Infarto fulminante: causas, sintomas e tratamento

Atualizado em
Comentários: 100

O que é um infarto fulminante?

O infarto fulminante é uma das principais causas de morte súbita.

Chamamos de infarto fulminante aquele que causa o óbito do paciente antes que haja tempo de um atendimento médico, ou seja, o paciente morre antes de chegar ao hospital. Cerca de 15% dos infartos se manifestam com morte súbita, não dando chance ao paciente. Felizmente, os outros 85% conseguem chegar a tempo ao hospital.

O infarto pode causar morte súbita de duas formas: o coração pode parar funcionar por ter sofrido necrose em uma extensa área do seu músculo ou por ter surgido uma arritmia maligna.

Em ambos os casos, o coração torna-se incapaz de bombear o sangue adequadamente, levando o paciente ao colapso circulatório, que é uma situação na qual os órgãos e tecidos do corpo não recebem sangue adequadamente.

Neste texto explicaremos como surge um infarto fulminante, o que é uma arritmia cardíaca maligna e por que algumas pessoas têm infarto cardíaco e conseguem chegar a tempo ao hospital, enquanto outras apresentam um quadro de infarto com morte súbita.

Se você procura informações sobre outras causas de morte súbita, além do infarto fulminante, leia: Causas de morte súbita – Adultos, atletas e bebês.

Como surge

Comecemos pelo básico. Qualquer célula do nosso corpo precisa de sangue para viver; quando uma artéria sofre uma súbita obstrução do fluxo sanguíneo, os tecidos nutridos pela mesma sofrem isquemia e necrose. A esta morte de um tecido damos o nome de infarto.

Um infarto pode ocorrer no cérebro, rim, pulmão ou qualquer outro órgão do corpo. Infarto do coração, ou infarto do miocárdio, portanto, significa morte das células musculares do coração (chamadas de miocárdio), por falta de suprimento sanguíneo.

As artérias que levam sangue aos tecidos do coração se chamam artérias coronárias. Nosso coração possui duas grandes artérias responsáveis pelo suprimento sanguíneo cardíaco: artéria coronária esquerda, que nutre o lado esquerdo do coração, e artéria coronária direita, que nutre o lado direito do coração. Para que todo o tecido cardíaco receba sangue, essas artérias coronárias precisam se ramificar, formando uma grande teia de vasos sanguíneos ao redor de todo o coração.

Quanto maior for a área infartada, ou seja, quanto mais extensa for a região muscular que sofreu necrose por falta de nutrição sanguínea, maior será a gravidade do infarto. Reparem na ilustração abaixo, o exemplo de 3 localizações diferentes para uma obstrução das artérias coronárias e suas respectivas consequências.

Infarto do miocárdio

É possível notar que quanto mais próximo do nascimento das artérias coronárias ocorre a obstrução, maior é a área afetada. Não é difícil entender por que a obstrução na terceira figura é muito mais grave que na primeira. Todo aquele músculo necrosado torna-se inútil e incapaz de contrair para bombear o sangue. Quando subitamente perdemos a nossa bomba de sangue, entramos em colapso, que é chamado choque circulatório.

Além do choque circulatório, chamado neste caso específico de choque cardiogênico por ter origem no coração, existe outra importante causa para um óbito rápido após um infarto: arritmias cardíacas. O tecido cardíaco que sofre infarto não consegue mais transmitir os impulsos elétricos normais do coração, causando distúrbios na condução elétrica, o que favorece o aparecimento de arritmias cardíacas graves. São as arritmias malignas as principais responsáveis pela morte súbita de origem cardíaca. Mais de 70% destas ocorrem devido à doença isquêmica do músculo cardíaco.

Na verdade, um extenso infarto é um grande risco, mas não é a única causa para uma parada cardíaca. Vários pequenos infartos acumulados durante anos ou uma isquemia única, mesmo que não muito extensa, mas localizada caprichosamente em uma área nobre da geração e transmissão dos impulsos elétricos do coração também podem desencadear arritmias malignas, levando à parada cardíaca. Portanto, dois fatores são importantes no prognóstico de um infarto: tamanho e localização da área afetada.

Sugerimos também a leitura do texto: Infarto do miocárdio – Causas e prevenção

O que caracteriza uma arritmia maligna?

Chamamos de arritmia maligna aquela que não produz os impulsos elétricos necessários para o correto batimento cardíaco. O coração funciona de modo muito sincronizado. Se os impulsos elétricos não surgirem no momento certo e não forem transmitidos da forma devida, o coração não conseguirá se contrair e bombear o sangue adequadamente.

