Calores da Menopausa (Fogacho)

Atualizado em
Comentários: 39

O que é fogacho

As ondas de calor da menopausa, chamadas de fogachos ou afrontamentos, acometem 3/4 das mulheres no período pós-menopausa. Os seus sintomas costumam ser uma sensação de calor, transpiração e ruborização da pele, principalmente na face.

Antes de falarmos nos fogachos, proponho esclarecermos dois conceitos. Há muita confusão, principalmente entre o público leigo, com os termos menopausa e climatério.

  • Menopausa é a última menstruação da vida da mulher. É um evento pontual.
  • Climatério é o período que se inicia quando a mulher entra na transição da fase reprodutiva para não reprodutiva. Engloba os anos logo antes da cessação da menstruação e todo o período após. Existe o climatério pré-menopausa e pós-menopausa.

Portanto, apesar de ser muito comum ouvirmos dizer que uma mulher está na menopausa, o mais correto seria dizer que ela teve a menopausa e está no climatério pós-menopausa.

Ao longo do texto empregarei o termo “ondas de calor da menopausa” em vez de “ondas de calor do climatério” por ser a primeira uma expressão mais consagrada, apesar de não ser a mais correta tecnicamente.

Neste texto falaremos especificamente sobre o fogacho. Para saber mais sobre outros sintomas da menopausa, leia:

Sintomas

As ondas de calor da menopausa surgem por uma desregulação no nosso mecanismo de controle térmico, aparentemente causada por diminuições dos níveis circulantes de estrogênio.

O fogacho costuma começar como uma sensação súbita de calor localizada na face e na parte superior do tórax, tornando-se rapidamente generalizada. Essa onda de calor ocorre por uma má interpretação da temperatura corporal real pelo hipotálamo, região do sistema nervoso central que age como termostato. A paciente sente-se muito quente, mas sua temperatura mantém-se normal, ao redor dos 36,5ºC.

A sensação de calor dura entre dois e quatro minutos e está frequentemente associada a intensa transpiração e vermelhidão da pele. Como o organismo pensa que o corpo está muito quente, ocorre uma inapropriada dilatação dos vasos da pele, levando à vermelhidão e à transpiração.

Com a vasodilatação, sudorese e consequente perda de calor, há uma rápida queda da temperatura corporal, causando uma leve hipotermia. Nesse momento, o fogacho começa a se dissipar e surgem os calafrios, um mecanismo usado pelo corpo para gerar calor, numa tentativa de restaurar a temperatura habitual do organismo.

Em algumas mulheres as ondas de calor surgem várias vezes por dia, podendo também aparecer enquanto dormem. Os calores noturnos atrapalham o sono e podem levar à insônia. Se a paciente também tiver problemas como ansiedade ou depressão, comuns na idade da menopausa, podem surgir distúrbios importantes do sono.

O fogacho acomete até 3/4 das mulheres e costuma surgir quando a menopausa se aproxima. Em 80% dos casos as ondas de calor da menopausa duram por mais de um ano. Na maioria das vezes, o fogacho dura por dois ou três anos. Entretanto, 25% das mulheres sofrem com calores por mais de cinco anos e cerca de 10% mantém os sintomas até depois dos 70 anos.

Mulheres com sobrepeso, fumantes ou sedentárias apresentam maior risco de desenvolver fogachos. Não se sabe o porquê, mas afrodescendentes têm mais fogachos que mulheres de origem europeia, que por sua vez têm mais fogachos que mulheres asiáticas.

Tratamento

É sempre bom lembrar que o fogacho costuma desaparecer espontaneamente após alguns anos. Como muitas mulheres têm sintomas brandos, não se indica tratamento a não ser que os calores sejam realmente incômodos.

O tratamento mais efetivo para as ondas de calor da menopausa é a reposição de estrogênio, porém, atualmente, devido aos efeitos colaterais, seu uso só está indicado por curtos períodos (dois ou três anos) e em mulheres com sintomas de moderada a forte intensidade.

O estrogênio pode ser administrado por via oral ou transdérmica. Nas mulheres que não retiraram o útero, o estrogênio de deve ser administrado junto com a progesterona para evitar proliferação da mucosa uterina, um efeito que aumenta o risco de câncer do endométrio (câncer do útero).

Pacientes com história de doença cardiovascular, trombose ou câncer de mama (leia: Câncer de mama – Sintomas, auto exame e diagnóstico) não devem ser tratadas com estrogênios.

Outras opções de tratamentos incluem os antidepressivos (ex. fluoxetina ou citalopram), Gabapentina ou Clonidina, um medicamento usado no tratamento da hipertensão.

Tratamentos naturais para o fogacho

Algumas terapias não medicamentosas também ajudam. Perder peso e parar de fumar é imperativo. Evitar bebidas alcoólicas, comidas apimentadas e cafeína também funciona para algumas mulheres.

