Artigo atualizado em 23/11/2013

IMPETIGO | Sintomas e tratamento

O impetigo, chamado popularmente de impinge, é uma infecção bacteriana da pele, que acomete preferencialmente as crianças entre 2 e 5 anos, apesar de também poder surgir em adultos. O impetigo é uma doença contagiosa, que surge com mais frequência nos meses quentes de verão.

Neste texto vamos explicar a transmissão, os sintomas e o tratamento do impetigo.

O que causa o impetigo?

O impetigo é uma infecção superficial da pele que pode ser causada por dois tipos de bactérias: Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus (leia: STAPHYLOCOCCUS AUREUS | quais os riscos desta bactéria?).

Ambas as bactérias costumam viver em nossa pele sem nos causar nenhum dano. Entretanto, através de uma pequena ferida, corte ou mesmo de uma picada de mosquito, elas podem alcançar camadas internas da pele e provocar infecção.

Como se pega impetigo?

Nossa pele é colonizada por bilhões de bactérias, sendo algumas colonizadoras persistentes e outras colonizadoras transitórias. Geralmente nossa convivência com essas bactérias não nos causa problemas porque a pele age como uma armadura, impedindo o contado de germes do meio externo com nosso meio interno. As doenças dermatológicas infecciosas geralmente surgem quando há alguma lesão que quebra esta barreira da pele, favorecendo a entrada de bactérias para dentro do nosso corpo.

As bactérias colonizadoras persistentes são as bactéria que vivem na nossa pele e são muito difíceis de serem eliminadas definitivamente. Porém, isso não é um problema, uma vez que este grupo raramente é capaz de nos causar doença, mesmo quando há lesões na pele.

Já as bactérias colonizadoras transitórias são aquelas que adquirimos de outras pessoas por contato direto, permanecendo em nossa pele apenas por um tempo determinado. São essas as bactérias que costumam causar as infecções de pele. As duas bactérias causadoras do impetigo, Streptococcus pyogenes e Staphylococcus aureus, são bactérias colonizadoras temporárias. Furúnculo, impetigo, ectima, foliculites, celulites e erisipelas são exemplos de doenças de pele causadas por essas bactérias (leia: ERISIPELA | CELULITE | Sintomas e tratamento).

A contaminação pelo Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus costuma se dar pelo contato direto de pele com pele, porém, também pode ocorrer através de roupas, toalhas e até brinquedos nos casos de crianças.

Alguns pacientes, após se contaminarem com essas bactérias, podem armazená-las na cavidade nasal, tornando sua eliminação definitiva difícil, permanecendo, assim, colonizados por muito tempo. Mesmo que a bactéria seja eliminada da pele, basta manipularmos o nariz com as mão para nos contaminarmos novamente.

Sintomas do impetigo

Existem 3 formas de impetigo: impetigo comum, impetigo bolhoso e ectima.

a) Impetigo comum

Impetigo comum

Impetigo comum

O impetigo comum, também chamado de impetigo não-bolhoso, é a forma mais comum. O quadro geralmente se inicia com pequenas pápulas vermelhas, semelhantes a picadas de mosquito, que, entretanto, evoluem rapidamente para pequenas pústulas (lesões com pus). Estas pústulas estouram e formam leões crostosas com coloração dourada ou cor de mel. Este processo costuma durar uma semana e as lesões atacam preferencialmente a face e/ou o crânio, mas também podem surgir em braços e pernas.

impetigo

impetigo na face

Não é comum haver sintomas sistêmicos como febre ou mal estar,
todavia, alguns linfonodos dolorosos no pescoço costumam surgir.

As lesões do impetigo não costumam doer, mas podem eventualmente causar comichão. O ato de coçar as lesões pode favorecer a disseminação da doenças pelas mãos contaminadas.

Com o tempo as crostas desaparecem, deixando pequenas marcas vermelhas que desaparecem a longo prazo sem deixar cicatriz.

b) Impetigo bolhoso

O impetigo bolhoso é causado apenas pela bactéria Staphylococcus aureus, que é capaz de produzir toxinas que causam descolamento da epiderme (camada mais superficial da pele), favorecendo o aparecimento de bolhas.

O impetigo bolhoso costuma acometer membros superiores e inferiores e surge em nádegas e tronco com mais frequência que no impetigo comum.  O impetigo bolhoso não costuma acometer a face.

Impetigo bolhoso

Impetigo bolhoso

A lesão inicial do impetigo bolhoso é igual ao do impetigo comum, com pequenas pápulas, porém, evoluem rapidamente para bolhas com conteúdo amarelado. A pele ao redor das bolhas costuma estar avermelhada e com comichão. Assim como no impetigo comum, as lesões do impetigo bolhoso não costumam causar dor.

As bolhas geralmente rompem-se deixando uma crosta amarelo-avermelhada, que costuma ser maior e mais duradoura que no impetigo comum. No impetigo bolhoso pode haver febre e outros sintomas de infecção, como mal estar e perda do apetite.

