Urticária: causas, sintomas e tratamento

Atualizado em
Comentários: 50

O que é urticária?

A urticária é uma extensa reação da pele, que pode ocorrer em adultos e crianças, sendo habitualmente desencadeada por infecções, medicamentos, alimentos, calor ou outros estímulos.

Ao contrário do que muitos imaginam, a urticária não é necessariamente uma reação alérgica, apesar de ter características de alergia da pele.

As lesões ocorrem por uma ativação de células do sistema imunológico da pele, chamadas basófilos e mastócitos. Estas células são responsáveis pela liberação de inúmeros mediadores químicos, incluindo a histamina, uma substância que provoca vasodilatação, coceira, inchaço da pele e o temido angioedema (edema das mucosas, como boca, olhos e vias aéreas).

Apesar de estar muito relacionada a um processo alérgico, a liberação de histamina pelos mastócitos pode ser provocada diretamente por um agente infeccioso, como uma bactéria ou vírus. A urticária pode ser um sintoma de uma infecção, como são a tosse, o espirro, a dor de garganta, etc.

Em alguns casos, a urticária pode ocorrer secundariamente a estímulos físicos, como contato com calor, frio, sol, pressão sobre a pele, contato com água, exercício físico, etc. Este tipo de urticária é chamada urticária física, e também não é uma forma de alergia.

A urticária alérgica, por outro lado, ocorre quando um paciente alérgico a certos tipos de alimentos, medicamentos ou substâncias entra em contato com os mesmos. Nestes casos, a urticária é uma das manifestações da reação alérgica.

A urticária é uma dermatose bem comum, cerca de 20% da população apresenta pelo menos um episódio agudo da doença em sua vida. Cerca de 50% dos pacientes com urticária apresentam apenas lesões de pele, 10% apenas angioedema e 40% apresentam lesões de pele e angioedema juntos.

A urticária é chamada aguda, quando dura menos de 6 semanas, ou crônica, quando o processo persiste por mais de 6 semanas.

Causas

As possíveis causas de urticária são numerosas, mas nem sempre conseguimos identificar o agente desencadeador do processo. Nas urticárias agudas, a causa costuma ser de mais fácil identificação. Já os pacientes com urticária crônica, muitas vezes, não se consegue descobrir por que seus mastócitos da pele agem de forma tão agressiva.

Em crianças, mais de 80% dos casos de urticária não são de origem alérgica e ocorrem devido a uma infecção, seja ela viral, bacteriana ou parasitária. Entre as possíveis causas estão a gripe, resfriados, infecção urinária, faringite, mononucleose, infecção por Coxsackievirus, HIV, infecção por micoplasma ou infestação por parasitas, como estrongiloides ou áscaris. A urticária pode surgir em qualquer momento do curso da infecção.

Já as urticárias alérgicas costumam aparecer logo após o contato com a agente causador. O tempo varia entre poucos minutos até 1 ou 2 horas. As principais causas são:

  • Antibióticos, principalmente os da família da penicilina.
  • Aspirina e anti-inflamatórios.
  • Picadas de insetos, principalmente abelhas e vespas.
  • Contato com látex, como usar luvas descartáveis, soprar balões de festa ou usar camisinha.
  • Alimentos, como ovos, leite, frutos do mar, soja, corantes (mesmo os naturais), nozes e amendoim.
  • Contato com substâncias, incluindo plantas, pólen, saliva de animal, tinta, resinas, perfume, detergente…

Em casos mais raros, a urticária pode ser provocada por outras doenças, como:

Sintomas

As lesões de pele da urticária coçam muito, são avermelhadas, têm relevo, possuem tamanho e formas variadas, mas tendem a ser circulares. As lesões podem ter forma de anel, com o centro mais claro e as bordas elevadas e avermelhadas.

A coceira pode ser tão intensa que impede o paciente de dormir. Em alguns casos, as manchas podem ser extensas e se aglutinarem, formando grandes placas por todo o corpo. Quando se pressiona a lesão com o dedo, ela tende a clarear, mas rapidamente assume a cor avermelhada novamente.