A principal arritmia responsável pela morte de origem cardíaca é a fibrilação ventricular. Durante uma fibrilação ventricular, os estímulos elétricos se tornam caóticos, sendo incapazes de gerar uma contração do músculo cardíaco de forma sincronizada; o coração simplesmente começa a tremer e já não consegue mais bombear sangue para o resto do corpo. Um coração em fibrilação ventricular é basicamente um coração parado, sujeito a uma tempestade de impulsos elétricos inúteis.

Depois de alguns minutos em fibrilação ventricular, os tecidos do resto do corpo começam a morrer, incluindo o cérebro. Uma pessoa em fibrilação ventricular está tecnicamente morta e precisa ser ressuscitada imediatamente, antes que o cérebro morra por falta de circulação sanguínea. Se não revertida prontamente com um desfibrilador (choque elétrico), o paciente vai ao óbito em questão de minutos.

Quando o paciente está em fibrilação ventricular, apenas a massagem cardíaca não é suficiente para salvar a sua vida. Por isso, nos últimos anos, aeroportos, aviões, casas de shows, shopping centers e outros locais com grande movimentação de público têm disponibilizado desfibriladores elétricos para o eventual caso de uma súbita parada cardíaca em seus estabelecimentos.

Sugerimos também a leitura do texto: Palpitações, taquicardia e arritmias cardíacas.

Sintomas do infarto fulminante

O paciente normalmente inicia um quadro de cansaço, sudorese e dor no peito, exatamente como em qualquer outro infarto.

Se a área cardíaca afetada for muito grande, o coração entra em colapso, e paciente evolui rapidamente para um quadro de choque cardiogênico, que se caracteriza por hipotensão arterial e intensa falta de ar.

No caso de arritmia maligna, o paciente perde a consciência e para de respirar. O quadro é dramático, pois, como já dito, uma fibrilação ventricular é uma forma de parada cardíaca.

É importante frisar que a arritmia pode surgir a qualquer momento. Em alguns pacientes ela surge logo após o início dos sintomas; em outros, pode aparecer somente após algumas horas do início do infarto, muitas vezes com o paciente já dentro do hospital, o que, neste caso, aumenta muito as chances de reversão do quadro.

Todo paciente com quadro súbito de dor no peito deve ser avaliado por um médico. É impossível, sem avaliação médica, prever qual infarto evoluirá bem ou mal, apenas baseado nos primeiros sintomas.

Há como prever um infarto cardíaco fulminante antes dele surgir?

Nem sempre é possível prever com grande antecedência quem está sob risco de infarto fulminante. Os principais fatores de risco são os mesmos para qualquer infarto:

Quanto mais fatores de risco uma pessoa tiver, maior será a chance dela ter doença nas suas coronárias, aumentando o risco de um infarto mais extenso. Pacientes com muitos fatores de risco, principalmente se forem homens acima dos 50 anos, devem ser avaliados por um cardiologista.

Prevenção do infarto do miocárdio

Quando a obstrução das coronárias vai se dando de modo lento e pregressivo, o paciente começa a sentir os sintomas de uma diminuição do aporte de sangue ao coração. É a chamada angina, uma dor no peito que surge ao esforço ou em períodos de estresse, e desaparece em repouso.

A angina é uma isquemia transitória causada por uma obstrução parcial das artérias coronárias. O sangue chega ao músculo cardíaco em menor quantidade, mas não se reduz tanto ao ponto de provocar uma necrose.

Os pacientes com angina normalmente procuram atendimento médico antes que haja obstrução completa das coronárias, conseguindo através do cateterismo cardíaco identificar e corrigir as obstruções a tempo, antes de terem um infarto

Para saber mais sobre angina, sugiro a leitura do texto: Angina estável e instável.

Através do cateterismo, chamada também de angiografia coronariana, é possível mapear todos os vasos do coração. Se o médico encontra, por exemplo, uma artéria com 80% ou 90% de obstrução, já sabemos de antemão que este paciente está à beira de um infarto.

Essa obstrução precisa ser corrigida através de uma angioplastia. Alguns pacientes apresentam lesões tão graves nas coronárias que precisam de uma cirurgia, a chamada ponte de safena, para substituir as artérias doentes.

Explicamos o cateterismo cardíaco com mais detalhes no artigo: Cateterismo cardíaco.

Prevenção da arritmia maligna

Pacientes que já apresentaram infartos prévios, possuindo várias pequenas áreas de tecido cardíaco necrosado ou insuficiência cardíaca, apresentam grande risco para arritmias malignas. Por meio de estudos da atividade elétrica do coração, o médico pode reconhecer quem são os pacientes com risco elevado de arritmia maligna.