O calor piora os fogachos, por isso, no verão, procure ficar em ambientes ventilados ou com ar-condicionado. Use roupas leves e beba bastaste líquidos gelados.

A prática regular de atividades físicas e técnicas de relaxamento também são efetivas.

O uso de isoflavonas ou fitoestrogênios (estrogênios das plantas) não apresenta nenhuma comprovação científica. Pelo contrário, os trabalhos indicam que os mesmos possuem apenas efeito placebo e podem ser prejudiciais em mulheres com histórico de câncer de mama.

Também não há evidências inequívocas de que a acupuntura tenha efeito no alívio dos calores da menopausa.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Endometriose Endometriose: o que é, sintomas e tratamento
Dispareunia Dor durante o sexo – dispareunia e vaginismo
Coceira vaginal 15 causas comuns de coceira vaginal
Atraso menstrual 15 Causas Comuns de Menstruação Atrasada
Ovulação Ovulação: sintomas, causas, testes e calculadora
Menstruação Menstruação: 30 perguntas e respostas
Ácido mefenâmico para cólica menstrual Ácido mefenâmico (Postan) para cólica menstrual
Menopausa precoce Menopausa precoce: causas, sintomas e tratamento
Adenomiose Adenomiose uterina: o que é, sintomas e tratamento
Osteoporose Osteoporose: causas, sintomas e tratamento
Menopausa Menopausa: o que é, sintomas e tratamento
TPM Tensão pré-menstrual (TPM): o que é, causas e tratamento
Ciclo mesntrual Ciclo menstrual: como ocorre a menstruação
Cólica menstrual Cólica Menstrual: causas, sintomas e tratamento
Pílula para não menstruar Tomar anticoncepcional para não menstruar
Sintomas da menopausa 25 sintomas da menopausa e do climatério
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

39 comentários em “Calores da Menopausa (Fogacho)”

  1. Boa tarde! Climatério não seria a perimenopausa, o período de transição até a menopausa? No início do texto, o senhor afirma ser pós-menopausa… Fiquei na dúvida. Obrigada.

    Responder
    • Climatério é o período em que a mulher inicia a transição da fase reprodutiva para não reprodutiva. Ele engloba os anos logo antes da cessação da menstruação e todo o período depois. Portanto, existe o climatério pré-menopausa e pós-menopausa. Vou rescrever aquele parágrafo para ficar mais claro.

      Responder
  2. Tenho 47 anos..Tenho mioma..minha menstruação para um mês.fico de 3 sem menstruação..estou sentindo muito calor na barriga..isso é normal

    Responder
  3. Olá meu nome e suelen e normal a mulher de 33 anos fica sem menstruação 3 mês ficar com calor frio sentir fogascho?

    Responder
  4. Gostei muito do artigo, esclareceu muitíssimo.
    Tenho estes calores súbitos, tentei monitorar. Às vezes é a cada 30 minutos, e em alguns dias é em média umas quatro vezes ao dia e duas a noite. Tenho 53 anos, ainda não finalizou totalmente minha menstruação (fev, Jun e ago neste ano). Minha dúvida é quanto a este aquecimento do corpo, pode causar alguma doença nos rins?

    Responder
  5. Dr Pedro, achei muito importante seu artigo, esclareceu muito bem. Tenho 50 anos, começou esse fogacho terrível e insuportável, me acomete mais ou menos umas 4 vezes ao dia e umas 2 vezes à noite. Há quatro anos eu retirei meu útero por causa de hemorragia no período menstrual e a presença meomas.

    Responder
  6. Esse Climatério te juro é o cão chupando manga. Ou disgrama ruim. Comecei agora, mas já estou correndo da sala para cozinha. Sinto muito fogacho, insônia e as vezes não precisa nem falar nada meus olhos lacrimeja. Mas estou lidando até bem. Fui no meu Médico para o tratamento. O fogacho é cruel.

    Responder
  7. Muito obrigada, me ajudou a entender o que estava acontecendo comigo. Descreveu perfeitamente tudo o que eu estava sentindo e me acalmou bastante!. Agora tenho que aceitar, faz parte!

    Responder
  8. Eu estava muito preocupada com as ondas de calor e ansiedade, pois estou com 51 anos e há 6 meses não menstruo. Obrigada pelos esclarecimentos. Estou mais tranquila agora.

    Responder
  9. Vali
    Adorei o site vcs estão de parabéns. Entrei na climatério há dois anos com 52 anos. Já estava na menopausa há 2 mas com a morte da minha irmã a menstruação parou de vez. Bom não tinha os fogachos até que parei de trabalhar e há 6 meses não durmo bem e as ondas de calor são terríveis . por problemas de câncer na família como de mama e útero o médico não aconselha a reposição hormonal. O que vou fazer e parar de tomar café e começar exercícios físicos para ver se isso ou melhora ou acaba. Assim como voltar a minha dieta vegetariana a qual deixei há 3 anos. Esperto que melhore.

