Paracetamol- Para que Serve, Posologia e Apresentações

Bula simplificada do paracetamol, com informações importantes em linguagem acessível para os pacientes.

Introdução

O paracetamol, também conhecido como acetaminofeno, é um fármaco com propriedades analgésica (que combate a dor) e antipirética (que combate a febre), disponível no mercado em comprimidos, xarope, gotas ou supositórios.

Esse medicamento é um dos mais indicados para o tratamento da dor ou da febre, por ser barato, seguro e por ter uma taxa muito baixa de efeitos colaterais, desde que, obviamente, utilizado corretamente e dentro das doses recomendadas. Ele pode ser usado em idosos, adultos, gestantes, crianças e bebês.

O paracetamol não é um anti-inflamatório. Por ser primariamente um analgésico com pouca atividade anti-inflamatória, ele é uma opção bastante segura para os pacientes com problemas gástricos, cardiovasculares ou renais. Por outro lado, essa falta de ação anti-inflamatória faz com que ele tenha pouca eficácia no tratamento das doenças que tenham muita inflamação, como são os casos da gota, da artrite reumatoide ou da osteoartrose.

Neste artigo vamos fazer uma revisão sobre o paracetamol, abordando as suas indicações, nomes comerciais, doses, efeitos adversos e interações medicamentosas. Vamos comentar também sobre o risco de intoxicação do fígado, que surge quando o paciente utiliza doses muito elevadas desse fármaco.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula do paracetamol. Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações sobre esse popular analgésico.

Nomes comerciais – Principais marcas

No Brasil, em Portugal e em vários outros países do mundo, o paracetamol já está disponível sob a forma de medicamento genérico. Isso não impede, porém, que existam diversas marcas comerciais desse medicamento. Vamos listar abaixo alguns dos principais nomes comerciais disponíveis no Brasil e em Portugal.

  • Atralidon (Portugal).
  • Ben-U-Ron (Portugal).
  • Cimegripe.
  • Coristina Termus.
  • Dafalgan 1 g (Portugal).
  • Elcodrix.
  • Panadol (Portugal).
  • Panasorbe (Portugal).
  • Paramolan (Portugal).
  • Parecetrex.
  • Pratium.
  • Resfenol Thermus.
  • Sonridor.
  • Supofen (Portugal).
  • Thylom.
  • Tylalgin.
  • Tylemax.
  • Tylenol.
  • Vick Pyrena.

Associações mais comuns

O paracetamol também é frequentemente encontrado em associação com outros medicamentos, tais como a codeína, tramadol, codeína, diclofenaco, cafeína, fenilefrina e ácido acetilsalicílico. Antigripais, medicamentos anti-enxaqueca e contra cólicas menstruais ou intestinais frequentemente têm paracetamol na sua composição.

As associações mais comuns são:

  • Paracetamol + Tramadol: Daisan, Paratram, Revange, Tilestal e Ultracet.
  • Paracetamol + Cafeína + Carisoprodol: Dorilax.
  • Paracetamol + Carisoprodol + Fenilbutazona: Mioflex.
  • Paracetamol + Cloridrato de Fenilefrina: Corizz Dia, Naldecon Dia, Cimegripe Dia e  Finagripe.
  • Paracetamol + Cafeína + Ergotamina + Metoclopramida: Cefalium.
  • Paracetamol + Butilbrometo de Escopolamina: Buscoduo e Espaslit Duo.
  • Paracetamol + Fosfato de Codeína: Algicod, Codex, Paco, Tylex e Vicodil.

Indicações – Para que serve o paracetamol

O paracetamol é um fármaco que tem ação antipirética e analgésica, sendo, portanto, uma excelente opção para o tratamento das doenças que provocam febre e/ou dor, principalmente as de leve a moderada intensidade.

Como o paracetamol possui um fraco efeito anti-inflamatório, sua eficácia é inferior aos medicamentos anti-inflamatórios no tratamento das doenças de origem claramente inflamatórias, como são os casos das artrites e outras doenças reumáticas. Isso não significa, porém, que o paracetamol não possa ser prescrito para o controle da dor nestes casos, principalmente se ela for de leve a moderada intensidade.

Estudos mostram que o paracetamol tem bons resultados no controle da dor de origem traumática, odontológica e pós-operatória. O paracetamol também costuma ser utilizado para o alívio da dor de cabeça, inclusive nos casos de enxaqueca, seja sozinho ou em associação com outros analgésicos.

O paracetamol também é frequentemente utilizado nos quadros de gripe ou resfriado, seja isoladamente ou em conjunto com outros fármacos, servindo tanto para o controle da febre quanto para as dores no corpo (leia: DIFERENÇAS ENTRE GRIPE E RESFRIADO).

Resumindo, as principais indicações do paracetamol são:

  • Febre.
  • Dor de cabeça.
  • Dor de dente.
  • Cólicas menstruais.
  • Dor no corpo provocada por gripes ou resfriados.
  • Dor osteoarticular de leve a moderada intensidade.
  • Dor lombar.
  • Dor de garganta.
  • Dor provocada por sinusite.
  • Dor provocada por traumas de pequena a média intensidade.

