EFEITOS DO ÁLCOOL | Tratamento do alcoolismo

O álcool é a droga mais usada no Brasil, entre 60-70% dos brasileiros consomem bebidas alcoólicas em algum grau. Entre os jovens, 80% referem consumir bebidas alcoólicas de forma frequente. Nos EUA os gastos do sistema de saúde e as perdas de produtividades devido a doenças relacionadas ao álcool ultrapassam os 180 bilhões de dólares por ano.

Publicidade

O álcool é uma droga que pode trazer grandes malefícios a vários órgãos do nosso corpo, principalmente fígado, pâncreas, coração e cérebro. Todavia, ao contrário do cigarro, se as bebidas alcoólicas forem consumidas com parcimônia e de forma responsável, elas podem até trazer benefícios para a saúde.

Após a conclusão deste texto, não deixe de ler também os seguintes artigos relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas:

Benefícios do álcool

Esse texto é basicamente sobre efeitos nocivos do álcool e alcoolismo, porém, não podemos deixar de falar rapidamente nos benefícios do uso responsável do álcool. Ao contrário da maconha e do cigarro (as outras duas drogas mais usadas socialmente), existem algumas evidências de que o consumo leve a moderado de álcool pode até ser benéfico para a saúde. Mas antes que todo mundo saia por aí bebendo, algumas explicações são necessárias.

Não existem grandes trabalhos científicos sobre os efeitos benéficos do álcool, a maioria consiste em pequenos estudos a curto prazo e com número pequeno de pacientes. Apesar desses defeitos, os estudos que existem realmente sugerem que o consumo moderado possa trazer benefícios como a redução das doenças cardíacas. Deve-se encarar essas vantagens como algo possivelmente real, mas não como uma verdade absoluta já aceita por toda comunidade médica.

Os trabalhos mostram que os benefícios parecem vir do álcool e não de um tipo específico de bebida, como o vinho, por exemplo. A história dos flavonoides do vinho serem cardioprotetores nunca foi comprovada. Parece que qualquer bebida alcoólica tem o mesmo efeito. Nenhuma é superior a outra.

O grande problema é que não existe uma dose ideal de álcool para todo mundo. Em geral, mulheres são mais susceptíveis aos danos do álcool que os homens. Aceita-se que a dose considerada benéfica seja 10 a 15 gramas de álcool, o que equivale a uma taça de vinho ou uma garrafa pequena de cerveja (355 ml) por dia para as mulheres. Homens podem beber um pouco mais como duas garrafas de cerveja ou duas taças de vinho por dia. Há quem ache que o consumo não pode ser diário, sendo necessário 1 ou 2 dias de intervalo.

É importante salientar que em algumas pessoas os benefícios cardiovasculares de uma ingestão moderada de álcool acabam não sendo vantajosos, uma vez que causam um aumento dos riscos de outras doenças como câncer de mama, doenças do fígado e acidentes automobilísticos.

A ingestão de álcool, mesmo que moderadamente, é contraindicada em alguns casos:

– Grávidas.
– Pessoas com passado de alcoolismo.
– Pessoas com histórico familiar de alcoolismo.
– Antecedentes de AVC hemorrágico.
– Pessoas com doenças do fígado.
– Pessoas com doenças do pâncreas.

Também devem evitar o consumo regular de álcool pessoas com doenças do estômago e esôfago e aquelas com história familiar forte de câncer de mama (leia: CÂNCER DE MAMA | Fatores de risco).

Também não devem beber quantidade alguma de álcool pessoas que irão operar máquinas pesadas ou conduzir carros nas próximas horas.

Malefícios do consumo elevado de álcool

Bebidas alcoólicas e alcoolismo

Definimos como alcoolismo pesado o consumo de mais de 7 drinks por semana ou a ingestão frequente de mais de 3 drinks por dia nas mulheres (1 drink é igual a uma taça de vinho ou 355 ml de cerveja ou 45 ml de whiskey) e o dobro disso nos homens. Portanto, mulheres que bebem diariamente duas taças de vinho todos os dias, já estão enquadradas no grupo de alcoolismo pesado.

