Urina de 24 Horas – Como Colher e Para Que Serve

A urina de 24 horas é um exame solicitado para quantificar a excreção diária de determinadas substâncias na urina.

O que é urina de 24 horas?

A chamada urina de 24 horas é uma análise da urina muito utilizada por diversos médicos para avaliar o funcionamento dos rins e investigar algumas alterações urinárias.

Através dos resultados da urina de 24 horas é possível definir a taxa de filtração de sangue pelos rins, chamada de taxa de filtração glomerular, pesquisar a presença de proteínas na urina e identificar as concentrações na urina de vários sais minerais, entre eles, sódio, potássio, cálcio e fósforo.

Nos últimos anos, porém, o exame da urina de 24 horas tem perdido popularidade, principalmente entre os nefrologistas, por ser este um procedimento que causa alguma inconveniência de ser feito, já que obriga o paciente a coletar sua urina para um coletor durante 24 horas ininterruptas.

Neste texto vamos explicar o modo correto de colher a urina de 24 horas, quais são os objetivos deste exame e apontar suas vantagens e desvantagens.

Como colher a urina de 24 horas

Se você chegou até este texto é porque provavelmente o seu médico solicitou uma urina de 24 horas. Então, antes de falarmos da utilidade do exame, vamos primeiro explicar o modo correto de fazer esta análise da urina.

A urina de 24 horas é nada mais do que aquilo que o próprio nome diz: uma coleta de urina que dura 24 horas.

Instruções para colher a urina de 24 horas:

1- O análise terá de ser feita durante 24 horas, portanto, o primeiro passo é escolher qual é o intervalo mais confortável para que você colha a urina. O ideal é sempre escolher a hora em que você normalmente acorda. Vamos usar o horário de 7 horas da manhã como exemplo para o resto das instruções.

2- Imaginemos que você irá começar a coletar a urina hoje. Ao acordar às 7 horas, você deve esvaziar a bexiga, urinando normalmente no vaso sanitário. Portanto, a primeira urina do dia deve ser desprezada. O exame começa na hora em que se esvazia a bexiga pela primeira vez no dia. Após urinar, anote a hora exata, pois a coleta deve terminar nesta mesma hora do dia seguinte.

Mas se o exame começa às 7 da manhã, por que então desprezar a urina desta hora?

Porque a urina que estava dentro da sua bexiga às 7h não foi produzida às 7h, mas sim durante toda a madrugada, desde a última vez que você urinou. Portanto, esvaziando-se a bexiga, colheremos apenas a urina que os seus rins produziram a partir das 7h da manhã.

3- Depois de esvaziar a bexiga, toda e qualquer urina deve ser guardada no mesmo recipiente (se você urina muito, pode usar mais de um recipiente). Não importa o volume, qualquer gota conta. Se for evacuar, não pode urinar no vaso; se estiver tomando banho, não pode urinar no banho; se for sair à rua, leve o recipiente junto ou não urine até voltar para casa.

O recipiente com a urina deve ser armazenado ao longo do dia em temperatura ambiente ou dentro da geladeira.

Por comodidade, indicamos a coleta do exame durante o Domingo; deste modo você não precisa levar o recipiente para o o trabalho e ainda consegue entregá-lo no laboratório na Segunda-feira de manhã.

Se houver qualquer perda de urina, o ideal é abortar a coleta, desprezando o que já foi colhido, e reiniciá-la no dia seguinte. Uma pequena quantidade de urina perdida já é suficiente para causar erros no resultado final.

Se você colheu a urina de modo errado e não comunicou o seu médico, quem sofrerá as consequências será você mesmo, pois o clínico ira tomar decisões baseadas em uma amostra incompleta.

4- Você deve colher toda urina até às 7h do dia seguinte, incluindo esta última. Se você por acaso acordou mais cedo e urinou às 6h, procure beber água para conseguir urinar de novo quando der 7h. Lembre-se, o exame começa quando você esvazia a bexiga às 7h, e termina quando a esvazia de novo, também às 7h.

A coleta da última urina pode ter uma tolerância de 10 minutos para mais ou para menos (entre 6:50h e 7:10h).

5- Uma vez terminada a coleta de 24h, a urina no recipiente pode ficar em temperatura ambiente por até 48h, porém, o ideal é mantê-la refrigerada. Quanto mais cedo a urina for entregue ao laboratório, melhor.

