Palpitação no Coração: Taquicardia e Arritmias Cardíacas

Atualizado em
Comentários: 120

O que é palpitação?

Palpitação é o nome que se dá à percepção dos próprios batimentos cardíacos, normalmente com desconforto e sensação de que estes batimentos estão irregulares.

Na maioria dos casos, a palpitação é um quadro benigno e de curta duração, que se resolve sozinho. Porém, se a palpitação for frequente ou prolongada, isso pode ser sinal de doença do coração ou efeito colateral de algum medicamento.

O nosso coração, quando estamos em repouso, realiza entre 60 e 100 batimentos por minuto. São, portanto, em média, 4.800 batimentos por hora e 115.200 batimentos por dia.

Exceto nos momentos em que estamos nos exercitamos, não é habitual sentirmos os nossos batimentos cardíacos. Na verdade, nem nos damos conta que temos uma bomba funcionando ininterruptamente dentro do nosso peito, colocando o sangue para circular.

Nota: algumas pessoas, quando estão deitadas com o lado esquerdo para baixo e em um ambiente calmo e silencioso, podem sentir os batimentos cardíacos normais sem que isso possa ser chamado de palpitação.

A palpitação é, portanto, uma anormal consciência do batimento do coração quando estamos em repouso. Normalmente, o paciente se queixa de que o coração está acelerado, que sente os batimentos na garganta, ou ainda, que o coração parece que vai sair pela boca. Essa sensação costuma estar associada a mal-estar, cansaço aos pequenos esforços, falta de ar, e, às vezes, dor no peito. Se a palpitação ocorrer por uma arritmia, é possível até ocorrer desmaios e quedas da própria altura (leia: Desmaio, Síncope e Reflexo Vagal).

Como foi descrito acima, a frequência cardíaca normal varia entre 60 e 100 batimentos por minutos (bpm). Quando o coração está com mais de 100 bpm chamamos de taquicardia. Quando está abaixo dos 60 bpm, chamamos de bradicardia. As palpitações estão associadas normalmente às taquicardias.

As taquicardias são dividas entre taquicardias sinusais e taquiarritmias. Descreveremos rapidamente como funciona a atividade elétrica do coração para melhor entendermos esses dois tipos de taquicardia.

Informações em vídeo

Antes de seguirmos em frente com as informações do texto, assista a esse curto vídeo sobre palpitações produzido por nossa equipe.

YouTube video

O que são a taquicardia sinusal e a taquiarritmia?

No ápice do átrio direito, na ponta de cima do coração, encontra-se a fonte elétrica cardíaca, chamada de nodo sinoatrial (também chamado de nó sinusal ou nódulo sinusal).

O nodo sinusal é uma espécie de marcapasso natural do coração e produz, em uma frequência regular, descargas elétricas que induzem a contração dos músculos cardíacos. Qualquer batimento cardíaco normal sempre se origina de um impulso elétrico produzido neste nodo; por isso, chamamos o ritmo cardíaco normal de ritmo sinusal.

O caminho normal dessa corrente elétrica segue primeiro para ambos os átrios e depois desce para os ventrículos. Esses impulsos elétricos são gerados a uma frequência média de 80 por minuto, podendo variar entre 60 e 100 bpm.

Condução dos impulsos elétricos cardíacos
Condução dos impulsos elétricos cardíacos

A atividade elétrica gerada pelo nodo sinusal é transmitida para o nodo atrioventricular e posteriormente para todo o músculo cardíaco através do feixe de His e das fibras de Purkinje (veja ilustração acima).

Toda vez que temos uma frequência cardíaca elevada devido a um aumento da frequência destes impulsos gerados no nodo sinusal, estamos diante de uma taquicardia sinusal. É o que ocorre, por exemplo, quando nos exercitamos ou tomamos um susto. É uma resposta normal e esperada do coração. Portanto, a taquicardia sinusal é apenas uma resposta natural do coração ao aumento da demanda de sangue e oxigênio pelos tecidos.

Quando temos impulsos elétricos vindos de outros pontos do coração que não o nodo sinusal, estamos diante de impulsos anômalos, caracterizando uma arritmia cardíaca. Se esses impulsos anômalos forem transmitidos com grande frequência para os ventrículos, levando a uma aceleração dos batimentos cardíacos, o resultado é uma taquiarritmia, ou seja, uma taquicardia causada por uma arritmia. As taquiarritmias podem chegar a 200 batimentos por minuto.


