18 de julho de 2014

EMBOLIA PULMONAR | Sintomas e tratamento

A embolia pulmonar, também chamada de embolismo pulmonar ou tromboembolismo pulmonar (TEP), é um  quadro grave que ocorre quando um trombo (coágulo) localizado em uma das veias das pernas ou da pelve se solta, viaja pelo organismo e se aloja em uma das artérias do pulmão, obstruindo o fluxo de sangue. Dependendo do tamanho do trombo, a embolia pulmonar pode até causar morte súbita.

Publicidade

Neste artigo vamos abordar os seguintes pontos sobre a embolia pulmonar:

  • O que é a embolia pulmonar.
  • Causas do embolismo pulmonar.
  • Sintomas da embolia pulmonar.
  • Diagnóstico da tromboembolismo pulmonar.
  • Prevenção e tratamento da embolia pulmonar.
  • Embolia gasosa, embolia gordurosa e embolia séptica.

Neste artigo iremos dar ênfase ao TEP. Se você quiser informações mais aprofundadas sobre a trombose venosa profunda, acesse o link: O QUE É TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP).

O que é embolia pulmonar?

Para entender a embolia pulmonar é preciso antes saber alguns conceitos básicos como: o que são trombose, embolia, isquemia e infarto. Leia com calma os conceitos abaixo que o resto do texto se tornará muito fácil.

Trombo é uma espécie de coágulo de sangue que se encontra aderido à parede de uma vaso sanguíneo, obstruindo a passagem de sangue. A obstrução pode ser parcial ou total. Quando um trombo se forma e obstrui o fluxo normal de sangue, chamamos esse evento de trombose.

Trombose

Êmbolo é um trombo que se solta da parede do vaso e viaja pela corrente sanguínea. O êmbolo viaja pelo corpo até encontrar um vaso com calibre menor do que ele próprio, causando obstrução da circulação do sangue. Quando o êmbolo impacta em um vaso, damos o nome de embolia. Se o vaso obstruído estiver no cérebro, chamamos de embolia cerebral. Se for um vaso no pulmão, chamamos de embolia pulmonar.

A trombose costuma ser um processo mais lento, com crescimento progressivo do trombo. Os trombos costumam surgir em áreas do vaso sanguíneo onde já há depósito de colesterol. Já a embolia é um evento mais agudo, que causa uma obstrução súbita do vaso acometido.

Abaixo, um gráfico mostrando uma embolia pulmonar com origem nas veias do membro inferior esquerdo.

Embolia pulmonar

Embolia pulmonar

 

Isquemia é a falta de suprimento de sangue para algum tecido orgânico. Toda vez que a circulação de sangue não é suficiente para o funcionamento de um órgão ou tecido, ocorre a isquemia. É um processo reversível se tratado a tempo. Tanto um trombo quanto um êmbolo podem ser a causa da isquemia.

Infarto é a morte das células por uma isquemia prolongada. Se a trombose ou a embolia não forem tratadas a tempo, todo o tecido que recebia sangue pela artéria obstruída morre. Exemplos: se a trombose ocorre nas artérias coronárias, temos o infarto do miocárdio (ataque cardíaco; se ocorre em um vaso cerebral, temos um AVC; se ocorre no pulmão, como no tromboembolismo pulmonar, temos o infarto pulmonar.

A embolia pulmonar é, portanto, uma obstrução de uma das artérias do pulmão causada por um êmbolo, ou seja, um trombo que se soltou das pernas e viajou pela corrente sanguínea até o pulmão. A obstrução de uma artéria do pulmão causa isquemia e infarto do tecido pulmonar que dependia da artéria obstruída para receber sangue e oxigênio. Quanto mais extensa for a área de infarto pulmonar, mais grave será o quadro.

Mas se o trombo estava em uma veia da perna, como ele vai parar em artéria do pulmão?

Todo o sangue do corpo retorna ao coração pelas veias. Todas as veias do corpo acabam diretamente ou indiretamente escoando o sangue para a veia cava, que é a  nossa veia mais calibrosa, que termina no coração (ventrículo e átrio direito).

O sangue que as veias entregam ao coração é um sangue já “usado” pelos tecidos, ou seja, pobre em oxigênio e rico em gás carbônico. Assim que o sangue chega ao coração ele é imediatamente bombeado para a artéria pulmonar, que por sua vez irá distribui-lo por todo o pulmão para que este possa se encher novamente de oxigênio. Uma vez suprido de oxigênio, o sangue volta ao coração para ser bombeado novamente para o resto do corpo.

Um trombo pequeno costuma se alojar em artéria pequena e periférica do pulmão. Um trombo grande pode impactar logo após a saída do coração, obstruindo toda a passagem de sangue, levando à morte de todo um pulmão e falência do coração por incapacidade de bombear o sangue contra uma grande obstrução. Os grandes tromboembolismos pulmonares são causas comuns de morte súbita.

Causas de embolia pulmonar

A principal causa de embolia pulmonar são os êmbolos que se originam de tromboses nas veias dos membros inferiores, um quadro chamado de trombose venosa profunda (TVP). São pedaços de trombos das veias das pernas, coxas ou pelve que costuma embolizar para os pulmões.

Trombose venosa profunda

Trombose venosa profunda

A trombose venosa profunda se manifesta como um quadro súbito de dor, inchaço e vermelhidão de uma das panturrilhas ou da coxas. Ao lado, uma imagem de uma  TVP. Reparem na assimetria das pernas. O lado inchado e avermelhado é onde ocorreu a trombose.

Vamos falar mais especificamente da TVP em um texto à parte, que será escrito nas próximas semanas.

Portanto, um fator quase que obrigatório para haver um tromboembolismo pulmonar é a presença de uma trombose venosa profunda dos membros inferiores. Consequentemente, os fatores de risco para TVP acabam também sendo fatores de risco para embolia pulmonar. São eles:

De todos os fatores de risco listados acima, gostaria de gastar algumas linhas sobre um deles: cirurgia recente. Cirurgias, principalmente do quadril ou membros inferiores apresentam elevado risco de surgimento de uma trombose venosa profunda das pernas nos primeiros dias de pós-operatório. Além do risco de formação de coágulos pela própria cirurgia, estes pacientes ainda ficam vários dias acamados sem poder andar, o que diminui a circulação de sangue nas pernas, favorecendo a formação de coágulos.

A morte súbita em pacientes submetidos a cirurgia recente é quase sempre causada por um embolia pulmonar de grande volume. Nem sempre a TVP que dá origem ao êmbolo consegue ser identificada, principalmente se o paciente já tiver tido alta do hospital.

A TVP após as cirurgias pode ocorrer  mesmo em pacientes jovens e sem outras doenças. Quanto mais fatores de risco um paciente acumular, maiores são suas chances de desenvolver uma trombose dos membros inferiores.

Sintomas da embolia pulmonar

Angiografia pulmonar

Veja a imagem de uma angiografia pulmonar ao lado. Repare na vascularização do pulmão. Os sintomas da embolia pulmonar vão depender do tamanho do êmbolo e do tamanho da região que sofreu infarte.