As lesões também costumam curar sem deixas sequelas.

c) Ectima

Ectima

Ectima

A ectima é a forma mais grave de impetigo, pois acomete camadas mais profundas da pele. Geralmente são lesões de impetigo que evoluem para a formação de úlceras na pele que podem drenar pus. Essas úlceras costumam evoluir para crostas grossas e amareladas, com margem avermelhadas, que curam-se lentamente, deixando cicatrizes. Não é comum haver febre no ectima.

O ectima acomete mais frequentemente os membros inferiores e pode ser causado tanto pelo Streptococcus pyogenes quanto pelo Staphylococcus aureus.

Qualquer uma das três apresentações do impetigo podem complicar com febre reumática (leia: FEBRE REUMÁTICA | Sintomas e tratamento) ou com glomerulonefrite (leia: GLOMERULONEFRITE | O que é, sintomas e tratamento). Outra complicação comum é a evolução da lesão para uma celulite ou erisipela, infecções de pele mais graves (leia: ERISIPELA | CELULITE | Sintomas e tratamento).

Tratamento do impetigo

O impetigo não costuma ser uma infecção grave e muitas vezes cura-se sozinho. Entretanto, o tratamento com antibiótico costuma ser indicado para diminuir a chance de contaminação de outras pessoas, acelerar a resolução das lesões e diminuir os riscos de complicações.

Se as lesões forem muito discretas, o tratamento pode ser feito apenas com boa higiene e antibióticos tópicos. O mais indicado é a pomada de Mupirocina (Bactroban® ) 3 vezes por dia.

Quando as lesões forem muito disseminadas ou se houver impetigo bolhoso ou ectima, o tratamento costuma ser feito com antibióticos por via oral por 1 semana. Os mais usados são os derivados da penicilina (leia: ANTIBIÓTICOS | Tipos, resistência e indicações).

Publicidade
  • Anonymous

    O termo “impinge” em minha região (ES) é usado popularmente para a Tinha Corporis, dermatose causada por fungo.

  • Anonymous

    Muito interessante gostei muito do artigo foi esclarecedor…porém ficou uma indagação aqui em minha cidade o que se chama popularmente de impinge ou impingem é a ptríase versicolor…

  • Anonymous

    Meu filho, está com impetigo bolhoso e já tomou cefalexina e benzetacil e nada resolveu, além de usar a pomada com cetoconazil, neomicina e betametasona. Sugere algum outro tratamento ou um especialista?

  • Helena Mesquita

    Bom dia Dr.

    Meu sobrinho fez analises recentemente e acusou staphylococus,estive a ver as imagens e são iguais a Ectima,eu pergunto qual é o tratamento adequado a esta doença visto q ela faz resistência ao antibiotico…

  • Marcelo Meix

    olá Dr. tenho esse impinge no rosto e braço e isso tem me causado um transtorno muito grande como faço para elimina-los……..Obrigado

  • Marcelo Meix

    olá Dr. tenho esse impinge no rosto e braço e isso tem me causado um transtorno muito grande como faço para elimina-los……..Obrigado

  • gustavo euzebio

    ola dotor estou com isso no pe e no rosto al lado da boca oque faço para elimina-los

  • Eliana Borowski

    Dr. estou com uma lesão na face que parece isso mas fui diagnosticada como rosácea, não sei mas não confiei no que o medico falou pq ja tive rosacea e é diferente. O que faço?

  • Marinalvaseverina

    apessoa que teve gnda vai ficar hipertenso?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não necessariamente.

  • Elivieiraassis

    Olá,
    Estou com uma ferida nos rosto, que observando as informações acima acredito ser impedigo. Fui em 3 dermatologistas diferentes, que não souberam afirmar o que se tratava,apenas afirmaram se tratar de uma infecção na pele, isso depois de descartarem a possibilidade de herpes, pois era a suspeita inicial. Mas me medicaram com o Bactroban e Ciprofloxacino via oral. Fazem 3 dias que estou ultilizando essa medicação, em quanto tempo irei obter melhora? Gostaria de saber se ficará alguma cicatriz,?

  • marciele

    olá tudo bem?
    meu filho de apenas tres meses esta com uma mancha nos braços e ombros parecida com impinge suspeito que ele tenha pego do meu intiado,que tem micose nos pes o que faço?

  • cláudia

    olá fui pigada por carrapato e ja estou a mais de um mês com uma coceira que não passa por nada nãó sei mais o que faço ja tomei remédios via oral ja passei varios tipos de pomada e nada me ajudem com essa tortura não aquento mais salvador 28/09/2012 cláudia oliveira f, carlos e-mail cacfiel02@hotmail.com

  • Sandrinha_berg24

    olá…já faz quase um mês que estou com umas feridas na região intima,ja tomei antibióticos passei a pomada tok e melhorou mt…mais ainda continua se colonizando…tudo se iniciou apos um processo alérgico ao absorvente que criou bolhas q se estouraram e ficaram semelhante a pequenas urcers com pus…

  • Helena Mesquita

    Bom dia Dr.