Condução elétrica cardíaca normal
Condução elétrica atrial normal
Arritmia cardíaca
Condução elétrica caótica

Na ilustração acima, podemos ver um ritmo sinusal e um tipo de arritmia cardíaca (neste caso uma fibrilação atrial), no qual vários pontos diferentes do átrio geram impulsos elétricos ao mesmo tempo.

Reparem que nesse exemplo temos uma arritmia sem taquicardia, pois apesar da grande produção de estímulos elétricos nos átrios, poucos são transmitidos para os ventrículos. Portanto, apesar da arritmia, o paciente mantém a frequência cardíaca entre 60 e 100 bpm.

Fechando os conceitos:

  • Taquicardia: coração com frequência acelerada (maior que 100 bpm).
  • Bradicardia: coração com frequência reduzida (menor que 60 bpm).
  • Ritmo sinusal: é o batimento cardíaco normal. O coração em ritmo sinusal pode estar acelerado (taquicardia sinusal) ou lentificado (bradicardia sinusal).
  • Arritmia: ritmo cardíaco anômalo, não gerado pelo nodo sinusal. Existem taquiarritmias, bradiarritmias ou até arritmias com frequência normal (entre 60 e 100 bpm).

Causas

Diante de um quadro de palpitação, a primeira coisa a se fazer é tentar definir se há uma arritmia ou apenas uma taquicardia sinusal.

Taquicardias sinusais

Entre as causas comuns de palpitações provocadas por taquicardias sinusais podemos citar:

Algumas das causas descritas acima também podem causar arritmias, além da taquicardia sinusal.

Arritmias

Entre as principais causas de arritmias cardíacas, podem citar:

  • Doenças cardíacas: condições como doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, cardiomiopatias, doenças das válvulas cardíacas e infarto do miocárdio.
  • Problemas elétricos no coração: defeitos congênitos ou anormalidades no sistema de condução elétrica do coração.
  • Desequilíbrio eletrolítico: níveis anormais de eletrólitos, como potássio, magnésio e cálcio no sangue podem afetar o ritmo cardíaco.
  • Distúrbios endócrinos: doenças como hipotireoidismo ou hipertireoidismo podem alterar o funcionamento do coração e causar arritmias.
  • Uso de substâncias: consumo excessivo de álcool, cafeína, nicotina ou drogas ilícitas pode provocar arritmias.
  • Medicamentos: alguns medicamentos, como certos antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos ou descongestionantes nasais, podem causar arritmias como efeito colateral.
  • Estresse e ansiedade: situações estressantes ou emocionalmente intensas podem levar a arritmias temporárias em algumas pessoas.
  • Apneia do sono: a interrupção temporária da respiração durante o sono pode causar alterações na pressão arterial e no ritmo cardíaco.

Como saber se tenho uma arritmia?

O diagnóstico das arritmias pode ser feito através do exame físico ou pelo eletrocardiograma (ECG).

Se você sente palpitações, é importante colocar o dedo no próprio pulso e avaliar dois dados:

1. Ritmo cardíaco

O coração normal bate de modo regular, com intervalos de tempo iguais entre os batimentos. Se notar um ritmo irregular, é provável se tratar de uma arritmia cardíaca. Atenção, porém, que nem toda arritmia se manifesta com um ritmo cardíaco irregular.

Se o coração estiver com ritmo regular, você sentirá o pulso assim:
“Tum…..tum…..tum…..tum…..tum…..tum…..tum…..tum…..tum…..tum….tum”.

Se o coração estiver com ritmo irregular, os batimentos sem comporta de forma imprevisível, e o pulso se encontra mais ou menos assim:
“Tum…..tum………tum..tum.tum……..tum…tum………tum……tum…..tum.tum”.

2. Frequência cardíaca

Frequências maiores que 150 batimentos em repouso e na ausência de febre são quase sempre indicativas de arritmias, mesmo se houver um ritmo cardíaco regular. Em idosos, frequências maiores que 130 bpm já sugerem arritmias.

Existem vários tipos de arritmias, mas as mais comuns são a fibrilação atrial e a taquicardia supraventricular. A primeira é mais comum em idosos e a segunda em jovens.

A distinção entre taquicardia sinusal e taquiarritmias é feita através do eletrocardiograma. O grande problema é que grande parte das palpitações são intermitentes e, no momento do ECG, elas podem já não estar mais presentes.