O consumo elevado de álcool elimina todos os possíveis benefícios do consumo leve e ainda pode trazer inúmeras complicações para saúde, como:

– Câncer de mama (leia: CÂNCER DE MAMA – Sintomas e diagnóstico).
– Câncer de estômago.
– Câncer do cólon .
– Câncer de fígado
– Câncer de esôfago.
– Cirrose (leia: CAUSAS E SINTOMAS DA CIRROSE HEPÁTICA).
– AVC (derrame cerebral) (leia:AVC | ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL | Sintomas e tratamento).
– Pancreatite aguda e crônica ( leia PANCREATITE CRÔNICA E PANCREATITE AGUDA)
– Osteoporose (leia: OSTEOPOROSE | SINTOMAS E TRATAMENTO).
– Diabetes mellitus (leia: DIABETES MELLITUS | DIAGNÓSTICO E SINTOMAS).
– Hipertensão (leia: HIPERTENSÃO ARTERIAL | Sintomas e tratamento) .
– Acidentes e traumas severos.
– Impotência sexual (leia: IMPOTÊNCIA SEXUAL | Causas e tratamento).
– Má formações fetais.
– Síndrome do túnel do carpo (leia: SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO | Sintomas e tratamento) .
– Psoríase(leia: PSORÍASE | Tipos e sintomas).
– Colecistite e pedra na vesícula (leia: PEDRA NA VESÍCULA | COLECISTITE | Sintomas e tratamento) .
– Suicídio.

Além dos problemas acima, todos os benefícios cardiovasculares do consumo moderado se transformam em malefícios no caso de consumo pesado de álcool. Elevam-se os riscos de infartos, insuficiência cardíaca e arritmias.

Leia:
SINTOMAS DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E ANGINA
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA | CAUSAS E SINTOMAS
PALPITAÇÕES, TAQUICARDIA E ARRITMIAS CARDÍACAS

Além dos problemas de saúde, quem já teve contato com uma pessoa alcoólatra, sabe o poder destrutivo desta droga. Mesmo sem nenhuma doença física, essas pessoas se tornam improdutivas. O alcoólatra não trabalha, não cuida da família, muitas vezes se tornam violentos e perdem os contatos sociais, além de colocar a vida de outros em risco quando encontram-se atrás do volante de um carro.

O alcoolismo é uma doença e apresenta elevada taxa de morbidade e mortalidade. Estima-se que até metade dos acidentes de trânsito fatais estejam de algum modo relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas. Nos EUA, onde existem dados mais precisos, cerca de 80.000 pessoas morreram entre 2001 e 2005 por doenças relacionados ao uso abusivo de álcool e 70% dos casos de suicídio em estudantes universitários ocorrem em pessoas com problemas com bebidas.

Ressaca e bebedeira

O que chamamos popularmente de bebedeira é a intoxicação aguda pelo álcool. Os sintomas da intoxicação variam de acordo com a concentração de álcool no sangue. Inicialmente sentimos tontura, incoordenação motora, desinibição e alterações no discurso. Concentrações muito alta de álcool podem levar a redução do nível de consciência e coma.

A ressaca é o nome que se dá ao grupo de sinais e sintomas que surgem após a intoxicação alcoólica, entre eles fraqueza, mal estar, dor de cabeça e intensa sede.

Temos um texto específico sobre bebedeira e ressaca: RESSACA E POR QUE FICAMOS BÊBADOS

Uso de álcool com outras drogas, remédios e energéticos

A associação de bebidas alcoólicas com medicamentos pode levar a efeitos colaterais graves, inclusive com risco de morte. O álcool pode tanto potencializar os efeitos de um medicamento quanto neutralizá-lo. Pode também ativar enzimas que metabolizam o medicamento em substâncias tóxicas para o organismo.

Atualmente tem sido muito comum entre jovens a associação de bebidas alcoólicas com energéticos, outras drogas e até com medicamentos para impotência como Viagra (leia: REMÉDIOS PARA IMPOTÊNCIA | Viagra , Cialis e Levitra)

Falamos mais especificamente das interações do álcool neste texto: INTERAÇÃO DO ÁLCOOL COM REMÉDIOS E ENERGÉTICOS

Abuso e dependência do álcool

Consideramos que há uso abusivo do álcool quando o paciente começa a apresentar pelo menos um dos problemas listados abaixo:

– Dificuldades em desempenhar adequadamente suas tarefas profissionais ou estudantis.
– Problemas legais relacionados ao uso de álcool com recorrência (por exemplo: agressões e acidentes de carro).
– Uso continuado do álcool apesar dos problemas sociais e profissionais que o mesmo está causando.
– Uso frequente do álcool em situações que ameaçam a sua integridade física (conduzir, operar máquinas pesadas, trabalhar na construção civil, etc.) ou uso frequente de álcool até perda da consciência.

