Qual é a pressão arterial normal?

Atualizado em
Comentários: 119

Hipertensão arterial

A hipertensão arterial é uma doença crônica que acomete milhões de pessoas em todo o mundo. Estima-se que cerca de 20% de toda a população tenha níveis de pressão arterial acima do normal. Nos idosos, a hipertensão é ainda mais comum, estando presente em mais da metade das pessoas.

A hipertensão é o mais comum fator de risco para doenças cardiovasculares e AVC (derrame cerebral). A pressão alta também é responsável por outros problemas graves, como a insuficiência renal crônica, aneurismas e lesões nos vasos sanguíneos do olhos. Como se não bastassem todas as possíveis complicações, a hipertensão ainda tem um outro problema: é uma doença silenciosa que não provoca sintomas na maioria dos casos.

Portanto, a única forma se saber se alguém se é hipertenso é através da aferição da pressão arterial. Mas quais são os valores normais da pressão arterial? Neste artigo vamos mostrar quais são os valores desejáveis da pressão arterial para adolescentes, adultos e idosos.

Se você procura por mais informações sobre a hipertensão arterial sistêmica, acesse o nosso arquivo de texto sobre assunto através deste link: ARQUIVO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL.

Resumo em vídeo

Antes de seguirmos em frente, assista a esse curto vídeo que explica o que é a hipertensão arterial:

YouTube video

O que é a pressão arterial?

A pressão arterial é a pressão que o sangue exerce sobre as paredes das artérias. Vamos fazer uma analogia: imaginem uma mangueira toda vazia e murcha. Conforme abrimos a água, a pressão dentro da mangueira eleva-se e as suas paredes distendem-se. Como a mangueira é um sistema aberto, por mais que a gente abra a torneira, o fato da água sair por uma das extremidades impede que a pressão sob a parede da mangueira fique muito elevada.

No corpo humano, porém, o sistema circulatório é um sistema fechado, se a pressão dentro dos vasos for se elevando, o sangue não tem para onde ir, e a única coisa que o organismo pode fazer é distender os vasos sanguíneos de forma a comportar o volume sanguíneo circulante.

Teoricamente, os vasos sanguíneos são autorreguláveis, ou seja, eles se dilatam ou se comprimem conforme o volume de sangue circulante, de forma a manter a pressão arterial mais ou menos constante. Se o volume de sangue diminui um pouco, os vasos se comprimem (vasoconstrição); se o volume de sangue aumenta um pouco, os vasos dilatam-se (vasodilatação). É lógico que existe um limite, se o volume de sangue diminui muito ou aumenta de forma excessiva, por mais que as artérias se comprimam ou se expandam, elas não vão conseguir manter a pressão arterial em um nível adequado.

Pressão arterial: pressão que o volume de sangue exerce nas paredes das artérias
Pressão arterial: pressão que o volume de sangue exerce nas paredes das artérias

Portanto, você já consegue entender que uma das causas da hipertensão arterial é um aumento excessivo do volume de sangue dentro dos vasos sanguíneos. Esse excesso costuma ocorrer quando o organismo retém muito sal e água. Porém, a maioria dos pacientes hipertensos não têm excesso de líquidos no organismo, pelo menos não o suficiente para ultrapassar a capacidade de dilatação dos vasos. O que ocorre é uma falha na capacidade de autorregulação. As artérias ficam sempre mais comprimidas que o necessário para a pressão arterial ficar normal.

A origem da perda da capacidade de autorregular a pressão arterial, que dá origem à hipertensão, é um processo complexo e ainda não bem esclarecido. Ele envolve fatores genéticos, quantidade de sal (sódio) no organismo, capacidade dos rins de lidarem com o volume de água corporal, produção de hormônios que agem diretamente sobre a parede dos vasos sanguíneos e a própria saúde das artérias, que precisam estar capazes de se contrair e dilatar adequadamente.

Quanto menor for a capacidade dos vasos se autorregularem conforme o volume de sangue presente, maior é o risco do paciente desenvolver hipertensão arterial. Os casos mais graves costumam ser aqueles no qual o paciente tem um real excesso de volume e seus vasos são incapazes de dilatar para comportar o aumento da pressão sobre suas paredes.

O que são a pressão arterial sistólica e diastólica?

