sintomas e sem limitação na atividade física habitual (andar, subir escadas ou realizar pequenos esforços)
  • Classe II: leve falta de ar durante atividades físicas habituais.
  • Classe III: marcada limitação das atividades devido à falta de ar, mesmo durante uma atividade de pequena intensidade, como, por exemplo, andar distâncias curtas (20 a 100 m). Confortável apenas em repouso.
  • Classe IV: limitações severas. O paciente apresenta falta de ar mesmo enquanto está em repouso. A maioria fica restrita à cama ao longo de todo o dia.

Diagnóstico

Quadros de insuficiência cardíaca avançada são facilmente perceptíveis através do exame físico do paciente, pois os sintomas são muito típicos.

Em geral, a confirmação do diagnóstico é feita através de exames de imagens, principalmente através do ecocardiograma, uma espécie de ultrassonografia do coração, capaz de fornecer várias informações sobre a estrutura cardíaca e o seu grau de funcionamento.

A radiografia de tórax é um exame simples, que pode mostrar a existência de um coração dilatado e água nos pulmões.

Coração dilatado e grande
Coração dilatado e grande

Nas radiografias acima, podemos ver um coração normal à esquerda e um coração insuficiente e dilatado à direita.

Tratamento

O tratamento é feito com medicamentos que ajudam a baixar a pressão arterial, reduzir a retenção de líquidos e facilitar o bombeamento do sangue.

Entre os fármacos mais utilizados estão:

Obesos devem emagrecer, fumantes têm que largar o cigarro, álcool deve ser evitado e exercícios supervisionados para reabilitação cardíaca são indicados. A pressão arterial deve ser controlada com rigor.

O controle do consume de sal na dieta é importantíssimo. Seis gramas de sal por dia é limite recomendado.

Nos casos de insuficiência cardíaca na fase dilatada, o paciente pode apresentar episódios frequentes de arritmias cardíacas. Algumas delas perigosas. Por isso, alguns pacientes precisam implantar um aparelho conhecido como cardiodesfibrilador interno (CDI) para reduzir o risco de morte súbita.

Outro tratamento utilizado nos casos mais graves é a terapia de ressincronização cardíaca (Cardiac Resynchronization Therapy – CRT), que consiste na implantação de eletrodos no coração para estimular ambos ventrículos de forma sincronizada, melhorando a contratilidade do coração e os sintomas da insuficiência cardíaca.

Nos casos terminais a única solução é o transplante cardíaco. Por isso, o melhor tratamento ainda é a prevenção.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Temas relacionados
Remédio para pressão alta Remédios para Pressão Alta (Hipertensão Arterial)
Hipertensão resistente Hipertensão arterial de difícil controle
Maleato de Enalapril Enalapril: para que serve e efeitos colaterais
Espironolactona: para que serve, doses e efeitos colaterais Espironolactona: para que serve, doses e efeitos colaterais
Losartan Losartana: posologia e efeitos colaterais
Diuréticos Diuréticos (remédios e naturais): como funcionam
Sal - cloreto de sódio Por que comer sal em excesso é perigoso?
Hipertensão Hipertensão Arterial: o que é, sintomas e tratamento
Falta de ar Principais causas para falta de ar (dispneia)
Derrame pleural Derrame Pleural – Causas, sintomas e tratamento
Hipertensão Hipertensão Arterial: causas e fatores de risco
Edema pulmonar Edema pulmonar: sintomas, causas e tratamento
Hipertensão Sintomas da pressão alta (hipertensão arterial)
Crise hipertensiva Crise Hipertensiva: como baixar a pressão arterial
Medir a pressão arterial Como medir a pressão arterial corretamente?
Pressão arterial Qual é a pressão arterial normal?
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

92 comentários em “Insuficiência cardíaca: o que é, sintomas e tratamento”

  1. Tenho 22 anos e tô com suspeita de insuficiência cardiaca ou dilatou do ventriloco esquerdo tá no início tenho chances de revercao ou cura se fizer o tratamento direitinho eu era saudável tive isso por uso de droga inalatória após infarto do miocárdio me ajuda por favor meu né e herick

    Responder
  2. Artigo muito esclarecedor!
    As explicações sobre o mecanismo dos sintomas apresentados pelo paciente são muito didáticas e de fácil compreensão.

    Responder
  3. Tenho 36 anos sou hipertensa a mais ou menos 22 faço o uso de enalapril 2x ao dia e aldactone 1x ao dia e quando realizei um eletrocardiograma acusou uma sobrecarga no ventriculo esquerdo gostaria de saber se há alguma chance do eletro estar errado ou devo procurar por um cardiologista

    Responder
    • Acho que você deveria procurar um cardiologista. A sobrecarga do VE é um achado compatível com quem tem hipertensão há muitos anos.

