Síndrome de Guillain-Barré: o que é, causas e sintomas

Foto do autor

Escrito por: Dr. Pedro Pinheiro

Atualizado em:
Tempo de leitura estimado do artigo: 4 minutos

O que é a síndrome de Guillain-Barré?

A síndrome de Guillain-Barré (SGB) é uma doença neurológica de origem autoimune capaz de provocar fraqueza muscular generalizada, que em casos mais graves pode até paralisar a musculatura respiratória, impedindo o paciente de respirar. A síndrome surge devido à produção inapropriada de anticorpos contra a bainha de mielina, substância que recobre e protege os nervos periféricos.

Consideramos a síndrome de Guillain-Barré uma polirradiculopatia desmielinizante inflamatória. Traduziremos esse palavrão nos próximos parágrafos.

Funcionamento básico do sistema nervoso

Para entendermos a síndrome de Guillain-Barré é preciso conhecer um pouco do nosso sistema nervoso central e periférico. Vamos explicá-lo de forma bem simples.

Todos os nossos estímulos sensoriais, como dor, sensação de temperatura, tato e sensação de pressão são captados pelos nervos periféricos da pele e levados para o cérebro, onde são adequadamente interpretados. Só conseguimos perceber que uma superfície está quente porque os nervos periféricos são capazes de sentir a temperatura, levando esta informação em forma de sinais elétricos através dos nervos para a medula espinhal e, posteriormente, para o cérebro.

O mesmo processo acontece com os estímulos motores, só que em sentido contrário. Quando mexemos a mão, o cérebro precisa primeiro executar uma ordem que vai até a medula espinhal e desta para o nervo periférico que inerva os grupos musculares que comandam a mão.

Portanto, os estímulos sensoriais e os estímulos motores são sinais elétricos que viajam pelo nosso sistema nervoso em direções opostas, passando sempre pelos nervos periféricos, medula espinhal e cérebro. Se o paciente tiver alguma lesão em um desses 3 pontos do sistema nervoso, os sinais elétricos sofrerão uma interrupção e o paciente pode ter paralisias motores ou perda da sensibilidade.

Na síndrome de Guillain-Barré, a lesão ocorre nos nervos periféricos motores que saem da medula espinhal e vão em direção aos músculos, sendo responsáveis por levar os comandos cerebrais para contração muscular. Nos pacientes com Guillain-Barré, o cérebro executa uma ordem para os músculos, mas ela não chega até eles, tornando o paciente incapaz de mexer certos grupos musculares.

O termo radiculopatia significa doença dos nervos que saem da medula espinhal. Como na síndrome de Guillain-Barré mais de um nervo é acometido simultaneamente, ela é considerada uma polirradiculopatia.

Como surge?

Como já explicado, os nervos levam e trazem as informações do cérebro através de impulsos elétricos. Assim como fios encapados, os nervos também são revestidos por uma substância isolante chamada bainha de mielina. Na síndrome de Guillain-Barré, o nosso sistema imunológico passa a, equivocadamente, produzir anticorpos contra a bainha de mielina dos nervos periféricos, como se esta fosse um vírus ou uma bactéria invasora.

Destruição da bainha de mielina pela síndrome de Guillain-Barré.
Bainha de mielina

O ataque dos anticorpos cria um intenso processo inflamatório e leva à destruição da bainha de mielina (desmielinização do nervo), bloqueando a passagem dos estímulos nervosos.

Os nervos acometidos pela síndrome de Guillain-Barré são basicamente os motores, sem acometimento dos nervos sensitivos. Logo, há paralisia muscular com pouca ou nenhuma diminuição da sensibilidade.

Portanto, com o conhecimento adquirido até aqui, já podemos entender por que a síndrome de Guillain-Barré é uma polirradiculopatia desmielinizante inflamatória.

Por que surgem esses autoanticorpos?

Alguns microrganismos, como vírus ou bactérias, podem possuir proteínas semelhantes às presentes na bainha de mielina, causando confusão em alguns anticorpos. Se por azar o sistema imune criar anticorpos exatamente contra essas proteínas, os mesmos atacarão não só o vírus invasor, mas também a bainha de mielina, pois para os anticorpos ambos são a mesma coisa.

Até dois terços dos pacientes com Guillain-Barré referem um quadro de infecção respiratória ou gastrointestinal (geralmente sob a forma de diarreia) semanas antes do aparecimento da síndrome. A infecção mais comumente associada à SGB é pelo Campylobacter jejuni, uma bactéria que provoca gastroenterites.

Outros eventos que podem estar associados ao surgimento da síndrome de Guillain-Barré são:

É bom salientar, porém, que em boa parte dos casos não conseguimos descobrir um evento desencadeante para a síndrome de Guillain-Barré.

Vacinas podem causar Guillain-Barré?

O conceito de que a síndrome de Guillain-Barré possa ser desencadeada por algumas vacinas é amplamente aceito, porém, esta relação é geralmente superestimada. O risco de desenvolvimento de Guillain-Barré após uma vacinação é muitíssimo baixo.

Só como exemplo, um estudo realizado no Reino Unido entre 1992 e 2000 com 1.8 milhão de pessoas identificou apenas 7 casos de Guillain-Barré surgidos dentro do intervalo de 45 dias após uma vacinação. Também é importante destacar que não houve aumento da incidência de casos de Guillain-Barré após a introdução da vacinação anual contra a gripe.

Portanto, os benefícios de qualquer vacina superam em muito o risco de desenvolvimento da síndrome de Guillain-Barré.

No caso específico das vacinas contra Covid-19, apenas a vacina da Janssen parece estar relacionada a um risco maior de Guillain-Barré. De modo contrário, e já confirmando por diversos estudos, não há aumento do risco de Guillain-Barré com as vacinas de mRNA da Pfizer ou da Moderna.

Em relação aos pacientes que já tiveram a SGB, é indicado esperar pelo menos um ano para se administrar qualquer vacina.

Sintomas

O principal sintoma do Guillain-Barré é a fraqueza muscular, geralmente iniciada nas pernas e com progressão ascendente. Em questão de algumas horas, às vezes poucos dias, a doença começa a subir e acometer outros grupos musculares, indo em direção a braços, tronco e face.

A síndrome de Guillain-Barré pode apresentar diferentes graus de agressividade, provocando apenas leve fraqueza muscular em alguns pacientes ou casos de paralisia total dos 4 membros em outros.

O principal risco desta doença está nos casos em que há acometimento dos músculos respiratórios e da face, provocando dificuldade para respirar, engolir e manter as vias aéreas abertas. Até 30% dos pacientes com SGB precisam ser ligados a um ventilador mecânico (respirador artificial).

Cerca de 70% dos pacientes também apresentam outros sintomas além da fraqueza/paralisia muscular, como taquicardia (coração acelerado), hipertensão ou hipotensão, perda da capacidade de suar, arritmias cardíacas, retenção urinária ou constipação intestinal. Dor nos membros enfraquecidos é comum e ocorre provavelmente pela inflamação dos nervos.