O paciente com dependência do álcool, popularmente chamado de alcoólatra, é definido quando existem pelo menos 3 dos problemas listados abaixo:

– Tolerância aos efeitos tóxicos do álcool (necessidade de beber cada vez mais para ficar bêbado).
– Necessidade de beber álcool depois de algum tempo sem consumi-lo.
– Consumo de grandes quantidades de álcool, sempre maior do que inicialmente planejado.
– Percepção de que precisa diminuir ou controlar o consumo de álcool ou sentimento de culpa por beber.
– Dificuldades profissionais e/ou sociais devido ao uso abusivo do álcool.
– Perda de grande parte do dia bebendo, tentando obter álcool ou se recuperando da ressaca.
– Uso persistente do álcool apesar da noção de que o mesmo o está prejudicando.

O abuso e a dependência do álcool têm estreita relação familiar. Parentes de primeiro grau de pessoas com problemas com álcool tem até 4x mais chances de também tê-lo.

Tratamento do alcoolismo

O tratamento do alcoolismo visa a abstinência do álcool, ou pelo menos uma grande redução no seu consumo, e atualmente envolve psicoterapia e uso de drogas. O tratamento medicamentoso costuma ser usado por até 6 meses.

A naltrexona é atualmente a droga mais indicada. O disulfiram, topiramato, acamprosato e baclofeno são outras opções.

"EFEITOS DO ÁLCOOL | Tratamento do alcoolismo", 5 out of 5 based on 18 ratings.
Publicidade
  • Soraiab2010

    parabéns Pedro Pinheiro, pelo belíssimo trabalho!!!

  • Marilen dalbosco batistello

    Olá !!! meu marido é alcolatra bebe em media de 6 a 10 latinha de cerveja por dia, e esta com umas manchas vermelhas principalmente no rosto, fez exames e toma remedios para deixar o vicio, mas continua bebendo, um dos exames  GAMA- GLUTAMIL TRANSFERASE resultado  de 641,91 é muito grave?

  • Marilene

    Olá Doutor! Realmente estou preocupada com meu amigo,ele esteve internado este ano com quadro de ascite,bebia há mais de 20 anos,tinha os olhos amarelos,quase verde,pele arroxeada,saiu do hospital com quadro de ascite,bebia aos fins de semana,mas só cerveja,agora bebe todos os dias,aumentou também as latas de cerveja.isso pode agravar-lhe o caso? Aparentemente ele parece estar bem,mas ainda tem a barriga um pouco grande. Obrigado.

  • Eduardatortato

    Ola! meu nome é Mara meu marido teve uma ameaça dde AVC há 1 ano e meio ele bebe muito e nao toma nenhum remedio para o colesterol e presão (e tem recomendação médica).Faz alguns dias que vem sentindo muitas dores abdominais tem vomitos e 2 dias seguidos fez coco com sangue, mas é dificil levar ele no medica ele se recusa a ar, estou muito preocupada

  • Laise Barbosa_

    Ola !!Bom dia…
    Gostaria de saber quais os sintomas de doenças causadas pelo alcoolismo ??; Pois tenho um Tio e ele bebi todos os dias  e esta muito magro e com um tipo de secreçao anal isso ja e doençaa no figado como a cirrose.

  • Lili

    Amigos, percebi e notei com meus próprios olhos, que as pessoas que tem psoríase pioram com o consumo de alcool (cerveja). Peço que me informem se realmente eu estou certa. Origado. Boa Páscoa a todos. Lili )laz_rj@ig.com.br

  • Luiz Marcondes Gomes

    Antes que as coisas se compliquem, vou reduzir minhas bebedeiras de cerveja de 03 latinhas por dia para 03 por semana. Penso que com essa redução, eu estarei evitando males ainda maiores. Mas também não basta reduzir apenas o álcool. Se os alimentos não forem igualmente balanceados, também tem reflexos negativos pelos excessos cometidos… Obesidade, colesterol, pressão arterial, diabetes e sei lá quantas coisas ruins ainda podem acontecer se os excessos não forem cortados…

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @Gilton
    Eu escrevi errado na resposta. No texto está correto. Alcoolismo moderado são até 14 latinhas por SEMANA nos homens ou 7 latinhas por SEMANA nas mulheres. Acima disso é alcoolismo pesado.
    Apaguei minha resposta para que não haja confusão. Obrigado.