Vamos descrever três quadros possíveis de embolia pulmonar. Acompanhe a numeração da imagem.

Começamos pela hipótese 3. Imaginemos um êmbolo pequeno que atravesse toda a circulação pulmonar e só obstrua um vaso de pequeno calibre, já na periferia do pulmão, responsável apenas por uma pequena área de parênquima pulmonar. Como o vaso acometido é pequeno e periférico, não há grandes repercussões na circulação de sangue para o resto do pulmão. Do mesmo modo, como a área morta de pulmão é pequena há pouca repercussão na capacidade de oxigenação do sangue. O paciente sente apenas uma dor na região tórax, que piora a inspiração profunda. Pode haver também uma tosse seca e eventualmente expectoração com sangue (leia: TOSSE E ESCARRO COM SANGUE).

Imaginemos agora um êmbolo um pouco maior e que obstrua os vasos pulmonares na altura do número 2. A obstrução por ser mais central vai acarretar em uma área maior de infarto pulmonar. Todos aqueles vasos após o número 2 vão deixar de receber sangue, levando à isquemia de uma área grande do pulmão. Este paciente além da dor e da tosse, apresentará também súbita falta de ar, palpitações e tosse com expectoração sanguinolenta. Quanto maior for a área infartada, mais grave será o quadro.

Para terminar, vamos ao exemplo 1. Esse é o chamado tromboembolismo maciço. O êmbolo é tão grande que obstrui a circulação sanguínea de praticamente todo o pulmão. Este quadro é gravíssimo, pois além de infartar todo um pulmão, o sangue que não consegue ultrapassar a barreira imposta pelo êmbolo volta para o coração, causando um súbito aumento da pressão dentro deste e uma rápida dilatação do mesmo. O paciente pode morrer em minutos por falência cardíaca aguda.

Diagnóstico do tromboembolismo pulmonar

O diagnóstico da embolia pulmonar é feito através de exames, como a angiotomografia computadorizada, cintilografia pulmonar ou angiografia pulmonar.

Uma vez diagnosticada a embolia, é importante investigar a causa para que se possa prevenir novas embolias. Quando o paciente foi submetido a uma cirurgia recentemente, a causa é mais ou menos óbvia e não é necessário grandes investigações. Por outro lado, há pacientes que apresentam quadros de embolia pulmonar sem nenhuma causa evidente.  Nestes pacientes é importante investigar trombofilias, ou seja, doenças do sangue que causam formação espontânea de trombos nas veias.

Tratamento da embolia pulmonar

Na maioria dos casos não há tratamento específico para a embolia pulmonar. O tratamento visa manter o paciente estável, controlando a pressão arterial e fornecendo oxigênio nos casos de hipoxemia (baixa de oxigênio no sangue).

Pacientes com pequenas embolias são tratados apenas com anticoagulantes para impedir novos episódios. A área infartada não tem salvação. O que morreu do tecido pulmonar não é recuperável. Em geral, o paciente fica tomando anticoagulantes por pelo menos 6 meses. O medicamento anticoagulante mais usado é a Varfarina (leia: VARFARINA (Marevan,Varfine, Coumadin) | Controle do INR).

Nos pacientes que não podem tomar anticoagulantes ou que continuam fazendo tromboses mesmo com a anticoagulação, um filtro pode ser implantado na veia cava, funcionando como uma espécie de coador, impedindo que trombos grandes passem em direção ao coração.

Nas embolias mais extensas pode ser indicado o uso de trombolíticos, substâncias que diluem o êmbolo, na tentativa de restaurar a circulação sanguínea na área afetada.  Os trombolíticos apresentam muitos efeitos colaterais e risco de causar sangramentos graves, inclusive sangramentos cerebrais. Por isso, seu uso só está indicado em casos graves, quando o benefício supera os riscos.

Nos casos graves outra opção é a remoção cirúrgica da obstrução. Também é um procedimento com alto grau de complicações.

Prevenção do tromboembolismo pulmonar

O mais importante no tromboembolismo pulmonar é a prevenção (profilaxia). Como a gravidade de uma embolia pulmonar é imprevisível e nos casos mais graves os pacientes sequer chegam ao hospital com vida, é imprescindível realizar a prevenção nos casos com maior risco, como nas cirurgias ortopédicas dos membros inferiores. Os pacientes no pós-operatório devem se levantar e andar assim que possível. O uso de meias elásticas especiais também está indicado para reduzir o represamento de sangue nas pernas.

A profilaxia é feita normalmente com anticoagulação, iniciada logo antes da cirurgia. A droga mais usada na prevenção é a heparina em doses baixas. Nos pacientes de alto risco, principalmente naqueles que já tiveram um episódio prévio de embolia pulmonar, pode-se indicar a colocação de um filtro na veia cava para evitar que possíveis êmbolos cheguem aos pulmões.

Pacientes internados e acamados por outras causas também devem usar heparina em baixas doses para prevenir a formação de trombos nas pernas.

Pacientes com antecedentes de doenças da coagulação (trombofilias) devem ficar anticoagulados para o resto da vida.

Outros tipos de embolia pulmonar

A principal causa de embolia pulmonar são as tromboses dos membros inferiores, porém, há outros tipos de embolias:

a) Usuários de drogas injetáveis podem sofrer embolização por materiais presentes na droga. O paciente injeta uma droga não adequadamente diluída na veia e fragmentos viajam até o pulmão, funcionando exatamente como um coágulo.
b) Embolia gasosa ocorre se injetarmos ar nas veias. No sangue não há ar livre e bastam 300 ml de ar para que a embolia gasosa seja fatal.
c) Embolia gordurosa ocorre quando há fraturas de grandes ossos, como o fêmur ou ossos da pelve,  com liberação da medula óssea para a corrente sanguínea. Fragmentos da medula caem na corrente sanguínea e embolizam para os pulmões. A embolia gordurosa surge geralmente 24 a 72 horas após as fraturas.
d) Embolia séptica ocorre quando pedaços de colônias de bactérias viajam pela corrente sanguínea. Este quadro ocorre principalmente na endocardite, infecções das válvulas do coração (leia: ENDOCARDITE | Sintomas e tratamento).

"EMBOLIA PULMONAR | Sintomas e tratamento", 5 de 5 baseado em 3 votos.
Publicidade
  • Erix Maria da Silva

    Dr. Pedro dia 14/07/14, foi descoberto um TEP, Fiquei 4 dias na UTI e mais 6 no quarto tomando flexane, depois comecei tomar marevan, hoje estou tomando Xarelto, Já tive alta do hospital e gostaria saber da quanto tempo Sr. acha que tenho que ficar afastado do trabalho.,

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD. Saúde

      Erix, à distância não tenho como avaliar isso. Seu médico é quem tem que decidir o tempo de baixa.

  • Ana Paula Rodrigues

    oi dr, tenho 20 anos, e comecei a tomar hoje 19/07/2014 o anticoncepcional iume, e to com medo pois uma mulher deu depoimento dizendo que ela teve embolemia pulmonar por cauda deste remédio, e to com medo de continuar tomando, por favor me ajudaaaa!!! tem alguma coisa haver?