Para podermos entender o que é uma pressão arterial normal, precisamos antes compreender a forma como descrevemos os valores da pressão. Por exemplo, você sabe o que significa dizer que um paciente tem pressão arterial de 120/80 mmHg?

O coração bombeia o sangue através dos seus batimentos. Quando o coração se contrai, ele expulsa o sangue do seu interior em direção aos vasos. Quando ele relaxa, volta-se a encher de sangue. essa alternância de contração e relaxamento ocorre, em média, de 60 a 100 vezes por minuto. O coração enche e esvazia, enche e esvazia… A pressão sob as paredes das artérias é pulsátil, ou seja, aumenta na fase de contração do coração e diminui na fase de relaxamento.

A contração do músculo cardíaco é chamada de sístole. Portanto, a pressão sistólica é aquela que ocorre durante a sístole. O relaxamento do músculo cardíaco é chamado de diástole, logo, pressão diastólica é aquela que ocorre durante a diástole. A pressão arterial atinge o seu maior valor durante a sístole e o menor durante a diástole. Por isso, elas também são chamadas de pressão máxima e pressão mínima.

A aferição da pressão arterial é descrita sob a unidade milímetros de mercúrio (mmHg). Logo, se o paciente tem uma pressão arterial de 120/90 mmHg, isso significa que a pressão máxima sobre a parede da artéria, que ocorre durante a sístole, é de 120 mmHg e a pressão mínima, que ocorre durante a diástole, é de 80 mmHg.

O público leigo costuma chamar de 12/8 (12 por 8), mas, na verdade, a forma correta é 120/80 (120 por 80), pois este é o valor da pressão em milímetros de mercúrio.

Valores normais da pressão

As nossas artérias foram programadas para trabalhar dentro de certos valores de pressão. Quando as artérias são submetidas de forma prologada a níveis pressóricos muito elevados, o excesso de tensão sobre suas paredes começa a provocar graves lesões.

Pequenas fissuras na parede podem surgir, facilitando o rompimento de pequenos vasos e a formação de placas de cálcio nas artérias de maior calibre. Essas placas, além de diminuírem a própria elasticidade da artéria, também reduzem o calibre interno favorecendo a oclusão da circulação por trombos, evento chamado de trombose.

Além das lesões nos vasos sanguíneos, a pressão arterial excessiva também aumenta o trabalho do coração, que precisa bombear o sangue contra uma resistência maior. Após anos de trabalho excessivo, o coração começa a dilatar, levando à insuficiência cardíaca (leia: Insuficiência cardíaca).

A pressão arterial normal é, portanto, aquela na qual as artérias não ficam sob estresse e o coração não fica sobrecarregado. Atualmente, os níveis de pressão arterial para adultos, idosos e adolescentes são divididos da seguinte forma:

  • PRESSÃO ARTERIAL NORMAL – pacientes com pressão sistólica menor que 120 mmHg e pressão diastólica menor que 80 mmHg.
  • PRÉ-HIPERTENSÃO – pacientes com pressão sistólica entre 120 e 129 mmHg ou pressão diastólica menor que 80 mmHg.
  • HIPERTENSÃO ESTÁGIO 1 – pacientes com pressão sistólica entre 130 e 139 mmHg ou pressão diastólica entre 80 e 89 mmHg.
  • HIPERTENSÃO ESTÁGIO 2 – pacientes com pressão sistólica acima de 140 mmHg ou pressão diastólica acima de 90 mmHg.
  • CRISE HIPERTENSIVA – pacientes com pressão sistólica acima de 180 mmHg ou pressão diastólica acima de 110 mmHg.

Temos um texto específico sobre crise hipertensiva, que pode ser acessado através deste link: Crise hipertensiva – hipertensão maligna.

Os valores descritos acima são usados para diagnosticar e classificar a hipertensão, porém, eles não servem como alvo para o tratamento. Nos pacientes hipertensos em uso de medicamentos, os valores que desejamos alcançar são:

  • Adolescentes e adultos: a pressão arterial deve ficar abaixo de 140/90 mmHg.
  • Adultos que tenham diabetes e/ou doença renal crônica: a pressão arterial deve ficar abaixo de 130/80 mmHg.

