Bactrim – Sulfametoxazol-Trimetoprima – Dose, Indicações e Efeitos

2

Bactrim
O sulfametoxazol-trimetoprima, também conhecido como o cotrimoxazol ou Bactrim (nome comercial mais famoso), é um popular antibiótico composto por dois agentes antimicrobianos, o sulfametoxazol e a trimetoprima, que atuam em sinergia contra uma ampla variedade de bactérias.

O Bactrim é um antibiótico tão importante que faz parte da Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde (OMS), que é um catálogo que contém as medicações essenciais do sistema básico de saúde em todo o mundo.

Neste artigo vamos explicar os seguintes pontos sobre o sulfametoxazol-trimetoprima:

Publicidade - Publicidad
  • Nomes comerciais mais famosos.
  • Mecanismo e ação.
  • Para que serve.
  • Como tomar.
  • Efeitos colaterais.
  • Contraindicações.
  • Bactrim na gravidez.
  • Interação medicamentosa.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula completa do sulfametoxazol-trimetoprima. Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações sobre este medicamento.

Nomes comerciais do sulfametoxazol-trimetoprima

O cotrimoxazol é um antibiótico comercializado há mais de 40 anos. Você pode adquiri-lo sob a forma genérica ou pelos vários nomes comerciais disponíveis, incluindo:

  • Bacfar.
  • Bacsulfaprim.
  • Bac Sulfitrin.
  • Bacteracin.
  • Bactrim*.
  • Bactropin.
  • Benectrin
  • Diazol.
  • Espectroprima.
  • Infectrim.
  • Medtrim.
  • Neotrin.
  • Qiftrim.

* O Bactrim é a marca mais antiga e mais famosa de sulfametoxazol-trimetoprima.

Como age o Bactrim

As substâncias sulfametoxazol e trimetoprima agem sequencialmente bloqueando enzimas responsáveis pela produção de ácido fólico pelas bactérias. O ácido fólico é uma das substâncias necessárias para a síntese e reparação do DNA.

Como nós seres humanos não sintetizamos o ácido fólico, mas sim o obtemos através dos alimentos, o Bactrim acaba não causando nenhum dano relevante à nossa capacidade de sintetizar ou reparar o DNA. Porém, efeitos colaterais podem surgir nos pacientes que apresentem deficiência de ácido fólico (ver seção efeitos colaterais mais à frente).

Separadamente, tanto o sulfametoxazol quanto a trimetoprima têm ação bacteriostática, ou seja, detêm o crescimento de bactérias por dificultar a sua reprodução, facilitando a tarefa do sistema imunológico contra esses germes. Eles, portanto, paralisam a reprodução das bactérias, mas não as matam.

Quando administradas em conjunto, porém, o sulfametoxazol e a trimetoprima adquirem potencial bactericida, isto é, são capazes de matar as bactérias susceptíveis, agindo de forma semelhante à maioria dos outros antibióticos.

Devido a sua ação na síntese do DNA, o Bactrim acaba sendo eficaz também contra alguns outros microrganismos, não apenas contra bactérias, como são os casos de alguns fungos e protozoários, conforme veremos a seguir.

Publicidade - Publicidad

Para que serve o Bactrim

O sulfametoxazol-trimetoprima é um antibiótico utilizado na prática médica desde a década de 1970. De lá pra cá, o seu uso disseminado acabou por selecionar cepas de bactérias resistente à sua ação. Todavia, o Bactrim permanece  eficaz contra uma grande variedade de germes, incluindo boa parte daqueles que provocam quadros como:

* O Bactrim não é um tratamento de linha para a otite. Ele costuma ser indicado apenas para as crianças que são alérgicas à amoxicilina.

Apesar de não ser a melhor opção, em casos selecionados no qual sabemos antecipadamente que as bactérias não são resistentes, o Bactrim também pode ser usado para o tratamento do furúnculo, sinusite, meningite, osteomielite, faringite, mordida de animais e toxoplasmose.

Em relação aos micróbios que podem ser tratados com o sulfametoxazol-trimetoprima, podemos dividi-los da seguinte forma:

a) Germes responsáveis por infecção do trato urinário que costumam ser susceptíveis ao Bactrim:
– Escherichia coli
– Klebsiella pneumonia
– Proteus mirabilis
– Enterobacter sp.
– Morganella morgani

b) Germes responsáveis por infecção do trato respiratório que costumam ser susceptíveis ao Bactrim:
– Streptococcus pneumoniae
– Haemophilus influenzae
– Moraxella catarrhalis
– Pneumocystis jirovecii
 → Fungo.

c) Germes responsáveis por infecção do trato gastrointestinal que costumam ser susceptíveis ao Bactrim:
– E. coli enterotoxênica
– Shigella sp.
– Salmonella sp.
– Vibrio cholerae
– Cyclospora cayetanensis
→ Protozoário
– Isospora belli 
→ Protozoário
– Yersinia

Como deve ser tomado o Bactrim

O sulfametoxazol-trimetoprima é habitualmente comercializado com 2 opções de dosagem: sulfametoxazol 400 mg + trimetoprima 80 mg ou sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg.