Em geral, o Guillain-Barré progride por duas semanas, mantém-se estável por mais duas e, então, começa a regredir, um processo que pode durar várias semanas (ou meses) até a recuperação total. Em alguns pacientes, a SGB progride tão lentamente que a doença começa a regredir antes mesmo de chegar à parte superior do corpo. Estes são os casos de melhor prognóstico e menor risco de sequelas.

Como a bainha de mielina dos nervos periféricos tem capacidade de se regenerar, a grande maioria dos pacientes consegue recuperar todos (ou quase todos) os movimentos. Após 1 ano de doença, 60% dos pacientes apresentam recuperação completa da força muscular e 85% recuperam-se o suficiente para já estarem andando sem ajuda, mantendo uma vida praticamente normal. As sequelas só costumam ocorrer nos casos mais graves.

A mortalidade da SGB é de 5% e, aproximadamente, 10% dos pacientes não conseguem voltar a andar sem ajuda.

Os critérios associados a um maior risco de sequelas são:

  • Idade avançada do paciente.
  • Rápida evolução para os membros superiores, geralmente com menos de 7 dias.
  • Presença de paralisia muscular já no momento da primeira avaliação médica.
  • Necessidade de ventilação mecânica.
  • Guillain-Barré surgido dias após um quadro de diarreia.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome de Guillain-Barré deve ser suspeitado em todo paciente com quadro progressivo de fraqueza motora, com pouco ou nenhum comprometimento da sensibilidade.

Os dois exames complementares que ajudam no diagnóstico são a punção lombar, para avaliação do liquor, e a eletroneuromiografia, um exame que avalia a resposta dos músculos a estímulos elétricos.

Nos últimos anos alguns anticorpos contra proteínas presentes nos nervos têm sido descobertos. Os anticorpos que podem ser pesquisados no sangue são: anti-GQ1b, GM1, GD1a, GalNac-GD1a, GD1, GT1a, GD1b.

Tratamento

Todos os pacientes diagnosticados com Guillain-Barré devem ficar internados para observação, mesmo os com doença leve, uma vez que o acometimento dos músculos respiratórios pode ocorrer rapidamente.

O tratamento se baseia em duas terapêuticas:

  • Plasmaférese: é uma espécie de hemodiálise na qual é possível filtrar os autoanticorpos que estão atacando a bainha de mielina (leia: Entenda o que é a plasmaferese).
  • Imunoglobulinas: injeção de anticorpos contra os autoanticorpos que estão atacando a bainha de mielina.

Os dois tratamentos são igualmente efetivos e devem ser iniciados nas primeiras quatro semanas de doença para terem mais efeito. O tratamento adequado acelera a recuperação e diminui os riscos de sequelas.

Antigamente usavam-se corticoides, mas estes foram abandonados por ausência de benefícios nos trabalhos científicos realizados. Hoje em dia, portanto, os corticoides não estão mais indicados no tratamento do Guillain-Barré.

Quem já teve Guillain-Barré uma vez pode tê-lo de novo, mas as recorrências são incomuns, acometendo apenas cerca de 5% dos pacientes.


Referências


Autor(es)

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Saiba mais

Artigos semelhantes

Ficou com alguma dúvida?

Comentários e perguntas

Deixe um comentário


130 respostas para “Síndrome de Guillain-Barré: o que é, causas e sintomas”

  1. Jameli
    Dr, a síndrome de guillain-barré pode matar?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Pode, mas hoje em dia é bem incomum. A taxa de mortalidade é menor que 5%. Em casos severos, o paciente pode ter insuficiência respiratória, pois os músculos responsáveis pela respiração podem se enfraquecer a ponto de ser necessária ventilação mecânica. Mas se o paciente tiver atendimento médico adequado, o quadro tende a não terminar em óbito.
  2. Thabata

    Oi, Tudo bem?

    Não sei se você pode me ajudar nessa questão.

    Já perguntei para diversos médicos e ninguém sabe me informar.

    Em 1996 + ou – tive SGB, aos meus quase 5 anos de idade, e sempre quis doar sangue. Assim, quando completei 18 anos fui ao laboratório fazer o processo, porém fui barrada pela doença. E até hoje falam que quem teve a doença não pode doar sangue. Queria saber o motivo para tal fato. E tem médicos que dizem que essa informação de não poder doar é falsa.

    Fico muito na dúvida e até hoje sou frustrada por não doar sangue.

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Em geral, pessoas que tiveram a síndrome de Guillain-Barré podem ser elegíveis para doar sangue, caso tenham se recuperado completamente e não apresentem mais sintomas.
  3. Eliane Sabino Peres Rosa

    Minha mãe está a 3 meses com a SGB,estamos sem direção em relação a tratamento e onde conseguir.

    Ela está paralisada do pescoço pra baixo.

    Nos de uma direção pra onde pedir socorro 🙏

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      É possível que o caso dela não seja Guillain-Barré. Vocês precisam de seguimento por um neurologista.
  4. Jailton Bernardino de Araújo

    Dr.Pedro Pinheiro, tenho 54 anos, tive a SGB em dez/22, afetou as pernas, braços e mãos. Fiz o tratamento com a plasmaferese. Estou andando, enfim me sinto bem. Porém preciso passar por uma cirurgia com anestesia geral para uma retirada de uma leucoplasia na língua. Irei realizar os exames pré operatórios, inclusive com o neurologista. o Sr. vê algum problema pelo fato de eu ter tido a SGB?

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Não tem problema, pode fazer a cirurgia.
  5. Elvira Costa
    Bom dia Dr. Pedro Pinheiro, o motivo de lhe estar a enviar este email é o seguinte, o meu filho hoje com 32 anos, à cerca de +/- 6 anos teve o síndrome de Guillain Barré, ficou afetado nos membros inferiores e superiores perdeu o andar e movimentos, esteve internado no Hospital dos Capuchos quase um mês, fazendo depois fisioterapia quase dois anos. Felizmente recuperou, ficando com pequenas mazelas (pés um bocadinho deformados, quando guia muito sente alguma dormência, principalmente do lado esquerdo, que foi o mais afetado), que olha para ele não vê.
    A minha pergunta tem a ver com o corona vírus, estará o meu filho num grupo de risco devido ao seu passado clinico, deverá ficar em casa em quarentena,??
    Ele trabalha ao ar livre, na manutenção de espaços verdes e similares, não trabalha isolado, tem companheiros com ele. Peço que me dê a sua opinião como médico neurologista. Já falamos com o nosso médico de família e a opinião dele é de que deve ter os cuidados que todos devemos ter. Como é muito difícil falar com o neurologista que o acompanhou, resolvi recorrer a sua ajuda.
    Aguardo ansiosa uma resposta. Obrigado.
    Elvira Costa
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
      Dr. Pedro Pinheiro
      Elvira, eu sou nefrologista, não neurologista. De qualquer forma, acho que ele não é grupo de risco só pelo fato de ter tido Guillain-Barré no passado. Porém, mesmo não sendo grupo de risco ele precisa ficar o máximo de tempo afastado de outras pessoas. Se isso for impossível, ele deve ficar pelo menos 1 metro afastado dos colegas o tempo todo.
  6. Eduardo Parruque
    Boa tarde Dr Pedro Pinheiro,