Valores normais nas crianças

A definição de hipertensão nas crianças é mais complexa, pois depende do percentil de altura em que ela se encontra. Por exemplo, uma criança de 5 anos que esteja no percentil 10 de altura é considerada hipertensa se tiver valores persistentemente acima de 109/70 mmHg. Já uma criança, também de 5 anos, mas no percentil 90 de altura precisa ter valores frequentemente acima de 115/74 mmHg para ser diagnosticada com hipertensão.

Existem tabelas com os valores de pressão arterial aceitáveis conforme a idade e com os percentis 5, 10, 25, 50, 75, 90 e 95 de altura. São dezenas de valores possíveis, por isso, ninguém os sabe de cor. Após aferir a pressão da criança, é preciso definir em que percentil de altura ela está para poder, através da tabela, interpretar os seus níveis de pressão arterial.

Pressão arterial normal nas grávidas

Os valores da pressão arterial nas grávidas devem ser os mesmos que nos adultos em geral. Portanto, o normal para uma gestante é ter uma pressão menor que 140/90 mmHg.

Porém, apesar dos valores de referência da pressão arterial serem os mesmos, a indicação para começar tratamento com medicamentos é diferente, pois não há benefícios claros com o controle muito rigoroso da pressão nas grávidas, e ainda há o risco de efeitos colaterais para o feto.

Na grávida existem três tipos de hipertensão:

  • Hipertensão de início durante a gravidez.
  • Hipertensão crônica, já preexistente antes da gravidez.
  • Pré-eclâmpsia / eclâmpsia.

Se a hipertensão é de início recente, ou seja, não existia antes e apareceu durante a gravidez, a maioria dos médicos opta por não indicar tratamento com medicamentos, a não ser que os valores fiquem acima de 160 mmHg de pressão sistólica ou 110 mmHg de pressão diastólica. Se a após 12 semanas do parto a hipertensão ainda estiver presente, aí sim o tratamento com medicamentos deve ser considerado para mulheres com pressão arterial acima de 140/90 mmHg.

Se a paciente já era hipertensa antes de ficar grávida, ela deve continuar o tratamento da hipertensão, tendo cuidado apenas para não usar drogas que possam fazer mal ao feto. Todavia, se a paciente durante a gestação tiver níveis pressóricos abaixo de 120/80 mmHg, os medicamentos podem ser reduzidos ou suspensos, contanto que, com isso, os valores da pressão não ultrapassem  os 150/100 mmHg.

O tratamento da pré-eclâmpsia e da eclâmpsia já foram discutidos em um artigo à parte, que pode ser acessado através deste link: Eclâmpsia e pré-eclâmpsia – Sintomas e tratamento.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Sal - cloreto de sódio Por que o sal (cloreto de sódio) em excesso é perigoso?
Atenolol Atenolol (Bula simplificada)
Hipertensão Sintomas da pressão alta (hipertensão arterial)
Remédio para pressão alta Remédios para Pressão Alta (Hipertensão Arterial)
Hipertensão Hipertensão Arterial: o que é, sintomas e tratamento
Medir a pressão arterial Como medir a pressão arterial corretamente?
Hidroclorotiazida Hidroclorotiazida (diurético): para que serve e posologia
Dieta para hipertensão Dieta para hipertensão: alimentos que baixam a pressão
Hipertensão resistente Hipertensão arterial de difícil controle
Insuficiência cardíaca Insuficiência cardíaca: o que é, sintomas e tratamento
Maleato de Enalapril Enalapril: para que serve e efeitos colaterais
Losartan Losartana: posologia e efeitos colaterais
Hipertensão Hipertensão Arterial: causas e fatores de risco
Crise hipertensiva Crise Hipertensiva: como baixar a pressão arterial
Idoso tomando furosemida Furosemida: para que serve, como tomar e efeitos
Amlodipina Anlodipino (Amlodipina): para que serve?
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

119 comentários em “Qual é a pressão arterial normal?”

  1. olá
    tenho 52 anos já sofri 03 infartos, uso medicação para controlar pressão
    pressão está 110×67 e 74 PUL/mnt
    Está normal?

    Responder
    • Só com o valor dos batimentos isoladamente não dá para dizer. Pode tanto ser normal quanto anormal. Depende de outros fatores.

      Responder
    • Depende. Essa pressão pode ser normal para algumas pessoas, mas pode ser uma hipotensão importante para outras. Depende do contexto clínico.

