HIPERTENSÃO ARTERIAL – Sintomas, Causas e Tratamento

A hipertensão arterial sistêmica, conhecida popularmente como pressão alta, é uma das doenças mais prevalentes no mundo, acometendo cerca de um terço da população.

Hipertensão

A hipertensão pode surgir em qualquer época da vida, inclusive durante a gravidez, mas é muito mais comum na população adulta e nos idosos. Estima-se que até 80% da população com mais de 60 anos seja hipertensa.

Nas últimas décadas, o número de hipertensos tem aumentado progressivamente, devido a fatores como maior expectativa de vida, maior incidência de obesidade, sedentarismo e de maus hábitos alimentares. A elevada prevalência associada ao fato de que apenas metade dos pacientes hipertensos consegue manter sua pressão arterial devidamente controlada mantêm a hipertensão com o título de principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e AVC.

PUBLICIDADE - PUBLICIDAD

O tema hipertensão arterial é muito vasto, não sendo possível abordá-lo de forma completa eu um único artigo. Neste texto vamos fazer uma revisão geral sobre a doença hipertensão, abordando os seguintes pontos:

  • Sintomas da pressão arterial alta.
  • Diagnóstico da hipertensão arterial.
  • Valores normais da pressão arterial.
  • Doenças causadas pela hipertensão arterial.
  • Fatores de risco para hipertensão.
  • Hipertensão maligna e urgência hipertensiva.
  • Tratamento da pressão alta.

Se você quiser saber mais detalhes sobre a hipertensão, utilize os links que serão disponibilizados ao longo deste texto. Não deixe também de ver  o nosso arquivo de artigos sobre o tema hipertensão arterial: ARQUIVO DE TEXTOS SOBRE HIPERTENSÃO.

Explicamos a hipertensão durante a gravidez em um texto à parte: HIPERTENSÃO NA GRÁVIDA.

Sintomas da hipertensão arterial

Um dos grandes problemas da hipertensão arterial é o fato desta ser assintomática até fases muito avançadas da doença. Não existe um sintoma típico que possa servir de alarme para estimular a procura por um médico.

Achar que é possível advinhar se a pressão arterial está alta ou normal baseado na presença ou na ausência de sintomas, como dor de cabeça, cansaço, dor no pescoço, dor nos olhos, sensação de peso nas pernas ou palpitações, etc., é um erro muito comum. Um indivíduo que não costuma medir sua pressão arterial simplesmente porque não tem nenhum sintoma, pode muito bem ser hipertenso e não saber. Por outro lado, se o paciente é sabidamente hipertenso, mas também não mede a pressão arterial periodicamente, pode ter a falsa impressão de a ter controlada. Não existe nenhuma maneira de avaliar a pressão arterial sem que se faça a aferição da mesma através de um aparelho específico, chamado esfigmomanômetro, conhecido popularmente como “aparelho de pressão”.

O fato de algumas pessoas terem dor de cabeça ou mal estar quando apresentam pressões arteriais muito elevadas não significa que estes sintomas sirvam de parâmetro. Estas mesmas pessoas podem ter picos de hipertensão assintomáticos e não se darem conta disso. É bom salientar que a dor aumenta a pressão arterial, sendo difícil saber nestes casos se a pressão subiu pela dor de cabeça ou a dor de cabeça surgiu pela pressão alta.

Temos um artigo específico sobre os sintomas hipertensão, que pode ser acessado através do seguinte link: SINTOMAS DA HIPERTENSÃO ARTERIAL.

Com que frequência devemos medir a pressão arterial?

PUBLICIDADE - PUBLICIDAD

Todo indivíduo adulto deve pelo menos uma vez a cada um ou dois anos medir sua pressão arterial. Se o paciente for obeso, fumante, diabético ou se tiver história familiar de hipertensão arterial, a pressão deve ser medida com uma periodicidade maior, cerca de duas vezes por ano.

Já os pacientes sabidamente hipertensos devem medir a pressão arterial pelo menos uma vez por semana para saber se a hipertensão está bem controlada. Hoje em dia já existem aparelhos de medir a pressão arterial automatizados, que podem ser adquiridos pelos pacientes para aferição da pressão arterial em casa.

Leia também: COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL.

Diagnóstico da hipertensão arterial

Um erro comum no diagnóstico da hipertensão é achar que o paciente pode ser rotulado como hipertenso baseado apenas em uma aferição isolada da pressão arterial. Um paciente hipertenso pode ter momentos do dia em que a pressão esteja dentro ou próximo da faixa de normalidade, assim como uma pessoa sem hipertensão pode apresentar elevações pontuais de pressão arterial, devido a fatores como estresse e esforço físico. Portanto, não se faz diagnóstico, nem se descarta hipertensão, baseado em apenas uma única medida.