Posologia – Como tomar

O paracetamol pode ser comprado sob a forma de xarope, gotas, supositórios ou comprimidos. Em geral, as doses podem ser administradas de 3 a 5 vezes por dia.

A seguir, vamos descrever a posologia mais indicada em cada uma das principais apresentações.

Comprimidos – 500 mg, 750 mg ou 1000 mg*

  • Paracetamol 500 mg → 1 a 2 comprimidos 3 a 4 vezes ao dia.
  • Paracetamol 750 mg → 1 comprimido 3 a 5 vezes ao dia.
  • Paracetamol 1000 mg → 1 comprimido 3 a 4 vezes por dia.

Indicado para adultos e crianças acima de 12 anos – dose máxima diária de 4000 mg.

* O comprimido de 1000 mg só existe em Portugal.

Xarope – solução oral 100 mg/mL

Peso → Dose de 3 a 5 vezes por dia:

  • 3 kg → 0,4 mL.
  • 4 kg → 0,5 mL.
  • 5 kg → 0,6 mL.
  • 6 kg → 0,8 mL.
  • 7 kg → 0,9 mL.
  • 8 kg → 1,0 mL.
  • 9 kg → 1,1 mL.
  • 10 kg → 1,3 mL.
  • 11 kg → 1,4 mL.
  • 12 kg → 1,5 mL.
  • 13 kg → 1,6 mL.
  • 14 kg → 1,8 mL.
  • 15 kg → 1,9 mL.
  • 16 kg → 2,0 mL.
  • 17 kg → 2,1 mL.
  • 18 kg → 2,3 mL.
  • 19 kg → 2,4 mL.
  • 20 kg → 2,5 mL.

Indicado para bebês. Dose máxima diária de 75 mg/kg.

Xarope – solução oral – 32 mg/mL

  • Crianças de 11 a 15 kg → 5 mL (160 mg) de 3 a 5 vezes por dia.
  • Crianças de 16 a 21 kg → 7,5 mL (240 mg) de 3 a 5 vezes por dia.
  • Crianças de 22 a 26 kg → 10 mL (320 mg) de 3 a 5 vezes por dia.
  • Crianças de 27 a 31 kg → 12,5 mL (400 mg) de 3 a 5 vezes por dia.
  • Crianças de 32 a 43 kg → 15 mL (480 mg) de 3 a 5 vezes por dia.

Indicado para crianças. Dose máxima diária de 75 mg/kg.

Xarope – solução oral – 40 mg/mL

Peso → Dose:

  • 3 kg → 1,0 mL de 6/6h ou 1,5 mL de 8/8h.
  • 4 kg → 1,5 mL de 6/6h ou 2,0 mL de 8/8h.
  • 5 kg → 1,75 mL de 6/6h ou 2,5 mL de 8/8h.
  • 6 kg → 2,25 mL de 6/6h ou 3,0 mL de 8/8h.
  • 7 kg → 2,5 mL de 6/6h ou 3,5 mL de 8/8h.
  • 8 kg → 3,0 mL de 6/6h ou 4,0 mL de 8/8h.
  • 9 kg → 3,25 mL de 6/6h ou 4,5 mL de 8/8h.
  • 10 kg → 3,75 mL de 6/6h ou 5,0 mL de 8/8h.
  • 11-12 kg → 4,0 a 4,5 mL de 6/6h ou 5,5 a 6,0 mL de 8/8h.
  • 13-15 kg → 4,75 a 5,5 de 6/6h ou 6,5 a 7,5 mL de 8/8h.
  • 16-18 kg → 6,0 a 6,75 mL de 6/6h ou 8,0 a 9,0 mL de 8/8h.
  • 19-21 kg → 7,0 a 7,75 mL de 6/6h ou 9,5 a 10,5 mL de 8/8h.
  • 22-25 kg → 8,25 a 9,25 mL de 6/6h ou 11,0 a 12,5 mL de 8/8h.
  • 26-29 kg → 9,75 a 10,75 mL de 6/6h ou 13,0 a 14,5 mL de 8/8h.
  • 30-32 kg → 11,25 a 12,0 mL de 6/6h ou 15,0 a 16,0 mL de 8/8h.

Indicado para crianças. Dose máxima diária de 75 mg/kg.

Paracetamol Gotas – 200 mg/mL

  • Crianças de 2 a 11 anos → 1 gota/kg até a dosagem máxima de 35 gotas por dose, com intervalos de 4 a 6 horas entre cada administração. Não exceder 5 administrações em um período de 24 horas.
  • Adultos e crianças acima de 12 anos → 35 a 55 gotas, 3 a 5 vezes ao dia. A dose diária máxima é de 4000 mg (275 gotas) administrados em doses fracionadas, não excedendo a dose de 1000 mg por dose (55 gotas), com intervalos de 4 a 6 horas, no período de 24 horas.

Indicado para crianças e adultos.