      Responder
    • Arritmia sinusal não é nada de mais, mas a sobrecarga do ventrículo esquerdo precisa ser avaliada por um cardiologista. Não é um achado esperado nesta idade.

      Responder
    • Se o paciente ainda tem pressão arterial alta, é porque a insuficiência cardíaca ainda não é muito grave. ICC grave causa hipotensão.

      Responder
  4. Dr. Bom dia. Minha mãe está com quadro de coração dilatado. Ela toma remédios para tratar esquizofrenia; pode está relacionado aos remédios?

    Responder
  5. Dr. Boa noite, meu filho de 13 anos foi diagnosticado pelo ECG com QT curto e sobrecarga do VE, já marquei cardiologista para ele mas estou desesperada, é muito grave?

    Responder
  6. Bom dia tenho uma filha com 13 anos e lhe foi descoberta uma sobrecarga no ventrículo esquerdo, eu gostaria de saber se esse problema ela corre risco de vida e se tem cura com tratamento ou só fazendo uma cirurgia de coração. Só ficamos a saber hoje e ainda vai fazer uma consulta com o medico dela.

    Responder
    • Antes de definir qualquer prognóstico é preciso identificar a causa da sobrecarga. O tipo de tratamento que será proposto depende da causa.

      Responder
  7. olá Dr. gostaria de uma informação, treino jiu-jitsu há 14 anos, e esses dias fiz um raio x de tórax e deu no lado, coração no limite superior da normalidade, e também fiz um Eletrocardiograma e deu Bradicardia sinusal, essas duas conclusões são graves, e pode me prejudicar na admissão de serviço?

    Responder
    • Se você for uma pessoa com bom condicionamento cardiovascular, essas alterações provavelmente não têm nenhum significado clínico. De qualquer forma, só para ter certeza, procure a opinião de um cardiologista.

      Responder
    • Você tem que descobrir a causa da IC para evitar que a doença progrida. Por exemplo, se for hipertensão arterial, tem que controlá-la melhor, senão a doença cardíaca vai se agravar ao longo dos anos.

      Responder
  8. Fiz uma cintilografia e o resultado foi: Discreta hipoconcentração persistente na parede ínfero-lateral do ventriculo esquerdo

    Responder
  9. fiz um eletro há 13 anos e deu alteração do lado esquerdo. fiz o exame de holter e deu arritmia sinusal constante. o médico disse que estava tudo bem. há mais ou menos 2 anos, fiz outro eletro e não deu nenhuma alteração. o médico era clínico geral , não cardiologista. será que está realmente tudo normal ? o termo arritmia não é problema ?

    Responder
  10. Parabéns Dr. pelo ensinamento.
    Estou com uma dúvida. Fiz um eletrocardiograma hoje(05/05/2014) e constou que estou com Hipertrofia ventricular direita…..R ampla ou R’ V1/V2. É algo muito grave ?

    Responder
    • Isso costuma ser um dos sinais precoces de lesão cardíaca pela hipertensão. Obs: você quis dizer ventrículo esquerdo, correto?

      Responder
  11. Dr. Pedro. Que Deus abencoe o Sr. seus textos valem mais que uma consulta e sabemos que hj em dia esta precario, espero que o sr possa ser retribuido em alegria e paz por tudo.

    Responder
  12. olá doutor minha vó tem 85 anos e desenvolveu insulfiencia cárdica, isso é preocupante,ou podemos ficar tranquilos, ela ja passa por tratamentos,. Devemos ou não?

    Responder
  13. Dr. meu exame periódico do trabalho deu “sobrecarga de ventriculo esquerdo”, isso tem relação com o que o Senhor descreve nesse artigo, ou seja, insuficiência cardíaca??? Devo procurar um especialista??? Ou eu tenho apenas que me exercitar um pouco??? Obg.

    Responder
    • Geralmente sobrecarga se refere a um estágio anterior à insuficiência cardíaca propriamente dita. Na maioria dos casos é causada por hipertensão arterial mal controlada.

      Responder
  14. Boa noite! Tenho 45 anos e já tive um IAM ha 03 meses, que quase me levou pro outro mundo. Nao coloquei nem stent, nem safena. Remoçao do trombo na arteria descendente esquerda somente atraves de drogas. O problema é que a area do VE necrosada foi muito grande e hoje há um aneurisma de colo largo. Meu FE é de 36%. Eu não me sinto tão cansado, continuo fazendo sexo 4x/semana, e durmo bastante bem, respiraçao parece igual sempre. Meu médico ficou super preocupado com esse situaçao e acha que será necessario cirurgia para remodelamento. Seá isso mesmo?? Existe algum tratamento, mesmo fora do Brasil, para recuperaçao do movimento da area necrosada do VE ??