  • daoana

    ola dr tenho 25 anos e no começo do ano tive TEP estpu tomando marevan a 5 meses mas ainda sinto dores no peito nas costelas e costas gostaria de saber se ja nao era pra ter parado essas dores e quanto tempo demora para parar !!! grata

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Já era para ter melhorado. Tem que ver se não ficou alguma lesão na pleura.

  • Fabiola Brant

    Olá Dr.

    Em setembro/2013 tive um TEP e em pesquiza tenho alteracoes no sangue (homosigoze) tomo anticoagulante e tomarei sempre pois tenho histórico familiar de TEP, meu irmao faleceu por TEP, meu pai teve e um primo de primeiro grau. Vou fazer abdominoplastica e cirurgia nas mamas. Já fiz vários exames, o cardiologista, pneumologista liberaram pois os exames estão ok. A hemato, me deu a carta com as orientações para profilaxia, mas me pediu para pensar melhor antes de fazer. Acha que o risco de uma nova TEP é muito grande mesmo toda a equipe médica sabendo do meu problema e tomando as medidas necessárias para minimizar os riscos?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Eu acho que o mais sensato seria evitar cirurgias desnecessárias.

  • frank

    Bom dia Dr.pedro, minha mae quebrou o femo e foi internada ela estava esperando para ser operada quando de repente passou mal com falta de ar e morreu isso pose acontecer e porque

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sim é possível. Embolia pulmonar é uma hipótese forte neste caso.

  • Luciana

    Olá Dr Pedro!
    Após cirurgia plástica em 01Mar14, tive tromboflebite em braço direito e TEP. Ficarei tratando com Xarelto pelos próximos 7 meses. Gostaria de saber se é possível voltar a tomar anticoncepcional (mesmo que sem estrogenio)após o tratamento.

    Muito obrigada!

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      O ideal é usar outro tipo de método anticoncepcional. A minipílula é mais segura, mas mesmo assim, o melhor é evitar métodos hormonais. É uma questão de discutir com o seu médico após o fim da anticoagulação.

  • humorjean

    Por que cirurgias nos membros inferiores facilitam a formação de trombos? Seria somente a falta de movimentação das pernas?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não só por isso, mas também pela própria agressão da cirurgia.

  • katia cristina

    Tive uma trombose cerebral no mes de agosto de 2013 no seio sigmoide e com isso gerou um AVC e fui diagnosticada com SINDROME DO ANTICORPOS ANTIFOSFOLIPIDE PRIMARIA, gostaria de saber se corre risco de ter novamente, tomo MAREVAN 5 MG e o meu NR nunca esta bom , sempre com 1,2 , 1.5 , já chegou a 4.9 , E TODA SEMANA MUDA A DOSE DO MEDICAMENTO. Estou muito receosa , pois hoje acordei com fortes dores de cabeça, na perna e no corpo e tenho medico só na quarta feira que vem , o senhor pode me dizer o faço . desde já agradeço.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sim, há riscos de novas tromboses se o INR não for controlado.

  • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

    Quem já teve uma trombose tem risco maior de tê-la novamente. Caso você precise ser operada novamente, esta informação deve ser passada para o cirurgião. O seu pós-operatório deve ser feito com muito cuidado.

    • Leriane

      Muito obrigado Dr.Pedro

  • Leriane

    Olá Doutor
    Após uma cirurgia plástica, tive embolia pulmonar. Isso tem 5 meses. Tomei Xarelto por 3 meses. Meu risco será maior ou o mesmo em um próximo procedimento cirúrgico? Qual a sua opinião?

  • Niedja Silvério

    Dr. Pedro, fiz uma cirurgia plástica ano passado e mais ou menos um mês
    depois (quando retornei às minhas atividades laborais) comecei a sentir
    falta de ar e necessidade de puxar o ar mais profundamente. Algumas
    vezes eu forçava um bocejo para conseguir saciedade de ar. Procurei o
    cirurgião e ele disse que era psicológico. Procurei um cardiologista e
    fiz um eletro e deu tudo normal. Porém a falta de ar persistia. Resolvi
    então fazer exercícios respiratórioa com um aparelhinho chamado respiron
    e fiz tbm RPG. Melhorei significativamente com RPG e PILATES. Porém,
    hoje, um ano e meio após a cirurgia, se eu deixo de praticar pilates, a
    falta de ar volta. Será que uma embolia duraria tanto tempo assim? Desde já agradeço sua atenção!

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não parece nada com embolia essa história.

      • Niedja Silvério

        Obrigada! ;)

  • 24052012

    Marcia Regina
    Eu também tive uma grave embolia pulmonar no dia 24 de maio 2012 , hoje está fazendo 6 meses . Para os médicos eu tive sorte de me salvar , mas na verdade alcancei um grande milagre , somente Deus poderia ter me salvado . Meu filho precisou fazer massagem cardíaca para que eu pudesse voltar , hoje ainda estou em tratamento com marevam e faço exames de sangue a cada 15 dias . Mas graças a Deus estou bem . Só posso afirmar uma coisa : Deus me devolveu a vida através de um milagre , pois nesse dia as 3;00 hrs da manha eu e minha mãe estávamos de joelhos dobrados clamando a Ele para me libertar desse problema e quando foi as 6;00 hrs eu acordei passando muito mal e pude ser socorrida a tempo ,AGRADEÇO A DEUS POR ISSO !!!

    • Ivam Hand Sarmento

      Marcia Regina, bom dia, minha mãe teve embolia pulmonar há 3 meses e tambem está em tratamento tomando agora xarelto. Ela sente muita falta de ar quando faz apenas simples caminhadas curtas. A gente não sabe se isso vai melhorar… Como é com você?

  • Rosilda

     O meu nome é Rosilda M.L.   O meu Pai, vez cirurgia de hérnia e teve embolia pulmonar e veio a óbito.  O que eu quero saber é: O que o médico deveria fazer para que ele sobrevivesse a embolia pulmonar?                                                                 Eis aqui a minha dúvida, após 12 horas da cirurgia que tudo bem, ele foi ao  banheiro e lá, as suas pernas travaram e o médico mandou que  a enfermeira colocasse o soro  de volta que ele acabara de tomar, é esse o procedimento certo? Ou o médico deveria examiná_lo antes de prescrever qualquer medicação?   Aguardo alguma resposta, obrigada. 

  • Patricia

    o que de fato pode ter causado a morte de uma pessoa quando no atestado de obito diz: tromboembolismo pulmonar secundario, infarto agudo do miocárdio associado a cirrose alcoolica?

  • Vanusa_vasl

    perdi meu filho com embolia gordurosa pulmonar dia 21 de março de 2012 e quem viu algo de errado com ele fui eu.atraves das unhas uma enfermeira pegou um aparelho e viu que a saturação dele tava entre 90 a 88 ,levaram ele pra uti só pra normalizar a situação colocando uma mascara de oxigenio e meu filho estava bem sorrindo e contando piadas depois dessa mascara ele começou a sentir falta de ar .ele entrou dia 16 de março e dia 18 foi para uti ainda bem.dia 17 ele ja não estava bem ,dia 19 induziram ele ao coma e dia 26 ele faleceu. eu gostaria de saber se um rapaz com 20 anos que nunca bebeu e nem fumou com um bom preparo fisíco pronto pra ir pro haiti pela aeronautica,sendo tambem instrutor de atividades fisicas dentro do quartel se ele sobrevivel a 11 dias internado será que não tinha cura.Me respondam por favor.Pois to tentando abrir um processo contra o hospital das forças armadas.