    Meu sobrinho fez analises recentemente e acusou staphylococus,estive a ver as imagens e são iguais a Ectima,eu pergunto qual é o tratamento adequado a esta doença visto q ela faz resistência ao antibiotico…

  • Cristiane Araujo

    minha filha ta com ipetigo comum mas ta resistente a cura ja fez uso de cefalecxina agora de amocxila clavu tava tdo seco terminou o uso de 10 dias ontem tirou a caskinha ai eu usei a pomada nebasetim hj pela manha apereceu duas bolinhas emflamadas nao sei o que faço dou mas 5 dias do antibiotico passado pelo medico foi passado 10 dias mas acho que nao ta seco total

  • Aliane

    Oi boa noite. Eu queria saber, se impetigo tem cura?? se puder me responder obrigada. o meu filho está eu eu estou muito preucupada por favor me responda

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sim, tem cura.

  • Aliane

    Oi boa noite. Eu queria saber se impetigo tem cura??

  • Herik Medeiros

    minha filha já está mais de um mês e já usou “cefalexina” e outros antibióticos e também anti-alérgicos como “alegra” além de pomadas em geral como “bactoban” e nada adiantou, melhorou um pouco com a cefalexina mas quando terminou o tratamento, a praga voltou.No momento estamos usando “desonida” e está melhorando.

  • Alex Blasbar

    Meu irmão já teve impetigo por duas vezes com diversas lesões pelo corpo e somente melhorou das duas vezes, apesar de toda higiene correta e antibióticos quando lhe foi prescrito borrifar rifocina no nariz. Como o sr disse pode ser o local base onde as bactérias ficam. Agora após três anos ele passou a ter bromidose axilar, um cheiro forte mesmo, e fez diversos tratamentos locais, uso de tetraciclina oral e outros. O sr acha que de repente as bactérias que persistem a bromidose podem estar nas fossas nasais. Isso tem alguma base científica?

  • Larissa

    Dr.,
    Aqui na minha casa, eu, meu esposo e minha filha estão aparecendo essas pequenas bolhas, parecido com impetigo, em mim aparece abaixo da barriga, sendo que aparece uma ou duas a cada semana, na minha filha aparece do lado da virilha, descendo para a coxa, sendo que está aparecendo mais, tipo, nasce uma, mucha e já nasce outra, e no meu esposo, surgiu muitos nas axilas dele, foi murchando, mas logo depois vai surgindo novamente. A pediatra da minha filha, falou que o dela, seria impetigo, o médico do meu esposo, dermatologista, falou que era candidíase, sendo que eu também tive candidiase, então, o que poderá está ocasionando isso, na gente? E qual seria a forma de eliminar essas bolhas? Qual a diferença em candidíase para esse Impetigo?

    No aguardo,
    Obrigada.

    • http://www.mdsaude.com Pedro Pinheiro

      Candidíase e impetigo são doenças completamente diferentes. Uma é por fungos e outra por bactérias. O tratamento é com drogas diferentes. É preciso saber qual é o diagnóstico correto de cada um para que possa ser instituído um tratamento correto.

  • nadia janaina

    Minha filha tem dez meses,quando ela tinha 7meses ela teve,mas curou,e agora estar voltando,o q eu faço Doutor,ah! Na época os medicos disserao q era catapora.

    • http://www.mdsaude.com Pedro Pinheiro

      Impetigo é muito comum em crianças. Leve ela ao pediatra que ele saberá indicar o melhor tratamento para o caso da sua filha.

  • Alinne Chris

    Meu filho tem impetigo mais ja tomou tantos medicamentos melhora e depois volta e já é 3 vez que volta e agora com febre também. o PEDIATRA DELE MANDOU USAR AGORA OUTRO ANTIBIOTICO KEFLEX

  • raysa

    o meu coça muito e fica um machucadinho pequeno qual e esse tipoo de impetigo

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sem ver eu não consigo saber nem se é realmente impetigo.

  • flavia

    tenho um filho de 3 anos ele esta com empetigo . foi medicado com um antibiotico e uma pomada . Esta doença de pele pode voltar um tempo depois?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Pode. Mas, caso isso ocorra, é só tratar novamente.

  • Katia

    Boa noite! Dr. Meu filho tem 1 ano e 10 meses, teve impetigo ha 2 meses atrás pela primeira vez, as lesões se concentraram no lado esquerdo do corpo entre barriga, peito e braço, curou com pomadas e antibiótico. Agora voltou na narina e bochecha. Gostaria de saber se existe uma forma de prevenir? Ou até quando isso volta? As coisas dele são sempre higienizadas individualmente e tudo o que ele usa é somente dele.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Em criança pequena é muito comum. A tendência é melhorar conforme ele vai ficando mais velho. Não há um tratamento preventivo, o mais importante é manter as mãos sempre limpas e evitar contato com outras crianças infectadas.