  • Gilton

    @Dr. Pedro Pinheiro Dr. Pedro o senhor está dizendo “Alcoolismo moderado nos homens são até 14 latinhas ou garrafas pequenas por dia.” está correta esta afirmação ou houve um equívoco?

  • Leonardo

    DAnos causados por uso de alcool no figado (infiltracao de gordura) pode ser revertido? é muito dificil?
    grato novamente
    Leonardo

  • Leonardo

    Ola,
    Lendo o texto, (que esclarece muita coisa) fiquei confuso em um aspecto, na secao benefico diz que um homem poderia tomar pelo menos 2 garrafas ao dia, porem na parte de alcolismo pesado tambem diz que se um homem toma 14 garrafas por semana se enquadrará nesta condicao de alcoolatra.
    grato
    Leonardo

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Felipe,
    3 latas de cerveja por mês é um consumo pequeno. Não há motivos para preocupação.

  • Felipe

    Boa Tarde!

    Consumo bebida alcoolica geralmente uma vez por mês.
    Tenho receio em me tornar depedente e não tenho histórico de alcoolismo na família.
    Gostaria de saber
    Geralmente bebo no máximo três latas de cerveja ou quatro taças de vinho. Devo diminuir essa quantidade, ou parar de beber?

    Grato
    Felipe

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Mary,
    No seu caso o ideal é evitar mesmo o álcool. De vez.

  • Mary Jane

    Gostaria de saber se essa predisposição ao alcoolismo é comprovadamente genética.
    Tive problemas com alcool durante um período de depressao e meu pai era alcoolatra.
    Hoje bebo as vezes com meus amigos.O certo seria eu realmente nao beber NUNCA ou tentarser normal ?

    Obrigada desde já =)

    • José Oliveira

      Olá Dr. eu bebo de quarta a domingo somente quando chego da minha caminhada diaria. Bebo algumas doses de wisks e umas quatro latinhas de cerveja, me alimento muito bem e como ja disse faço caminhadas todos os dias logo depois do meu trabalho. tenho 66 anos nunca senti nada, posso me complicar? Bebo a um punhado de tempo, controlo minha preção arterial medindo-a todos os dias e na maioria das vezes está ótima, quando esta meio altinha me medico tomando um captropil de 25mg. Corro risco?

      • http://www.mdsaude.com Pedro Pinheiro

        Corre, o seu consumo de álcool é elevado. Se isso vai levar a algum problema hepático ou cardíaco é impossível prever, mas que o risco é relevante, isso é.

  • Roberta

    Dr. Pedro, Obrigada por ter respondido.
    Desculpe a minha ignorância, realmente não havia compreendido o parágrafo.
    Abs.

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    Roberta,
    É defeito mesmo. Estou me referindo aos problemas destes poucos trabalhos científicos.

    Realmente se existe histórico de alcoolismo na família, esses jovens devem evitar ao máximo consumir bebidas alcoolicas. A chance de ficarem viciados é grande.

    De qualquer maneira, obrigado
    abs

  • Roberta

    Adorei o texto, muito bom, só a 1ª linha do quinto parágrafo acredito ser um erro de digitação, está escrito defeito, penso que quis dizer efeito.
    Tive um cunhado alcoólatra(morreu aos 45 anos), tinha cirrose.
    Tanto seu pai quanto o avô também eram alcoólatras, ambos morreram por infarto.
    Hoje seus filhos que são adolescentes, infelizmente já experimentaram álcool, a mais jovem 13 anos, gostou e isso me preocupa.
    O que leva a essa maior predisposição ao alcoolismo, acaso os filhos carregam algum “gen”. Desde já agradeço a atenção.

  • http://www.blogger.com/profile/04393336581392706630 Dra. Renata Campos

    João,
    a quantidade de álcool que você ingere ainda é superior ao máximo recomendado. Mantenha as modificações já feitas mas tente reduzir no consumo de cervejas também.
    Abraços.

  • João B.

    Estou fazendo acompanhamento medico devido a pressão alta, que hoje tem se mantido estaval em 12/8 raramente 13/9 e em alguns momentos quando estou muito nervoso ela chega a 16/10, mais é dificil, comecei agora a cuidar melhor da alimentação evitando sal e comecei também a caminhar diariamente, reduzi bastante as frituras e comidas gordurosas também, peso 88kg , bebo 2 garrafas de cerveja na sexta,2 no sabado e 3 no domingo, essa quantidade seria boa, ou está muito alta?