Vários fatores podem alterar a pressão arterial pontualmente, entre eles, estresse, esforço físico, uso de bebidas alcoólicas, cigarro, etc. A maioria das pessoas só procura medir sua pressão após eventos de estresse emocional ou dor de cabeça, situações que por si só podem aumentar os níveis tensionais.

Para se dar o diagnóstico de hipertensão arterial são necessárias de três a seis aferições com resultados elevados, realizadas em dias diferentes, com um intervalo maior que um mês entre a primeira e a última aferição. Deste modo, minimizam-se os fatores confusionais externos. O paciente considerado hipertenso é aquele que apresenta a sua pressão arterial elevada frequentemente e durante vários períodos do dia.

O que é o M.A.P.A?

Quando após algumas aferições da pressão ainda há dúvidas se o paciente é realmente hipertenso ou apresenta apenas pressão alta por ficar nervoso durante a medição da pressão arterial, o ideal é solicitar um exame chamado M.A.P.A (Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial). Este exame é basicamente um aparelho de pressão que fica no braço do paciente durante 24 horas, aferindo e registrando seus valores da pressão arterial diversas vezes por dia, em situações diárias comuns, como dormir, comer, trabalhar, etc.

Após 24 horas de aferições, o aparelho é entregue ao médico que faz a interpretação dos registros. Pessoas com mais de 50% das aferições elevadas são consideradas hipertensas. Pacientes que apresentam entre 20% e 40% das medições elevadas não são considerados hipertensos, mas apresentam um grande risco de desenvolver hipertensão arterial, o que já indica mudanças nos hábitos de vida e de alimentação. Indivíduos com resultados normais são aqueles que apresentam a pressão controlada por mais de 80% do dia.

PUBLICIDADE - PUBLICIDAD

O M.A.P.A pode ser usado para se fazer o diagnóstico de hipertensão arterial nos casos duvidosos, mas também serve para o médico ter uma ideia da efetividade dos tratamento anti-hipertensivo naqueles pacientes já sabidamente hipertensos e sob tratamento. Se o paciente é hipertenso, está a tomar medicamentos e apresenta ao M.A.P.A pressões altas ao longo do dia, isto é um forte indício de que o atual tratamento proposto não está sendo eficaz.

Critérios para hipertensão arterial

A definição mais aceita hoje em dia sobre hipertensão é a seguinte:

Normotensos: pressões menores ou igual a 120/80 mmHg.
Pré-hipertensos: Pressões entre 121/81 – 139/89 mmHg.
Hipertensos grau I : Pressões entre 140/90 – 159/99 mmHg.
Hipertensos grau II: Pressões maiores ou iguais a 160/100 mmHg.

Para saber mais sobre os valores da pressão arterial, acesse o seguinte artigo: VALORES NORMAIS DA PRESSÃO ARTERIAL.

Hipertensão do jaleco branco (hipertensão da bata branca)

Dá-se o nome de hipertensão arterial do jaleco branco quando encontramos pacientes que só apresentam pressão arterial alta durante as consultas médicas. São pessoas que ficam ansiosas na presença do médico e a pressão sobe pontualmente. Em casa, fora das consultas, estes indivíduos apresentam a pressão arterial dentro da faixa da normalidade. Às vezes, é difícil diferenciá-las dos hipertensos verdadeiros. Em geral, é preciso realizar o M.A.P.A para se ter certeza.

A hipertensão do jaleco branco não é hipertensão propriamente dita, mas acomete pessoas que apresentam maior tendência de desenvolvê-la, sendo um fator de risco para hipertensão real. Estes pacientes têm indicação para mudanças nos hábitos de vida visando impedir a progressão para a doença estabelecida.

Consequências da hipertensão arterial

A hipertensão está associada a diversas doenças graves como:

– Insuficiência cardíaca (leia: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA – CAUSAS E SINTOMAS).
– Infarto do miocárdio (leia: SINTOMAS DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E ANGINA).
– Arritmias cardíacas (leia: PALPITAÇÕES, TAQUICARDIA E ARRITMIAS CARDÍACAS).
– Morte súbita (leia: CAUSAS DE MORTE SÚBITA).
– Aneurismas (leia: O QUE É UM ANEURISMA?).
– Perda da visão (retinopatia hipertensiva).
– Insuficiência renal crônica (leia: INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA – SINTOMAS).
– AVC isquêmico e hemorrágico (leia: AVC – ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL).
– Demência por micro infartos cerebrais.
– Arteriosclerose.