Lesões novas vão surgindo ao longo do dia, enquanto as mais antigas vão desaparecendo, criando um padrão transitório e migratório. Cada lesão individualmente costuma desaparecer em no máximo 24 a 36 horas. Às vezes, uma mesma lesão surge de manhã e já foi embora à noite.

O local do corpo mais acometido pode variar ao longo dos dias. Por exemplo, no primeiro dia, o abdômen pode ser o local com mais lesões, no dia seguinte as costas e no terceiro dia os membros. Nos casos mais severos, o paciente pode ter inúmeras lesões por todo o corpo de uma só vez.

A urticária aguda dura poucos dias, em geral de 1 a 5, mas há casos que podem demorar um pouco mais para sumir. Se o quadro persistir por mais de 6 semanas, classificamos a urticária como crônica. Há casos de urticária crônica que duram anos. A urticária aguda pode melhorar, dar a impressão de estar curada e retornar subitamente.

Urticária
Urticária em criança após uso de antibiótico

Para ver mais imagens das lesões da urticária, acesse o artigo: Fotos de urticária.

Complicações

A maioria dos casos de urticária são benignos, mas reações alérgica mais severas podem ocorrer. O grande perigo é o desenvolvimento do angioedema e da anafilaxia.

O angioedema é o inchaço das mucosas e de camadas mais profundas da pele, apresentando-se habitualmente como inchaço dos lábios, olhos, língua, mãos, pés ou genitália. O edema nas vias respiratórias provoca rouquidão e pode obstruir a passagem do ar, causando dificuldades para respirar, constituindo-se uma emergência médica. O angioedema pode levar até 72 horas para desaparecer.

Tratamento

O principal passo na urticária é evitar a exposição ao agente desencadeador da reação. Todavia, nem sempre isso é possível, como nos casos de urticárias provocadas por infecções virais.

Na grande maioria dos casos, a urticária é benigna e desaparece espontaneamente em horas ou dias. O tratamento, portanto, visa o alívio dos sintomas, nomeadamente, a coceira.

O principal remédio para tratar a urticária são os anti-histamínicos, conhecidos popularmente com antialérgicos. Estas drogas inibem a liberação da histamina, agindo diretamente na causa das lesões de pele.

Os anti-histamínicos mais antigos, como hidroxizina e difenidramina provocam sonolência e podem ser úteis quando o paciente tem dificuldade de dormir.

Atualmente, os anti-histamínicos de 2ª geração são os mais usados, pois provocam menos efeitos colaterais e tem duração mais longa, podendo ser tomados apenas uma vez por dia.

Entre os novos anti-histamínicos podemos destacar: loratadina (Claritin®), desloratadina (Clarinex®), fexofenadina (Allegra®), cetirizina (Zyrtec®) e levocetirizina (Zyxen®).

Em casos severos, a dose necessária dos anti-histamínicos de 2ª geração para controlar os sintomas pode ser duas ou três maior que a recomendada na bula. Não se deve usar doses elevadas de anti-histamínicos de primeira geração, pois os mesmos causam muitos efeitos colaterais indesejados.

Se o caso for grave e o paciente não estiver respondendo a elevadas doses de anti-histamínicos, o uso de corticoides, como a prednisona ou prednisolona, pode ser indicado por alguns dias.

Se o paciente tiver sinais de angioedema, ele deve ser atendido em uma emergência médica e medicações por via venosa ou intramuscular podem ser necessárias. Uma injeção de adrenalina pode ser usada para reverter quadros de anafilaxia e obstrução respiratória.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Prednisona Prednisona: para que serve e como tomar (bula simplificada)
Desidrose Disidrose (eczema disidrótico)
Herpes zoster Fotos de herpes zóster (cobreiro)
Dermografismo Dermografismo: causas, fotos, sinais e tratamento
Sarna Sarna humana (escabiose): sintomas e tratamento
Celulite Celulite infecciosa: o que é, sintomas e tratamento
Tínea corporis Impinge (tínea): causas, sintomas e tratamento
Cobreiro Herpes zóster: causas, sintomas e tratamento
Fotos de varicela Fotos de catapora (varicela) – Fases inicial e final
Sarampo Sarampo: sintomas, imagens e vacina
Alergia à comida Alergia Alimentar: causas, sintomas e tratamento
Rash pruriginoso 8 Causas de manchas vermelhas na pele que coçam
Síndrome mão-pé-boca Fotos da doença mão-pé-boca
Urticária no tronco Fotos de urticária (alergia na pele)
Angioedema Angioedema: o que é, causas, sintomas e tratamento
Impetigo Impetigo: causas, sintomas e tratamento
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

50 comentários em “Urticária: causas, sintomas e tratamento”

  1. Que alegria ter encontrado esse artigo! Obrigada! Fiz várias pesquisas e nada parecia ser o que tem minha filha, nenhuma foto correspondia. Agora sim encontrei uma foto idêntica!