Publicidade - Publicidad

Nos adultos, as doses recomendadas são as seguintes:

  • Agudizações de bronquite crônica – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg de 12/12 horas por 10 a 14 dias.
  • Diarreia bacteriana – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg de 12/12 horas por 5  dias.
  • Cistite – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg de 12/12 horas por 3 dias.
  • Pielonefrite – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg de 12/12 horas por 3 dias.
  • Pneumonia por Pneumocystis jiroveci – 15 to 20 mg de trimetoprima por kg/dia. Essa dose deve ser divida em 4 tomadas com intervalos de 6 horas por 14 a 21 dias.
  • Prostatite – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg de 12/12 horas por 14 dias (em casos de prostatite crônica, o tratamento deve ser estendido por até 3 meses).

O sulfametoxazol-trimetoprima também pode ser utilizado nas seguintes doses para a prevenção dos seguintes problemas:

  • Infecção urinária de repetição – Meio comprimido de sulfametoxazol 400 mg + trimetoprima 80 mg diariamente por 6 a 12 meses.
  • Profilaxia da pneumonia por Pneumocystis jiroveci – 1 comprimido de sulfametoxazol 800 mg + trimetoprima 160 mg por dia pelo tempo que for necessário.

Efeitos colaterais do Bactrim

A incidência de efeitos colaterais do Bactrim varia entre 6 a 8% dos indivíduos. Porém, nos pacientes HIV-positivo, a taxa de efeitos adversos é bem mais alta, chegando a ser de 25 a 50%.

Os efeitos colaterais mais comuns são aqueles de origem gastrointestinal, como náuseas e vômitos, ou reações de pele, tais como rash e coceira.

Outros efeitos colaterais leves comuns são:

Nos pacientes com insuficiência renal, o sulfametoxazol-trimetoprima pode provocar um falso aumento da creatinina sanguínea, que não reflete um real agravamento da função renal (leia: EXAME DA CREATININA E UREIA).

O Bactrim também pode causar efeitos colaterais mais graves, mas esses são raros nos indivíduos saudáveis. Em contrapartida, nos pacientes HIV-positivos, os efeitos adversos mais perigosos podem surgir com alguma frequência, apesar de serem também pouco comuns.

Entre os efeitos graves, os mais comuns são:

Contraindicações ao uso do Bactrim

O Bactrim é contraindicado aos seguintes indivíduos:

  • Pacientes com histórico de alergia a medicamentos à base de sulfa.
  • Crianças menores de 2 anos.
  • Paciente com histórico de anemia megaloblástica por deficiência de folato.
  • Pacientes com histórico de reações alérgicas do tipo Stevens-Johnson ou necrólise epidérmica tóxica.

O Bactrim deve ser administrado com precaução nos seguintes indivíduos:

  • Pacientes com insuficiência renal avançada (clearance de creatinina menor que 15 ml/min).
  • Pacientes com insuficiência hepática.
  • Pacientes com disfunção da tireoide.
  • Pacientes HIV-positivo.
  • Pacientes com histórico de asma ou reações alérgicas à medicamentos.

Bactrim na gravidez

O Bactrim não deve ser utilizado, exceto em situações extraordinárias, no primeiro trimestre de gravidez, pelo risco de interferir na formação do feto.

O sulfametoxazol-trimetoprima também deve ser evitado no último mês de gestação, pois ele aumenta o risco de icterícia neonatal (leia: ICTERÍCIA – Neonatal e Adulto).

Interações medicamentosas do Bactrim

O sulfametoxazol-trimetoprima pode interagir com uma grande variedade de fármacos, o que pode exigir ajuste da dose ou monitorização mais frequente do tratamento.

Entre os medicamentos que podem interferir ou sofrer interferência do Bactrim estão:

  • Antagonistas dos receptores da angiotensina II (ARAII) → Aumenta o risco de elevação do potássio sanguíneo.
  • Antidiabéticos orais → Aumenta o risco de hipoglicemia.
  • Azatioprina → Aumenta o risco de supressão da medula óssea.
  • Cannabis → Aumenta de toxicidade pelo cannabis.
  • Ciclosporina → Aumenta o risco de lesão renal.
  • Danazol → Aumenta o risco de hipoglicemia.
  • Dapsona → Elevação das concentrações sanguíneas de dapsona e trimetoprima.
  • Espironolactona → Aumenta o risco de elevação do potássio sanguíneo.
  • Fenitoína → Elevação da concentração sanguínea de fenitoína.
  • Inibidores da enzima conversora da angiotensina (IECA) → Aumenta o risco de elevação do potássio sanguíneo.
  • Metotrexate → Aumenta o risco de supressão da medula óssea.
  • Varfarina → Aumenta o risco de hemorragias.

Este post também está disponível em: Espanhol

Assuntos Relacionados:

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.

2 Comentários

  1. Anonimo Diz

    meu dermatologista passou esse remédio pra pequenas pústulas com pus que nascem e renascem nas minhas costas e barriga. ele está certo em passa esse remédio? devo tomar? pq li na materia e vi que esse remédio age mais nas afcções gastrointestinais e renais.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde Diz

      O Bactrim pode agir nas infecções de pele também. Não costuma ser a primeira opção, pois a taxa de resistência costuma ser alta. Mas não está totalmente errado.