Uma opção, então, é o Holter, que nada mais é do que uma máquina que registra o ECG durante 24 horas. Desse modo, consegue-se detectar qualquer arritmia que se manifeste nesse período. Ainda assim, existe o risco de não haver episódios de arritmias durante o período do exame, não sendo possível estabelecer o diagnóstico.

E eletrocardiograma também ajuda a identificar o tipo de arritmia, pois cada uma apresenta um traçado eletrocardiográfico distinto.

A importância de se determinar a causa das palpitações está no fato de que, apesar deste sintoma ser benigno na grande maioria dos casos, existem algumas alterações cardíacas que podem provocar arritmias graves com risco de morte.

Existem quatro fatores na história clínica dos pacientes que apontam para arritmia cardíaca:

  • Ser do sexo masculino.
  • Descrição pelo paciente de batimentos irregulares.
  • História prévia de doença cardíaca, como insuficiência cardíaca ou infarto.
  • Duração da palpitação maior que 5 minutos.

Se você tem palpitações mas não apresenta nenhum dos fatores acima, a chance dos seus sintomas terem origem em problemas cardíacos é muito pequena. Se tem os 4, é quase certo que tenha alguma arritmia cardíaca.

Devemos salientar que mesmo aqueles que têm palpitações por arritmias cardíacas apresentam prognóstico favorável na maioria dos casos. Palpitações causadas por arritmias malignas são a minoria, mas como são muito graves, devem sempre ser investigadas.

Tratamento

O tratamento das palpitações depende da causa. Por exemplo, se a palpitação for causada por uma taquicardia sinusal e sua origem for uma anemia, basta corrigi-la. Se for febre, ela desaparecerá quando a temperatura corporal se normalizar. Se a taquicardia ocorre por distúrbios de ansiedade, o tratamento com ansiolíticos costuma ser eficaz.

Nos casos de arritmias cardíacas, principalmente nos pacientes sem doença cardíaca prévia, o tratamento pode ser a ablação (destruição por cauterização) do foco elétrico anômalo. Em outros casos, pode-se lançar mão de alguns medicamentos para o controle da frequência cardíaca como, entre outros, a amiodarona e os beta-bloqueadores.

Em casos de taquiarritmias graves que podem levar à parada cardíaca, chamadas de arritmias malignas, pode ser necessária a colocação cirúrgica de um desfibrilador implantável, um aparelho que detecta estas arritmias e imediatamente lança um choque elétrico no coração, restabelecendo o ritmo cardíaco normal e abortando a parada cardíaca.

Perguntas comuns

Quando se preocupar com as palpitações?

Consulte um médico se você sentir palpitações acompanhadas de dor no peito, falta de ar, desmaios, tontura intensa ou se os sintomas forem frequentes e persistentes. Também é importante procurar ajuda médica se você tiver um histórico de doença cardíaca ou se os sintomas começarem de repente e demorarem a passar.

Quais são os sintomas comuns de palpitações?

Os sintomas mais comuns da palpitação incluem a sensação de batimentos acelerados, pausas, batimentos extras ou ritmo irregular. Se a palpitação for causada por uma arritmia, os sintomas de alarme descritos acima também podem estar presentes.

O que fazer para melhorar a palpitação que aparece com frequência?

Toda palpitação frequente deve ser investigada por um cardiologista. Porém, algumas medidas podem ajudar: parar de fumar, reduzir o consumo de cafeína, dormir pelo menos 8 horas por noite, perder peso (se for obeso), evitar descongestionantes nasais, evitar drogas ilícitas ou medicamentos com anfetaminas, reduzir o consumo de álcool e tentar reduzir o estresse no trabalho e na vida social.

Quais são as arritmias cardíacas mais comuns?

• Fibrilação atrial: é uma arritmia caracterizada pela contração irregular e geralmente rápida dos átrios do coração.
• Flutter atrial: semelhante à fibrilação atrial, mas a contração dos átrios é mais organizada e menos caótica.
• Taquicardia supraventricular: é um termo amplo que inclui várias arritmias que causam batimentos cardíacos rápidos originados nas câmaras superiores do coração (átrios).
• Taquicardia ventricular: é uma arritmia rápida originada nos ventrículos do coração. A taquicardia ventricular pode ser potencialmente perigosa e requer tratamento médico imediato.
• Bloqueio Atrioventricular (BAV): é um tipo de arritmia cardíaca em que há um atraso ou interrupção na condução elétrica entre os átrios e os ventrículos do coração. Provoca bradicardia, em alguns casos grave.

