PROLAPSO MITRAL – Sintomas, causas e tratamento

Introdução

O prolapso da válvula mitral (PVM) é um defeito congênito do coração, ou seja, um defeito que surge quando a válvula mitral do coração está sendo formada ainda no útero.

Na maioria dos casos, essa lesão não provoca sintomas nem complicações a longo prazo.

Coração normal

Conhecer a anatomia das válvulas cardíacas é essencial para entender o prolapso mitral.

O coração possui quatro câmaras: dois átrios e dois ventrículos. O coração também possui quatro válvulas ou valvas: válvula aórtica, válvula mitral, válvula tricúspide e válvula pulmonar. As válvulas são estruturas localizadas na saída de cada uma das quatro câmaras cardíacas e impedem que o sangue bombeado retorne para a câmara que o expulsou. As válvulas agem como comportas.

A válvula mitral, objeto de explicação deste texto, fica localizada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo.

Quando o átrio esquerdo se contrai, a válvula mitral se abre, permitindo a passagem do sangue para o ventrículo esquerdo. Quando este está repleto de sangue, é sua vez de contrair, empurrando o sangue em direção à artéria aorta. Neste momento, a válvula mitral se fecha, impedindo que o sangue volte para o átrio esquerdo. Deste modo, o sangue segue sempre em uma direção apenas.

Prolapso válvula mitral

A válvula mitral é composta por dois folhetos. Estes folhetos se abrem como aquelas portas de saloon em filmes de Velho Oeste. Quando o sangue termina de passar, se fecham, encostando firmemente um folheto no outro, vedando completamente a passagem.

– Quando há algum problema no fechamento de uma das válvulas, permitindo retorno de sangue para uma das câmaras, chamamos de regurgitação ou insuficiência. No caso de um problema no fechamento da válvula mitral, damos o nome de regurgitação mitral.

– Quando o problema é uma deficiente abertura da válvula, não permitindo a livre passagem de sangue, chamamos de estenose. Portanto, se a válvula mitral estiver calcificada e já não conseguir se abrir totalmente, estamos diante de uma estenose mitral.

O que é o prolapso da válvula mitral (PVM)?

O prolapso mitral é um defeito congênito no tamanho dos folhetos, fazendo com que a válvula não consiga se fechar corretamente. Um folheto empurra o outro, fazendo a válvula assumir a forma de um paraquedas, causando o prolapso da mesma em direção ao átrio esquerdo.

O prolapso da válvula mitral é uma das causas de regurgitação mitral, pois os folhetos se empurram e não vedam completamente a passagem de sangue.

Até há pouco tempo achava-se que o prolapso mitral era uma alteração muito comum, que acometia de 5% a 10% da população. Com o desenvolvimento de ecocardiogramas mais modernos, notou-se que boa parte das pessoas que recebiam o diagnóstico de prolapso mitral, na verdade não o tinham, mas sim discretas alterações na anatomia normal da válvula mitral, que não chegam a causar um prolapso. Estima-se que a prevalência correta do PVM esteja abaixo de 2,5% de população.

Classificação

  • O prolapso mitral é considerado primário quando não está associado a nenhuma outra doença. Surge sem motivo algum.
  • É chamado familiar quando associado a alterações cromossomais que passam de pais para filhos. Quando mais um membro na família apresenta este defeito.
  • É dito secundário quando está associado a outras doenças, como síndrome de Marfan, Síndrome de Ehlers-Danlos, osteogenesis imperfecta ou doença renal policística.

Sintomas

Nem todo mundo com prolapso mitral apresenta sintomas. Na verdade, boa parte das pessoas com PVM são assintomáticas. Quando ocorrem sintomas, estes normalmente são:

A presença de um ou mais destes sinais e sintomas, associados a um sopro cardíaco, indica a síndrome do prolapso da válvula mitral. Portanto, nem todo mundo com prolapso mitral tem a síndrome do prolapso mitral. Para se ter a síndrome é preciso ter o defeito na válvula e apresentar sintomas e sopro (leia: SOPRO NO CORAÇÃO).

Apesar de ser uma alteração benigna na maioria dos casos, até 10% dos pacientes com prolapso de válvula mitral vão apresentar piora progressiva da lesão, vindo a precisar de cirurgia de troca valvar no futuro. Quanto maior for o prolapso, maior o risco de evolução para um quadro de regurgitação mitral grave.

Outras duas complicações possíveis, mas pouco comuns, do prolapso mitral são a endocardite infecciosa (infecção as válvula) e arritmias cardíacas.

O diagnóstico do prolapso mitral é confirmado facilmente pelo ecocardiograma.

Tratamento

Mudanças no estilo de vida, como praticar exercícios aeróbicos, cortar cafeína, reduzir o consumo de álcool e levar uma vida menos estressante, melhoram muito os sintomas da síndrome do prolapso mitral. Pacientes com palpitações frequentes podem se beneficiar do uso de um betabloqueador (medicamento que controla os batimentos cardíacos).

Pessoas com prolapso mitral têm maior risco de desenvolverem crises de pânico e ansiedade, devendo, nestes casos, serem encaminhadas à consulta com psiquiatra, para controle adequado dos sintomas.