A hipertensão arterial raramente tem cura e o objetivo do tratamento é evitar que órgãos como coração, olhos, cérebro e rins, chamados de órgãos alvo, sofram lesões que causem as doenças descritas acima.

Como já mencionei, as lesões iniciais da hipertensão arterial são assintomáticas, porém, existem exames que podem detectá-las precocemente.

HIPERTENSÃO E RINS

Uma manifestação precoce de lesão renal pela pressão alta é a presença de proteínas na urina, chamada proteinúria (leia: PROTEINÚRIA, URINA ESPUMOSA E SÍNDROME NEFRÓTICA ). Essas proteínas podem ser detectadas facilmente através de um exame de urina simples chamado de E.A.S (leia: ENTENDA SEU EXAME DE URINA). Pequenas quantidades de proteínas são assintomáticas. Lesões renais avançadas levam a grandes proteinúrias, que se manifestam como uma grande formação de espuma na urina (tipo colarinho de chopp). Outro sinal de doença avançada é a elevação da creatinina sanguínea (leia: CREATININA E UREIA).

A pressão alta, se não tratada, pode, a longo prazo, levar à insuficiência renal terminal e necessidade de hemodiálise.

Se você ou algum familiar próximo é hipertenso, antes de seguirmos em frente, assista a esse curto vídeo de 3 minutos, produzido pela equipe do MD.Saúde, que explica de forma simples a insuficiência renal e o exame da creatinina, análise essencial para o diagnóstico precoce das doenças dos rins:

Vídeo sobre doença renal crônica

HIPERTENSÃO E OLHOS

A hipertensão arterial leva à lesão dos vasos que irrigam os olhos causando perda progressiva da visão. Um exame de fundo de olho pode revelar lesões precoces que ainda não causam sintomas. O exame de fundo de olho aquele exame simples em que o médico dilata a nossa pupila e depois observa o olho com uma lanterna especial
(leia: FUNDO DE OLHO | Oftalmoscopia).

Comparem as duas fotos abaixo de um exame de fundo de olho. A primeira é de um olho normal. O segundo é um olho com retinopatia hipertensiva avançada. As manchas vermelhas arredondadas são hemorragias e as manchas claras são pus. Reparem na deformidade dos vasos.

Fundo de olho

Fundo de olho - hipertensão arterial

HIPERTENSÃO E CORAÇÃO

O coração é talvez o órgão que mais sofra com a hipertensão. A pressão arterial elevada faz com o ele tenha que bombear o sangue com mais força para vencer essa resistência. O coração é um músculo e como tal se hipertrofia (aumenta a massa muscular) quando submetido a esforços cronicamente. Um coração com massa muscular aumentada apresenta um espaço menor na sua cavidade para receber sangue. Esta diminuição no espaço para o sangue dentro do coração causa a chamada disfunção diastólica.

A hipertrofia do ventrículo esquerdo e a disfunção diastólica são os sinais mais precoces de estresse cardíaco pela hipertensão. Podem ser detectados no eletrocardiograma, mas são mais facilmente vistos no ecocardiograma.

Como um elástico que durante muito tempo foi esticado e acaba por perder sua elasticidade, ficando frouxo, o coração depois de anos de estresse pela hipertensão deixa de hipertrofiar e começa a dilatar-se, perdendo a capacidade de bombear o sangue. A esta fase dá-se o nome de insuficiência cardíaca.

A hipertensão também aumenta o risco de doença coronariana, estando os pacientes hipertensos mal controlados sob maior risco de infarto do miocárdio (leia. INFARTO DO MIOCÁRDIO | Causas e prevenção).

HIPERTENSÃO E CÉREBRO

Um dos mais importantes fatores de risco para AVC (derrame cerebral) é hipertensão arterial.

Muitas vezes os infartos cerebrais são pequenos e não causam grandes sequelas neurológicas. Conforme o tempo passa e hipertensão não é controlada, essas pequenas lesões vão se multiplicando, sendo responsáveis pela morte de milhares de neurônios. O paciente começa a apresentar um quadro de progressiva perda das capacidades intelectuais, que costuma passar despercebida pela família nas fases iniciais, mas que ao final de vários anos leva a um quadro chamado de demência multi-infarto ou demência vascular.

Na maioria das vezes, estas lesões de órgãos importantes causadas pela hipertensão arterial mal controlada podem ser revertidas se tratadas a tempo. Mas para isso é necessária a conscientização de que a hipertensão deve ser tratada antes dos sintomas das lesões destes órgãos aparecerem, e não depois.