      Responder
        • Para a maioria das pessoas, esses valores estão abaixo do normal, mas se essa pessoa de 30 anos tiver bom concionamento físico, estiver assintomático, não tiver nenhuma doença e não sentir nenhum sintoma mesmo quando faz grandes esforços, isso não é necessariamente um problema.

  2. Considerando sua titularidade em nefrologia, existe alguma relação entre retirada de liquido (diálise) em excesso e o coração? Tipo parada cardíaca?

    Responder
    • Se a ultrafiltração (retirada de líquidos durante a hemodiálise) for feita de forma muito rápida e intensa, o paciente pode ter um quadro de hipotensão arterial. Se ele já for cardiopata, essa hipotensão pode causar uma isquemia cardíaca.

      Responder
    • O valor por si só não é o mais importante. Se ele tem uma pressão arterial 90/60 mmHg, sente-se bem e consegue fazer tudo sem limitação, esse valor é normal.

      Responder
    • Não é grave, mas precisa ser controlado a médio/longo prazo. Inicialmente o tratamento pode ser não farmacológico, com exercícios físicos regulares, perda de peso (se estiver com sobrepeso), parar de fumar (se fumar), reduzir o consumo de sal, reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, reduz o estresse… Se com mudanças de hábitos de vida não houver melhora, aí os medicamentos anti-hipertensivos podem ser uma opção.

      Responder
    • Nesse caso depende do contexto clínico dele e se há sinais de má-perfusão da pele. Pode tanto ser normal quanto ser hipotensão. Se ele for hipertenso, por exemplo, esse valor está exageradamente baixo, é sinal de excesso de anti-hipertensivo. Por outro lado, se ele nunca teve pressão alta, não faz nenhum medicamente que interfira com a pressão arterial e sente-se bem com esses valores, não é necessariamente algo mau. O valor por si só, nesse caso, não define se é bom ou mau.

      Responder
    • Sim, valores abaixo de 130/80 mmHg são normais. O ideal é estar abaixo de 120/80 mmHg, mas uma medicação isolada de 122/76 mmHg não é nada de mais.

      Responder
  3. Tenho 51 anos e minha pressão tá oscilando entre 12:8 e 15:8 tenho que fazer uma cirurgia de vesícula vou poder fazer? Sempre tive a pressão boa acho q é ansiedade

    Responder
  4. Tenho 16 anos e tenho 120/60 enquanto estou deitado na cama a mexer no computador, e normal?Nao sei se ajuda referir que estou a tomar uns comprimidos para uma infeção pulmonar que tenho,o comprimido e Claritromicina

    Responder
  5. Olá! Gostaria de um esclarecimento. Em situações normais do dia a dia, se meço a pressão, normalmente ela está entre 11/7 e 12/8, porém quando vou a dentista, médico ou hospital ela sobre até 14/9. Fui fazer cirurgia de catarata e ela foi a 18/10 ou mais. Existe tratamento? Tenho 74 anos.

    Responder
    • Tá um pouquinho acima do limite. Tem que ir a um médico para ele ver se você está acima do peso recomendado, se é sedentária, se a sua dieta é rica em sal, se você tem história familiar forte, etc.

      Responder
  6. Minha pressão arterial está entre 140/80 e 140/70,tenho 36 anos e minha mãe é hipertensa e tem miocárdiopátia dilatada,pode ser genético ou não ?

    Responder
    • Sim, a história familiar é um fator importante. Se você não cuidar da sua pressão, você também pode acabar desenvolvendo miocardiopatia dilatada no futuro.

      Responder
  7. desde já lhe dou meus parabéns pelo seu poste Dr; me tire uma duvida se possível tenho minha pressão variando entre (90/60) e (110/90) raridade chega a (120 por80) mais meus batimentos ficao na maioria das vezes entre 90 a 100 por minuto mesmo deitado ou sem fazer nenhum esforço ,,esses batimentos são mormail,,,, desde já agradeço a resposta e meus parabéns novamente pelo esclarecimento e belo poste. Tenho 39 anos 1,69 de altura e 72 kilos

    Responder
    • Tá um pouquinho acelerado. Não sei se é o caso, mas pode ser simplesmente pelo fato de você estar com sobrepeso e ter um mau condicionamento cardiovascular.