    Responder
  15. Boa Tarde!
    Meu pai está com sintomas idênticos a insuficiência cardíaca, os sistomas são:

    – Inchasso nos pés e penas;
    – Cansaço e Tosse;
    – Empachamento e não consegue ficar muito tempo deitado, tem que dormir sentado.

    O que fazer neste caso para descobrir se realmente está com o músculo do coração dilato, o famoso coração crescido? Tem cura? Pode-se viver bem com essa doênça?

    Grata,

    Jocasta Carvalho

    Responder
  16. Ola meu nome é Nuno e tenho apenas 17 anos. Eu sei que deve parecer estranho um jovem com a minha idade já andar a pesquisar nestes sites mas a razão é que eu tenho um problema de saude por descobrir e não há nenhum médico que pegue no meu caso e descubra o que é.
    Eu sempre que faço educaçao fisica sinto o meu coraçao muito acelerado, fico com muitas tonturas, sensaçao de desmaio, vomitos, fico com o corpo todo paralisado. Os medicos dizem que é uma simples crise de ansiedade mas se fosse só isso nao me dava sempre que eu fizesse desporto e eu já nao sei que fazer mais.
    Se tiver alguma noçao deste problema podia mandar um mail se faz favor?
    Meu mail é: nuno_morais95@hotmail.com

    Obrigado

    Responder
  17. Prezado senhor Pedro Pinheiro, acredito que o senhor esta cometendo um equívoco, quando descreve a hipertrofia cardíaca como sendo o início de uma insuficiência cardíaca, pois, a hipertrofia cardíaca ocorre no coração dos atletas ou pessoas que desenvolvem uma atividade física regular e por um período mínimo de uma hora, com frequência e volume variados. O coração que o senhor descreve, do indivíduo doente, ou seja o hipertenso severo, jamais pode receber a denominação de um coração hipertrofiado e sim de um coração dilatado. Segundo o renomado e conhecido Fisiologista Dr. Gyuton Hall, autor do renomado livro Tratado de Fisiologia Médica.

    Responder
    • Você está confundindo as coisas. Existe mais de um tipo de hipertrofia ventricular. A hipertrofia ventricular do atleta é um evento fisiológico, estruturalmente e quimicamente distinto da hipertrofia ventricular da hipertensão arterial e da miocardipatia hipertrófica, que são doenças. Nos casos onde o coração é submetido a aumento de volume e/ou pressão por tempo prolongado, a hipertrofia do VE é um evento adaptativo inicial que precede a fase de dilatação. Existe vasta literatura sobre o assunto. Vá ao Pubmed e procure por “left ventricular hypertrophy”.

      Responder
  18. Olá, meu nome Rivaldo, tenho 38 anos , 1,72m e 90k. A seis meses que tenho curtos períodos de tosse seca, seguida por desmaio. Acontecia num intervalo de 30 a vinte dias, só que agora tá ficando frequente, chegando a dois desmaios por semana. Meu clínico geral, aferiu a pressão arterial que estava 14/10, passou uma bateria de exames de rotina e mim encaminhou ao neuro. O procedimento foi correto? Com este diagnóstico o Dr. pode mim adiantar qual seria o motivo desses desmaios?

    Obrigado!

    Responder
  19. Realmente, minha mãe está passando por esse problema derrame pleural e insuficiencia cardiaca é muito bom ter essas explicações, parabéns !!!

    Responder
  20. Se na insuficiência cardíaca o débito de sangue nos vasos é diminuído, o uso de diuréticos não poderiam levar a uma hipotensão grave e parada???

    Responder
    • O uso de diuréticos deve ser parcimonioso. Se usado na dose adequada ele melhora os edemas, a hipervolemia e a contratilidade cardíaca.