    Sou Moçambicano (Africa) tenho uma sobrinha definhando com esta doença SGB a sensivelmente 45 dias e os medicos locais acabam de nos informar sobre esta doença que até então era desconhecida por nós. Dr o seu artigo veio nos dar alguma esperança para o tratamento dela. Haveria possibilidade de com as analises extensivas que foram feitas recebermos alguma prescrição de tratamento e compra de medicamentos partir do Brasil? Agradeceríamos

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Eduardo, eu moro em Portugal. Se não houver o tratamento aí, você pode tentar importá-lo. Mas eu não sei como é a burocracia para conseguir isso.
  7. Fernanda Pessanha
    Boa tarde, sou psicóloga e estou estudando sobre a doença por ter recebido um paciente que teve a doença. Quero parabenizar o site e o médico responsável pelas respostas, estão fazendo um excelente trabalho de esclarecimento. O paciente que recebi falou algumas coisas sobre a doença que achei um pouco confusas e me achei na obrigação de pesquisar. Ele me disse que a SGB é uma doença degenerativa e que não pode pegar zika se não morre. É isso mesmo? Pelo que li até agora essas informações, que ele me passou, não estão corretas. Bem de qualquer forma ele foi aposentado por invalidez, então acredito que tenha tido a SGB muito grave, já fazem 4 anos que teve a doença. Ele também me falou que não pode ter qualquer aborrecimento emocional que os sintomas pioram, e por isso a família tem a poupado de muita coisa. Isso é possível?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Em alguns casos a SGB pode deixar sequelas, mas a doença em si desaparece. Não há nada na literatura médica que diga que pacientes que já tiveram SGB apresentam maior risco de morte se pegarem Zika. Também desconheço o motivo pelo qual um paciente que teve SGB não poderia ter aborrecimentos.
  8. João Ito
    Olá, quem já teve a SGB pode tomar a vacina da H1N1? Quais os riscos?
    Obrigado!
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Só há problema se o Guillain-barré tiver sido provocado por uma vacinação anterior. Fora isso, não costuma haver contraindicação.
  9. Guilherme Gonçalves
    Ola Dr. Como podemos evitar a síndrome de Guillain Barre?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não há nenhuma medida que ajuda a prevenir.
  10. christiane
    Doutor, no artigo acima é dito que entre os casos mais graves, estão os que tem diarreia no inicio. Por que?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Isso, na verdade, é uma conclusão que se chegou através de observações. Provavelmente, a lesão imunológica da bainha de mielina é mais intensa quando ela é desencadeada por uma infecção gastrointestinal. Mas o porquê a gente não sabe.
      1. Geraldo Antonio de Morais
        Dr. Pedro, realmente eu tive SGB em 2008, a mesmo foi oriunda de uma infecacao bacteriana que me causou gastroenterite, o tipo da síndrome que em acometeu foi a forma mais grave da SGB.
  11. Luzia Helena
    Meu irmão teve guillain-barré há 1 ano. Resumindo, ele ficou 25 dias na UTI, entubado, traqueostomizado, teve 3 paradas cardiorrespiratórias, fez uso de imunoglobulina, passou cerca de 2 meses no hospital. Após uma “breve” melhora, voltamos pra casa onde ele apresentava movimentos bem limitados. Dias depois, no apartamento, ele aos poucos estava novamente perdendo os movimentos. Era como se a crise estivesse voltando. Procuramos um neurocirurgião conhecido e bem recomendado de imediato que receitou corticoide. Em menos de 48h meu irmão já apresentava melhoras significativas! Eu digo e confirmo, por experiência vivenciada com meu irmão, que o uso do corticoide foi bem-sucedido. A fisioterapia também foi importantíssima. Em menos de 6 meses ele já estava praticamente normal. Sou muito grata a Deus por ter ajudado meu irmão e nos dado força para superar as dificuldades, e também por ter colocado um excelente fisioterapeuta e aquele médico neurocirurgião, na hora certa, que receitou a medicação adequada para a total recuperação dele. E para aqueles que estão passando por problema semelhante: não percam a fé em Deus, pois tudo dará certo! :)
  12. Evelyn Antoniolli
    Minha sobrinha está c a síndrome GB, ela está entubada e tá tomando imunoglobina estamos muito apreensivos, já perdi um sobrinho há 5 anos c a mesma doença
  13. Carlos Alves
    Tenho 36 anos, em 02/2009 fui diagnosticado com a SGB, fiquei 20 dias internado no Hospital Edmundo Vasconcelos até fechar o diagnóstico… foi efetuado tratamento como imunoglobulina em 6 seções já houve grande evolução e após 10 dias já retornei para minha residencia, fiz fisioterapia e reaprendi a andar. Hoje estou completamente recuperado, participando inclusive de provas de triatlhon de longa distancia!

    Não faço nenhum tipo de acompanhamento…. se faz necessário?

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Não.
  14. jany
    Dr. é verdade que a vacina do HPV esta contraindo a síndrome Guilian Barre, tem uma prima de 14 anos que tomou e esta sem movimentos em cima de uma cama e me falaram que nos EUA essa vacina foi proibida por isso, é verdade?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      1- Ainda existe muito debate sobre a relação do GB com as vacinas (não só do HPV). Em geral, ocorrem 1 ou 2 casos de GB a cada 1 milhão de pessoas vacinadas. Ainda assim, é difícil saber se a vacina foi realmente a culpada ou se os pacientes iriam ter o GB na mesma se não tivessem sido vacinados.
      2- Não, não é verdade que a vacina tenha sido proibida nos EUA.
  15. Neusa Oliveira
    Dr. Pedro

    tenho uma amiga que tem síndrome da mielina evanescente, ela ja esta sem movimento disseram que o quadro agora sera assim ate o fim teria como nos ajudar

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Lamento, mas não sou neurologista. Não tenho como ajudar em casos como esse.
  16. Andrew Morais
    É, meu nome é Andrew e hoje tenho 18 anos, mas aos 5 foi o momento mais dificil que ja passei até hoje, fui o primeiro caso em São Paulo, e graças a Deus hoje estou 100% curado pois pratico atividade fisica, jogo bola e em momento algum me incomoda, força pra quem tem e isso vai passar!
  17. Edson Barreiros Barreiros
    Boa tarde a todos, me chamo edson e sou de cascavel pr, meu filho de 6 anos foi diagnosticado agora pela manha de guillian barre, em fase inicial…os médicos disseram que nao ha necessidades de usar imunoglobulina, minha duvida e quais sao os efeitos colaterais e riscos desse medicamento, e qual a porcentagem de recuperaçao 100% nesta idade, nunca havia ouvido sobre este problema, estou com muitas duvidas e muito preocupado.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      São poucos os efeitos colaterais.

      Crianças costumam recuperar melhor que adultos. Se o quadro está brando, é muito provável que não fique sequela alguma. Mas, mesmo nos casos graves, cerca de 85% das crianças se recuperam totalmente.

