Vacina da dengue: tipos, quem pode tomar e efeitos adversos

Atualizado em
Comentários: 4

Introdução à vacina da dengue

A dengue, uma doença febril aguda transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, é causada por um vírus que possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. No Brasil, predominam os sorotipos DEN-1 e DEN-2, embora DEN-3 e DEN-4 também ocorram.

Uma pessoa que contrai dengue por um sorotipo fica imune a ele, mas ainda permanece vulnerável aos demais. As formas mais graves da doença são frequentemente observadas em quem já teve dengue e é reinfectado por um sorotipo diferente.

A Organização Mundial da Saúde estima cerca de 390 milhões de infecções anuais por dengue globalmente, com 20.000 a 25.000 mortes anuais, afetando principalmente crianças. A dengue, limitada a nove países até 1970, hoje é endêmica em mais de 100 países, principalmente na América Latina, Ásia e África.

Durante décadas, a ciência procurou desenvolver uma vacina eficaz que protegesse o paciente dos 4 sorotipos do vírus. A primeira vacina realmente eficaz contra dengue surgiu apenas em 2015, chamada Dengvaxia, desenvolvida pela Sanofi Pasteur. No entanto, nos indivíduos que nunca tiveram contato com o vírus da dengue, a vacina Dengvaxia aumenta o risco de desenvolver formas graves da doença.

A segunda vacina aprovada foi a Qdenga (TAK-003), desenvolvida pela farmacêutica Takeda. Essa vacina é a primeira vacina contra a dengue aprovada no Brasil para um público mais amplo e pode ser tomada por quem já teve e quem nunca teve dengue.

Em breve, uma nova vacina deve ser aprovada, a Butantan-DV, desenvolvida pelo Instituto Butantan junto com pesquisadores de outros países. Esta vacina funciona bem mesmo em pessoas que nunca tiveram dengue. Ela é dada em uma única dose e tem mostrado bons resultados, protegendo contra a dengue em quase 80% dos casos durante dois anos.

Neste artigo abordaremos com mais detalhes essas 3 opções de vacinas.

Para mais informações sobre a dengue, acesse os seguintes artigos:

Qdenga

Qdenga (TAK-003) é uma vacina tetravalente com vírus vivo atenuado, produzida pela farmacêutica Takeda.

A Qdenga é uma vacina recombinante quimérica atenuada*, o que significa que utiliza uma mistura de componentes dos vírus da dengue DEN-1, DEN-3 e DEN-4, todos construídos sobre uma estrutura do vírus DEN-2.

* Uma “vacina recombinante quimérica atenuada” é um tipo de vacina desenvolvida através de técnicas de engenharia genética. “Recombinante” significa que a vacina é feita combinando material genético de diferentes fontes. “Quimérica” refere-se à mistura de material genético de diferentes tipos ou cepas de um vírus. “Atenuada” indica que o vírus utilizado na vacina é enfraquecido, de modo que não causa doença, mas ainda é capaz de estimular o sistema imunológico a produzir uma resposta de defesa. Essas vacinas são projetadas para induzir imunidade contra várias cepas ou tipos de um vírus simultaneamente.

A Qdenga foi aprovada para uso na Europa em 2022 e no Brasil em 2023. A partir de 2024, a vacina passou a ser distribuída Programa Nacional de Imunizações (PNI) pelo Ministério da Saúde do Brasil, e começou a ser oferecida à população de forma gratuita.

Eficácia da Qdenga

A eficácia da vacina Qdenga foi observada de maneira variada contra os diferentes tipos de dengue:

  • DEN-1: 69,8% de efetividade.
  • DEN-2: 95,1% de efetividade.
  • DEN-3: 48,9% de efetividade.

Não foi possível avaliar sua eficácia contra o tipo 4 devido à pequena quantidade de casos desse sorotipo no estudo.

Além disso, a vacina mostrou uma proteção geral de 84,1% contra hospitalizações por dengue, com resultados semelhantes tanto em indivíduos previamente infectados (85,9%) quanto naqueles sem infecção prévia (79,3%).

Quem pode tomar a Qdenga?

A vacina Qdenga é indicada para pessoas de 4 a 60 anos. No entanto, devido à limitação no fornecimento de doses, o Ministério da Saúde do Brasil decidiu priorizar inicialmente a vacinação de crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, que são um dos grupos mais afetados por hospitalizações devido à dengue.