    • Rodrigo Nikitin

      Não sou nenhum especialista, mas o médico que me atendeu (Sirio Libanes) quando tive uma embolia (Jan/12) disse que a principal causa de morte de combolia é a falta de diagnóstico, que parece que ocorreu no caso do seu filho.
      Fizeram uma ressonancia no meu pulmão e para confirmar, fizeram uma com contraste, foi o que salvou a minha vida, saí da sala da ressonancia direto para a UTI.
      Tenho 30 anos, sou esportista, não bebo, não fumo e não sou usuário de nenhum tipo de drogas.
      Que Deus conforte o seu coração, que seu filho descanse em paz ao lado do nosso Senhor Jesus.

      • KATIA CHRISTIANE SILVA RAMOS

        Eu também tive embolia em agosto/2012.fiz o exame com contraste e fui direto pra UTI tenho 32 anos nunca imaginei ter isso um dia. faço uso de marevam todo dia …tenho as vezes manchas roxas pelo corpo.e faço exames semanalmente.agradeço a Deus todo dia por me salvar!!

  • Nerizefilha

    quando um paciente tem embolia tem como controlar o INR ? a paciente que tomo conta ela faz de 08 em 08 dias enxame para saber o INR,e ainda não conseguio controlar;

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sim, o objetivo é manter o INR mais ou menos estável. Se ele não fica, é preciso investigar o motivo.

  • Rodrigo Silviano

    Eu tive um TEP diagnosticado após um mês procurando ajuda…médicos do Hospital São Luiz, Oswaldo Cruz, Iguatemi e mais um clínico particular diagnosticaram osteocondrite…este erro quase levou minha vida, pois, devido a minha idade, 28 anos na época, e por eu ser atleta, ninguém imaginou que poderia ser algo sério…Após tratamento no próprio Hospital Oswaldo Cruz, quando fui pela segunda vez, colocaram o filtro de veia cava e continuo tomando Marevan (12,5 mg por dia). Minha pergunta é: eu posso voltar a praticar esportes ? Tentei algumas vezes, mas, sinto falta de ar e fraqueza nas pernas.

    • Rodrigo Nikitin

      E ae Xará… Eu tive o mesmo problema em Janeiro e o maior risco de voltar a praticar esportes, é ter contato, esportes de contato nem pensar… Pois como seu inr está alto, se vc levar uma bolada na cabeça por exemplo, vc pode ter uma hemorragia interna… Eu fiquei com falta de ar e com dor durante 5 meses… Sem contar que se vc teve um infarto, como foi o meu caso, a área afetada não se recupera mais…
      abçs e boa sorte
      Rodrigo

  • Taliane

    dr tive um trobo enbolismo a 02 anos faço uso de anti coagulante marevan mas fas  umas duas semanas que estou com muita dor no peito sera que estou fasendo outra enbolia por favor me ajude

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Você tem que procurar atendimento médico. Daqui, do outro lado do planeta, não tenho como opinar.

  • Enzosilva35

    me ajudemmmmm
    queria saber  o preço de exame angio tc.
    por favorrrrrr

  • Jluly_darienzo

    ola dr meu nome  e  juliana  tive  tromboembolismo  a  2  meses sendo  q  fiquei  enternada  por  20  dias faço  uso  de  varfarina  ainda  sinto  dor  ao  respirar  mais  fundo  queria saber  se  essa  dor  vai  passar ou  nao  tem  cura  m,ais ?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      A tendência é que a dor melhore com o tempo.

  • bruno

    falta de ar com incomodo no nariz, horas e horas sentado por causa do trabalho,uma tomografia feita a mais de 5 meses que apresentou uma cicatriz no lado esquerdo do peito (o que segundo o médico não seria nada), obesidade e apneia do sono, tosse fraca, mas constante podem ser sintomas?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      A obesidade pode ser a orgiem de tudo. Não parece ter nada a ver com embolia.

  • Rosana bueno

    boa tarde,em 2010 tive uma tep,depois de 1 mes engravidei, não fiz nenhuma cirurgia ,para ter causado isso,foi de repente,durante a gestação tomei clexane,foi tudo certo,hoje depois de 1 ano e meio quase continuo tomando marevam,meu cardiologista diz que tenho que tomar pelo resto da vida,está certo,não queria mais tomar, o vascular disse que devo parar,oque fazer,obrigada.

  • Sofiasilva_su

    Muito oobrigado pela explicação, foi bastante esclarecidos. Sofia Silva

  • Vitor2015

    Minha mãe teve uma torção na perna , 1 dia depois apresentou sintomas de infarto , avc e embolia …teve mais de 8 PCR ..foi reanimada diversas vezes e infelizmente não aguentou … uma simples torção causou a morte dela… tudo foi causado pelo embolo .

  • Jéssica

    ola Dr, minha tinha tinha 30 anos,faz um dia do falecimento da mesma,o legista informou que faleceu por embolia pulmonar,mas ela estava muito bem,nao fez cirurgias ,nao caiu,mas elaa bebia muito e fumava…o que pode ter acontecido?ela estava normal uma hora depois ela faleceu subitamente.obrigada

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Ela teve uma morte súbita. Embolia pulmonar é uma das causas. Se foi isso ou não, eu não tenho como opinar.

  • Maria Fernanda

    minha avó faleceu essa semana com uma historia idêntica. Saúde ótima, esperando cirurgia, de repente começou com insuficiência respiratória e os enfermeiros e médicos IGNORARAM.Depois de 1 dia sofrendo levaram para a UTI,e depois de algumas horas morreu.Isso tudo no Hospital Regional de Bauru, comandado pela UNESP, digo o nome pra todos fugirem aquele hospital

  • Adriana Muriel Marchini

    Fiz uma cirurgia plástica … grande, durou 13 horas … passados 21 dias eu tive embolia pulmonar … no sábado de aleluia, acordei com dores do lado direito do peito, doía muito para respirar, tive um mal súbito … idêntico ao de uma pressão baixa … suor e frio, (muito) … no domingo passei com a cirurgiã plástica … ela teve que ressutura meu abdome … comentei sobre as dores com ela e a mesma me disse que eram dores musculares … prescreveu um relaxante muscular … eu já estava muito fraca e pálida … na segunda não conseguia me levantar mais da cama … preferia ficar na mesma posição com quatro travesseiros nas costas … na terça feira a panturrilha da minha perna esquerda estava dolorida e pesada … voltei com a mesma cirurgia na quarta (retorno) … comentei sobre as dores já nos dois lados do peito e da panturrilha também … dai por diante fiquei hospitalizada por 12 dias na UTI e dizem os médicos que olhando a minha tomografia e me vendo conversar … se eu acreditava em Deus !!! … me disseram que eu era um milagre por estar viva e que teriam que rever conceitos … a cirurgiã plástica esteve comigo o tempo todo … sei que estou aqui hoje teclando tudo isso porque Deus me deu uma segunda chance … descobriram no segundo Doppler que o trombo estava na minha panturrilha esquerda, uma veia com 3 cm e bastante profunda chamada solares … estou ante coagulada hoje e também passei pelo procedimento cirúrgico para a colocação do filtro na veia cava … 