Nestes casos, o cardiologista pode indicar a colocação de um desfibrilador implantável, que é um pequeno aparelho, semelhante a um marca-passo, capaz de reconhecer o surgimento de uma arritmia cardíaca. Quando o paciente entra em arritmia maligna, o desfibrilador reconhece o problema e salva a sua vida, liberando imediatamente uma descarga elétrica capaz de abortar a arritmia.

Porém, nem todos os pacientes apresentam algum tipo de sintoma antes do infarto. Por isso, repito, a avaliação de um cardiologista é sempre necessária em pessoas com fatores de risco.

Qual é o tratamento para um infarto fulminante?

Se o paciente sofre uma isquemia cardíaca e evolui com uma arritmia maligna fora de um ambiente hospitalar, as chances de sobreviver são muito pequenas. A fibrilação ventricular precisa ser revertida com um desfibrilador em questão de minutos. Depois de 10 minutos de fibrilação, a maioria dos pacientes já não conseguirá mais ser salva, mesmo que o choque elétrico do desfibrilador venha a ser dado. Além disso, quanto mais tempo o paciente permanece em parada cardíaca sem atendimento médico, maior é o risco de lesões irreversíveis do cérebro. Enquanto o coração estiver parado, o cérebro estará sem receber sangue.

É devido a está urgência no tratamento das arritmias malignas que, como já dito, alguns locais públicos já dispõem de desfibriladores automáticos. Em geral, estas máquinas são de manuseio simples e podem ser operadas por pessoas leigas; basta conectar as pás ao peito do paciente conforme estará indicado, ligar a máquina e se afastar. O resto do trabalho ela fará sozinha.

Se o paciente já foi previamente avaliado por um cardiologista e tiver um desfibrilador implantável, provavelmente este salvará sua vida, pois o choque virá imediatamente após o início da arritmia.

É importante salientar que a reversão da arritmia é apenas o primeiro passo no tratamento do infarto grave. Este paciente não deixa de ter um infarto só porque a arritmia foi tratada; ele precisa ser internado e pode ainda vir a falecer por várias outras complicações do infarto, como uma insuficiência cardíaca grave.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.


O Artigo te Ajudou? Então nos Ajude Agora!
Se você achou este artigo informativo e útil, por favor, considere compartilhá-lo nas suas redes sociais. Cada compartilhamento não só ajuda outras pessoas a obterem informações de saúde de qualidade, mas também contribui significativamente para o crescimento do nosso site.
Temas relacionados
Angioplastia Cateterismo cardíaco e Angioplastia com Stent
Calculadora do risco de infarto (escore de Framingham) Calculadora do risco de infarto (escore de Framingham)
Colesterol alto Colesterol: o que são HDL, LDL, VLDL e triglicerídeos?
Infarto Sintomas do infarto agudo do miocárdio
HDL 10 dicas para aumentar o HDL (colesterol bom)
Síncope Desmaio, Síncope e Reflexo Vagal
Dor no peito Dor no peito (dor torácica): causas e sinais de gravidade
Infarto INFARTO DO MIOCÁRDIO – Causas e prevenção
Eletrocardiograma Eletrocardiograma (ECG): entenda os resultados
Estatinas Estatinas: remédios para baixar o colesterol
Morte súbita Morte súbita: causas em adultos, atletas e bebês
Síndrome do coração partido O que é a síndrome do coração partido?
Angina de peito Angina: tipos, causas, sintomas e tratamento
- Publicidade -
COMENTÁRIOS
Por favor, leia as regras do site antes de enviar a sua pergunta.

Deixe um comentário

100 comentários em “Infarto fulminante: causas, sintomas e tratamento”

  1. Por que a pessoa quando morre de infarto fica suando muito principalmente na cabeça, fica com o corpo quente e suando muito?, agradeço se puder me ajudar…

    Responder
  2. Perdi meu pai com infarto fulminante. Ele tinha 59 anos, não fumava, bebia socialmente, exames laboratoriais todos normais, não era hipertenso nem diabético. Eu realmente fiquei sem intender. Será que pode ter sido fator genético? Ele perdeu dois irmãos da mesma forma, só que eles eram fumantes e hipertensos.

    Responder
  3. Bom dia!
    Ontem dia 23/04 minha mãe teve um infarto grande. Está respirando com ajuda de aparelhos. Há possibilidade dela voltar a viver? Será necessário transplante?

    Responder
    • Hely, sem saber detalhes do caso é impossível eu conseguir opinar sobre o prognóstico dela. Depende da extensão do infarto, do número de vasos acometidos, do estado clínico dela atual, das doenças que ela já tinha… Eu nem sequer sei a idade dela. Lamento, mas o cardiologista dela é a única pessoa que tem condições de te dar essas informações.