      Responder
  21. Parabéns, pela jeito tão simples e claro de explicar,gente é impossivel não entender dessa maneira.Quando comecei a ler fiquei emocionada por entender tão claramente um assunto que as vezes mim deixava confusa.Obrigada.     Silvaneide Ribeiro

    Responder
  22. boa tarde Dr. meu pai tem o coração crescido e é bem gordinho ,nao quer acordo com dietas o que posso fazer para ele viver alguns anos a mas ,ele tem 87 anos e tem muita fome eu ando muito preocupada com ele,o mesmo esta com a respiraçâo tipo agonizando.por favor Dr. me diga algo que eu possa fazer. Obrigada

    Responder
  23. dr. a ic interfere ou pode ser factor de risco para a insuficiencia arterial periferica…..e qual a sua conduta…..bdia by bazar 

    Responder
  24. adorei a explicação, agora me ajudem qual o remedio para para gripe que um paciente com insuficiencia pode tomar urgente? douglas /alcione

    Responder
  25. entendi muito sobre a sobrecarga ventricular esquerda, mas, estou em pânico, Foi um achado casual,em exame de rotina para autorização de exercícios fisicos para meu neto de 10 anos.
    estamos em desespero.Ele é forte, saudavel,não tem sintoma e o exame foi feito em pronto socorro para cumprir formalidades.
     estamos desolados
    .diagnostico ou laudo…’
    “possível sobregarca ventricular esquerda”…….
    .me ajudem..qualquer palavra ajuda…
    .Deus ajude. estou em pânico.
    Sou apenas advogada e estou em crise.ely tavolieri      ely_tavolieri@hotmail.com

    Responder
  26. gostaria de saber se o hemoglobina 7,9g/dL esta bom ou não ?
    quais são os sintomas?
    um abraço
     fiz a bariátrica 

    Responder
  27. A dorei essas informações, vale apena agente lé e ficar mais atendo com qualquer  sintômas no coração
    sou formada em leitura do Ecg sempre vejo essas  anomalias.

    Responder
  28. Perfeita a explicação neste artigo! Agora compreendi o que é insuficiência cardiaca e os motivos que causam outras complicações

    Responder
  29. obrigada pela esplicação bem detalhada,meu pai esta internado ,os medicos só falaram que é agua no pulmao,mas lendo sua materia,comprovei que o caso dele é mais grave do que pensei.a amioria dos sintomas falado aqui meu pai está sentindo.

    Responder
  30. eu gostei muito mesmo foi a melho espricaçao que eu tive nem meus medicos me espricou  tau bem assim muito obrigado ass Adriano

    Responder
  31. Duvida!! A ascite só ocorre quando há insuficiencia cardiaca de ambos os lados? O que mais pode levar a um acumulo de liquido na cavidade?

    Responder
  32. Parabéns Dr. Pedro.
    Gostaria de saber de uma forma “clara” um pouco sobre Insuficiência cardiáca com função sistólica preservada.
    Estou estudando sobre isso, mas ainda não entendi muito bem!
     

    Responder
    • É a fase inicial, quando já há alterações na estrutura do coração mas sua função ainda não foi afetada.

      Responder
  33. Parabéns, Dr. Pedro Pinheiro pelo artigo. Sua forma clara, didática e em um vocabulário bem acessível me fez finalmente entender o estado de saúde da minha mãe. Isso é uma grande virtude, pois a maioria dos profissionais de saúde alimentam uma grande lacuna entre eles e seus pacientes pela forma rebuscada com que utilizam seus termos técnicos!

    Responder
  34. boa tarde dr. achei mt interessante esse resumo tenho um bebe cardiopata nacseu com atresia pulmonar +civ+cia e colaterais ,hiperfluxo pulmonar  ja fez uma cirgia cardiaca e em breve fara a segunda ja passamos por tanta luta que so DEUS sabe como foi dificil mas ele fica bem em casa não ´´depende de o2 se alimenta td normal!!! mas pra ganhar peso e praticamente impssivel ele tem 11meses mas aparenta ter no maximo 3meses pesa 4 kg ainda não senta nem tem firmeza no pescoço!! toma captopril,lasix,aldactone de 12/12h !!ja teve pneumonia 3 vezes de ficar mt ruim mesmo ficou intubado e td!!!varias vezes!!! mas e muito mais que um guerreiro!!!!! esse e meu pequeno GRANDE homem!!!!

    Responder
  35. boa tarde DR ,acabei de saber que eu tenho coração musculoso  devido a pressão alta e nunca me tratei,hoje eu tomo lorsatan e outro medicamento que não lembro o nome tudo pra controlar a pressão,bem gostaria de saber que pode acontecer comigo e qual tratamento devo seguir..

    Responder
    • O tratamento mais importante é controlar a pressão arterial para evitar que você progrida para uma insuficiência cardíaca.

      Responder
  36. ola, Dr. tenho um filho de 22 NOS QUE TEM INSUFICIÊNCIA CARDIACA o medico receitou remedio  para hipertensão, mas estou um pouco preocupada, essa doença é progresssiva:

    Responder