Por ainda não existirem estudos de segurança da vacina durante a gestação ou aleitamento materno, a Qdenga atualmente não é recomendada para gestantes e lactantes. No entanto, nos casos em que a vacina foi administrada inadvertidamente em gestantes não foi observado nenhum efeito danoso ao feto ou à gestação.

Por ser uma vacina com vírus vivo atenuado, ela é contraindicada para pessoas com imunodeficiências primárias ou adquiridas.

Posologia da Qdenga

A posologia da vacina Qdenga consiste em um esquema de duas doses, administradas por via subcutânea com um intervalo de três meses entre elas.

É importante observar que, para quem teve infecção recente pela dengue, a recomendação é esperar 6 meses após a infecção para receber a vacina. No entanto, se alguém for diagnosticado com dengue entre as duas doses, deve manter o esquema vacinal, respeitando um intervalo mínimo de 30 dias em relação ao início dos sintomas.

Efeitos adversos da Qdenga

Os efeitos colaterais mais comuns da vacina contra dengue Qdenga, que podem afetar 1 em cada 5 pessoas, incluem dor e vermelhidão no local da injeção, dor de cabeça, dor muscular, sensação de mal-estar geral e fraqueza. Até 1 em cada 10 pessoas pode apresentar febre. Esses efeitos colaterais, geralmente de gravidade leve a moderada, tendem a se resolver em poucos dias e são menos frequentes após a segunda dose da vacina do que após a primeira.

Dengvaxia

A Dengvaxia, vacina contra a dengue da farmacêutica Sanofi Pasteur, foi a primeira vacina da dengue aprovada no mundo, mas por não ser indicada para pessoas que nunca tiveram dengue e por ter eficácia geral mais baixa que a Qdenga (60% contra 80%), seu uso de forma ampla na população tende a ser mais restrito.

A Dengvaxia é destinada a pessoas de 9 a 45 anos em regiões com alta prevalência da doença. Seu esquema vacinal envolve três doses.

A vacina mostrou eficácia variável dependendo da história prévia de infecção pelo vírus da dengue. Contudo, surgiram preocupações sobre sua segurança em pessoas sem exposição anterior ao vírus, indicando um risco aumentado de dengue grave neste grupo. Por isso, seu uso foi restrito a indivíduos com infecção prévia comprovada por exames de sangue.

A Dengvaxia não foi incluída no programa público de vacinação do SUS, sendo utilizada principalmente no setor privado.

Butantan-DV

A vacina Butantan-Dengue (Butantan-DV) é uma vacina tetravalente, atenuada e de dose única, ainda não aprovada para uso, mas em fase avançada estudo contra a dengue.

Em um ensaio clínico de fase 3, com pacientes entre 2 e 59 anos, recentemente publicado na revista New England Journal of Medicine, a eficácia geral da vacina foi de 79,6%, sendo 73,6% em participantes sem exposição prévia à dengue e 89,2% em quem tinha histórico de exposição. A eficácia variou conforme a idade e o tipo de vírus da dengue, com eficácia de 89,5% contra DEN-1 e 69,6% contra DEN-2.

Dúvidas comuns sobre a vacina da dengue

Qual é a melhor vacina contra dengue?

Até o momento em que este artigo foi escrito (Fevereiro de 2024), a melhor vacina contra dengue disponível é a Qdenga, por ser segura tanto em pacientes que já tiveram dengue quanto naqueles que nunca foram infectados, mas também porque é a que apresenta as melhores taxas de eficácia.

Quais são as vacinas atualmente aprovadas para uso?

Existem duas vacinas aprovadas no Brasil: Qdenga (Takeda) e Dengvaxia (Sanofi Pasteur).

Quem já teve dengue pode fazer a vacina?

Sim, quem já teve dengue pode tomar qualquer uma das duas vacinas atualmente aprovadas.

Quem nunca teve dengue pode tomar a vacina?

Para quem nunca teve dengue (ou não sabe se já teve), a única vacina permitida atualmente é a Qdenga.

A baixa eficácia da Qdenga para DEN-3 e DEN-4 é um problema sério?

Não. Primeiro, porque os sorotipos mais circulantes no Brasil são os DEN-1 e o DEN-2. Segundo, porque a taxa de sucesso da vacina contra as formas graves da dengue é bastante alta, tanto para quem nunca foi infectado quanto para quem já teve dengue antes.