      Responder
  4. Minha mãe teve um infarto fulminante e foi fatal, ela era uma pessoa saudável, não tinha nenhum problema de saúde, peso ideal pra altura dela. No dia que passou mal, chegou caminhando ao hospital, mas lá caiu e faleceu. Até hoje não entendemos o porquê disso ter acontecido.

    Responder
  5. Olá Dr, gostaría de saber como detectar apenas com ECG e diferenciar um infarto fulminante de um infarto agudo e também de um infarto isquemico e qual a caractéristica principal para essa diferenciação.E qual exame complementar poderia ser feito .Pondo os 3 infartos como posso chegar em um resultado final.Agradeço desde já.

    Responder
    • Todo infarto é isquêmico, e todo infarto fulminante é um infarto agudo. Você está confundindo os termos. Infarto fulminante é um infarto agudo, provocado por uma isquemia cardíaca, mas que é tão grave que leva o paciente ao óbito rapidamente, antes dele ter tempo de procurar atendimento médico.

      Responder
  6. meu pai sofreu um infarto de miocardio, e os medicos vao tentar reconstruir a area afetada, o que eles irao fazer nao consegui entender? obrigado

    Responder
    • Se for uma cirurgia de revascularização, eles vão pegar uma pequena parte da veia safena ou mamária e vão colocá-la no lugar da artéria entupida que deu origem ao infarto.

      Responder
  7. Boa Noite Dr. Quem tem Transtorno de Ansiedade, nomeadamente Sindrome do Panico é um factor de risco para infarto fulminante? Obrigada

    Responder
  8. meu namorado morreu de infarto fulminante com 29 anos, ele queixou de dor no peito e muito frio chegou em casa e do nada ele correu para o banheiro já vomitando e depois caiu,já sem pulso não deu tempo de chegar ao hospital.ele tava bem forte e do nada ele passou mal e morreu..não consigo acreditar.

    Responder
  9. Olá Dr! Tenho 16 anos, jogo futebol, e gostaria de saber por que alguns jogadores morrem ou morreram em campo numa partida, sendo que sempre jogaram normalmente e fizeram exames médicos nos seus clubes. Por exemplo, o caso do Everton Costa do Vasco(não houve morte),ele jogou a vida inteira e agora terá que por um marca-passo por conta de uma arritmia. PARABÉNS PELO TRABALHO!

    Responder
  10. Olá Dr!
    Parabéns e obrigada por compartilhar de seu conhecimento.
    Dr. gostaria de acrescentar que excesso de ferro no sangue também é um fator de risco, mas os médicos simplesmente ignoram o problema. Minha filha tem apenas 19 anos, não bebe, não fuma, é uma ótima filha e está com excesso de ferro no sangue(418ng/ml). Fiz pesquisa na internet e me assustei com esse problema. O médico dela, pouco se importou, disse para ela fazer uma ressonância, mas sem urgência, doar sangue, e ponto. Vi na internet que isso não é nada comum na idade dela e que o paciente pode falecer prematuramente… estou assustada porque ferritina não é um exame pedido com frequência na área médica. Um grande abraço.

    Responder
    • 418 de ferritina não é um valor assustador. A ferritina é uma proteína de fase aguda e pode elevar-se em várias situações, mesmo que os níveis de ferro estejam normais. A ferritina sozinha não faz diagnóstico da quantidade de ferro no organismo.

      Responder
      • Ela vivia passando mal, acharam que era gastrite, dengue, virose… até verem o fígado inchado, o ferro e pedir ressonância. Mas acho importante os médicos pedirem ferritina, já que é um problema silencioso e que tem consequências drásticas. Obrigada por sua atenção Dr. Grande abraço.

        Responder
  11. Olá, ontem a minha tia faleceu após ter um infarto fulminante nem deu tempo de chegar ao hospital, mas ela era muito nova, tinha 37 anos, é uma pena :(

    Responder
  12. Dr. Pedro queria saber se uma pessoa durante enquanto esta dormindo normalmente e derrepente sente sintomas de aperto tipo palpitações aceleradas ao lado do coração e falta de ar pode ser um infarto?pois estou preocupada com meu esposo ele está sentindo esses sintomas quase todas as noites o que fazer numa hora dessas?

    Responder
    • Uma dor no peito que acorda a pessoa pode ser algo importante. O ideal é ele marcar uma consulta com o cardiologista para ter certeza que de o coração está bem.

