Sintomas de Pneumonia (crianças, adultos, idosos)

Quais são os sintomas da pneumonia?

Pneumonia é o termo utilizado pra descrever a ocorrência de infecção em um ou ambos os pulmões. Existem mais de 100 tipos de micróbios que podem provocar um quadro de pneumonia, incluindo bactérias, vírus, fungos e parasitos. A maioria dos casos, porém, é causada por apenas 4 ou 5 tipos de bactérias ou vírus.

Não existe um quadro de sinais e sintomas único que se encaixe em todos os pacientes. Na verdade, os sintomas da pneumonia podem ser muito diferentes de um paciente para o outro, variando de acordo com a idade, com estado clínico prévio do indivíduo e com agente infeccioso.

Mesmo aqueles sintomas mais típicos, tais como tosse e febre, podem ter apresentações bem distintas, consoante as características clínicas da pessoa doente. Por exemplo, há casos de pneumonia com febre alta, casos de pneumonia com febre baixa e casos de pneumonia sem febre; a tosse pode ter expectoração clara, esverdeada, amarelada ou sanguinolenta, mas ela também pode não ter secreção alguma ou simplesmente não estar presente.

Neste artigo vamos falar sobre os principais sinais e sintomas da pneumonia de acordo com a faixa etária do paciente. Serão abordados os seguintes tópicos:

  • Sintomas da pneumonia viral e bacteriana nas crianças.
  • Sintomas da pneumonia viral e bacteriana nos adultos.
  • Sintomas da pneumonia viral e bacteriana nos idosos.

Nesta revisão nós iremos nos concentrar apenas nos sinais e sintomas da pneumonia. Se você deseja mais informações sobre a doença, tais como causas, formas de transmissão, métodos de diagnóstico e tratamento, acesse os seguinte artigos: PNEUMONIA | Causas, Sintomas e Tratamento e PNEUMONIA É CONTAGIOSA?

Se você gostaria de saber as diferenças entre a pneumonia e a tuberculose, acesse: DIFERENÇAS ENTRE PNEUMONIA E TUBERCULOSE.

Pneumonia bacteriana nas crianças

Os sinais e sintomas da pneumonia bacteriana nas crianças variam de acordo com o agente infeccioso, a idade da criança, a gravidade da infecção e as características clínicas do paciente, isto é, se é uma criança saudável ou previamente com algum problema de saúde.

Em geral, a pneumonia é um quadro de instalação rápida, com surgimento de febre alta, prostração e tosse, que evolui em questão de poucas horas. Porém, nas chamadas pneumonias atípicas, o quadro pode ser mais insidioso, com instalação progressiva dos sintomas ao longo de vários dias.

Entre os sintomas mais comuns da pneumonia bacteriana nas crianças, podemos citar:

  • Febre.
  • Tosse.
  • Taquipneia (respiração acelerada).
  • Letargia.
  • Vômitos.
  • Sinais de esforço para respirar.
  • Respiração ruidosa.
  • Recusa alimentar.
  • Dor no peito.
  • Dor abdominal.

Apesar de não ser um sintoma obrigatório, a febre está presente em mais de 90% dos casos de pneumonia, principalmente nas crianças com mais de 1 ano. Em alguns casos, a febre pode ser o único sinal presente.

A tosse é outro sintoma comum, que pode ser encontrado em até 70% dos casos. Porém, uma tosse com expectoração amarelada ou esverdada, que é um sintoma típico de infecções pulmonares, pode não estar presente em mais da metade do casos. Pneumonia apresentando-se com tosse seca é bastante comum.

Não é comum, mas é perfeitamente possível uma criança ter pneumonia sem febre ou tosse, principalmente nos bebês. Em algumas crianças, a pneumonia pode se apresentar apenas com dificuldade respiratória e taquipneia. Outras podem apresentar apenas sonolência e pouca reatividade.

A taquipneia, aliás, é um dos principais sintomas a ser pesquisado quando queremos avaliar a possibilidade de uma pneumonia com sinais de gravidade. Toda a criança que apresenta uma frequência respiratória elevada, mesmo sem febre ou tosse, deve ser imediatamente levada para avaliação médica. Consideramos um sinal de gravidade quando a criança apresenta a seguinte frequência de incursões respiratórias (número de inspirações por minuto):

  • Crianças com menos de 2 meses – mais de 60 incursões respiratórias por minuto.
  • Crianças entre 2 e 12 meses – mais de 50 incursões respiratórias por minuto.
  • Crianças de 1 a 5 anos – mais de 40 incursões respiratórias por minuto.
  • Crianças maiores que 5 anos – mais de 20 incursões respiratórias por minuto.

É importante destacar que a taquipneia é mais útil para avaliar gravidade do que para fazer o diagnóstico de pneumonia, isso porque nos primeiros dias de infecção, a criança não costuma ter uma respiração muito acelerada.