Supositórios – 125, 250 e 500 mg

  • Bebês de até 7 Kg → 1 supositório de 125 mg de 8/8h.
  • Bebês de 8-11 Kg → 1 supositório de 125 mg de de 6/6h.
  • Crianças de 12-15 Kg → 1 supositório de 250 mg de 8/8h.
  • Crianças de 16-25 Kg → 1 supositório de 250 mg de 6/6h.
  • Adolescentes dos 12-15 anos → 1 supositório de 500 mg de 8/8h.
  • A partir dos 16 anos → 1 supositório de 500 mg de 6/6h ou 2 supositórios de 8/8h.

Indicado para bebês, crianças e adultos.

Efeitos colaterais – Reações adversas

O paracetamol é um remédio bastante seguro e com baixíssima incidência de efeitos colaterais quando a dose máxima de 4000 mg por dia é respeitada. Reações alérgicas graves ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes.

Quando tomado nas doses recomendadas, o medicamento não provoca problemas no estômago nem nos rins, sendo uma excelente alternativa para o controle da dor ou da febre nos pacientes que não podem tomar anti-inflamatórios. Entretanto, o consumo agudo de doses excessivas de paracetamol pode provocar insuficiência renal aguda.

Se forem respeitadas as doses recomendadas, o paracetamol por via oral (xarope, gotas e comprimido) raramente provoca efeitos colaterais relevantes.

Superdosagem – Risco de lesão hepática

Alguns pacientes consomem doses acima do permitido de paracetamol de forma inadvertida. Isso ocorre principalmente quando o paciente que já está tomando o paracetamol para um quadro de gripe resolve tomar também algum anti-gripal sem reparar que o mesmo também contém paracetamol em sua fórmula.

O efeito adverso mais conhecido do paracetamol é a toxicidade hepática (lesão aguda do fígado), que pode ocorrer quando há uma ingestão frequente de doses diárias maiores que 4000 mg (4 gramas) nos adultos ou maiores que 75 mg/kg nas crianças.

Doses acima de 12000 mg (12 gramas) ou 250 mg/kg são perigosas mesmo pontualmente e quase sempre provocam lesão no fígado. O risco de intoxicação pelo paracetamol parece ser maior em alcoólatras.

Em caso de superdosagem, procure orientação médica. As bulas do paracetamol costumam ter um número de telefone para atendimento em caso de intoxicação pelo medicamento.

Os principais sintomas de intoxicação aguda pelo paracetamol são:

  • Anorexia.
  • Náuseas e vômitos.
  • Sudorese intensa.
  • Palidez cutânea.
  • Mal-estar e fraqueza.

Em caso de consumo exagerado do medicamento,  o apoio médico é fundamental para adultos e crianças, mesmo quando o paciente ainda não apresenta os sinais e sintomas de intoxicação.

Contraindicações – quando não tomar

A principal contraindicação ao paracetamol é história prévia de reação alérgica, situação que é rara. Mesmo os indivíduos que têm alergia a anti-inflamatórios, aspirina ou dipirona (metamizol), em geral costumam tolerar bem o paracetamol.

O medicamento deve ser utilizado com cautela nos indivíduos que tenham doença hepática de origem alcoólica ou naqueles que consumam mais de 3 doses de bebidas alcoólicas por dia.

Pacientes com doença hepática crônica controlada, que NÃO consumam álcool, podem tomar paracetamol, pois não há evidências de um risco maior de hepatotoxicidade nesse grupo.

O paracetamol também pode ser utilizado nos pacientes com dengue, zika ou febre chikungunya.

Gravidez e aleitamento

O paracetamol pode ser utilizado durante a gravidez e durante a amamentação. O uso do medicamento nas doses preconizadas não está associado a um aumento do risco de malformações, aborto ou parto prematuro.

Interações medicamentosas

Alguns medicamentos podem aumentar o potencial de hepatotoxicidade do paracetamol, entre eles carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, isoniazida e rifampicina.

Alguns suplementos naturais à base de ervas também podem aumentar o risco de lesão do fígado quando consumidos junto com o paracetamol.

O paracetamol não interfere com a eficácia da pílula anticoncepcional.

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

6
Deixe um comentário

avatar
300
Arthur
Visitante
Arthur

Dr. o que é melhor: tomar paracetamol 750 3x por dia ou paracetamol 500 4x por dia?

Fernanda da Silva
Visitante
Fernanda da Silva

Eu estou colocando selos de DUROGESIC 100 e tomo 3 comprimidos de paracetamol de 1000mg por dia, é que posso continuar esta medicação sem perigo? Pois fui operada a coluna vertebral, e tenho dores horríveis, mesmo com esta medicação contínuo com dores, agradecia que me diga se posso continuar sem perigo! Obrigada

Renata Silva
Visitante
Renata Silva

Dr, qual é melhor para tratar dores comuns: dipirona ou paracetamol?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Eu pessoalmente acho que o efeito analgésico da dipirona é melhor. Mas isso é uma opinião pessoal, não é baseado em estudos. Não me lembro de já ter visto algum estudo que faça uma comparação direta entre os dois.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais