ACICLOVIR – Pomada e comprimidos para herpes

O que é o aciclovir?

O aciclovir é um fármaco que pertence a classe dos antivirais, sendo indicada no tratamento de infecções por vírus, principalmente os da família do vírus da herpes, conhecida como Herpesviridae.

O aciclovir, cujo nome comercial mais famoso é Zovirax, é um medicamento que pode ser administrado por via oral, intravenosa ou tópica (creme ou pomada para aplicação na pele e mucosas).

Atenção: este texto não pretende ser uma bula do aciclovir. Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações sobre o medicamento.

Para que serve o aciclovir?

Sendo um medicamento antiviral, o aciclovir é indicado para o tratamento de infecções por vírus. Entretanto, cabe ressalvar que o aciclovir não serve para qualquer virose. Em geral, cada classe de antiviral costuma ser eficaz contra um grupo específico de vírus. O Zovirax, por exemplo, não está indicado para tratar viroses como gripe, resfriado, sarampo, hepatite ou HIV.

O aciclovir é uma antiviral com excelente ação contra os vírus da família do herpesvirus, que é composta pelos seguintes vírus e suas respectivas doenças:

Na prática, o aciclovir é usado somente no tratamento da catapora, do herpes zoster e dos herpes genital e labial. Nos casos das outras viroses pela família Herpesviridae não se costuma indicar o uso do Zovirax, seja porque há antivirais melhores no mercado para essas infecções, ou porque o tratamento com antivirais não é necessário, devido ao curso limitado e benigno da infecção.

É importante destacar que o aciclovir não cura as viroses. Ele simplesmente reduz o tempo de doença e impede a ocorrência de complicações. Esse antiviral é indicado para tratar as infecções agudas, mas ele não é capaz de eliminar o vírus do corpo de forma definitiva. Não ache que o Zovirax será capaz de curar a sua herpes genital ou labial.

Nomes comerciais e apresentações

Há no mercado comprimidos de aciclovir de 200 mg, 400 mg e 800 mg. Há também a forma em xarope, com apresentação de 200 mg/5 ml.

Para aplicação tópica em pele e mucosas, existe a forma de creme ou pomada a 5%. Para as infecções oculares, há a forma oftálmica.

O aciclovir, no Brasil e em Portugal, pode ser encontrado sob a forma genérica. Além de Zovirax, os outros nomes comerciais são:

  • Aciclomed.
  • Aviral.
  • Cicloviral.
  • Ezopen.
  • Ziclovir.
  • Zov.

Posologia

Catapora (varicela)

O aciclovir não costuma ser indicado no tratamento de crianças saudáveis com catapora. Neste grupo, a varicela costuma ser uma infecção benigna e de curta duração, não havendo necessidade de expor a criança a potencias efeitos colaterais do aciclovir.

Nos adultos, porém, a taxa de complicação da varicela é maior e o uso de aciclovir está indicado. Porém, a droga precisa ser iniciada dentro das primeiras 24 horas de doença, senão sua eficácia é bem menor. Quando inciado a tempo, o Zovirax reduz o tempo de doença, o números de lesões na pele e a ocorrência de complicações.

A posologia nestes casos costuma ser: 800 mg, 4 vezes por dia por via oral, por 5 dias.

O aciclovir também está indicado para todos os pacientes imunossuprimidos com catapora. Neste grupo, a droga é efetiva mesmo se iniciada após as primeiras 24 horas e deve ser administrada por via intravenosa por pelo menos 7 dias.

Pacientes com complicações pela varicela, como encefalite, hepatite ou pneumonia devem ser tratados com a forma intravenosa.

Herpes genital

Nos casos de herpes genital, o aciclovir pode ser usado na infecção primária (primeira vez que o paciente apresenta sintomas), nas infecções recorrentes e para tratamento supressivo.

Na infecção primária, quando o paciente descobre que tem herpes genital pela primeira vez, o quadro costuma ser bastante intenso e o início do aciclovir nas primeiras 72 horas diminui o tempo e a severidade da doença.