As palpitações e arritmias são sempre perigosas?

Nem sempre. Algumas palpitações e arritmias são inofensivas e não requerem tratamento específico. No entanto, outras podem ser sinais de problemas cardíacos mais sérios ou aumentar o risco de complicações, como acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca. É importante consultar um médico para avaliar a gravidade do problema.

Posso continuar praticando exercícios físicos se tiver palpitações?

Se você tem palpitações frequentes, o ideal e fazer uma avaliação cardiológica antes de continuar realizando atividades físicas, principalmente se forem de grande intensidade.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Sopro cardíaco Sopro cardíaco: o que é, causas e sintomas
Febre reumática Febre Reumática: causas, sintomas e tratamento
Prolapso mitral Prolapso mitral: o que é, sintomas, causas e tratamento
Fibrilação atrial Fibrilação atrial: o que é, causas, tratamento, risco de AVC
Pericardite Pericardite: o que é, causas, sintomas e tratamento
Endocardite Endocardite: o que é, sintomas, tratamento e profilaxia
Miocardite Miocardite: o que é, causas, sintomas e tratamento
Aneurisma aorta Aneurisma da aorta abdominal
Wolff-Parkinson-White O que é a Síndrome de Wolff-Parkinson-White?
Síndrome do coração partido O que é a síndrome do coração partido?
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

120 comentários em “Palpitação no Coração: Taquicardia e Arritmias Cardíacas”

  1. Achei espetacular todas essas informações, esclarecimentos e cuidadosas e preventivas sugestões indicativas do que realmente pode ser caracterizado como doenças cardiovasculares ou não, quando realmente devemos nos preocupar ou não na procura de um medico cardiologista competente como o Dr. Pedro Pinheiro, e mais bacana ainda pela singeleza, simplicidade e riqueza de explicações lapidadas para os leigos e curiosos sobre toda a matéria.
    Muito didático em todos os aspectos, começando pelos assuntos mais simples como as prevenções em geral, reportando-se a alimentação, exercícios físicos, sobre fármacos e drogas de toda espécie e seus efeitos diretos ou colaterais.
    Parabéns por essa riquíssima edição, e mais uma vez pela contribuição prestimosa e generosa do Dr. Pedro Pinheiro

    Responder
    • Isso obviamente não é normal, mas sem outros dados é difícil avaliar. Pode ser reflexo de uma crise de ansiedade, mas o ideal é que você seja avaliada por um cardiologista.

      Responder
    • Se for prolapso sem disfunção da válvula, não costuma ser contraindicado. De qualquer forma, a opinião de um cardiologista seria bom, pois o metilfenidato pode causar aumento da pressão arterial e aceleração dos batimentos cardíacos.

      Responder
  2. Boa tarde, Sr.Dr

    Tenho andado com algumas situações de stress e, o meu coração bate no estômago e no pescoço. O pouco que como parece que comi em excesso, estou sempre agoniada, enjoada. Falta me muitas vezes o ar e o apetite é sempre mt pouco…

    Além de vómitos mesmo sem nada no estômago. Também tenho colesterol alto….será que terei de me preocupar seriamente com esta situação?

    Cumprimentos, obrigada.

    Responder
    • Quase todos os seus sintomas podem ser explicados por um distúrbio de ansiedade. Sugiro que você procure ajuda para tratar a sua ansiedade.

      Responder
  3. Boa noite doutor. Fibrilação atrial e ventricular são problemas diferentes ou são definições diferentes do mesmo bug? Obrigado!

    Responder
  4. Extra-sistoles isoladas não têm significado clínico algum. Se elas ocorrem com frequência e causam sintomas, é preciso ser avaliado por cardiologista.

    Esses seus sintomas são inespecíficos e podem ocorrer até em crises de ansiedade.

    Responder
  5. Um prolapso simples, sem sinais de insuficiência mitral, não traz riscos. Mas isso será avaliado corretamente no pré-operatório.

    Responder
  6. Oi, Dr. Tenho panico , e tem uns dois dias tenyo sentido mita dor no ombro esquerdo e hoje verifiquei e minha pressão estava 16 10 e batimentos 104 , isso e normal no panico ?( ja fui no clinico geral , mais nao marquei o psicologo ainda).