Causas e fatores de risco para hipertensão

Dividimos a hipertensão arterial em duas classificações, de acordo com suas causas: hipertensão essencial (hipertensão primária) e hipertensão secundaria. A hipertensão primária é aquela que surge sem uma causa definida. Esta forma de hipertensão é responsável por 95% dos casos.

A hipertensão arterial primária não tem uma causa claramente identificada, mas os seus principais fatores de risco são bem conhecidos:

– Etnia negra.
– Obesidade.
– Elevado consumo de sal (leia: SAL E HIPERTENSÃO).
– Consumo de álcool (PERIGOS DO CONSUMO DE ÁLCOOL E DO ALCOOLISMO).
– Sedentarismo.
– Colesterol alto (leia: COLESTEROL HDL, COLESTEROL LDL E TRIGLICERÍDEOS).
– Apneia obstrutiva do sono (leia: APNEIA DO SONO – Causas, Sintomas e Tratamento)
– Tabagismo (leia: DOENÇAS DO CIGARRO).
– Diabetes Mellitus (Leia: DIABETES | Diagnóstico e sintomas).

Para saber sobre as causas e fatores de risco para hipertensão arterial, acesse o seguinte link: CAUSAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL.

Crise hipertensiva: hipertensão maligna e urgência hipertensiva

A hipertensão maligna é uma emergência médica e ocorre quando há um aumento súbito dos níveis da pressão arterial, causando lesão aguda de órgãos nobres, como rins, coração, cérebro e olhos. A hipertensão maligna normalmente se apresenta com valores de pressão sistólica acima de 220 mmHg ou diastólica acima de 120 mmHg.

As manifestações mais comuns são insuficiência renal aguda, hemorragias da retina, edema da papila do olho, insuficiência cardíaca aguda e encefalopatia (alterações neurológicas pela pressão elevada).

Nem todo paciente com níveis elevados de pressão arterial apresenta hipertensão maligna. Para que isso ocorra é preciso, além da hipertensão grave, haver sintomas e lesões agudas de órgãos nobres. Quando os níveis pressóricos estão muito elevados, normalmente acima de 180 x 120 mmHg, mas não há sintomas ou lesões agudas de órgãos, chamamos de urgência hipertensiva.

A hipertensão maligna é indicação de internação e redução rápida dos valores da pressão. Na urgência hipertensiva, não há necessidade de hospitalização e a pressão pode ser reduzida gradativamente ao longo de 24-48 horas.

Para saber mais sobre a crise hipertensiva, leia: CRISE HIPERTENSIVA.

Tratamento da hipertensão arterial

Uma vez feito o diagnóstico da hipertensão, todos os doentes devem se submeter a mudanças de estilo de vida antes de se iniciar terapia com medicamentos. As principais são:

– Redução de peso.
– Iniciar exercícios físicos.
– Abandonar cigarro (leia: MALEFÍCIOS DO FUMO).
– Reduzir o consumo de álcool (leia: MALEFÍCIOS DO ÁLCOOL).
– Reduzir consumo de sal.
– Reduzir consumo de gordura saturada (leia: COLESTEROL BOM (HDL) E COLESTEROL RUIM (LDL)).
– Aumentar consumo de frutas e vegetais.

A redução da pressão arterial com essas mudanças costuma ser pequena e dificilmente uma pessoa com níveis pressóricos muito altos (maior que 160/100 mmHg) atinge o controle da hipertensão sem a ajuda dos remédios. Todavia, nas hipertensões leves, há casos em que apenas com controle do peso, dieta apropriada e prática regular de exercícios consegue-se o controle da pressão arterial. O problema é que a maioria dos pacientes não aceita mudanças nos hábitos de vida e acabam tendo que tomar medicamentos para controlar a pressão.

Aqueles pacientes que já chegam ao médico com pressão alta e sinais de lesão de algum órgão alvo devem iniciar tratamento medicamentoso logo, uma vez que o fato indica hipertensão de longa data. Obviamente, as mudanças de estilo de vida também estão indicadas neste grupo.

Apenas pacientes com sinais de lesão de órgão alvo, insuficiência renal crônica, diabetes ou com doenças cardíacas, devem iniciar o tratamento com drogas imediatamente.

Remédios para hipertensão arterial (anti-hipertensivos)

Existem dezenas de drogas diferentes disponíveis no mercado para o controle dos níveis da pressão arterial. Ao contrário do que se apregoava até há pouco tempo, não importa muito a droga escolhida no tratamento da pressão alta, contanto que ela seja efetiva em reduzir os níveis pressóricos para abaixo de 140/90 mmHg.