      1. Edson Barreiros Barreiros
        Obrigado pela atençao Dr Pedro, esta manha ele ja esta bem melhor, inclusive se movimentando melhor, estao usando corticoides, vai dar tudo certo, obrigado.
        1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          Já há muitos anos que não é mais indicado usar corticoides no Guillain-Barré, ainda mais em crianças.
        2. Jaqueline
          Dr. Porque não se usa mais corticoide?? Estou me tratando com decadron, a evolução tem sido Boa, porém agora fiquei apreensiva!
        3. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro
          Dr. Pedro Pinheiro
          Estudos mostram que os corticoides não ajudam. O seu caso provavelmente está melhorando não é pelo decadron, mas sim porque ele já iria melhorar mesmo.
  18. Sonali Moreira
    ola tenho uma tia q esta com essa sindrome…no momento ela esta em coma..passou por todos os sintoma…respira por aparelhos e ja teve duas parada cardiaca. saiu do coma por 24 horas e voltou ao coma. porfavor me ajude. moro em Teresina PI. seria possivel uma recuperação. Pois os medicos ja até disseram que ela tava com morte cerebral, mais graças a Deus foi apenas um erro medico.Tenho muito medo, pois os medicos não diz q tipo de tratamento estão fazendo…o quadro dela é muito ruim…seria possivel uma recuperação??
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Sim, é possível. Porém, quanto mais grave for o GB, maior é o risco de sequelas permanentes.
  19. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Patricia, a imunoglobulina é um tratamento muito mais barato e simples do que a plasmaférese. Nos casos menos graves dá-se preferência às imunoglobulinas.
  20. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Todo paciente com uma doença auto-imune tem maior risco de ter também outras doenças auto-imunes, como uma vasculite, por exemplo. A questão é saber se desde o começo não era tudo só vasculite com acometimento neurológico ou se ele tem GB + vasculite.
  21. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Nos idosos a recuperação é mais lenta, pode demorar meses, e mesmo assim, a recuperação pode não ser total.
  22. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    A maioria sai sem nenhuma ou apenas com sequelas mínimas.
  23. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
    Não encontrei nenhum estudo que fale sobre isso.
  24. Karla Chaves Loureiro
    Olá, sou Karla tenho hoje 21 anos, e tive a doença quando estava na 3ª série. Passei muito mal na escola, estava me sentindo fraca, pedi para descer na “tia” tomar chá.. ao chegar lá, perdi todos os movimentos do corpo e tive uma espécie de parada cardio respiratória, foi horrível.
    Fiquei um pouco mais de dois meses entre a internação, saída do hospital e recuperação dos movimentos. Hoje levo uma vida normal, apesar que lendo sobre a doença, me preocupa um pouco, pois algumas situações citadas como, mal funcionamento do intestino persistem… e tenho apneia do sono, e pânico do escuro, que os médicos que fui sugerem que são consequencias da sindrome.
    Esta sindrome pode ocorrer mais que uma vez? Obrigada.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Sim, pode, mas é pouco comum.
      1. Karla Chaves Loureiro
        Muito obrigada pela atenção Dr. se me permite fazer mais um questionamento, quais as sequelas que a SG pode deixar em um paciente? Obrigada :)
        1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
          O que pode ocorrer é não haver recuperação completa da força em alguns grupamentos musculares.
  25. Patricia Lopes
    Ola, meu nome e Patricia, meu filho Kaio teve essa doença, com 03 aninhos e depois novamente com 04 aninhos, hoje ele está bem, mais tenho muito medo de ter que passar isso pela terceira vez, segundo os médicos que cuidaram dele as duas vezes o que houve com ele e muito raro, pois repetiu, então concluirão que foi por ele ter tomado vacina, a primeira vez ele tomou aquela da gripe suína e a segunda a poliomielite, eu não dou mais nenhum tipo de vacina para ele, mais vivemos na insegurança e sentimos medo de que essa doença volte um dia.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      É realmente uma situação bem atípica.
  26. Paula Hellen
    Oie Meu nome erh Paula tenho 18 anos, a 2 semanas perrdi minha mãe, ela fez 39 anos dia 08/04 ,
    Ela adquiriu a sindrome d guillian barre , só kee a dela foi severa, se manifestou rapidament, na cidade ond ela foi no neuro, la em montes claros (minas gerais), eles a diagnosticaram com neuropati, só ano passado descobrimos que ela estava cm a sindrome d gullian barre, e ela naum podia fazer a transfusão de sangue, ja que ela estava cm uma infecção grave no sangue..
    Como a doença se manifestou severament na minha mae, começou a atrofia os orgãos internos também..
    Eu visiteei ela no final do mes de abril em guarulhos sp, e tive ke ir embora no dia das maes ja que tinha uma prova pra fazeer em januaria mg.. A pior coisa que fiiz foi ter ido embora, se eu soubesse que esse seria o ultimo dia das maes que ia passar cm ela, tinha fikado, e tinha a enchido de beijos e abraços, e pela ultima vez ia dizeeer ke a amava… No dia 3 de junho minha mae internou no hospital devido a uma diarreia, e ela estava muito fraca e magra, minha tia me ligou p mim vim p sp, fika cm ela no hospital, devido a diarreia e o intestino inchado os medicos estavam suspeitando que ela estaria cm cancer no intestino devido a doença, dia 9 sai de januaria as 11:00h da manha,a caminho de sp qndo era umas 20:00h da noiite, ela faleceu, com uma parada cardiaca,ja que o pulmão regrediu..
    Minha Mãe sofreu dois anos, e nesses dois anos sofri cm ela.. a amava muito, e ainda a amo..
    PATRICIA EVANGELISTA DA SILVA <3
  27. frederico augusto alvares da s
    Tive a sindrome. Vou dar meu depoimento.

    Estou 95% curado. Foi assim: Em 13/01/14 acordei sem forca nas maos para aperta o desodorante. Achei estranho mais continuei o dia. A noite percebi que piorou. No dia 14/01 fui ao pronto socorro em BH e o clinico geral mandou procurar um Neuro. Na mesma hora fui ao Neuro que de imediato suspeitou da doenca e me encaminhou para fazer um monte de exames. Descartando todas as outras possibilidade de doencas as 14 horas ela me ineternou. No final do dia todo os meus dois bracos estavam bem fracos de nao conseguir segurar uma garrafa ou mesmo rodar a macaneta da porta. No dia seguinte (15/01) acordei com as duas pernas fracas e os dois bracos muitos fracos. Continuei em observação.

    No dia seguinte (16/01) tava muito ruim. Nao conseguia ficar em pe direitoo e os bracos e maos quase sem forca. Ai o medico decidiu entrar com a imunoglobolina pois ja fazia 72 horas da manifestação.

    Foram 5 dias tomando o remedio que gerou dor (efeito colateral), Mas, do segundo dia em diante foi so milhorando e apos os cinco dias tomando o remedio o medico me deu alta, pois estava ums 50% da forca estabelecida. Fiquei mais 7 dias em casa em recuperação (sem tomar remedio), e em 27/01/14 voltei a rotina de trabalho….

    O que foi crucial no meu tratamento foi ter procurado o medico imediatamente apos sentir fraquezas nas maos e ter encontrado uma Neurologista muito copetente que deu o diagnostico de imediato. Graças a Deus…

    Então, a doenca tem cura, pode ser rapida ou pode ser lenta.