A princípio, não há limitações dietéticas (exceto as descritas acima) nem restrições à prática de atividade física para pessoas com prolapso mitral. Porém, uma consulta com um cardiologista é essencial para se ter certeza de que o prolapso não está causando nenhuma regurgitação relevante.

Prolapso mitral e endocardite

Segundo o mais atual guideline da sociedade americana de cardiologia (American Heart Association), ao contrário do que ocorre em pacientes com outras doenças das válvulas do coração, não há indicação de profilaxia (uso de antibióticos preventivamente) para endocardite em pacientes com prolapso mitral que irão se submeter a procedimentos dentários.

Mulheres com prolapso mitral, sem insuficiência mitral importante, não apresentam problemas quando engravidam.


Referências


RELACIONADOS

Regras para Comentários

Antes de comentar, clique no link a seguir para ler as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.
Perguntas fora das regras serão descartadas.

Deixe um comentário

120 comentários em “PROLAPSO MITRAL – Sintomas, causas e tratamento”

  1. Doutor, fui no cardiologista, fiz um eco e constou que eu tenho prolapso, médico disse que é normal, porém estou sentindo pontadas do lado esquerdo do peito, como se fosse pequenas fisgadas ou choques, isso pode ser consequências do prolapso? Comecei a sentir isso de uns tempos para cá, mas o médico não me falou se é referente ao problema.

    Responder
  2. Doutor, no exame está escrito “prolapso mitral mínimo”. Antes, nos exames dava moderado.
    Pode acontecer de meu prolapso/sopro sumir?

    Tenho sopro desde bem novinha, não sei se é de nascença.Tenho 23 anos hoje

    Responder
    • Isso depende do médico que fez o exame. É uma questão de interpretação da imagem que foi vista.

      Responder
  3. Dr., tenho prolapso da válvula mitral discreto, sem refluxo. Tenho um dente para restaurar, preciso tomar antibióticos antes???

    Responder
  4. bom dia ,queria saber se quem tem sopro leve pode fazer musculação,como levantamento de peso,agachamento exercicios que exige um pouco mais de esforço fisico?

    Responder
    • Não há um exame único que sirva para todas as causas. A primeira coisa a fazer é descobrir a origem do trombo. Para isso, o doppler dos membros inferiores costuma ser o mais indicado, pois é lá que surgem a maioria das tromboses que viram embolia pulmonar. Uma vez descoberto o local do trombo, a investigação da sua origem é bem mais complexa.

      Responder
  5. Minha esposa fez uma cirurgia de sopro no coração quando adolescente. Se ela engravidar hoje aos 25 anos ela poderá ter parto normal?

    Responder
    • A palpitação em si não mata. Mas algumas arritmias cardíacas perigosas podem ter a palpitação como sintoma.

      Responder
    • Como assim aplicação? Se você se refere ao risco de endocardite, não há indicação de profilaxia com antibióticos antes de procedimentos odontológicos.

      Responder
  6. o PVM pode
    se agravar ao longo dos anos e precisar uma cirurgia…vi que quem e portador tem maior chance de ter AVC e verdade?

    Responder
  7. Minha mãe tem 78 anos, tem insuficiência cardíaca e usa marcapasso há 5 anos. Toma carvedilol, amiodarona, aldactone, sinvastatina e aas diariamente. Não obstante isso, tem falta de ar direto, com crises no qual tenho que procurar o PS para oxigênio (dispneia). Após varios exames, o médico concluiu que não há mais nada a fazer. Pergunto: não há nada mais? Ela vai conviver com isso até … Pode me auxiliar?

    Responder
  8. ola doutor,quem tem prolapso pode fazer musculaçao pesada ou se submeter a uma cirurgia de protese de silicone?

    Responder
  9. ola doutor acho muito legal que vc esteja ajudando a todos que tem esse poblema a entender melhor, e deixando a todos mais tranquilos, eu tenho 19 anos e decobri que tenho prolapso no folheto posterior na valvula mitral, e um leve escape mitral. bem fiz o holter e deu 450 extra sistoles supra- ventriculares fiquei encucado com isso um tempo mais agora estou tranquilo, gostaria de saber se arritmias supra-ventriculares podem levar a parada cardiaca, e o que singnifica distubio de condução intra ventricular que apareceu no meu eletro. agradeço desde ja e sucesso com sua carreira

    Responder
    • Há arritmias supraventriculares que são potencialmente graves, como a taquicardia supraventricular. Distúrbio de condução intra-ventricular é um termo apenas descritivo. Ele diz que a condução elétrica pelo ventrículo está alterada, mas não diz qual é a causa.

      Responder
    • Pode, assim como qualquer pessoa pode infartar. Se a sua dúvida é se o prolapso aumenta o risco de infarto, a resposta é não.

      Responder
  10. Olá dr. No meu DIAGNÓSTICO deu prolapso dos folhetos da valva mitral sem disfunção. Gostaria de saber o quê significa?, se tem algum tipo de tratamento? grato.

    Responder