Falamos detalhadamente sobre os principais remédios usados no tratamento da hipertensão em um artigo à parte que pode ser acessado neste link: OPÇÕES DE REMÉDIOS PARA PRESSÃO ALTA.

O tratamento dos casos de hipertensão arterial de difícil controle será discutido em outro texto: HIPERTENSÃO ARTERIAL DE DIFÍCIL CONTROLE.

PUBLICIDADE - PUBLICIDAD

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.

284 Comentários

  1. Rodrigo

    Olá Dr. Minha mãe é hipertensa e faz tratamento há alguns anos. De 6 meses para cá ela começou a ter picos repentinos de pressão. O que me causa estranheza é o fato de tais picos ocorrerem apenas de madrugada.
    Isso é normal ou é apenas uma coincidência?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Isso provavelmente ocorre porque a medicação não tá adequada. Ela toma algum anti-hipertensivo à noite?

  2. Juliana

    Ola Dr, É a Juliana de novo achei que não Fui muito Clara ao me explicar na outra postagem anterior.
    Bom eu tô tendo presao alta já a bastante tempo, só que alguns meses atrás ela sobe muito 16/10, 17/10 sendo que eu estou tomando certinho o atenolol já a 4 meses!!!
    E também já fiz todos tipos de exames e não deram nada!
    O Dr acha que pode ser emocional?
    Por favor Dr Pedro Pinheiro me ajude!!
    Obrigada.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Você só toma um medicamento para hipertensão e ele nem é de primeira linha. É provavelmente por isso que sua pressão não está controlada.

    2. Juliana

      O que seria medicamento de primeira linha?
      Se eu pedir para o meu médico Eu vai entender?
      Obrigada.

      1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

        São medicamentos que devem ser ser usados de forma prioritária para iniciar o tratamento. Sim, o médico vai entender.

  3. Marcelo Alves

    Tenho 26 anos minha pressa esta 14×8 ja e considerada alta?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Tá no limite.

  4. ROBERTO

    Tenho 28 anos
    Doutor acho que estou começando a ter hipertensão, como procedo, que médico procuro, que exames são necessários?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Procure um clínico geral ou cardiologista. Num primeiro momento, não é preciso fazer exames, você tem que é que confirmar se tem pressão alta ou não.

      1. ROBERTO

        Ok muito obrigado

  5. leid

    Tenho 25 anos minha pressao deu um dia 13por 7 e dois dias depois deu 12 por 6 e normal.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Sim.

  6. William

    Dr., tenho 15 anos, ontem passei mal fiz a aferição da minha pressão na hora, e ela estava 20×12, devo procurar urgentemente um cardiologista?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Meça a sua pressão novamente, mas em repouso. Se estiver alta, procure um médico.

  7. Silvana

    Dr. Tomo a medicação Micards HCT/14/12,5 mg e posso tomar MaxSulid 400 mg, pois estou com forte dor de garganta e faringe?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Só se tiver sido prescrito por um médico. Anti-inflamatórios podem ter efeitos colaterais importantes. Não é o tipo de droga pra sair usando de forma indiscriminada.

  8. Anderson Duarte

    Estou fazendo tratamento de hipertensão usando os medicamentos losartana e atenolol.Só que a alguns dias atrás o atenolol passou a fazer mau pro meu estômago, mesmo eu tomando omeprazol. Parei de tomar o atenolol por um dia e minha pressão que estava normalizada saltou para 15X10. Após consulta, estou tomando o SeloZok. No entanto a pressão continua alta.Leva um tempo até o corpo se adaptar ao novo medicamento? O horário de tomar a medicação, mesmo que seja feita de forma regular, influencia no controle da pressão? Muito grato, Dr. Pedro!

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Em poucos dias é para a pressão estar novamente controlada. A questão é: será que foi mesmo o atenolol que fez mal ao estômago? O selozok é da mesma família.

      1. Anderson Duarte

        Muito grato, Dr! Tenha uma boa noite!

  9. beoni ribeiro

    por favor alguém pode me dizer pq tenho sentido dores no ouvido esquerdo após minha pressão arterial ter se alterado?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Será que há relação ou foi só uma coincidência? Tem que fazer um exame do ouvido para saber a causa da dor. Hipertensão não costuma dar dor de ouvido.

    2. Arley Villas Boas

      engraçado, estou com dor de ouvido do lado esquerdo tambem e minha pressao está 17/10. será mesmo q n tem relação Dr Pedro?

      1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

        Poder, pode, mas como não é o mais habitual, é importante descartar outras causas, se a dor for muito forte.