    Estou com meus 34 anos, levo vida normal, e de muita correria, sem tomar nenhum medicamento em funçaõ da doenca …

  28. Mafalda Catalão
    Bom dia,
    Tenho uma amiga internada nos CI do Hospital S. Francisco Xavier, com SGB. Foi-lhe diagnosticada há 3 dias e ontem ligaram-na ao ventilador e sedaram-na pois começou a ter dificuldade respiratória. Quando o SGB avança até este estado, há possibilidade de reverter o quadro clínico? Quais as possibilidades de recuperação?
    Obrigada
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Sim, mesmo em casos graves a reversão é esperada. O que pode ocorrer é uma recuperação mais lenta.
  29. Viviane
    Boa noite Doutor minha tia esta com SGB ela esta tomando um medicamente que vem dos Estados Unidos não vou saber informa qual. Mas ela já fez por sete dias o tratamento e não resolveu agora os médicos vão fazer o tratamento novamente somos aqui de Marília, o senhor sabe me informa se essas injeções de anticorpos tem que vir de fora do país para os pacientes?Desde já agradeço.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Que eu saiba já existem no Brasil.
  30. Eugénia Mendes
    Boa tarde, meu marido fim de semana passado ficou paralisado, levei-o para o hospital e foi lhe diagnosticado a doença guillian barre, estou aparavorada pois esta paralisado de braços e pernas, está neste momento em Coimbra a fazer um tratamento, gostaria de saber se conhecem um sítio onde os resultados da recuperação tenham sido excelentes, estou disposta a fazer tudo pelo meu marido, é muito sofrimento
    Eugénia Morais
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Na maioria dos casos a síndrome de Guillain-Barré responde ao tratamento e remite por completo. O hospital de Coimbra é um bom centro, não vejo motivos para tirá-lo de lá.
  31. rogerio
    boa tarde, venho neste, perguntar se durante minha explanação sobre minha SGB poderei comentar ou falar os nomes dos médicos que me atenderam e do hospital no qual fiquei internado, pois foram de uma competência enorme para minha recuperação.
    gratos e no aguardo.
    1. Avatar de Pedro Pinheiro
      Pedro Pinheiro
      Sim, pode.
  32. Nancy
    Ainda essa semana li um comentário de um rapaz chamado José que estava em tratamento de plasmaferese. Achei interessante o relato do rapaz e quis apresentar a uma amiga que está com SGB. Ocorre que hoje o comentário foi deletado, e eu gostaria de saber por quê, já que o rapaz não fazia apologia a medicamento, e atendia aos critérios exigidos para fazer comentário.
    1. Avatar de Pedro Pinheiro
      Pedro Pinheiro
      Não é esse comentário aqui embaixo?
  33. José Carlos Alonso
    Hoje, realizei a quarta sessão da plasmaferese e minha força muscular está voltando. Já não sinto mais dormência na língua, nas nádegas e nas solas dos pés. Não usei imunoglobulina, mas a plasmoferese com albumina está produzindo efeitos positivos, num curto período. Nesse ritmo, até semana que vem, estarei em casa.
  34. José Carlos Alonso
    Olá a todos.
    Sou portador da SGB e estou em tratamento. Tenho 37 anos e estou internado. Já passei por duas sessões de plasmoferese e, na segunda, terei mais uma. De acordo com o médico, serão umas seis, aproximadamente. Gostei da oportunidade de ler mensagens de outros portadores dessa moléstia. No meu caso, minha sorte foi esbarrar com um neurologista que suspeitou dos meus sintomas, pois passei por muitos exames e médicos que chegaram a me medicar fitoterapicos. Assim que terminei de descrever o que estava sentindo, a primeira coisa que disse foi que não voltaria mais para casa, pois pediu minha internação imediata. Minha fortaleza foi minha companheira, Clarissa, que está do meu lado e acelerou todas as etapas. Espero, em breve, relatar como foi minha saída do hospital.
  35. Mônica M Café
    Até hoje fico ligada nos assuntos sobre essa doença pois meu querido pai teve essas síndrome e chegou ao óbito.Todas essas fases descritas na matéria o meu pai passou.Fizemos de tudo para salvá-lo,compramos a imunoglobulina mas não adiantou.
    1. Cibele Cristina
      Meu esposo tb….
  36. Mônica M Café
    Até hoje penso no que meu pai sofreu pois ele chegou a óbito depois que adquiriu essa síndrome.O ví passando por todas as atapas que lí nessa matéria. Meus irmãos e eu corremos contra o tempo até comprarmos a imunoglobulina humana pois no hospital não tinha.É um medicamento muito caro mas estávamos dispostos a tudo para salvar nosso pai.Quando ele começou a receber a imunoglobulina já estaba entubado no CTI.Dias depois ele faleceu.Essa foi a história mais triste que eu e minha família vivenciamos.

    Mônica de Cássia Macedo.