      Responder
    • O infarto fulminante é aquele que leva o paciente a ter parada cardíaca em poucos minutos. Se não houver pronto atendimento, o risco de sobreviver é muito pequeno. Geralmente é preciso um cardio desfibrilador por perto para salvar o paciente.

      Responder
  13. Olá!Boa noite.
    Dr° eu fiz um Eco e nele acusou que eu tenho uma pequena arritimia cardíaca,mas o medico me disse q nao era pra eu me preocupar que nao é nada de mas.O que é “uma pequena arritimia cardiaca”?Tem algum tratamento?

    Responder
  14. Gostaria de tirar uma duvida pois estou muito triste pois pedi meu pais dia 11 de setembro de 2013 foi infarto fuminante, mais isso eu nao entendo ele tinha 65 anos nao fumante nao alcoolatra sempre caminhava e nunca reclamou de dor no coração ia ao medico fazer seu exames mas um dia de manha sentiu uma formigamento no pe a minha mae foi buscar agua quando chega ao quarto ele ja estava de espumando pela boca como pode isso uma pessoa com muita saude isso derrepende sera que os medicos que faziam seu checaup nao viram algum problema no coração. Agradeço desde ja pelo esclarecimento.

    Responder
    • Primeiro é preciso confirmar que a causa da morte foi mesmo um infarto fulminante. Há outras causas para morte súbita. Nem sempre os exames detectam alterações. Infelizmente, ainda temos algumas limitações.

      Responder
  15. dr fiz eum ecg e deu ritmo de repolarização precoce, omedico pediu um TE e deu tudo ok, ele me disse q no meu caso a alteração no ecg, é normal devido a idade e como o TE deu tudo bom não se preocupasse. isso é verdade?

    Responder
    • Repolarização precoce não é necessariamente um sinal de doença cardíaca. O teste de esforço é um exame mais confiável que o ECG em repouso.

      Responder
  16. Dr, passei um pouco mal e fiz um ecg, lá o médico colocou no laudo, discreto supra discnivelamento do segmento st, fiquei preocupado ele fez um eco e disse q eu tinha pvm, mesmo assim pediu um TE, no ecg pré TE deu ritmo sinual, alterações difuas de repolarização ventricular tipo repolaruização precoce e já Teste ergométrico deu resposta cardio vascular normal ao exercício considerado máximo, me tire essa súvida o sinto é por causa so pvm, e o mesmo pode causar alaterações no ecg? por favor me tire essas dúvidas pq continuo sentindo pontadas no peite e agonais

    Responder
    • O PVM pode ser a causa dos sintomas e dos achados no ECG. Não sei se no seu caso particular realmente é, pois à distância não dá para opinar com segurança.

      Responder
  17. Olá, já faz um tempinho que descobri por exames que tenho um discreto prolapso na valva mitral. Mesmo o médico me falando que não precisaria me preocupar, fiquei curiosa, será que não é nada mesmo

    Responder
      • Confiar no médico? Desculpe Dr., se fosse você eu confiaria, porque vemos aqui um Sr. médico, digno de confiança, que demonstra que realmente quer ajudar e pensa no ser humano, que faz jus ao seu diploma, demonstra que ama o que faz. Mas infelizmente isso é uma minoria. Confiar, só depois de uma segunda opinião.

        Responder
  18. ola venho a algumas semanas sentindo queimações no peito e fisgada abaixo no seio esquerdo e eu gostaria de saber se a motivo para me preocupar ?

    Responder
    • Se você tem sintomas já há tanto tempo, por que não procura ajuda médica? Na Internet você não vai encontrar solução para suas dores.

      Responder
  19. olá! estou passando por a pior dor da minha vida, perdi minha mãe a poucos dias e gostaria de saber se pode morrer de infarto e não ficar roxa? Pois ela foi enterrada a mais de 24 hs e continuou perfeita.

    Responder
  20. oq acontece com a pessoa q tem infarto fuminante? e tem como salvar
    ?
    meu marido tinha acabado de fazer 26 anos, teriamos um filho q ele tanto somhou e em poucos minutos de dor ele se foi antes de chegar n hospital. como reagir a essa situação e como poder ajudar?

    Responder
  21. Olá Doutor Pedro, o texto diz que, se o coração fibrilar, tiver arritmia maligna, é necessário uso do desfibrilador imediatamente. Se houver massagem cardíaca até que o socorro chegue, pode aumentar o tempo de 10 minutos para salvamento? Em que a massagem cardiaca pode ajudar em caso de fibrilação? Ou ela adianta só em casos de parada? Obrigada

    Responder
    • Na fibrilação ventricular a massagem cardíaca só serve para manter o paciente vivo até que o desfibrilador esteja presente. O coração em fibrilação não bombeia sangue e a masssagem serve para amenizar isso. Agora, quanto mais se demora para chegar o desfibrilador, menor é a chance do coração responder aos choques elétricos.

      Responder
  22. Dr. Pedro. Me considero uma pessoa bastante hipocondriaca, mas gostaria que levasse em consideração o que perguntarei já que tem meses que não durmo direito. Ultimamente aqui na minha cidade e cidades vizinhas venho escutado notícias que pessoas jovens, como eu, de 23 a 30 anos estão morrendo de Infarto e isso me preocupa. Sempre vou ao cardiologista, de 6 em 6 meses, tenho escape. Eles dizem que não é nada demais mas mesmo assim fico com um pé atrás. O que explica essas mortes?

    Responder
    • Não existe nenhuma doença transmissível que cause infartos em jovens, que justifique várias pessoas com o quadro ao mesmo tempo. O único fator em comum que poderia explicar seria o uso de cocaína. Fora isso, ou é só coincidência ou os rumores são falsos.

      Responder
  23. Dr pedro passei a noite toda com dor no peito e falta de ar, pela manhã a dor era bem pouca e a falta de ar tabém. é um caso preocupante devo procurar ajuda médica?

    Responder
  24. Infelizmente perdi meu amado avô em Outubro desse ano, ele sentiu uma “tristeza” profunda, deitou na cama e faleceu, o médico legista da funerária disse que foi um infarto fulminante, muito triste isso

    Responder
  25. Perdi uma amiga em outubro, no dia em que ela faleceu ela estava ”bem”, não havia se queixado de nada. Em questão de 3min ela entrou no quarto e ”desmaiou”, qdo o filho foi tentar socorrê-la avistou que a lingua havia enrolado, seus olhos estavam semi abertos e minutos depois quando estava sendo socorrida, urinou. O atestado de óbito acusou causa indeterminada, ela possuía válvulas e pressão alta, queixavasse regularmente de enjôos, dores de cabeça e suava frio e apresentava cansaço extremo. Havia tido um infarto aproximadamente 5 anos atrás, mas se recuperou bem. Desta vez foi fatal. Nesse quadro doutor, os sentidos seriam perdidos logo quando ela perdeu a respiração e no momento do infarto a dor seria mto forte e única? Se alegaram infarto fulminante, pq a causa foi constatada indeterminada?

    Responder
    • Quadros assim geralmente são de arritmia cardíaca maligna. Um infarto fulminante pode ser a causa. Sem a autópsia não dá para afirmar nada, por isso a causa oficial fica como indeterminada.

      Responder
  26. meu pai passou muito mal suava muito de pimgar de tanto suor a presão estava 21 por 15 dei um adalaiti e chanei m o sanu mais nâo teve geito o meu pai entrou em opito o nedico diz que foi un enfarto niocardio saiu de casas sem vida ne ne diz fiz a coisa serta ou nâo ele tinha 89 anos mais andava pra todos os lados e tinha diabetes

    Responder
  27. Dr. Pedro, meu pai sofreu um infarto e nao resistiu. quando cheguei em casa o encontrei caído no chão gemendo, a cor da sua pele tava escura e espumando no canto da boca.gostaria de saber se esse quadro caracteriza o infarto fulminante e se, esse tipo de infarto provoca a mesma dor de quem tem um infarto normal ?ou a pessoa perde logo os sentidos e nao sente nada??

    Responder
  28. Dr. Pedro

    Supõem-se que meu pai tenha falecido de Ataque Fulminante. Ele foi encontrado apos cinco dias à sua morte, totalmente inchado, vazando líquido de seu corpo. O colchão onde ele se encontrava estava completamente encharcado, com bolas de sangues.
    Saiu sangue de seu nariz, ouvidos.
    Isso é normal para este tipo de morte, após 5 dias de vulnerabilidade do corpo?

    Responder
  29. Dr.Pedro no dia 7 de setembro de 2012 brinquei com meu filho de luta mas ñ lembro de ele me bater no peito logo 1 dia ou 2 começou a doer o meu peito muito erguendo o braço curvando a coluna para frente e andando normal dói muito e dói quando eu apero entre o peito e a costela eu enfio a mão fui ao pronto socorro uns 10 dias depois o médico passou um medicamento injetavel um comprimido debaixo da linguá e diclofenaco durante uns 10 dias a pressão estava 14 por 9 melhorou a dor em meia hora um pouco mais mas a dor voltou logo que passou o efeito da injetavel hoje é di 28 de setembro de 2012 e dói ainda …moro em caceres mt aqui somos carente em médicos no ps… me ajuda muito obrigado.