    Minha filha de 1a3m está idêntica a primeira foto do artigo, com a barriguinha cheia de calombo. Começou depois de um dia muito quente onde ela dormiu, transpirou muito e quando acordou o pescoço estava coçando muito. Depois disso apareceu um pontinho vermelho na perna, no outro dia no braço, depois nas coxas, costas até chegar na barriga e agora tá com uma no rosto. Até pensei que fosse pernilongo, porém não via os danados. Na casa da minha mãe tem cachorro, já presenciei várias lambidas dos pets nela, será isso? O tratamento incluí antibiótico?

    Responder
  2. Estou com alergia há mais de duas semanas parecidas com picadas de pernilongo, porém na minha casa não tem mosquitos. Gostaria de saber se há alguma possibilidade de ser alergia a gato? Pois surgiram na época em que meus colegas de casa adotaram um gatinho.

    Responder
    • Alergia a gato pode causar rash na pele, mas ela também costuma causar sintomas respiratórios, como espirros, rinite, tosse e olhos lacrimejando.

      Responder
  3. O medicamento dicloridato de hidroxina ajuda no combate a esse tipo de alergia ?? E quanto tempo leva para os sintomas desaparecerem. ??

    Responder
  4. Nossa. Começou ontem tomei uma laratadina e aliviou hoje, mas agora à noite surgiu tudo de novo, no corpo todo e até apareceu herpes labial.
    Obrigado pelo esclarecimento.

    Responder
  5. Obrigada mesmo!! Não sabia oque tinha, fui pesquisar no Google e achei este arquivo que super me informou e descobri que tenho urticária gronica.. já tive quando criança e depois de anos apareceu novamente!! É horrível, não desejo pra ninguém!!

    Responder
  6. Dr Pedro Pinheiro, desejo apenas parabenizá-lo pelo atendimento que o senhor fornece as pessoas por aqui, o senhor eh um bom coração, Jesus fica muito feliz por essa sua doação ao próximo, te desejo luz, amparo espiritual em seus diagnósticos e em sua vida no Bem…(meu nome pode ser no feminino e no masculino, no caso sou senhora)

    Responder
  7. Eu estou tratando a urticária com o medicamento receitado pela médica mas preciso eliminar o ”problema” que no caso são minhas calças leggings (os tecidos). Porém, eu faço faculdade de Educação Física e preciso usar roupas que permitam a flexibilidade, e não faço ideia de qual material colocar no lugar delas. Que tipos de materiais poderiam não ativar essa alergia novamente?
    Grata desde já.

    Responder
    • Enquanto houver sintomas da reação alérgica, os anti-histamínicos devem ser tomados de forma continuada, respeitando, obviamente, o intervalo de tempo entre as doses.

      Responder
  8. boa noite ,eu tomo Levotiroxina sódica 50 mcg. dia 11 de março fui ha 1 churrasco,
    depois disso começaram a aparecer os sintomas da urticaria.nao sei se foi a carne de porco ou a farofa com pimenta. Dr. Pedro o que faço? que tipo de médico procuro? tem algo que posso fazer para,melhorar os sintomas. bom fim de semana

    Responder
  9. Ele esta com infecção urinária e está tomando ibuprofeno e amoxicilina mas ficou com roquidao e hoje apareceu carocinhos vermelhos no corpo todo..

    Responder
  10. Estou com Urticarias já faz 1 mês tomei muito corticoides(por conta própria ), agora fui ao médico ele me passou hixizini, drenison loção,desalex! Existe urticaria emocional ou do estresse?