    Responder
    • Pode, sim, ser sinal de algum problema, como, por exemplo, uma anemia. Mas não necessariamente é. O ideal é que você procure um médico para ele poder lhe avaliar.

      Responder
  7. Boa noite Dr. Sou homem muito ansioso, as vezes meu coração fica batendo da seguinte forma tum……tum……tum……tum.tum……tum…..tum……..tum ! depois demora um pouco e acontece de novo o que pode ser ?? obs: prático esportes ,futebol , corrida ,entre outros. isso me dá um nervoso!

    Responder
    • Parecem extra-sistoles. Não é necessariamente algo de mau, mas o ideal é que um cardiologista avalie essa arritmia.

      Responder
      • Igualzinho ao meu! Ele bate normal de repente da uma aceleradinha, que até parece que vai parar do nada, e volta ao normal. Isso é rápido. Ja acostumei, mas tem dias que dá mais seguido. Tb sou mto ansiosa

        Responder
  8. Boa noite Dr. A algum tempo venho sentindo falta de ar, coração muito acelerado, perda de peso e um cansaço muito grande durante o dia todo, isso pode estar relacionado a algum problema de coração?
    OBS: tenho 21 anos

    Responder
  9. Dr. Bom dia! Percebo que após tomar bebida alcóolica tenho tido aceleração no meu coração, principalmente ao deitar, isto me incomoda, acha que devo fazer um eletro

    Responder
  10. Ando sentindo muitas dores no peito, só que fiz um exame o ECG e deu normal apenas com taquicardia sinusal não intendi :(
    Porém todos os ECG que fiz deram normais.
    Sera que mesmo assim corro risco de algo?

    Responder
  11. Uma pessoa hipertensa, ( com ECG, exames de sangue e urina e exame de esforço OK’s) que tem a pressão controlada por exercícios físicos, dieta e remédios ( diuréticos e betabloqueadores) é normal que,somente ao se deitar,sinta palpitações sem alteração do ritmo cardíaco?

    Responder
  12. dtr. fiz uns exames de sangue e no exame deu que estou com a anemia muito forte, anoite eu acordo co meu coraçao muito acelerado, tem alguma coisa haver com essa anemia estar muito forte?? desde ja agradeço!

    Responder
  13. Dr,tenho 17 anos e tenho observado que quando estou em posição de repouso,meus batimentos estão normais, porém quando me levanto ou saiu do repouso meu coração acelara bastante,sou ansioso,queria saber se é arritmia ou taquicardia,ou até mesmo ansiedade?

    Responder
  14. Oi Dr. Meu namorado senti o coração dele acelerado do nada sem fazer nada, ele fica com falta de ar e senti muita dores na costa o que pode ser mim ajude

    Responder
  15. Olá Dr, gostaria de saber se é normal meu coração oscilar tanto, ele já chegou a bater a 132 bpm, mas também já chegou a 52, fiz eletro e não apresentou nada. Ultimamente ele bate sempre acima de 100, as vezes mesmo estando em repouso. Ele oscila muito e eu não entendo.

    Responder
    • Às vezes, só o eletrocardiograma não basta, é preciso fazer um holter para ter uma melhor ideia do que está ocorrendo.

      Responder
  16. Dr. Sou muito ansiosa, procuro me controlar ao máximo, mas quando vejo que estou entrando em uma crise forte de ansiedade, logo tomo 2,5 mg de alprazolam, isto faz com que eu melhore instantaneamente, já faço este ritual a hum ano, mas tenho tido crises de taquicardia, 135 bpm e tontura, pode ser por causa do remédio ou problema cardíaco.,Tks

    Responder
    • Pode ser só da ansiedade, mas sem fazer um eletrocardiograma ou ser vista por um cardiologista é impossível descartar outras causas.

      Responder
  17. Dr. Pedro, vc está de parabéns com seu site. É sempre muito informativo e instrutivo. Estou tendo arritmias… vou procurar um cardio, mas quero parabenizar o seu empenho no site. Um abraço! Sandra

    Responder
  18. Ola Dr. esta noite, acordei com meus batimentos completamente fora do normal, irregulares e com muitas palpitações, já pela manhã fui medir minha pressão arterial e a mesma apontou come sendo de 153 x 710, tenho 50 anos e faz 2 meses que parei com meus treinamentos de corrida e musculação, por motivo de lesão muscular, não sinto tontura nem cansaço, o que devo fazer?