    Responder
    • Não conte com isso.
      obs: removi o link porque o texto é tão absurdo que não vale a pena fazer publicidade dele aqui.

      Responder
  30. Bom dia Dr. Pedro…..à 3 anos atrás tive um infarto, mas não senti dor nenhuma no peito, foi constado pelo exame de sangue…..fizeram um cateterismo e me disseram que não precisaria fazer nada…..que estava tudo em ordem….depois disso perdi 36 kilos caminho todos os dias, corro, e não sinto nada de falta de ar, inclusive tenho um desempenho melhor do que muita gente, faço check up todo ano e consegui ir até o estágio 5 no teste ergométrico……mas vivo com medo que me dê outro…..sinto um nó na garganta e uma apreensão muito grando….O sR. poderia me dar uma luz?

    Responder
  31. b nt D,Pedro sera que a minha mae sentiu dor antes de falecer de infarto subito e rapido ou demora sentindo dor ela tinha diabetes pressao alta e nao sabia que tinha cardiopatia cronica ficamos sabendo no IML no seu obito

    Responder
  32. minha mae faleceu e no obito apresentou cardiopatia cronica infarto subito, ela estava so no momento ela poderia ter sido salva se estivesse algm na hora?

    Responder
  33. oi doutor perdi minha sogra no dia 2de junho de 2012 de infarto só que antes ela foi tratada de bronquite derão a ela a medicação errada depois de meia hora ela começou a suar e muito e ficar palida eles colocarão em um balão de oxigenio ela teve duas para cardiaca ela mora no interior de campos o médico que atendeu e recém formado ele deveria ver na hora que ela estava infartando uma mulher de 53 anos com presão alta e diabete alto lendo seu depoimemto vejo que ele foi com certeza negligente ,é veja só recém formado.

    Responder
  34. Hoje está fazendo cinco dias que meu irmão morreu com infarto fulminante e pegou toda a família de surpresa e deixou todo mundo muito abalado.Ele começou num ronco desesperado para respirar e revirando os olhos em poucos minutos veio a falecer,ficou com um lado do corpo com uma mancha roxa e um lado do rosto também,queria tanto que aqui onde moro tivesse um atendimento rápido e profissionais capacitados para atender todo tipo de caso. 

    Responder
  35. Bom Dia! Tenho 27 anos, no momento as vezes sinto vontade de ficar em casa, derrepentemente estou no trabalho e dá aquele medo, medo de tudo medo de ficar só, medo do meu futuro, medo da faculdade medo do trabalho, medo que aconteça alguma coisa comigo. 

    Responder
  36. Bom dia Doutor. Tenho 33 anos e foi detectado que tenho a Síndrome do Pânico. O problema é que já todo tipo de exame possível (Holter, Eco, Eletro, Esteira, etc) e nenhum deles detectou algo. Só que, às vezes, acordo no meio da madrugada (ou mesmo durante o dia) com uma dor forte nas costas (lado direito e que sobe para o queixo. Quando tusso, a dor passa. Normalmente dura cerca de 10 a 15 minutos. Isto pode ser algum problema relacionado ao coração? Grato e no aguardo de seus comentários.

    Responder
  37. Gostaria de saber quais edicações são usadas no caso de um infarto. Com relação a aspirina, se o paciente tiver alergia, quais podem ser usadas em substituição?

    Responder
  38. É possível ter um ataque fulminante, com 17 anos, alimentação saudável e sempre fazendo esportes? Um garoto foi diagnosticado com ataque fulminante, e tinha uma vida completamente saudável..

    Responder
  39. olá doutor minha mae tem 39 anos e se sente muito mal nos ultimos meses  tem muita dor no estomago e pressao alta vomito suor e dor no menbro esquerdo e estou preocupada pode ser começo de infarto .obrigado

    Responder
  40. Ola Dr.
    Tenho 26 anos e perdi minha mae de 52 anos, fumante, ha 2 semanas atrás de infarto fulminante, algo realmente triste cujo o qual ainda me deixa abalado.

    Diante dessa questão venho com intêncidade procurando maiores informações quanto a esse problema, logo gostaria de lhe fazer algumas perguntas:

    1° Tenho 26 anos, apesar da minha idade posso ser vitima de tal ocorrência?

    2º Pratico exercício aérobico aprox 3 vezes por semana ha aprox 5 meses, meus batimentos cardiacos chegam a um pico de 175 BPM, pergunta:
    Exercício tende a ajudar no quadro de infarto, reduzindo assim sua probabilidade?
    Nivel de batimento cardiaco alto, como o meu informado acima, pode ser um problema ruim?