    Responder
  10. Tenho 53 anos, a 3 no climatederio .O calor e inebriante, insportavel, enfim HORRIVEL. Mas eu optei por nao fazer a reposiao apos td q li e estudei sobre os focachos.
    Se minha avo aguentou, eu tb posso. Mas que e o inferno na terra, a la isso e!

    Artigo excelente, Dr. Pedro.

    Responder
  11. Dr. Pedro, o capítulo sobre Tratamentos Naturais está extremamente superficial e incompleto! Por favor aprofunde-o – ou exclua-o, porque do jeito que está não esclarece nem ajuda. Grata pela compreensão!

    Responder
    • Sabrina, eu só falo sobre tratamentos que possuem amplos estudos científicos sobre eficácia e segurança. A maioria dos chamados tratamento naturais, infelizmente, não se encaixa neste conceito.

      Eu trabalho com medicina baseada em evidências científicas, seja ela “natural” ou não. Quando um tratamento natural é amplamente embasado em estudos clínicos, eu o indico. Quando os estudos não existem ou são de má qualidade, eu opto por não mencionar o tratamento, seja ele natural ou de qualquer origem.

      Responder
  12. Muito bom este artigo. Eu tenho todos os sintomas que existem, já fiz uma boa parte de tudo para cessar este calor maldito (remédios fitoterapicos, dietas, exercícios, fluoxetina-tomei tanto que até enjoei, não tomo café, não fumo), continuo com os exercícios mas qto ao resto vou desistir. Estou me privando de muitas coisas e nada acontece. Durmo em média 4 h por noite. Pra terminar, o climatério é é o inferno aqui na terra kkkkkkkkk porque pra aguentar tem que ser super, super mulher. So pra terminar estou assim a 5 anos e vou ao ginecologista todo ano e eu não posso fazer
    reposição hormonal porque tive doença de Graves.

    Responder
  13. Esses hormônios bioidênticos utilizados na modulação são manipulados em farmácias especializadas não é? Em relação a Tibolona(Libian), é verdade que não pode ser considerada uma terapia de reposição hormonal?

    Responder
    • 1- sim.
      2- a tibolona é um esteroide sintético com ação semelhante à testosterona, estrogênio e progesterona. Foi durante muitos anos utilizada para terapia de reposição hormonal, mas seus efeitos colaterais cardiovasculares tem tornado a droga cada vez menos indicada.

      Responder
  14. o que eu devo fazer ,fico com a cabeça molhada o dia inteiro e no rosto existe remédio para isto?tenho 64 anos e a 5 anos isto vem ocorrendo me ajude doutor!estou irritada não quero sair ,por favor este meu problema é caso de psiquiatria.

    Responder
  15. Tenho 52 anos fa;co 53 em fevereiro, iniciei a menopausa aos 45anos, primeira mestruação foi aos 9 anos.tenho 2 filhos adultos, e caseime novamente a um ano e meio, a dificuldade maior é a hora do relacionamento sexual, todas as vezes preciso usar um lubrificante,estou sempre muito ressecada. Nunca usei hormonio algum, não sinto mais esse calorão passou muito rápido ou diminuiu muito. Mais o meu oroblema maior e o ressecamento.Isso teria cura?

    Responder
  16. casei-me novamente aos 48 anos ,dois meses apos o meu casamento entrei na menopausa,tenho ondas de calor intenso varias vezes ao dia,tomo uns cinco banho ao dia,preciso de socorro,está difícil demais,estou chata,depressiva,oque fazer?

    Responder
  17. Fiz reposição hormonal no período de cinco anos, agora a minha medica falou pra parar,
    ai que comecei a suar tanto que as vezes me da ate nervoso, porque e de repente, me disseram que linhaça e bom mais estou tomando mais o calorão continua, não sei o que fazer.Acho que vou tomar novamente o hormônio.Porque minha médica é do SUS e só vou retornar o ano que vem, ai não vou aguentar até o retorno.

    Responder
  18. Retirei meu útero em 2001 e tive calores do climatério após uns 3 anos da cirurgia, mas depois passou como veio, e eu não tomei nada. Só que de uns três anos prá cá tenho tido esses calores e eles são cada vez mais intensos, chegando a quase que insuportáveis…O ginecologista me receitou Prefest, não resolveu, tomei por minha conta Tibolona por uns 2 anos, mas não faz mais efeito…estou tomando tintura de amoreira e não faz efeito nenhum pra mim…o que faço?Por favor me ajude…obrigada , esqueci de lhe dizer que no meu último exame de mamas surgiu um caroço, que o médico considera muito pequeno pra se preocupar, mas por isso eu prefiro não tomar mais esses medicamentos, que ouvi dizer, contribui no câncer de mamas.. .

    Responder