A posologia nestes casos costuma ser: 200 mg, 5 vezes por dia por via oral (ou 400 mg, 3 vezes por dia), por 7 a 10 dias. Nos casos mais graves, o tratamento pode ser feito por via intravenosa nos primeiros 2 ou 3 dias, sendo posteriormente trocado para via oral até completar 10 dias.

Nos episódios recorrentes, apesar do quadro ser mais brando que na infecção primária, as lesões ainda podem ser bastante incômodas. O início do aciclovir nas primeiras 48 horas proporciona uma redução dos sintomas e do tempo de doença.

A posologia nestes casos costuma ser: 800 mg, 3 vezes por dia por via oral, por 2 dias (ou 800 mg, 3 vezes por dia por 5 dias). O aciclovir pode ser usado todas as vezes que o paciente tiver uma crise.

Quando o paciente apresenta quadros recorrentes com elevada frequência, o chamado tratamento supressivo pode ser indicado para evitar crises repetidas. Nestes casos, a posologia é 400 mg, 2 vezes por dia, por tempo indeterminado (a ser reavaliado periodicamente pelo médico). Nos pacientes com HIV, o tratamento supressivo costuma ser feito com doses maiores: 800 mg, 2 a 3 vezes por dia.

Herpes labial

Assim como nos casos de herpes genital, o início precoce de aciclovir nos casos de infecção primária por herpes labial, ajuda a amenizar os sintomas e a encurtar o tempo de doença. A dose indicada é de 400 mg, 3 vezes por dia por via oral, por 7 a 10 dias.

Nos casos de herpes labial recorrente, o tratamento pode ser feito por via oral ou por via tópica. O tratamento com pomadas ou cremes deve ser aplicado na ferida 5 vezes por dia, por 4 dias. Sua eficácia, porém, é muito limitada, principalmente se não for iniciada bem precocemente.

O tratamento por via oral é mais efetivo que o tratamento tópico, sendo a posologia indicada de 200 mg a 400 mg, 5 vezes por dia, por 5 dias.

Quando o paciente apresenta quadros recorrentes de herpes labial, o tratamento supressivo pode ser indicado. Nestes casos, a posologia é 400 mg, 2 vezes por dia, por tempo indeterminado (a ser reavaliado periodicamente pelo médico).

Herpes zoster

Pacientes com quadro de herpes zoster devem iniciar tratamento com aciclovir nas primeiras 72 horas de sintomas. Em indivíduos sadios, o tratamento pode ser feito por via oral, na posologia de 800 mg, 5 vezes por dia, por 7 dias.

Em pacientes imunossuprimidos ou em casos mais graves, o tratamento deve ser feito por via intravenosa por 7 dias.

Efeitos colaterais

O aciclovir é um medicamento seguro, geralmente bem tolerado pelos pacientes. Todavia, como qualquer droga, ele apresenta um perfil de efeitos colaterais e complicações que precisa ser conhecido.

Entre os efeitos colaterais mais comuns do aciclovir por via oral podemos citar: dor de cabeça, tonturas, mal estar, náuseas, vômitos e diarreia.

Na forma tópica do aciclovir, os efeitos adversos são bem menos frequentes, principalmente nas formulações de 5%. O mais comum é coceira na região da aplicação.

O aciclovir por via intravenosa apresenta mais ou menos o mesmo perfil de efeitos colaterais da via oral, mas também pode causar insuficiência renal e pedras nos rins por deposição de cristais nos túbulos renais. A lesão renal é exclusiva da forma venosa e pode ser evitada se o paciente for bem hidratado antes da administração da droga.

Contraindicações

O Zovirax é contraindicado para todo paciente que já teve alergia ao próprio aciclovir ou ao valaciclovir.

O aciclovir não deve ser usado na gravidez, exceto quando devidamente orientado pelo médico obstetra. Estudos preliminares indicam que a droga é segura para o feto, mas ainda não há estudos suficientes sobre sua segurança para que a droga seja completamente liberada na gestação.