A vacina da dengue também protege contra zika, febre amarela e chikungunya?

Não, a vacina da dengue protege apenas contra dengue.

A vacina da dengue pode ser administrada junto com outras vacinas?

Em estudos, a vacina dengue foi administrada junto com as vacinas de hepatite A e febre amarela e não mostrou eventos adversos. Contudo, por ser uma vacina de vírus vivo, pode haver interferência na resposta imune, recomenda-se um intervalo de 30 dias entre as vacinas, exceto quando administradas no mesmo dia.

Já fui vacinado com a Dengvaxia, posso tomar também a Qdenga?

Até o momento não existem estudos que mostrem que a vacinação com diferentes vacinas seja seguro.

Por que a vacina da dengue não está indicada para a população idosa?

Porque os estudos de segurança nessa faixa etária ainda não foram publicados. No entanto, algumas agências regulatórias, como a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e a Administración Nacional de Medicamentos, Alimentos y Tecnología Médica (ANMAT), agência regulatória da Argentina, já aprovaram o uso de Qdenga a partir de 4 anos, sem limite superior de idade. No Brasil, o uso da Qdenga a partir dos 60 anos ainda é considerado off-label.

Quando a Butantan-DV, vacina brasileira do Instituto Butantan, deve estar disponível?

A Butantan-DV está em fase final de testes e deve entrar com o pedido de registro junto à ANVISA até o final de 2024.

Quem não pode tomar a vacina da dengue?

As contraindicações para a vacina da dengue variam consoante a vacina específica. Geralmente, as vacinas da dengue não são recomendadas para:
» Gestantes: devido à falta de estudos suficientes sobre a segurança da vacina durante a gestação.
» Lactantes: pela mesma razão das gestantes, a segurança durante o período de aleitamento materno não está estabelecida.
» Pessoas com imunodeficiências: indivíduos com o sistema imunológico comprometido, seja por condições de saúde ou pelo uso de medicamentos imunossupressores, podem não ser candidatos adequados.
» Pessoas com alergias severas: indivíduos com histórico de reações alérgicas graves aos componentes da vacina.

No caso específico da Dengvaxia, apenas indivíduos com testes sorológicos positivos para dengue podem fazer a vacina.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Sintomas da dnegue 21 Sintomas da Dengue (Clássica e Hemorrágica)
Dengue Dengue: sintomas, transmissão e tratamento
Mosquito da dengue - Aedes Aedes aegypti (fotos): como é o mosquito da dengue?
Raiva humana: o que é, transmissão, sintomas e vacina Raiva humana: o que é, transmissão, sintomas e vacina
HPV HPV: o que é, sintomas, transmissão e tratamento
Vacina HPV Vacina contra HPV: eficácia e segurança
Zika Febre Zika: sintomas, microcefalia e tratamento
Vacinas Contra Herpes Zoster (Shingrix e Zostavax) Vacinas Contra Herpes Zoster (Shingrix e Zostavax)
Sarampo Sarampo: sintomas, imagens e vacina
Vacinas Vacinas: tipos, como funcionam e calendário vacinal 2023
Vacinas Pneumocócicas (Prevenar 13, Pneumovax 23 e Outras) Vacinas Pneumocócicas (Prevenar 13, Pneumovax 23 e Outras)
Febre amarela Febre amarela: vacina, transmissão e sintomas
Vacina da gripe Vacina da gripe 2023: benefícios e indicações
Vacina autismo Vacinas e autismo: o que a ciência realmente diz
Vacinas As vacinas com alumínio são perigosas?
HPV Relação entre HPV e câncer do colo do útero
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

4 comentários em “Vacina da dengue: tipos, quem pode tomar e efeitos adversos”

  1. Boa tarde, Dr. Pedro!

    Idosos com cardiopatia em uso de AAS e Clopidogrel podem usar a Qdenga ou existe alguma contraindicação nessa população?

    Grato

    Responder
  2. Se eu nunca tive dengue, posso tomar a vacina Qdenga sem preocupações? Existem riscos específicos para pessoas que nunca foram infectadas pelo vírus da dengue?

    Responder
    • Os estudos indicam que a Qdenga é segura tanto para quem já teve como para quem nunca teve dengue. Essa é a sua grande vantagem frente à Dengvaxia, que não deve ser tomada por quem nunca foi infectado.

      Responder