        Na verdade, qualquer dor pode fazer a pressão subir. Por isso, pessoas hipertensas que tenham dor no ouvido podem ficar com a pressão descontrolada. A questão é saber o que é causa e o que é consequência.

  10. Eduardo Mog

    Prezado Doutor : Um paciente Hipertenso sobre controle medicamentoso , há muito tempo …
    De uns dias para cá se queixando de moleza e fraqueza …ao aferirmos sua P.A , nos surpreende com 10 x 6 , 8×6 ……
    Optamos por não dar o medicamento anti hipertensivo….
    2 horas depois aferimos novamente …resultado 15 por 8 , 17 x 10
    demos o medicamento ok se regularizou….
    pergunto com a pressao baixa , tipo abaixo de nove por seis devemos dar o medicamento ? ja que ela ira subir ? ou nao?
    abraços Paz e Saude , parabens pelo trabalho

  11. Eduardo Mog

    Prezado Doutor : Um paciente Hipertenso sobre controle medicamentoso , há muito tempo …
    De uns dias para cá se queixando de moleza e fraqueza …ao aferirmos sua P.A , nos surpreende com 10 x 6 , 8×6 ……
    Optamos por não dar o medicamento anti hipertensivo….
    2 horas depois aferimos novamente …resultado 15 por 8 , 17 x 10
    demos o medicamento ok se regularizou….
    pergunto com a pressao baixa , tipo abaixo de nove por seis devemos dar o medicamento ? ja que ela ira subir ? ou nao?
    abraços Paz e Saude , parabens pelo trabalho

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Não se deve dar sempre que a pressão estiver abaixo de 90/60 mmHg. Se isso ocorre com frequência o ideal é reduzir a dose ou mudar o horário da medicação.

  12. Paulo Victor Tavares da Costa

    Boa noite doutor, tenho 25 anos, pratico musculação e minha pressão arterial esta oscilando, 13/8 a 14/9. na maioria das vezes está 13/8 . como muito sal e bebo bebidas alcoólicas finais de semana. antes de tomar remédio, posso mudar meus hábitos ?

  13. jeane

    boa noite doutor gostaria de saber ,qual medico devo proucurar para saber se sou ipertença?

  14. Joana Isabel Amaral

    Boa tarde, Dr Pedro Pinheiro
    Hoje recebi o meu exame MAPA onde na impressão clinica o Dr cardilogista disse “Perfil tensional das 24 h dentro de parametros normais. Excessiva variação circadiana”.
    Mas como eu sou muito curiosa fui ver as medições ao longo do dia e noite e verifiquei uma medição ás 08:51:26 – HR sys.BP – 202 / dia.BP 174 e mn BP 183.
    Estou em pânico…

    Com sos melhores cumprimentos
    joana

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Uma ou duas medições alteradas ao longo do dia inteiro não significam nada. Se todas as outras forem normais, isso não é motivo para estresse.

  15. humorjean

    Valeu pela resposta, Dr.Pedro.Falando nisso, eu enviei três perguntas há pouco tempo atrás na seção sobre diarreia( diarreia não possui mais acento agudo…caramba, realmente destruíram a língua portuguesa brasileira…hahaha), relacionadas com processos digestivos. Você pode ter recebido ou existe a possibilidade de erro no sistema?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Jean, por uma questão de tempo, eu seleciono apenas algumas perguntas por dia para publicar e responder. Dou preferência aos textos com menos perguntas e a pessoas que ainda não tiveram nenhuma pergunta respondida.

  16. humorjean

    Por que em atletas o esforço cardíaco aumenta o volume do miocárdio, acarretando melhorias na irrigação sanguínea e necessidade de menos contrações deste músculo, mas já em pessoas hipertensas, o esforço produz efeitos totalmente indesejáveis? É por causa da secreção de diversas substâncias e trabalho conjunto de diversos outros órgãos durante as atividades físicas?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      É pelo tipo de hipertrofia que se desenvolve. Na hipertensão o coração hipertrofia inicialmente e depois começa a se dilatar, ao contrário do coração que se fortalece com exercícios.

    2. Pedro Pinheiro

      É pelo tipo de hipertrofia que se desenvolve. Na hipertensão o coração hipertrofia inicialmente e depois começa a se dilatar, ao contrário do coração que se fortalece com exercícios.

  17. Jonas Affonso

    Excelente artigo. Estou com suspeitas de hipertensão e, este artigo, me deu uma ideia clara dos riscos de não me cuidar.

  18. Mariana da Silva

    Oi colega sugiro a vc que procure logo um cardiologista eu tamb sou hipertensa e meu médico falou que calculo renal pode provocar pressão alta.