    Uma obs.: Meu peso x altura 1,62cm / 70kg. (acima do peso).

    Responder
    • 1. Poder, pode. Mas é pouco provável.
      2. Sim, a prática regular de exercícios é benéfica e protege contra doenças cardiovasculares. Para sua idade o limite da FC é 200 bpm, mas o ideal é manter entre 150 e 170 bpm.

      Responder
  41. Dr Esta madrugada fui parar no hospital com sintomas preocupantes, tenho 32 anos, sou magra, nao fumo, naõ bebo e acordo meu ultimo exame de sangue, nao possuo mal colesterol, minha pressão é regulada, enfim gozo de uma boa saude. no entanto ha alguns dias ando sentindo dificuldade para dormir, pois qualquer jeito que fico na cama, sinto minha respiração muito fraca, e meu coração parece diminuir a frequencia. ontem foi insustentavel, tive que ir ao hospital. Me deram vitamina b12, dramim, diazepam na veia, para me acalmar. obvio que me derrubou, dormi, porem minha respiração continua ofegante, demorada. á 6 meses tomo muito chá diuretico o que consequentemente aumenta meu nivel de urina. quero saber se a eliminação do potassio do corpo em grande qtde, diminui a resistencia do coração. tomo omega 3 e Oleo de coco extra virgem todos os dias. Estou fazendo alguma coisa errada? obrigada

    Responder
  42. Olá doutor! meu pai de 49 anos, teve um infarto fulminante. Ele era fumante á 30 anos, e durante 3 dias, antes de ocorrer o infarto ele sentiu dores atravessadas nas costas e no tórax. Eu queria saber se o senhor pode esclarecer minha dúvida. Ele morreu aos 49 anos, em seu 1º infarto numa para cardíaca, foi por que ele fumava?    Agradeço a atenção, e espero atenciosamente por sua resposta. 

                                            

    Responder
  43. olá boa tarde doutor , gostaria que esclarecesse uma duvida . Meu pai com 57 anos foi vitima de infarto, e apos ir ao hospital e passar pelo eletrocardiograma, o que não detectou nada, aferiram a pressão que tb estava normal, apresentava dor no braço esquerdo, vomito e dor no peito, e a medica indicou duas seringas de buscopan composto, e recebeu alta. depois de duas horas ele veio a obto depois de deitar pra descansar. gostaria de saber se é possivel realmente o  infarto não ser detectado pelo eletro, qual deveria ter sido o procedimento correto, erro medico ou da maquina?

    Responder
    • Sim, é comum o eletrocardiograma não detectar o infarto, por isso é essencial solicitar as enzimas cardíacas quando há suspeitas.

      Responder
  44. Dr. Boa noite..estava lendo a respeito do infarto, meu pai de 70 anos, com problemas coronarianos, colocou 7 stents no coração, tabagista de longa data, 3 maços de cigarro por dia, enfisema pulmonar, roncava á noite, chegava as vezes entrar em apneia, veio a falecer no dia 30/11/11. Ainda estou em estado de choque, pois conversei com ele no dia anterior e estava super bem, tomava as medicações certas, aspirina prevent, sevastatina, hidantal e acordei com ele caido na beira da cama, gelado, e o lado direito do rosto roxo, ele já havia tido 3 isquemias transitorias, crises convulsivas, mais se tratava com o cardiologista (acompanhamento), doutor, ele realmente teve um infarto do miocardio fulminante? pois não consegui salvá-lo…será que foi culpa minha, doutor? não escutei grito nehnhum..por favor..me tire dessa aflição..atenciosamente andrea (setimi@hotmail.com)

    Responder
    • Pelo o que você conta seu pai era muito doente e já era idoso. Assim é a vida, por mais que existam tratamentos médicos, uma hora chega ao fim. Você não tem porque se culpar.

      Responder
  45. sou hipertensa e faço tratamento para a pressão arterial já há 31 anos… Para mim foi muito interessante esta matéria pois venho de uma família que todos recebem de herança algum problema cardiovascular… No entanto é muito bom sempre estar bem informada… Obrigada 

    Responder
  46. minha tia rosa morreu de infarto fulminante aos 33 anos de idade vendo tv eu de 10 anos e ela,comecou a roncar eu pensei que ela estivesse dormindo entao a chamei mas ela nao respondeu entao chamei minha vo e ela jogou agua bateu no rosto mas ela nao respondeu entao chamei meu pai e ele foi para o hospital com ela mas ela morreu nao fizemos massagem cardica,ela ainda tinha ido ao medico mas ele nem desconfia ela estava reclamando de dor no peito.obrigada giovanna

    Responder