Na verdade, o único sinal que parece ser universal em todas as crianças com pneumonia é aparência de estar doente. Isso significa que a criança fica menos ativa, come menos, fica com uma carinha de doente, mais irritada ou sonolenta… Ou seja, é um conjunto de fatores que fazem com que a mãe logo note que a criança não está no seu estado habitual.

Pneumonia viral nas crianças

A pneumonia viral normalmente surge como complicação de um quadro de virose respiratória comum. Gripe e resfriado podem, em alguns casos, evoluir para pneumonia. Nos adultos saudáveis isso é raro, porém, nas crianças com menos de 5 anos, a pneumonia de origem viral é a causa mais comum de pneumonia.

A pneumonia viral pode ter sintomas parecidos com os da pneumonia bacteriana, mas costuma ser menos grave, apesar de haver casos fatais. Em geral, o paciente além da febre e da tosse também apresenta sintomas de virose, como dor de garganta, coriza, dor de ouvido, espirros, dores pelo corpo e dor de cabeça. Bronquiolite é uma complicação comum.

A pneumonia viral costuma durar de 3 a 5 dias e, ao contrário da pneumonia bacteriana, resolve-se de forma espontânea na maioria dos casos.

Pneumonia nos adultos

Nos adultos saudáveis com menos de 65 anos, o quadro de pneumonia costuma ter origem bacteriana e se instala rapidamente, com instauração dos sintomas nas primeiras 24 a 48 horas. É comum o quadro de pneumonia bacteriana ser antecedido em 2 ou 3 dias por uma virose respiratória.

Os sinais e sintomas mais comuns da pneumonia nos adultos são:

  • Febre – pode ser alta ou baixa.
  • Tosse – pode ser seca ou ter expectoração clara, amarelada, esverdeada ou sanguinolenta.
  • Calafrios.
  • Suores.
  • Dor torácica, que geralmente agrava-se com a respiração profunda (esse tipo de dor é conhecido como dor pleurítica).
  • Falta de ar.
  • Prostração.
  • Cansaço aos pequenos esforços.
  • Náuseas e vômitos.

Os quadros de pneumonia podem ser leves, permitindo tratamento com antibióticos por via oral em casa, ou graves, necessitando de internação hospitalar e antibioterapia por via venosa. Cerca de 20% dos pacientes com pneumonia acabam precisando de tratamento no hospital.

Pneumonia viral nos adultos

A pneumonia viral nos adultos costuma ser causada pelo vírus Influenza, o mesmo que causa a gripe. A pneumonia viral é mais comum em crianças e idosos, mas pode acometer também adultos, principalmente as mulheres grávidas, os indivíduos obesos ou pessoas previamente debilitadas por outras doenças.

O quadro clínico é o de uma gripe forte que em vez de melhorar após alguns dias, mantém agravamento progressivo dos sintomas, com febre alta, tosse persistente, prostração e falta de ar, que vai se tornando cada vez mais intensa.

Se você procura informações sobre a pneumonia viral provocada pelo Coronavírus (Sars-Cov-2), conhecida como Covid-19, acesse o seguinte link: Novo Coronavírus (Covid-19).

Pneumonia nos idosos

Os sintomas da pneumonia nos idosos dependem muito do estado de saúde do individuo. Em idosos saudáveis e com bom estado geral, os sintomas costumam ser muito parecidos como os da população adulta. Porém, quanto mais velho e maior o número de doenças associadas, mais atípica pode ser a apresentação clínica de uma pneumonia.

Ao contrário do que ocorre nos adultos mais jovens, a pneumonia nos idosos frequentemente não cursa com febre e os sintomas respiratórios podem ser brandos. A tosse, quando presente, é habitualmente seca. Se o paciente já tem alguma doença pulmonar prévia, a dica é um agravamento dos seus sintomas habituais.

O sintoma de pneumonia mais comum nos idosos é a alteração de comportamento. O paciente pode ficar desorientado em relação ao tempo e ao espaço, pode ter alucinações e desenvolver um discurso incoerente. Recusa alimentar e uma deterioração do estado geral, com intensa prostração também são bastante comuns.

A pneumonia nos idosos costuma ser mais grave, primeiro porque o paciente já habitualmente mais debilitado, e segundo porque o diagnóstico pode não ser feito rapidamente, principalmente naqueles cujos sintomas são típicos. A necessidade de internação hospitalar é comum nessa faixa etária, e a taxa de mortalidade é bem maior. Além disso, os idosos que precisam de internações prolongadas frequentemente não voltam a ter o mesmo nível de independência nas suas atividades cotidianas que tinham antes.

Assim como ocorre nas crianças, a pneumonia de origem viral é bastante comum nos idosos. O quadro costuma ser menos grave que na pneumonia de origem bacteriana, ainda assim, muitos idosos precisam de tratamento hospitalar, principalmente aqueles que já eram previamente mais debilitados. O tratamento com antivirais costuma ser indicado para reduzir o risco de complicações.


Referências bibliográficas


RELACIONADOS