  • Livtolkien

    Minha avó faleceu uma semana após dar entrada no Hospital com fratura no femur esquerdo. Aos 90 anos ficou internada esperando a cirurgia,fizeram varios exames e a saude dela estava otima para a idade. Mas infelizmente era final de ano e o médico simplesmente sumiu,nao atendia telefonemas e o Hospital dizia que só ele poderia operar ela, no ano novo ela deu entrada no CTI com pneumonia e logo em seguida ao completar uma semana internada esperando cirurgia faleceu com o atestado de óbito alegando Embolia Pulmonar…

  • Carladeabreu

    A minha mãe teve uma paragem cardíaca após operação urológica simples. Não usaram aquelas meias que é comum usarem actualmente para impedir trombos… de qualquer forma não se sabe se foi um trombo pois a cintigrafia não acusa nada de especial. Não fazemos ideia do que se passou mas ela na altura estava com o ritmo cardíaco muito lento. Fez ecocardiograma antes e após cirurgia que não indicou nada a não ser um sopro no coração. Temos receio que possa acontecer novamente…

  • José Alves da Silva

    Otimo trabalho, professor. 

  • Alyel

    É bom esclarecer que trombose não ocorre somente nas pernas, ela pode surgir também nos membros superiores. Este é o meu caso: há dois meses fiz tratamento para engravidar e tive superestimulação dos ovários e, como consequência, ocorreu o acúmulo de líquido abdominal, derrame pleural e, por fim, trombose. Estou fazendo uso do Marevan, mas, mesmo assim, tenho muito medo de uma embolia. O médico pediu que usasse uma tipóia devido à localização dos coágulos, e evitasse grandes movimentos. Ainda não foi confirmada a causa da trombose, suõem-se que seja devido ao tratamento hormonal.

  • Leny karla

    Olá, tive embolia pós cirurgia há 4 meses, agora estou com sinusite, tosse seca e muito catarro, chegando a vomitar tudo o que como várias vezes ao dia e a noite! Gostaria de saber se há relação entre os problemas de saúde…

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Provavelmente não.

  • Matheus Silva

    Olá meu nome é Matheus tenho 14 Anos no dia 10/08/2011 eu tive tontura dor no peito e falta de ar fui levado para o Hospital M´Boi Mirim não souberam oque eu tinha, e continuava com dor, minha tia trabalha no INCOR (Instituto do Coração), ai fiquei internado lá eu fiz vários exames e nada deu ai eu fiz o ECOTT eu deu trombose pulmonar nesses tempo eu sentia uma dor na perna direita ai foi marcado para o DOPLER que deu trombose, e no dia 08/12/2012 deu trombose de novo nas duas pernas conclusão até hoje ninguem sabe o é que eu tenho tomo anti-coagulante Pradaxa 150 mg. Existe algum exame para saber o que é que eu tenho?

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Existem exames de sangue que pesquisam doenças sanguíneas que propiciam tromboses. Procure um angiologista ou hematologista.

  • Alessandra

    OLA , boa tarde  minha irma ez transplante de rin a 5 anos agora ela deu embolia pulmonar , e comun dar embolia em transplantado,ela faz controle com marevan ja teve 6 trombose nas pernas ,,obrigado 

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Embolia pode acontecer a qualquer pessoa. O fato dela ser transplantada não aumenta o risco.

  • marcia

    perdi  minha irma deu embulia pulmonar, deu uma parada cardiaca.só que ela nao tinha dado trombose e não tinha feito nenhuma cirugia antes.. só tinha caido e batido o peito ,queria sabe  se pode te causada a morte dela   pelo tombo que  levou que  causou a embolia..

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não é habitual.

  • Marisemachado

    meu marido fez um raio x  eo clinico falou que ele esta com coagulos agudo no pulmão pode ser embolia 

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Radiografia não é o melhor exame para diagnosticar embolia.

  • Vania-cardoso

    qual aporcentagem de embolia pulmonar pos lipoaspiraçao?houve um caso aqui que a paciente estava bem apos a lipo,ja de alta e antes de ir para casa teve dificuldade respiratoria e no dia seguinte vim a obito dizem que foi embolia pulmonar,mas porque so depois de dois dias/e frequente isso ocorrer?

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Sim, a embolia é um risco em qualquer cirurgia que faça o paciente ficar em repouso na cama.

  • Teresinha Cristina

    Olá Dr Pedro, por favor gostaria de saber se a embolia pulmonar impede a pessoa de trabalhar?. Fui diagnosticada a um mês e meio, faço uso de marevan, e meu inr ainda não está controlado. Atualmente não sinto nada, nem cansaço, nem falta de ar.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Depende do grau das sequelas. No seu caso, parece-me que não.

  • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

    Não dá para afirmar, mas essa história é bem típica de embolia pulmonar. A única chance do paciente é receber pronto atendimento médico, mas mesmo assim, a mortalidade è bem alta

    • Andreza

      Obrigado Doutor.  

  • Andreza Luz

    Meu cunhado faleceu há duas semanas com os sintomas: não conseguia respirar, suava frio e apagou. Depois acordou de novo e em seguida a falta de ar veio novamente e ele ficou inconsciente. O socorro demorou mais que dez minutos. O médico que o atendeu disse que ele ja havia chegado sem vida e diagnosticou morte indeterminada . Dez dias antes ele havia feito cirurgia do tendao de aquiles.Só pode ser embolia, não? Antes ele nao tinha nenhum sintoma. Podiamos fazer algo para impedir? Como massagem cardiaca.

  • equipe cidadania MG

    prezado dr pedro,’
    excelente texto muito esclarecedor principalmente por um leigo como eu. Estou escrevendo do hospital felicio rocho de Bh onde entrei com embolia pulmonar. agora estou bom tomando clexane para anti coagular o sangue. obrigado, diante deste seu artigo vou mudar a minha vdia, giorgio collina de belo horizonte

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Maurício,
    não, cirurgias dentárias não são fator de risco para embolia pulmonar.

  • Maurício

    Olá Dr. Pedro… gostei muito de suas explanações acerca da embolia pulmonar…
    Gostaria de saber se há histórico desta doença em cirurgias dentárias, como extrações e implantes… estou preocupado porque preciso fazer uma extração e um implante, tenho 42 anos e diversas varizes nos membros inferiores… será que preciso tomar anticoagulantes antes da cirurgia???… obrigado.

  • Ceu vieira

    Obrigada pela informação, esta bem explicado.