  37. Joseildo_santos
    Boa noite!
    Tive essa doença a 4 anos atras hoje levo uma vida normal , há possibilidade dessa doença voltar?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Sim, mas não é comum.
  38. Flavio denucci
    Parabéns pela postagem .
    Sou motorista de Resgate Voluntário em Belo Horizonte Minas Gerais e transporto um rapaz que a doeça Guillain-Barré já paralizou do pescoço para baixo .
    O mesmo teve 2 paradas e ficou entubado ; tomou os medicamentos mas não houve melhora no seu quadro , hoje transportei o mesmo novamente para ficar de observação e tomar novamente os medicamentos .
  39. Ariane
    Bom Dia, o meu vô ele já é um senhor de idade e esta com o seu lado esquerdo quase todo paralisado, penso que talvez ele possa estar com essa doença.
  40. Otavio beylouni
    Boa tarde pessoal.Minha filha de 9 anos de idade foi acometida por esta síndrome em fevereiro passado.Perdeu todos os movimentos do corpo, foi entubada por 26 dias , fez aplicação de imunoglobulina(sem resultado), e posteriormente 3 sessões de plasmaférese.Foi um pesadelo,porém, o rápido diagnóstico , feito em menos de 10 horas , aliado aos cuidados intensivos foram fundamentais para sua recuperação, tendo recebido alta hospitalar após 37 dias de internação.A doença é massacrante, ficamos com muito medo e a angútia era incrível.Após ter tido alta hospitalar ainda precisou de cadeira de rodas para se locomover durante 02 meses, uma vez que voltou a andar +- 60 dias depois da alta.A fisioterapia foi fundamental para a recuperação dela, fazia 03 sessões semanais de fisio, e, conjuntamente, 03 sessões semanais de hidroterapia.Também, durante 1 mês fez terapia ocupacional uma vez por semana, objetivando reaprender a escrever, se pentear, e demais coisas do cotidiano.Hoje, passados 07 meses do início da doença minha filha está plenamente recuperada, joga volley, tênis, e não ficou com nenhuma sequela.Escrevi aqui para deixar um relato de fé e esperança para aqueles acometidos´por esta brutal doença.Bons médicos, enfermagem competente, hospital bem aparelhado, e muita fisiterapia foi a nossa fórmula que graças a Deus levou a plena recuperação de nossa filha.
    1. Patricia
      Otavio, boa noite!
      Hoje descobri que meu tio está com essa doença…. minhas tias falaram que é fatal, não tem cura e tudo mais… mas agora lendo e me informando melhor estou vendo que não é bem o que elas relataram. Mas estou muito triste… não sei o que pensar e o que achar. Lendo sua história fiquei mais animada! Fico muito feliz que sua filha está bem!!! Espero entender melhor sobre a doença e poder dar uma boa noticia da próxima vez que postar aqui!
      Tenha um ótima semana!!!!
      Um grande abraço!
      Patricia
      1. Maria Aparecida Moda
        Boa noite Patricia, lendo o seu comentário resolvi responder, meu filho Alexandre de 33 anos, em 2009 teve a doença Sindrome de Guilam Barre, ínicialmente temos sim que correr enquanto é tempo, um bom e entendido neurologista, para tomar todos os procedimentos necessários, Pasmaferese é o mais indicado, meu filho fez todos os procedimentos e acompanhamentos necessários e de praxe, fisioterapia, hoje ele esta bem Graças a Deus, faz acompanhamento com neurologistas no HC de Ribeirão Preto – SP., faz a cada 06 meses eletroneuromiografia, respirometria, punção pulmonar, hemograma contagem de CPK, Creatinina, etc. temos que ofereçer as condições necessária para o tratamento, paciência, e não perder a fé, ele ficoupór enquanto com algumas seqüelas, tipo sente que respira e o ar não esta sendo suficiente ,mas esta sendo ainda investigado essa parte pela equipe médica, e também sente tremor na panturrilha da perna esquerda, isso não o impede de viver normalmente, desejo que seu tio tenha um breve restabelecimento, e que vc e seus famíliares tenham forças, o tempo de duração não é longo mas é bem critico, em nosso caso foram 03 semanas mais criticas e após foram amenisando até ficarem como estamos hoje, feleizes Graças a Deus. abcs.
    2. Marcelo Dias
      boa noite pois é eu tive esta doença em 3 grau passei por todasas etapas até infcção hospitalar peguei com 53 dias de irternção tive alta com dois meses ja estava andando para honra e glória de DEUS hoje me sinto bem + passei uma fase muito dificil + tb acreditei em minha recuperação.
  41. Raiza Ribeiro
    Boa noite!
    Meu nome é Raiza e tenho 19 anos sempre fui ativa, faço faculdade de Ed. Física e no dia 09/04/2012
    comecei a ficar com os pés e pernas dormentes, no início eu pensei que fosse um cansaço muscular devido há uma partida de futebol que joguei, mas depois que a dormência passou para os braços e a língua eu vi que era algo grave. Corri em UPAS, hospitais e nada, até que ao acordar no dia 13/04/2012 eu cai com a minha filha que completava 1 aninho nesse mesmo dia.
    O meu estado era de alguém que estava tendo um derrame, porque minha boca estava totalmente torta, e no dia 15/04/2012 eu fui internada no Hospital Municipal Salgado Filho, dormi uma noite em uma cadeira fria pois não tinha maca e quando minha mãe conseguiu uma eu já não me movia e estava completamente dura. Eu já estava tendo parada respiratória e o SUS não liberava a medicação até que eu fiz o exame do liquor onde meus pais pagaram 1885,00 reais na Neuro Life.
    Fiquei em coma por 1 mês, tive 2 paradas cardíacas, 2 pneumonias, todas as culturas possíveis de se ter no CTI e depois de acordada ainda fiquei mais 1 mês internada pois meus batimentos não baixavam de 158, e por obra de Deus fui me recuperando bem e sai do CTI direto pra casa em um domingo. Comecei a fazer fisioterapia, usei cadeira de rodas por 1 mês e hoje dia 08/10/2012 comecei a dar os primeiros passos sem apoio, uma experiência linda e emocionante.
    Agradeço a Deus por tudo o que passei e sei que a minha vitória hoje tem sabor de mel!!
    1. Melize
      Essa semana, completou 3 anos que tive a SGB. Cada vez que leio histórias de pessoas que passaram pela doença, lembro dos dias que passei internada e o período da doença. Graças a Deus, meu caso foi bem mais simples do que o da maioria, mas foram dias de angústia que jamais esquecerei.

      Hoje, não tenho nenhum sequela da doença…e torço para que todas as pessoas que passam pel SGB, tenham a mesma ou melhor recuperação que a minha.

      Deus abençoe a todos!