  19. rosy

    olá,uma pessoa com 40 anos que trabalha com construção civil e sua PA sempre está 14×9 quando tem problemas no trabalho vai p 16×11, é hipertenso? ou pode ser do estresse ou sedentarismo.

    1. Pedro Pinheiro

      Há grande risco desta pessoa ser hipertensa. O ideal é ela procurar um médico para confirmar esse diagnóstico.

  20. Ricardo Martins

    Dr. tenho 44 anos nunca fumei, bebo socialmente, faço atividade f´sica pelo menos 3 vezes por semana, mas comecei a apresentar pressão alta media de 16/10 mmHg , talvez por um momento de grande stress. Fui medicado e comecei a tomar o enalapril, entretanto uma semana depois comecei a sentir um zumbido no ouvido que não para e uma leve desfunção eréctil, com baixo alibido, coisa que nunca havia passado comigo antes. Existe algum medicamento que não tenha esse tipo de efeito colateral?

  21. Valdenor Junior

    Muito bom seu artigo, está me ajudando muito em meu tabralho da faculdade sobre Hipertensão. mas ficou uma duvida, Qual a diferença da PA dos negros? o porque que alguns

    medicamentos são indicados para negros e outros não, como citado no artigo a cima. Obrigado

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Negros costumam ter um tipo de hipertensão pouco influenciada pelos níveis de reniina. Muitos tem até níveis baixos de renina. Por isso, medicamentos que bloqueiam esta substância são menos eficazes.

  22. Bruce Killer

    Bom artigo.

  23. Gustavo Morais

    sou gustavo,moro em natal, tenho 16 anos e faço aferição da minha pressão arterial ao sentir cefaleia e verifico que sempre ela esta 15×6, 14,8×6,5 ou 13,5×6,5. preciso ser medicado ou somente mudanças de habitos e fazer musculação bastaria

  24. Lua Santos

    fui ao medico porque sentia adormecimento no braço e perna esquerda. e em duas medicoes de tensao alta, me deram logo meidcamentos tais como captopril e outro…será uqe nao seria conveniente antes fazer exames medicos para determinar a minha doença? e queria saber como acabar com essa sensacao de adormecimento dos membros.

  25. Raquel

    Olá,sou Raquel de Paula,Agente de Saúde no meu município,preciso de orientação para ministrar uma palestra no dia 21/11/2012 no PSF onde trabalho.Gostaria de uma sua ajuda para apresentar o tema sobre HA de uma forma dinâmica.Aguardo sua resposta,desde já obrigada e parabéns pelo artigo!!

  26. Raquel

    Olá,sou Raquel de Paula,Agente de Saúde no meu município,preciso de orientação para ministrar uma palestra no dia 21/11/2012 no PSF onde trabalho.Gostaria de uma sua ajuda para apresentar o tema sobre HA de uma forma dinâmica.Aguardo sua resposta,desde já obrigada e parabéns pelo artigo!!

  27. josilene barbosa da silva

    muito bom esses artigos, sou estudande de enfermagem e sempre que tenho duvidas ou algum trabalho, venho aqui. kkk, minha familia quase toda sofre com essa doença e eu tenho que ficar no pé deles pra não deixarem de tomar os remedios, a principal queixa são os efeitos adversos, seria otimo se houve-se um remedio ideal, que não provocase tanto desconforto aos hipertensos.

  28. Ivonevilella1

    quem toma remedios pra pressao alta e tbm toma remedio pra tiroide e toma cerveja todos os dias quais os riscos,

  29. Keila Muniz

    Excelente o artigo. Estou com 32 anos de idade. Tive depressão aos 16, outra depressão mais profunda aos 19, mas mesmo assim nunca apresentava alteração de pressão arterial.Tenho pressão arterial frequentemente mais baixa (11/7; 10/6), tomo tranquilizantes (bromazepam durante 10 anos e agora rivotril). Durante minha gravidez, quando eu estava com 25 anos, me mantive com ela baixa. Contudo, o trabalho de professora, o perfeccionismo, o gênio difícil, a revolta com problemas no trabalho e hoje a pressão de ser diretora de uma escola difícil, elevaram minha tensão e meu nervosismo. Não gosto do que estou fazendo. Tomo muito café (parece um vício). Por duas vezes depois de dias tensos e estressantes, fui ao médico e minha pressão arterial estava em 14/9. Só de medi-la fico nervosa, tensa. Sou preocupada demais, ansiosa,mas esses episódios foram isolados. Gostaria de saber se sou hipertensa ou posso evitar isso mudando hábitos. Sou filha de mãe hipertensa. Da última vez em que minha pressão foi a 14/9, senti-me muito mal, como se fosse desmaiar, me desesperei, piorei, tive receio de morrer de ter um derrame sem ainda saber o que se passava comigo. Foi uma crise terrível. 
     O tranquilizante me acalmou e tudo se normalizou.