  • Cydynhacycy Silva

    Tive embolia pulmonar grave em setembro fiquei por alguns dias na UTI e mais 09 dias hospitalizada, no meu caso tive embolia nos 02 pulmões simultaneamente. Fiz Cateterismo pulmonar mas não foi possivel retira-los, isto ja faz 04 meses e ainda estou sob supervisão médica, pois os coagulos ainda não foram dissolvidos e corro o risco eminente de ter uma reincidencia…È duro viver com uma espada apontada para nós, pois corremos o risco de ter novamente e não termos o tempo e a sorte de chegar a um hospital com vida….E no meu caso não tinha nenhum dos niveis de risco ápenas tomava pilulas anticoncepcional…Não morri por milagre de Deus…

  • C. Maria

    Ola! Gostei muito da sua explicação é objetiva e concisa. Eu ja tive duas embolias pulmonares (aos 23 e ao 30 anos) e no meu caso ainda nada ou quase nada se descobriu acerca daquilo que as poderá causar. da primeira vez tomava a pilula ha um ano e meio e fiz uma viagem de autocarro que durou 24h. Da segunda ja nao tomava a pilula ha 7 anos e fiz 4 viagens de 4 horas cada durante um mes, mais uma viagem de 1h30m de aviao.Nao tenho varizes. Sempre fui saudavel e decidi ir ao Porto fazer uma analises mais detalhadas no CGC onde me detectaram anticoagulante lupico fracamente presente, uma deficiencia de folato e o mthfr com um problema qualquer. Nao sei se isso sera suficiente para me dar as embolias pulmonares mas o certo é que sinto que tenho uma espada sempre apontada a mim. ja tive um filho à revelia de todas as opinioes dos ginecologistas que procurei mas graças a Deus correu tudo bem.
    Devo dizer-lhe ainda que da segunda vez dei logo conta que estava com outra embolia porque os sintomas foram identicos aos da primeira e passo a descreve-los: falta de ar (mas so quando tinha que subir algo, ex: escadas, avenidas, etc), o andar normal e a direito nunca representa qualquer problema; nao poder correr pq parece que o coração vai rebentar; ter a sensação que a nossa cabeça é maior do que a sala onde estamos e que sabemos exatamente onde esta cada veia da cabeça;dificuldade em respirar fundo pois temos a sensação que a caixa de ar nao se alrga tanto como precisamos, vomitos e tosse muito seca (sempre sem ponta de sangue e forte ao ponto de me ter rebentado uma corda vocal), ma digestão, e cegueira (começa a descer um veu preto nos olhos e deixamos pura e simplesmente de ver durante uns minutos.
    Cheguei ao ponto de ao dar um passeio,  ter que vir para casa ao colo do meu pai porque com uma crise de tosse vomitei tudo o que tinha comido (que parecia nao ter sido digerido), fiquei sem a capacidade de andar porque nao tinha força nem ar suficiente para andar e desceu o tal veu negro nos meus olhos que me cegou por uns minutos.
    A embolia é tao avassaladora que quando está bem avançada nos deixa ainda o corpo em “stand by” fiquei na cama, prostrada, porque sentia mesmo que o meu corpo canalizava tudo para que a respiração se fizesse ainda que muito fraca. Para ter uma ideia para ir a casa de banho o meu pai levava-me e a minha mae baixava-me as cuecas para ambos me sentarem, sabia perfeitamente que estava mal (embora nao soubesse o que tinha) e que nem chorar com o desespero podia com medo que o choro e soluços me matassem pois se chorasse os pulmoes nao iriam conseguir manter a funçao respiração e a funçao choro com soluços. Sabia que se chorasse podia nao viver. Se tentasse falar parecia que tinha acabado de correr a maratona e falava mesmo muito ofegante era horrivel querer despachar as frases e nao poder.
    Nem para tentar falar podia por exemplo mexer as maos pois o simples mexer delas deixava-me completamente estafada e sem folego.
    Nao sei bem como ainda estou ca mas graças a Deus e São Jose acredito que tenho alguem que cuida bem de mim.
    Decidi escrever isto porque sei que às vezes só os sintomas gerais descritos nao chegam, é preciso estar atento a tudo o que sentimos porque eu era e sou muito nova para este tipo de doença e no entanto ela apareceu-me apesar de tudo. Conheço  casos de pessoas  tiveram Embolias pulmonares e a maioria descobriu-se na autopsia. Eu faço anticoagulante para toda a vida e mesmo assim sinto que mais se deveria estudar e tratar pois ainda nao se sabe, por exemplo no meu caso, pq é que isto me acontece.

    • Monque

      vc teve um filho depois da embolia?

  • Rosimery

    Parabéns pelo texto. Objetivo e acessível para leigos.

  • Anonymous

    Excelente explanação!
    Muito obrigada.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @Lourdes
    Não há sintomas que indiquem que o trombo esta se soltando.

  • Lourdes

    É possivel alguem perceber que está com deslocamento de trombo?
    Em sendo possível existe uma forma de interromper este deslocamento?

    Grata

    Lourdes – PR

  • vanessa caetano

    Fico mais feliz, pois agora lendo esta materia vejo que o caso do meu marido nao se enquadra nos casos mais graves,ele tem mais uma chance.

  • Mariza Souza

    Adorei as informações aqui postadas pelo Dr. Pedro e todos os comentários com experiencias diversas.
    Também gostaria de compartilhar meu blog que conta minha experiência de ter tido EMBOLIA PULMONAR após ter feito uma ABDOMINOPLASTIA:

    http://marizzaaa.blogspot.com/

    Mariza Souza

  • Erixiki

    @Larissa

    Olá Larissa, digo a você o mesmo que a Daiane. Eu sou jovem, tive embolia pulmonar, pois meu gineco me mandou tomar a pilula e claro cada pessoa tem reação diferente. Pretendo juntar pessoas que passaram por esse problema, num blog. Gente jovem e que queira partilhar a experiência e como é a vida agora.
    http://emboliapulmonarcardiologia.blogspot.com/

    Joana

  • Erixiki

    @Daiane Oliveira

    Olá Daiane me chamo Joana e sou portuguesa, tal como você tive uma embolia pulmonar muito jovem. Após o problema faço tratamento com anticoagulante. Busco pessoas na mesma situação para criar um blog onde se possa partilhar experiências.
    Deixo o link do blog http://emboliapulmonarcardiologia.blogspot.com/

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @ARP
    o filtro se torna mais eficiente se houver anticoagulação junto. Só não se faz anticoagulação se houver alguma contra-indicação.

  • ARP

    Caro dr Pedro, uma curiosidade! Quem possui filtro de veia cava necessariamente tem que manter o marevam? Se sim! Porque? Visto que ele foi desenvolvido para pc que não toleram anticoagulantes…

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @carmen
    você deve procurar um médico para ontem.

  • carmen

    Boa Tarde Doutor.

    Em 2006 tive embolia pulmonar nos dois pulmões devido a uma cirurgia para a colocação de uma placa e 5 pinos no pé. Tive perda de 90% do pulmão direito e 10% do esquerno… fui salva por um milagre. Em 2009 parei de tomar Marevan, por conta própia, sei que fiz errado. Nos meus exames das pernas com dopler aparece safena completamente intupida e varios coágulos na perna esquerda, na parte posterior do joelho. Estou com 35 anos e gostaria de saber se devo procurar o médido e recomeçar o tratamento. Posso fazer laqueadura, já que não tomo pílula?
    Se por acaso me descuidar e engravidar quais os riscos que corro? Agradeço desde já a resposta.
    Carmen

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @joselino
    Aguardente alemã é um laxante. E só.
    Não é indicado para mais nenhuma outra situação.