  42. Marceli Alexandre
    bom dia minha tia foi dieginoticada guillsin barre com essa doença mas no consegue tratamento adquado ela esta ja enternada no hopital de bonscesso quem quizer ver caso dela nome mariane silva de morais esta na enfemaria da emergencia desde ja eu agradeço marceli
  43. Pati
    Tenho um sobrinho que tem essa síndrome, porém só foi detectado após 10 dias quando os exames foram levados ao neurologista e só está fazendo fisioterapia, com melhora. Pode acantecer de voltar os sintomas e precisar internar e tomar doses no hospital, ainda?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      É incomum haver recaídas. Ocorre em menos de 10% dos casos.
  44. Fisio Leolopes
    Parabens pelos colaboração de compartilhar seus conhecimetos. valeuu!!!
  45. Lidia
    minha irma teve ,essa terrivel sindrome, mas Deus a restabeleceu ficou na uti 13 dias 19 no hospital ,teve que reaprender a falar ,andar subir degraus etc,,, caia facilmente ,se machucava toda ,,foi um tempo muito atribulado ela tinha tres filhos inclusive o mais novo tinha 11 meses ,,,,,hj ela ja terminou sua faculdade da aulas é professora,,,pintava toalhas jogos de tapetes isso tudo depois do acontecido,,e uma grande mulher ,sempre tivemos medo porque essa doença pode dar mais que uma unica vez,,mas Deus é fiel…tem 10 anos ,,,sofremos muito ela tinha 33 anos na epoca …so por Deus!!!!!!ore bastante e acredite no medico que esta tratando e não desista nunca ,,detalhe quando chegamos no hospital a medica que atendeu mandou pra casa disse que era so stress,e nós vendo que não podia ser so isso insistimos e ele internaram não havia medico no hp na hr e so foi atendida na manha seguinte e o medico fechou a clinica e foi trabalhar so no hospital ,pra salvar mais rapido porque quanto mais demora o tratamento pior é para o paciente ,,fica com Deus ..amem..bjs.
  46. Ana Lima
    Doutor, porque a vacinação, traumas, e cirurgias estão associadas a síndrome? Obrigada.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não sabemos bem o porquê.
      1. Claudete Santos
        Mas tem médicos estudando ou tentando achar a associação, se as proteínas encontrava na bactéria sao as mesmas da barra de mielina…porque entao não ataca em outras pessoas, qual a diferença desse pequeno grupo tem a SGB?
        1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
          Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
          Não são as mesmas, são levemente parecidas. Cada sistema imunológico é único, por isso alguns agem de forma diferente do esperado.
  47. Rogerio Rodrigues
    dr minha mae teve uma parada cardio respiratoria sua diorese esta narmal batimentos car presao respirando espontaneo   so que ela abre os olhos mas nao interage com a gente isso ja faz 14 dias que aconteceu e enormal essa recuperacoa  ela tem 66 anos dotor
  48. Tays Gurgell
    minha irmã tem dois anos de idade, e á 20 dias atrás ela começou a apresentar os sintomas, e á 10 dias fez uma eletroneuromiografia onde foi confirmada a sindrome, ela ñ perdeu as forças das pernas mais ñ consegue andar , e teve uma paralisia facial no lado esquerdo mais esta recuperada da msma, passou dois dias na uti, pq tinha risco de sofrer uma parada cardio respiratória, mais ela se encontra em uma fase inicial da doença começou a ser acompanhada hoje por um neorologista.. Vamos agora iniciar o tratamento com a medicação… Gente envie e-mail’s …Espero q ela se recupere… Até aqui nos sustentou o Senhor Jesus.
    1. Fabiana
      Ola Tays meu nome é Fabiana sou fisioterapeuta e pelo que vc descreveu sua irma esta na fase inicial da doença e tem muitas chances de se recuperar, fica em paz a recuperação é um pouco demorada mas sua irmã esta em fase e incial e a idade ajuda muito basta agora fazer acompanhamento com os medicos e iniciar rapidamente com a fisioterapia qualquer duvida pode entrar em contato comigo fgssantos@gmail. com e outra coisa os que confiam no Senhor são como o Monte de Sião que não se abala mais que permanece, fica em paz vc vai ver a recuperação dela vai ser algo surpreendente. Até mais…
    2. Gisele Hipolito
      Tenha fé. ela vai ficar boa logo. Meu filho com 12 anos teve essa sindrome no ano passado . ficou sem movimento nas pernas e braços e hoje está completamente reestabelecido.
      Gisele Hipolito
  49. Kathleyn
    Dr. Pinheiro adoeci em 2004 passei  20 dias  internada,fiquei tetraplégica tive apneia mais não precisei ficar entubada,1 ano depois  com muita fisioterapia conseguir dar meus primeiros passos fora da cadeira de rodas.Hoje,8 anos depois continuo fazendo fisioterapia recuperei em partes meus movimentos ,faço meus afazeres domésticos  mais ainda não  recuperei meu equilíbrio,existe a possibilidade  deu voltar a  caminhar sozinha,ou o retorno da doença?Karina.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não tenho como opinar sem conhecer seu caso pessoalmente. Você deve fazer esta pergunta para o seu neurologista.
  50. Telma
    Dr. Pinheiro, excelente a sua ajuda. Estou com a minha mae a tres anos com a doenca de Devic.Ja fez varias sessoes de imonoglobolina e agora o medico quer tentar a plasmafere, porem deverá ficar 15 dias em Hospital universitario durante 15 dias e estou em duvida conta o procedimento e o risco de um hospital que pode trazer infeções hospitalares e na minha cidade somente esse hospital faz o procedimento. Ela tem plano de saude e gostaria muito de saber se posso fazer o procedimento sem a internação por muito tempo ja que li muito sobre e sei que são no maximo duas horas de procedimento em dias alternados. Ha possibilidade de fazer o procedimento e retornar, com toda a assistencia possivel para casa,  e voltat para casa com todos os cuidados e higiene  possíveis. Não gostariamos que minha mae ficasse tanto tempo em um hospital universitário onde existem todo tipo de doenças e possíveis infecções. Estou desesperada…Obrigada e Deus te abençoe..meu e-mail p contato se precisar [email protected].
  51. waleska cesna
    Sofro com minha perna direita fraca, não consigo correr, sinto muita fraqueza um cansaso excessivo e muita infecçao urinária. Ja fiz ressonancia magnetica, colhi o licor, eletroneuromiografia e nada consta a infelicidade maior é andar arrastando a perna parecendo que estou mancando o SR pode me ajudar. Desde já agradeço.
  52. Juliane Marinho
    Dr. Pedro, tenho uma amiga com esta síndrome. Tenho pesquisado muito. Aprendi na faculdade sobre a ALD em que também ocorre a perda da bainha de mielina. E os pais de um paciente descobriram uma opção de tratamento. Que é o óleo de lorenzo. Será que também podemos usar para Guillain Barré?
    Para pelo menos um recuperação mais rápida?
  53. Luizacalmon
    Dr. Pedro, meu pai teve ELA, minha prima tem Esclerose múltipla e meu primo acaba de falecer com a sindrome de Guillain-Barre. Tem alguma relação entre essas doenças?

    [email protected]
    ,

    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Apesar de serem todas doenças neurológicas, suas causas são distintas. Não há uma relação entre elas para que a gente possa dizer que uma aumenta o risco de se ter a outra.
  54. Rosangela
    Dr. Pedro Pinheiro,

    Tive a SGB a 5 anos quando tinha 40 anos, na época paralisou a minha face, meu intestino parou de funcionar e também sentia muita fraqueza muscular, graças a Deus não fiquei com nenhuma seguelas. Fiz o tratamento com imunoglobulina e me recuprei. Desta forma gostaria de saber se posso aplicar Toxina Botulinica na face para tratamento estético?
    Desde já, agradeço sua atenção.
    Meu nome é Rosangela Pinheiro Doracio
    [email protected]