      Responder
  8. Meu caso é: a noite 19 /07h média da minha pressão 14 x 8.4 / 15 x 8.6 – período do dias 08 / 18h 13 x 8.2 / 12.5 x 8 .
    Pergunto: As variáveis noturna alta e diurna menor – é padrão do meu organismo?
    Sem ingestão de remédio.
    Com ingestão do Betalor -Besilato de anlodipino 5mg / atelonol 25mg os muneros mencionados caem entre 5 / 6%.
    Evito o remédio mencionado, por se ler a bula trás mais efeitos colaterais do do benefícios.

    Responder
    • O normal é a pressão baixar à noite. Você é o que chamamos de non-dipper, que é o tipo de hipertensão que não melhora no período noturno. Tem que tomar os medicamentos da forma prescrita e tem que ver se você não tem alguma alteração, tipo apneia do sono, que possa ser responsável por esse padrão.

      Responder
  9. Tenho 53 anos e pressão 12-70 e de uns tempos p cá não posso comer à noite que amanheço com a cabeça pesada e visão turva – quando meço a pressão está 12-9. Na minha idade isso é normal?

    Responder
  10. Gostei do tópico principalmente pelo retorno responsável do moderador. Parabens Dr. e obrigado por tirar minhas dúvidas com o aparelho que tenho em casa é ficava muito perdido com as medidas registradas. Tenho 48anos atividades física moderada, fiz três medidas: 1) 126/85 2) 140/88 e 3) 130/98. Se puder comentar essas medições, agradeço.

    Responder
  11. Caro Dr. Parabéns pelo seu esclarecedor trabalho. Gostaria de lhe colocar duas questões:
    1) acabo de medir a pressão e fiz várias leituras seguidas e o resultado sempre foi diferente. exp. 137//80; 131/79;132/79; 135/80; 137/81; 135/72; 141/77; 143/79. Como entender estas diferenças de valor?
    2) tenho 61 anos de idade. Estes valores são adequados à minha idade?
    Agradeço uma resposta e , desde já, o meu obrigado

    Responder
  12. parabéns pela matéria,gostaria de saber se é possível um pessoa ter pressão diferentes nos braços se a resposta for sim , oque significa, é normal ou arriscado ? já agradeço sua resposta

    Responder
    • Uma diferença pequena é possível. Porém, se a diferença for muito grande, é bom que um médico faça uma avaliação.

      Responder
    • Não, Luiz, esse valor está um pouquinho acima do normal. Você precisa ser visto por um médico para confirmar se tem mesmo hipertensão.

      Responder
  13. ola doutor minha presão sempre foi baixa 10/6 11/7 mas to gravida tem dia q éla fica 14/8 mas é dificil pode ser perigoso? o sol tem algo aver? pq ando muito a tarde no calor.

    Responder
    • Não existe valor mínimo. O mínimo aceitável é aquele no qual os órgãos e tecidos conseguem ser bem supridos. Isso depende de cada um. Tem gente que vive com 80/50 mmHg sem nenhum problema.

      Responder
      • Sério? Interessante! A altura do indivíduo possui um papel determinante nas pressões arteriais´mínimas´? Existem diferenças muitos grandes na espessura e características gerais das veias e artérias de uma pessoa para outra?

        Responder
        • Não, o que pode fazer diferença é o grau de condicionamento físico da pessoa.
          A espessura das artérias pode ser mais grossa em pessoas com hipertensão de longa data ou aterosclerose difusa.

  14. Ola doutor! O seu texto afirma que pressao normal deve estar abaixo de 120/80 mmHg, mas meu pai tem em torno de 100 a 110/70 e quando baixa mais sempre esta passando mal caindo na rua. Ele tem 85 anos mas sempre foi assim. Eu tb tenho tendencia ter pressao baixa. Existe solucao?

    Responder
    • Nos idosos, a pressão pode ficar mais elevada, não precisa ser abaixo de 120/80 mmHg. Ele toma algum remédio para a pressão?

      Responder
    • Excelente pergunta. Vou acrescentar essa informação ao texto. Resumidamente, o valores normais são os mesmos que os dos adultos, porém, a indicação para iniciar tratamento é diferente. Muitos médicos só indicam medicamentos quando a pressão sistólica é maior que 160 mmHg ou a diastólica é maior que 110 mmHg.

      Responder