  • joselino

    Boa Noite Drº Pedro

    Drº Pedro Gostari de saber do senhor, se o senhor conhece ou ouviu falar sobre o aguardente Alemã. . .pois a minha esposa sofreu um AVCI em 29/09/2010 e esta sem falar e sem o movimento do braço direito, e esta tomando um anti-coagulante clopidogrel, e eu ouvir falar sobre essa aguardente alemã que facilita o paciente a recuperar a fala, o que o senhor acha deste conhecimento Empirico que nãocondiz com o conhecimento Ciêntifico? E se ela tomar esse aguardente pode interferir no tratamento com o coagulante Clopidogrel?

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @Ana Karenina
    O especialista é mesmo o angiologista. Coágulos nas regiões mais distais da perna, como no seu caso, apresentam baixo risco de embolia pulmonar. O risco maior ocorre em coágulos acima das panturrilhas.

  • Ana Karenina

    olá

    estou escrevendo esse comentário por causa do item “varizes e insuficiência venosa”, queria saber se este tipo de problema pode evoluir pra uma embolia pulmonar.

    Não tenho varizes visiveis, mass o dopler nas pernas identificou varizes de pequeno e médio calibre e ainda possuo inchaços nos pés, com a presença de um coágulo na parte de cima do pé, próximo do ossinho do tornozelo, estou tomando a medicação diosmin indicado por um angiologista, colocando gelo e as pernas pra cima e o coágulo diminui um dia e volta no outro, o médico descartou a possibilidade de um problema nas veias, mas continuo preocupada com o coágulo, que tipo de especialista preciso procurar pra investigar outras causas?

    Tenho receio de isso se agravar pra embolia pulmonar, quanto mais eu pesquiso na internet mais preocupada eu fico.

    Obrigada

    um abraço

  • Anonymous

    Dr. Pedro..

    Obrigado mais uma vez pela atenção dedicada referente a minha duvida.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Rogério,
    Não. O mais importante é levá-la rapidamente para um hospital.

  • Anonymous

    Olá Doutor Pedro…..

    Me chamo Rogério e gostei muito do texto.

    Tenho uma dúvida. Caso um paciente apresente sintomas de embolia pulmonar, o que eu posso fazer em um atendimento de primeiros socorros? Posso realizar alguma ação de ajudar essa pessoa sem realizar manobras invasivas? Caso afirmativo quais?

    Obrigado.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Gracieli,
    sim, sempre aumentam o risco. Mas lembre-se que milhões e milhões de mulheres tomam anticoncepcionais e não têm tromboses. Aumentar o risco não significa que o risco se torne proibitivamente alto. O problema é se vc já tiver algum outro fator de risco que favoreça a formação de trombos.

  • Anonymous

    Olá Doutor, gostaria de parabenizá-lo pela esclarecedora matéria. Me chamo Gracieli, tenho 28 anos e gostaria muito de esclarecer uma dúvida. Só o uso de anticoncepcional , mesmo os doses hormonais mais baixas (uso o Mirelle), aumentam muito os riscos de trombose e, consecutivamente, suas complicações?
    Obrigado.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Ana, existem doenças genéticas que favorecem a trombose. Mas são raras. No caso do seu pai, havia um fator predisponente (cirurgia prévia), o que fala contra uma doença primária da coagulação.

  • ana claudia de lima

    Parabéns pela grande explicação, perdi meu pai no mes de abril deste ano de 2010 com tromboembolia pulmonar depois de ter feito uma cirurgia de apendicite (que acabou supurando)ele ficou muito tempo acamado e a trombose começou nas partes de baixo das pernas e dpois começou a inchar a perna esquerda dele, enfim eu não sabia do que se tratrava da doença e a sua explicação foi pra mim de grande valor, obrigada pelas informações, só gostaria de saber se a trombose é hereditária ou não?

  • Elisangela

    Parabéns, Parabéns, Parabéns é só que posso dizer de vocês. Pois adoro as explicações que são sempre completas e de fácil entendimento. Sou técnica de enfermagem porém no momento não estou atuando na área, mas os texto de vocês é compreendido por qualquer leigo. Adoro as ilustrações acho que a visualização ajuda mais na compreensão e fixação do que esta sendo lido.
    Mais uma uma vez parabéns…

  • silvia helenice

    Fantástica sua explanacao. Aqui na Alemanha, esses esclarecimentos, por parte dos médicos sao quase que inexistentes. Acabo de conduzir meu marido ao hospital, para uma melhor investigacao, mas o quadro sintomático apresentado é infelizmente o mesmo de sua explicacao. Continue essa nobre missao magistral. Parabéns.
    Silvia Helenice Nitschke

  • Luly

    Excelente materia !!!! Clara e objetiva. Sem blas blas blas.
    Parabens, continue escrevendo artigos desse nível.
    Abs

  • Anonymous

    obrigada pelas explicação pois meu colega de serviço faleceu de embolia pulmonar e ninguêm sabia o que era e essas explicãções nos deixaram informados mais uma vez obrigado Ilza santos Goiânia-Go

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Raquel,
    A angio TC é um dos exames usados para se diagnosticar a embolia. Com ela é possível se ver os vasos do coração e pulmão e procurar identificar aonde está o êmbolo.

  • Larissa

    Dr. Pedro, parabéns pelo texto. Acabei de ter alta do hospital pois tive uma embolia e não conseguia entender direito o que acontecia.

    Assim como a Dayane, não sabia dos riscos de se tomar o anticoncepcional, fiz uma cirurgia de joelho e 2 meses depois aconteceu a embolia.

    Meu médico nunca tinha alertado quanto à esse risco, pois tenho 21 anos e gostaria de alertar as pessoas, principalmente mulheres que tomam o anticoncepcional que não existe idade para se ter a embolia e que o uso do anticoncepcional associado a uma cirurgia é muito arriscado. Quase perdi a vida por falta de informação, os médicos disseram que se o socorro demorasse mais alguns minutos não teria dado tempo.

    Novamente parabéns pelo espaço e obrigada peloc onhecimento.

  • Anonymous

    Dr. Pedro, Bom dia!
    Achei a sua explicação muito interessante! Minha mãe ficou 25 dias internada para tratar de uma embolia pulmonar, o caso dela foi grave, pois teve choque cardiogênico. Gostaria de saber sobre a importância do exame angio TC com contraste. Que medidas são tomadas após esse exame?
    Obrigada, Raquel Botelho

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Dani,
    O tempo de hospitalização, assim como a falta de ar é muito variável.
    Em geral, o doente sai medicado com anticoagulantes e deve tomá-los pelo resto da vida.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Ana,
    O quadro normalmente é uma forte dor no peito associado a uma falta de ar súbita e intensa. Muitas vezes o doente entra rapidamente em choque circulatório.