    Responder
  19. Dr meu diagnostico apresentou taquicardia sensual
    isso quer dizer que eu possa ter algum tipo de problema cardíaco grave futuramente ?

    abraços!

    Responder
  20. ola eu umas cinco vezes acordo com o coração acelerado mais minha respiração é normal ja fiz um eco um eletro a unica coisa que a cusou foi arretimia eu não sei mais o que fazer pois isso me assusta muito
    geralmente osa medicos dizem que não tenho nada que é pisicologico

    Responder
  21. Bom dia,

    Quando vou corre, na hora que eu paro sinto meu coração bem acelerado, falta de ar e tontura, quando isso acontece tenho que sentar isso é normal?

    Abs

    Responder
  22. DR. Tenho 13 anos e estou com o coração batendo desesperado e fico com o corpo tremendo o que pode estar acontecendo comigo

    Responder
  23. Antes de mais, o meu oi a todos. Vejo aqui muitos comentários de pessoas com sintomas que se referem a Ansiedade. Sem me querer passar por médica, há dois tipos de Ansiedade: A normal, aquela que toda a gente sente de vez em quando na vida em situações de stresse; e o Transtorno de Ansiedade Generalizada ( TAG ) que é o estado de ansiedade por mais de 6 meses. Comporta sintomas tais que: Palpitações, taquicardia ( não quer dizer que seja um problema cardíaco mas mais uma defesa do corpo em situação de stress ), dores musculares ( musculos tensos, etc ), cansaço, insónias, nauseas, vómitos, problemas gastricos, sentimento de medo, de irrealidade ( pode sentir como se estivesse a sonhar ), ausência de sentimentos ( sim, pode não sentir nada perante tal ou outra situação. Racionalmente, sabe que devia preocupar-se, mas emocionalmente não sente nada ), medo incontrolavel de morrer ou de ver familiares e/ou amigos morrerem.

    São apenas alguns dos sintomas. Como alguém atingida pela TAG, esses são os sintomas que mais sinto. É algo horrível, há dias melhores e outros piores. Nos melhores, sinto-me parva por me sentir tão mal. E nos piores, volto ao mesmo… É uma doença psicológica que se transmite em sintomas fisicos. Procurem ajuda, pois tem cura :)

    Peço desculpa por ter inserido este texto neste tema e peço desde já desculpa ao Dr, mas apenas quero ajudar. O meu obrigado desde já pela atenção e espero ter esclarecido e/ou ajudado alguém :)

    De uma portuguesa ansiosa.

    Responder
    • Bom dia, tanuxka
      Muito obrigada pelas suas palavras. Você descreveu meus sintomas e meu comportamento. Um médico me receitou um antidepressivo, mas depois de ler a bula(com todas as reações adversas) e de tomar duas doses, resolvi procurar ajuda na medicina alternativa. Bjus,adory

      Responder
  24. Doutor, ultimamente tenho estudado muito para um concurso, então resolvi tomar RITALINA para ajudar na concentração. Pra ajudar a não dormir tomo muito café, não alimento na hora certa e fumo bastante…enfim, há uns 4 dias comecei tomar a ritalina e ontem me senti mal no serviço: vistas escurecendo, sensação de que iria desmaiar, coração acelerado…fui ao hospital, o médico constatou que o pulso tava a mil, porém a pressão tava normal, nao tinha febre, só a glicose tava um pouco baixa (89)…tomei soro e um remédio para acalmar e hj estou normal. Será que foi a junçao de td isso que provocou a taquicardia? Ou será efeito colateral da ritalina? De qualquer modo, suspendi o uso da ritaalina, mas meu medo é que esses sintomas voltem novamente. Se no caso o motivo foi a ritalina, é possível que mesmo nao usando mais ele deixe sequelas, fazendo esses sintomas voltarem?

    Responder
    • A Ritalina é uma droga semelhante às anfetaminas e pode provocar uma enormidade de efeitos colaterais, incluindo palpitações e arritmias cardíacas. Você está fazendo tudo errado: estresse, fumar, não dormir bem, tomar drogas sem indicação … O rendimento do seu estudo com certeza está muito abaixo do ideal. Você está fazendo de tudo para o seu cérebro não conseguir captar adequadamente as informações do estudo.