  55. Martinscelinha
    Dr.Pedro, sofri esta sindrome desde de 28 de fevereiro de 2011, tenho feito fisioterapia, exercicios fisicos e todavia não ando corretamente, quero saber o que devo fazer para ter equilibrio, penso em fazer acupuntura, o que me diz sobre isso ? Célia martins. rondonopolis, mt, muito obrigado.
  56. Belquis
    Dr. Pedro gostaria de saber mais informações sobre a ligação ou a incidencia de casos da syndrome  
    Guillain-Barré com a vacina contra H1N1? Se tem casos relacioados com a vacina????
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não uma relação maior do GB com a vacina para gripe, quando comparada com outras vacinas.
    2. Laricefjusti
      minha sogra teve a poucos dias e foi diagnosticada com a Síndrome, a médica que está tratando dela suspeita da vacina H1N1
  57. Joaoevangelista1971
     JOAO EVANGELISTA DE SOUZA – RECIFE/PE
    Tenho um amigo que atualmente estar internato com SINDROME DE GUILLAIN-BARRÉ e pergunto porque o tratamento é tão caro e porque não existe no SUS?. Cada SEÇÃo de tratamento está custando R$2.800,00 por favor o que fazer pelo SUS porque a família estar desesperada.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Claro que existe tratamento no SUS.
    2. Ricardo
      Minha Mãe está se tratando pelo SUS ..
  58. Heloisa Pereira75
    Dr Pedro, meu irmao esta com esta doença, ele esta fazendo somente fisioterapia é somente isso
    que ele tem que fazer mesmo? isto aconteceu em fevereiro2012,as maos ja estao mexendo,mas as
    pernas ainda não.
    Grata
    Heloisa
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
      Depois de controlada a crise, a recuperação tem mesmo que ser feita com fisioterapia.
  59. ester
    Prezado Dr. Pedro,
    Esta doença pode ser confundida com ELA?
    Grata,
    Ester
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Habitualmente elas não são tão parecidas assim que possam enganar um neurologista.
  60. Leandro Sarzedas
    O álcool pode ser um fator positivo para o desenvolvimento da doença?
  61. antonio luiz
    caro dr pedro eu tive essa doença guilliam barret e fui bem tratado  em florianopolis sc estou ainda em recuperação, pois adoeci em 28 de dez 2011 e fiquei 28 dias hospitalzd pensei nunca mais voltaria a andar, mas graças a deus jah estou andando com alguma dificuldade.sinto alguma dormencia nas maos e laterais dos braços e pernas e tambem no dedos e parte dos pes, o sr sabe se fica alguma sequela . dr sou militar aposentado e tive um bom condicionamento fisico durante bom tempo, penso que se nao  tivesse nao teria suportado .dr descupe meu desabafo.
  62. Talitadezorzi
    Tive a sindrome em setembro…somente em outubro fui diagnosticada. Os médicos disseram que os sintomas vieram de uma maneira não muito típica. Felizmente me recuperei bem. Somente tenho enformigamento nos pés mas, tenho medo de desenvolver a cronica pois, não tive o tratamento adequado para isso. Somente fui tratada com corticoides. Apesar de eu ser tratada por médicos considerados exclentes de Campinas, ex e atuais prof. da Unicamp com renome internacional, fico pensando se por causa desse “erro médico” eu possa ter sido prejudicada e desenvolver a crônica.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      A forma crônica não está relacionada ao tratamento da aguda.
  63. Cristianethalyta
    Tenho uma prima que se encontra a 8 meses no cti com esta doença, existe algum hospital que possa tratar desta doença, obrigada.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Qualquer hospital que tenha neurologista.
  64. Gilcelia
    Dr.Pedro, suas explicações me fizeram compreender o porquê da doença que levou o meu pai para morar com Cristo Jesus. Não sabia nada sobre essa maldita doença, porém agora entendo que devido o histórico de vida infeccioso dele, que foi de aproximadamente 8 anos de um quadro diarréico, quando tinha por volta de 45a  53 anos de idade, além de um acidente de cavalo este ano quando ele ja estava com 68 anos, onde ele sofreu uma fratura facial seguido de um enorme sangramento e de 10 dias de diarréia. Mesmo ele tendo tomado as cinco doses de imunoglobulina não resistiu dentro de seis dias foi a falecer.
  65. Maria de Lourdes O.A.Tomazini
    Como disse o Dr.Pedro, cada caso é um caso. Meu filho, no final do ano de l989, então com 5 anos de idade, teve a Sindrome de Guillain-Barré. Felizmente ele teve um diagnóstico rápido e foi atendido por médicos competentes no Hospital da UNICAMP em Campinas. Naquela época o único tratamento disponível e que foi oferecido era a  cortisona e fisioterapia. Ficou hospitalizado por 23 dias intermináveis em nossas vida. Mas graças da Deus e aos médicos ele não ficou com nenhuma sequela e hoje é um homem formado, perfeito e independente. Por isso, digo, quem hoje enfrenta essa doença, acreditem, ela é horrível no primeiro momento, mas é curável.  Um grande abraço e força!
  66. Rosa correia
    Dr,  meu irmão tem 34 anos  de acordo com seu peso tomou 36 ampolas em Curitiba no Ecoville um hospital da capital com uma equipe de neurologistas muito conceituados,  ele foi tratado inicialmente com vitaminas e  corticóide em Umuarama uma cidade do interior, até percebermos que era preciso removê-lo para uma cidade com mais recursos e tratamento diferente.
    Hoje  após 1 ano   ele apresenta sequelas e sua médica irá dar novamente a  vacina. 
    Nos entristece muito vê-lo fazendo fisioterapia direto mas ele não tem força para abrir uma garrafa de refrigerante, sua coordenação motora fina está comprometida, mas como li depoimentos percebo que ele está muito bem, mas gostaríamos que ele pudesse voltar a  trabalhar sua auto estima é baixa ele está anda  nervoso .
     O que nos indica para que ele tenha uma qualidade de vida melhor? E para piorar ele tem hérnia de disco, artrose esporão. e etc… 
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Fisioterapia e dar tempo ao tempo.
  67. Robson Juber
    Prezado Dr. Pedro,
    Primeiramente, parabens pelo seus esclarecimentos sobre GB.
    Estou em fase de recuperação (segundo a Dra. da Rede Sarah, meu caso foi gravissimo), depois de 1 anos e 6 meses, estou fazendo fisioterapia, porem sem qualquer medicamento. Ainda estou de cadeira de rodas, porem sinto que as forças de minhas pernas estão voltando. Pergunto: A demora e assim tão grande ou tem mais alguma coisa que terei que fazer para adiantar. (as minhas mãos ainda estão um pouco rigidas ainda.
    Tenho 57 anos.
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Cada caso é um caso. Fisioterapia ajuda muito.
  68. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
    Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
    Sim, quanto mais tarde for instituído o tratamento, menor é a taxa de sucesso.
  69. Paula
    Boa noite DR.Pedro, eu trabalhei em uma UTI e vi 2 ou 3 casos de Guillain Bare, mas ambos os casos foram a obito, porem o TTO com as imunoglobulinas começaram varios dias  apos a internaçao dos pacientes, sera este o motivo do insucesso do TTO! Desde ja agradeço e aguardo resposta
  70. Rodrigofernando
    Dr Pedro , fiquei com uma duvida ,sou enfermeiro em Londrina-PR, nessa síndrome porque os anticorpos preferem os nervos periféricos motores e não os sensitivos 
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não sabemos.
  71. Ronald Miller
     Dr. Pedro Pinheiro pelas definições ,minha mãe tem está doença,ela ficou enternada no hospital sarh em salvador .Ela se recupero ,mais ficou um bom tempo se fazer revisão. Eu ñ sei por onde começa ,ela está com dificuldade para se levantar,e não sente o lado do rosto. Eu marquei um neurologista para ela, o especialista está correto? Ronald Miller 
  72. Salela
                Obrigado Dr. Pedro Pinheiro pela explicação, ontem eu fiquei sabendo que o filho de um primo meu está com essa doença e está internado na U.T.I aqui mesmo em Sorocaba-SP, nos  exames médicos acusou a doença de Guillain-Barré, até então nunca eu tinha ouvido falar dessa doença, acabei de ler sua explicação e acabei de aprender mais uma doença, obrigado e abraços  José Carlos Sorocaba-SP
  73. Telma matos
    A pouco mais de uma semana um colega de trabalho foi surpreendido por essa sindrome e está hospitalizado sem movimentos das pernas e braços, está também com o sistema respiratório comprometido, estamos muito apreensivos, mas, confiantes de que ele sairá sem sequelas deste quadro. Este artigo foi muito esclarecedor, parabens ao Doutor Pedro Pinheiro.
    Telma Monteiro/são Luis-MA
  74. Andresa
    minha mãe já teve essa doença ha 10 anos atras ficou com algumas seuquelas mas nada muito grave, nos ultimos meses ele queixa q está perdendo as forças das pernas novamente já teve até uma queda semana passada, gostaria de saber se essa patologia pode acomete-lá novamente?
    1. Avatar de Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
      Não é comum haver recidiva, mas pode ocorrer.