    Responder
  11. eu estou c alergia muito severa nas mãos e minha face, coça muito depois resseca, fica horrivel , e não consigo tomar antialergico pois me da muito sono.

    Responder
  12. Depois de 2 semanas consegui dormir uma noite, mas ainda tenho coceiras…a pele está sensível, mas os placas não se formam. Tomei corticóide e anti-histamínicos durante este período (além de acupuntura)…tenho medo de parar e voltar tudo…posso continuar tomando anti-histamínicos durante mais alguns dias ou meses?

    Responder
  13. Bom dia Dr. Pedro.
    Apanhei urticária como reação alérgica a um antibiótico (Amoxicilina) e me receitaram um anti-histamínico (Bilastina) para combater. Estou tomando um por dia, em jejum, 1 hora antes de ingerir qualquer outro alimento, como diz nas indicações, já tomei 4 mas parece não melhorar. Pelo contrário… parece que tenho cada vez mais borbulhinhas.
    É normal? Me disseram para tomar 1 comprimido por dia durante 15 dias. Já tomei 4, pensei que pudesse melhorar mas não melhora.

    Responder
  14. Dr. Pedro, já constatei que quando tomo anti-inflamatórios minha urticária ataca muito forte… Estou com um dente inflamado, e não sei o que faço.. Tem algum anti-inflamatório que não ataque a urticária ?

    Responder
  15. Tenho Urticaria Colinergica, ja tomei varios anti histaminicos mais nao da resultado, nen mesmo para coceira.
    antes quando eu tomava ela nao deixava ”agir” conceira.
    sofro com isso a 4 anos ja, ja fui no medico ele so me receita anti histaminicos.
    Falo que nao iria receitar “Corticoides” pq tem muitos efeitos colaterais.

    Responder
  16. Boa tarde fui picada por uma abelha ha três dias e no local da picada apareceu uma mancha vermelha que coça muito e com alto relevo, essa urticária irá desaparecer dentro de alguns dias ou terei que submeter a algum tratamento? Obrigada.

    Responder
  17. Eu venho tenho sintomas da urticária por mais de duas semanas. Me medico com desloratadina e os sintomas desaparecem por um ou dois dias e logo voltam… Tomei um por dia durante 5 dias, mas depois de suspender por dois dias, as manchas e a coceira voltou. O que devo fazer?

    Responder
  18. Hoje, mais uma vez, comprovei: este site é fantástico!
    Parabéns aos seus criadores e mantenedores!!!
    Se existir, na Internet, algum tipo de premiação para sites de alta qualidade, farei minha indicação para o MDSaude. Completíssimo, detalhado ao extremo, fácil de entender…
    BOM DEMAIS!!!
    Amaro Lessa
    Rio de Janeiro – Brasil

    Responder
  19. Minha filha tem urticaria que nao coca. Fica exatamente como as manchas de que coca. Essas manchas so saem com corticoide. Antialergico nao adianta. Gostaria da opiniao de voces.

    Responder
      • Sim. Mas não se descobre. achamos que quando ela usa uma roupa sem ser de algodão dá a alergia, apesar de que algumas vezes dela utilizar e não dá nada. a última urticária dela, ela estava com tosse e antes teve febre. Enfim, pode ser um vírus, a roupa mesmo, não sabemos. Entrei no site para ver se vocês poderiam nos ajudar. Fico no aguardo. Grato pela atenção.

        Responder
        • À distância é difícil avaliar. Se o diagnóstico é difícil, tem que se fazer testes.

  20. Sofro,as vezes com urticaria . meus pés cosam e fica manchados de vermelho,outras vezes e minha boca,meus lábios incha muito,ate minha linguá já inchou.já tem anos que passo por isso.

    Responder
  21. Boa Tarde!

    Adorei as reportagens sobre as várias doenças, até mesmo de algumas que não conhecia. Li muitas que me interessaram e descobri coisas importantes que não sabia até então.
    Eu gostaria de um reportagem onde explica sobre a alergia á substância Anilina. No geral não encontramos reportagens com conteúdo suficiente sobre este. Acho importante estas informações, e gostaria de aprimora-lá.
    Conto com o apoio de vocês. Obrigada. E Parabéns pelo Trabalho.

    Responder