  30. Denisesilvajorge

    Excelente artigo!
    Muito obrigada pelos exclarecimentos.
    Estava tomando Losartana com Hidroclorotiazida (100×50) e como vinha tendo mal estar com frequencia acabei parando de tomar o remedio, porém, pude perceber que nao foi uma boa decisão. Continuo hipertensa e terei de voltar a tomar o medicamento.

  31. Joaosguedes

    como sou hipertenso procuro sempre saber mais sobreo assunto e aqui achei bastante informaçao uteis muito obrigado pelo trabalho

  32. Vania Freitas

    Excelente, agora com 59 anos comecei a usar o losartan devido ao descontrole de minha pressão. Minha dúvida é: o que tomar em caso de dor de cabeça? Qual é o melhor, tilenol, buscopan, dorflex, dipirona? e porque minha pressão digo a mínima não abaixa?

  33. Jhonyzinho_15

    muito bom apredir o que devo fazer e como tratar…..
    O site vou fazer um trabalho sobe esse tema aqui pudi apreder sobre
    hipertensão arterial…

  34. Creusacusturov

    Procuro uma explicação sobre a pressão mínima e a máxima. Por exemplo 6 x 16, a mínima não sobe só a máxima subiu. O que quer dizer? É mais perigoso?

  35. Keila Muniz

    Excelente o artigo. Estou com 32 anos de idade. Tive depressão aos 16, outra depressão mais profunda aos 19, mas mesmo assim nunca apresentava alteração de pressão arterial.Tenho pressão arterial frequentemente mais baixa (11/7; 10/6), tomo tranquilizantes (bromazepam durante 10 anos e agora rivotril). Durante minha gravidez, quando eu estava com 25 anos, me mantive com ela baixa. Contudo, o trabalho de professora, o perfeccionismo, o gênio difícil, a revolta com problemas no trabalho e hoje a pressão de ser diretora de uma escola difícil, elevaram minha tensão e meu nervosismo. Não gosto do que estou fazendo. Tomo muito café (parece um vício). Por duas vezes depois de dias tensos e estressantes, fui ao médico e minha pressão arterial estava em 14/9. Só de medi-la fico nervosa, tensa. Sou preocupada demais, ansiosa,mas esses episódios foram isolados. Gostaria de saber se sou hipertensa ou posso evitar isso mudando hábitos. Sou filha de mãe hipertensa. Da última vez em que minha pressão foi a 14/9, senti-me muito mal, como se fosse desmaiar, me desesperei, piorei, tive receio de morrer de ter um derrame sem ainda saber o que se passava comigo. Foi uma crise terrível. 
     O tranquilizante me acalmou e tudo se normalizou.

  36. marisa

    hipertensão arterial pode influenciar na vida sexoal

  37. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

    Os remédios podem diminuir a potência masculina.

  38. Shellymeneses

    ola Dr, a dias quando afiro a minha pressão ela esta entre 1000X80 a 130×100, posso mim considera hipertensa? obrigada!

  39. Keila karolczyk

    Adorei a forma simples de como expos os artigos. Obrigado por se preocupar em educar o outro com o fim de nào adoecer. O trabalho preventivo é mesmo o caminho para uma vida melhor. Parabéns!!!!

  40. Renan amaro

    nao sou o doutor mas estudo enfermagem.a pressao sistilica é o primeiro batimento e a diastólica é o ultimo batimento;passoas q apresentam presoes muito próximas ou muito distantesé o corrimento do sangue na veia q ou esta próxima ou distante,muito ou pouco.

  41. Nandinhaa M

    ótimo o site, usei o conteúdo para um relatório para o meu curso de Nutrição….adoreeeiii

  42. Irailda

    Dr Pedro, estou encantada com seu site. Não é apenas informativo, mas esclarecedor,  ajudando-me  sem desespero e estresse conviver e entender alguns “distúrbios” que venho apresentando como  pressão arterial elevada, hipotireoidismo, triglicerídeos elevado, colesterol bom baixo etc…

    1. Nalva

      Estou com 36 anos sou ipertensa desde dos 28 quando fiquei gravida estou tomando inalapril e nifedipina ate quando posso tomar este remedio? porque ja mi falaram que este remedio nao pode tomar muito tempo pelo fato de ser muito forte e verdade?