O Zovirax pode ser administrado em mulheres que fazem uso de anticoncepcional hormonal. Não há estudos que comprovem redução do efeito da pílula.

O aciclovir pode ser usado em pacientes com insuficiência renal, mas sua dose deve ser corrigida de acordo com a taxa de filtração glomerular (grau de disfunção renal).

Interações medicamentosas

A principal interação do aciclovir é com a vacina contra a varicela. Para evitar diminuição do efeito da vacina, o aciclovir deve ser suspenso 24 horas antes e só retornado, caso necessário, 14 dias depois da vacinação.

Medicamentos para epilepsia, como ácido valproico e fenitoína têm seus efeitos diminuídos se tomados junto com o aciclovir.

Alimentos não causam interação com o aciclovir.


Referências


RELACIONADOS

Regras para Comentários

Antes de comentar, clique no link a seguir para ler as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.
Perguntas fora das regras serão descartadas.

Deixe um comentário

29 comentários em “ACICLOVIR – Pomada e comprimidos para herpes”

  1. Bom dia, Dr. Pedro Pinheiro, estou com vírus herpes zoster, tem pouco tempo (04 dias), estou usando O aciclovir pomada, e lendo os comentários, o senhor falou que a pomada não serve e sim o comprimido, posso usar os dois..desde já agradeço sua atenção.

    Responder
    • O tratamento do herpes zoster é com comprimidos. Mas não os utilize por conta própria. O uso tem que ser orientado por um médico.

      Responder
    • Não vivo no Brasil, não sei como funcionam as farmácias aí. Imagino que a pomada sim, mas o comprimido é capaz de não.

      Responder
  2. O que deve ser feito para se livrar definiticamente da Herpes Zoster(cobreiro). Só a pomada é sufiente para não aparecer mais no corpo. Obrigado!

    Responder
      • Ok. Obrigado. Como havia explicado para o médico não é frequente, mas la de vez em quando, me sai um cobreiro no braço ou outra parte doo corpo.Até pedi uma receita de anti-viral, mas ele não quis me passar receitou a pomada e se voltasse a aparecer era para passar ela.

        Responder
  3. Dr. Pedro, quando as herpes zoster acaba mas fica a nevralgia, é recomendado continuar com o uso da aciclovir pomada?

    Responder
    • Não, o aciclovir não ajuda em nada da dor. Se a dor persistir, há medicamentos específicos para esse tipo de nevralgia.

      Responder
  4. Doutor, em relação a herpes labial, no caso de recorrência, deve-se usar tanto o creme quanto os comprimidos, ou só um deles bastará? Além disso, o valaciclovir e o fanciclovir são mais potentes que o aciclovir, ou todos eles têm a mesma eficácia?

    Responder
    • Os comprimidos só costumam ser usados quando as recorrências são muito frequentes. A eficácia é igual, mas a posologia e o tempo de tratamento são melhores.

      Responder
  5. Primeiramente agradeço pela riqueza de informações que encontrei na página, fiquei apenas com dúvida em relação a prescrição de Aciclovir pomada, li nos comentários do artigo “HERPES GENITAL | Sintomas e tratamento”, que a pomada não é eficaz no caso de herpes genital, infelizmente logo após uma fase de stress e uso de cefalexina prescrita pelo ortopedista que suspeitou de infecção em uma contusão na minha perna, descobri que tenho herpes logo após manifestar-se uma crise horrível de herpes genital. O ginecologista receitou apenas a pomada antiviral Aciclovir e nada mais. Neste caso a pomada pode auxiliar de alguma forma ou será ineficaz?

    Responder
      • Dr. Minhas crises tem sido recorrentes, e ao contrário do que a literatura diz, essa crise está sendo muito maior do que a primeira, estou aplicando aciclovir creme na região, porém só piorou, apareceram mais feridas e a dor está insuportável, o que faço para diminuir a dor?

        Responder
        • É provável que você precise de antivirais em comprimido. A pomada é muito fraca.

        • No segundo dia já costuma haver algum sinal de melhora.