      Responder
  25. Tenho pvm e gostaria de saber se existe cura definitiva,pois me incomoda muito.Sinto dores no peito,palpitções,tonturas.Por favor me responda.Obrigada!

    Responder
  26. prezados

    Boa noite

    A minha esposa acabou de efetuar um processo de ablação para combater a ritimia cardiaca. Mas continua se queixando que o problema perciste isso e normal. todo processo aconteceu a um mês atráz.

    Responder
  27. Drs: sou portadora de marcapasso, antes fiz dois cateterismos, sendo 1 ablação, após uns 4 dias, tive problemas no sistema elétrico do coração e acabei no marcapasso.Sou diabetica, 67 anos, tenho bom acompanhamento médico, mas sempre tenho uma dúvida: mesmo com o aparelho, posso sofrer um infarto?

    Responder
  28. Ola Doutor…

    é normal o coração desparar toda vez que se levanta da cama, ou mesmo depois de ficar um curto período sentada.

    Responder
    • Acho que vc quer dizer Holter. É um aparelhinho de eletrocardiograma que fica conectado a você durante um dia. É simples e não incomoda.

      Responder
  29. Boa Noite. Pulso rápido e fraco durante um dia todo, dores em todo o corpo depois de uma noite agitada sem dormir em que a pessoa passou por um grande descarga de estresse e medo é normal ou é sinal para procurar um cardiologista?

    Responder
      • li sua materia sobre arritimia cardiaca , tirou muitas duvidas que as vezes me tira o sono ….. obrigado agora sei que minhas arretimias ocorrem devida a sindrome do panico que tenho .

        Responder
  30. Tomo suco de laranja natural e bato junto um pedaço de noni passo na peneira e tomo. Quero saber se essa prática pode alterar os batimentos cardiácos. Recentemente faço parte do gupo dos hipertensos e por esse e outros motivos comecei a fazer o uso do noni e persebo que alterou o meu batimento cardiáco. Pode ser o uso do famoso suco?
    odemarmachado@gemail.com

    Responder
    • O noni não é autorizado pela ANVISA para ser usado para nenhum tipo de tratamento. Não estudos científicos que comprovem sua eficácia ou segurança. Não aconselho que vc continue a tomar noni.

      Responder
  31. ola Dr. Pedro! gostei bastante da forma que vc expõe cada problema,e as explicações a respeito de cada um.Tudo isso tem me ajudado bastante.Gostaria te pedir para vc explicar dessa maneira tão susinta como interpretar um ECG,tenho bastante dificuldade em fazê-lo.Agradeço.

    Responder
    • É difícil explicar ECG para leigos, pois há inclusive muitos médicos que não sabem interpretá-lo. Não é um exame simples. Vou pensar um pouco aqui e ver o que sai.

      Responder
  32. Nossa como gostei destas explicações, foram de modo bem simples e esclarecedora, gostei muito. Agradeço ao Dr. Pedro Pinheiro pelo artigo, ele fala de uma maneira que qualquer pessoa entenda. Amei, continue explicando assim Dr. Pedro, pois tirará dúvidas de muitas pessoa desesperadas com o resultado de exames cardiológicos.

    Responder
  33. Dr, Algumas vezes quando sinto que estou com excesso de gases no organismo e fico em posições, do tipo “deitado sobre o lado esquer do corpo, ou sentado pressionando a barriga para baixo,sinto pequenas sensações de arritmia. A pergunta é se os gases podem fazer algum tipo de pressão no coração e provocar batimento irregular no coração?
    Obriado e parabéns pelo artigo.
    Lione 

    Responder
  34. Dr, Parabéns pelas explicações, acho que sentimos muito a falta de pessoas assim que se dispõe a estar informando com claresa seus pacientes..Um abraço.

    Responder
  35. Gostei Dr, muito clara as explicações, iso mostra que é um profissional responsavel, Parabens !! tenha senpre essa disposição, são pessoas assim que realmente são felizes! !  Um grande Abraço!

    Responder
  36. ola, tenho 35 anos e tomo atenol 25 pra pressao e para diminuir a frequencia cardiaca,mas em media a cada vinte batidas uma acontece num intervalo maior e uma batida bem mais forte q eu sinto no peito,isso é uma arritmia ou é normal. 

    Responder