  • dani

    Parabéns pelo texto excelente!!

    Uma dúvida uma paciente com uma embolia no nivel 2 (do exemplo da sua figura), fica quanto tempo hospitalizada para a recuperação?!
    E a dificuldade em respirar dura muito tempo?!
    Após sair do hospital a paciente continua tomando medicamento? Por quanto tempo?

    Grata pela atenção!

    Danielle

  • Ana Tavares.

    Gostei bastante de sua explicação, mas tenho perguntas. Nos sintomas de embolia pulmonar, no exemplo nº1, não é mencionado qual a reação da pessoa.Sente falta de ar?Dor no peito?Ou é tão rápido que ela não tem reação? No site da Merck(cap. 34-Embolia pulmonar)diz:Normalmente uma embolia pulmonar fatal causa a morte em uma ou duas horas.Gostaria de entender melhor.
    Um abraço.

  • Anonymous

    Parabéns pela matéria, é de grande validade as informações, pois hoje dia 26/01/10 morreu uma jornalista bastante nova, 27 anos de idade. POr ter feito uma cirurgia de lipoaspiraçõa e infelizmente teve uma embolia pulmonar no pós cirurgico. Vamos alertar a população… pelos riscos.

  • Anonymous

    Dr. Pedro, parabéns pelo blog, sou fisioterapeuta e achei a sua explicação ótima, clara e simples !!!
    Parabéns !
    Rafaela

  • Anonymous

    Parabéns pelo texto, esclareci muitas duvidas. Mas estou com um medo danado de ser constatado embolia pulmonar, como suspeita minha médica.Mas ja vou mais esclarecida para a consulta amanhã.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Cristina,
    Sim. Perfeitamente possível.

  • cristina

    ola , gostei do texto ! gostaria saber se é possivel um acidente de moto, um mes depois causar embolia e a morte sendo a pessoa apenas lesou o pé no acidente .

  • Anonymous

    Parabéns Dr.Pedro e Dra.Renato.
    Esse texto sobre embolia pulmonar, está perfeito, sou estudante de enfermagem e tirei muitas dúvidas atraves do seu texto.
    Silvana( Feira de Santana)

  • Daiane Oliveira

    Meu nome é Daiane tenho 20 anos de idade…. tive embolia pulmonar a tres semanas atras… segundo os médicos a causa do meu problema foi o antconcepcional que eu usava a apenas 5 meses… os sintomas foram dor na altura do ombro e dificuldade quando precisava respirar mais profundamente… fiquei uma semana na UTI (foram os piores dias de minha vida) ,e hj tenho que tomar medicamento anticoagulante diariamente….. que meu caso sirva de alerta para outras mulheres que usão o antconcepcional… principalmente as garotas mais jovens que o utilizam sem consultar um médico ….

    Parabéns pela matéria…. está ótima… esclareci muitas duvidas e assim como eu acredito que muitos leitores também ficaram satisfeitos… PARABÉNS !

    Daiane Oliveira

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Rosemary,
    Dependo da gravidade das sequelas elas podem não desaparecer nunca. Nem sempre a veia recanaliza. Pode ser que vc fique com algum grau de edema nas pernas por exemplo.

  • Rose_VR

    Dr., parabéns pelo ótimo texto e explicações, é dificil encontrarmos explicações com texto tão simples de leitura para leigos.
    Gostaria de fazer uma observação: tive trombose nas duas pernas causando a embolia pulmonar e minha trombose foi totalmente assintomática, talvez até por isso que foi muito dificil enontrarem a razão da minha falta de ar qdo dei entrada no hospital. Graças a Deus sobrevivi e isso foi em janeiro/09.
    Uma pergunta: Estou tomando marevan desde janeiro, meu inr esta controlado quinzenalmente. E média, qto tempo leva para o pulmão e pernas estarem sem sequelas??? fiz exames em julho e um pulmão ainda tem sinais de embolia e 01 perna ainda não esta recanalizada.
    Obrigada pelas explicações, pelo site…
    Abraço
    Rosemary

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Renata,
    Não tenho como opinar sobre uma situação delicada dessas sem acesso aos dados clínicos. Cada caso é um caso. Não tenho como dar um opinião geral pq provavelmente não se encaixará neste caso. A evolução dela depende de vários fatores. Infelizmente essa resposta só os médico que estão cuindando do caso podem dar.

  • Renata

    Oi Dr Pedro.
    Entao, minha mae esta com edema cerebral, esta na UTI a 22 dias.
    ela nao esta mais sedada e esta com a trasqueotomia.
    mas ela abre os olhos, esta muito sonolenta, nao tem reaçao nenhuma, sera que ela sente a familia? nao aguento mais essa situaçao, quanto tempo demora para esse edema cerebral regredir?
    como o paciente reage nessa situaçao?

    obrigada

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Renata,
    Pelo o que vc conta não consigo saber pq o cerebro está inchado. Precisaria de mais dados.

  • Anonymous

    Ola Dr Pedro Bom Dia
    Minha mae esta internada na UTI, sedada e com ventilaçao.
    ela teve uma embolia pulmonar na semana passada,causou o infarto, mas foi socorrida logo, e agora esta na UTI.. Fizeram a tomagrafia, mas nao deu para ver muita coisa, pois o cerebro esta inchado, nesse caso sera o que?
    e os medicos nao tiram a sedaçao…nao aguento mais essa situaçao…o que sera esse inchaço?
    ela esta bem, o coraçao bom, o pulmao, a pressao boa..
    me explique melhor, estou angustiada..
    Obrigada

    Renata

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Cynthia,
    Se a cirurgia é recente, acho muito arriscado. Ainda mais em uma viagem tão longa. É melhor esperar alguns meses.

  • Cynthia Saccoman

    Parabéns pela explicação.
    Cheguei aqui pois meu pai fez cirurgia de ponte de safena e eu gostaria que ele viajasse para a Australia, onde moro.
    E queria saber se é perigoso, pois o médico citou a embolia pulmonar.
    Obrigada
    Cynthia Saccoman

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Izaura,
    Isso depende do quadro clínico e da gravidade da embolia.

    Não tenho como te dizer um procediemnto padrão, porque isso varia muito de caso a caso. O paciente com TEP pode desde sentir uma pequeno desconforto no peito, até apresentar parada cardíaca.

    O importante é ter atendimento médico rápido, principalmente se a embolia for grande.

  • Izaura

    Ola,parabéns pelo blog e queria saber no caso de emergencia que procedimentos poderão ser realizados enquanto chega o socorro e quais os provaveis procedimentos feitos pelo medico que receber esta emergencia. Ficarei muito grata em receber sua resposta.

  • Anonymous

    Dr pedro;parabéns pela materia, pois a explicação do texto é bem nitida.

  • Zé Antônio

    Excelente texto !
    Há alguns anos perdi meu avô após um quadro de morte súbita. Ele tinha operado há poucos dias o quadril e estava com uma prótese na perna.

    Na época os médicos do hospital disseram que era infarto, mas meu médico nos afirmou que deveria ter sido embolia devido a história recente dele.

    bom, agora tanto faz.
    Parabéns pelo blog.