Por que colher urina de 24 horas e não apenas 1 ou 2 horas?

A urina de 24 horas é um exame solicitado para quantificar determinadas substâncias na urina, cuja excreção varia ao longo das 24 horas. Por isso, exames de urina baseados em amostras, como o EAS (urina tipo I), não têm a mesma utilidade da urina de 24 horas.

Se a eliminação de determinada substância na urina varia muito dependendo da hora do dia, colher apenas uma amostra pontual torna o exame muito falho e de difícil padronização.

Quando queremos quantificar a excreção urinária diária de substâncias, o modo mais confiável é mesmo fazer a dosagem durante 24 horas, o que minimiza os efeitos das variações naturais de excreção ao longo do dia.

Para que serve a urina de 24 horas?

Os pedidos de urina de 24 horas são feitos habitualmente com o seguintes objetivos:

Cálculo da taxa de filtração glomerular (clearance de creatinina)

O clearance de creatinina é basicamente a taxa de filtração dos rins, ou seja, a medição de quantos mililitros de sangue os rins filtram a cada minuto.

Esse é o principal modo de avaliar a função renal e diagnosticar a insuficiência renal crônica.

Atualmente, porém, não é mais necessário fazer uma urina de 24 horas para calcular a taxa de filtração glomerular.

Existem fórmulas matemáticas que estimam o funcionamento dos rins a partir do valor da creatinina sanguínea. Vários laboratórios, inclusive, já trazem esse cálculo feito nos resultados da creatinina sanguínea (leia: Para que servem a ureia e creatinina?).

Valores de referência:

  • Clearance de creatinina deve estar entre 80 e 120 ml/min.

Quantificação da proteinúria

Chamamos de proteinúria a presença de proteínas na urina, fato que só ocorre quando os rins estão doentes.

O EAS (urina tipo 1) é capaz de detectar a presença de proteínas na urina, mas não consegue quantificá-la com exatidão. Além das proteínas totais, a urina de 24 horas também pode dosar a quantidade de albumina na urina, chamada de albuminúria.

Leia: PROTEINÚRIA, URINA ESPUMOSA E SÍNDROME NEFRÓTICA para saber mais sobre proteinúria e albuminúria.

Valores de referência:

  • Proteinúria: menor que 150 mg em 24 horas.
  • Albuminúria: menor que 30 mg em 24 horas.

Dosagem do sódio urinário

A dosagem da quantidade de sódio excretada pelos rins ao longo das 24 horas é uma forma de avaliar a quantidade de sal (cloreto de sódio) que o paciente ingere diariamente.

Em situações normais, a quantidade de sódio que sai na urina é semelhante a quantidade consumida ao longo do dia. Essa informação é útil para os pacientes com cirrose hepática, hipertensão arterial, síndrome nefrótica ou insuficiência cardíaca, que devem manter uma ingestão máxima de 5 a 6 gramas de cloreto de sódio por dia.

O valor do sódio urinário costuma vir em mEq/24 horas ou mmol/24h. Para saber quantas gramas de cloreto de sódio isso representa, basta dividir o valor por 17.

Valores de referência:

  • Sódio urinário: 40 a 220 mEq/24h. Nos pacientes que fazem restrição de sódio na dieta, o ideal é manter o sódio urinário abaixo de 100 mEq/24h.

Dosagem do cálcio urinário (calciúria)

A quantificação da excreção do cálcio na urina costuma ser solicitada nos pacientes com história de cálculo renal de repetição. Muitos desses pacientes apresentam perda de cálcio urinário maior que o resto da população, motivo pelo qual apresentam maior risco de formação de pedras à base de cálcio.

Valores de referência:

  • Cálcio urinário: 100,0 a 300,0 mg/24h.

Dosagem do ácido úrico urinário (uricosúria)

Geralmente solicitado para os pacientes com história de gota, ácido úrico elevado ou para os pacientes com cálculo renal à base de ácido úrico.

Valores de referência:

  • Ácido úrico urinário: menor que 800 mg/24h.

Dosagem do citrato urinário (citratúria)

O citrato é uma substância naturalmente produzida nos rins que inibe a formação de cálculos. Pacientes com citrato urinário baixo estão sujeitos a formarem pedras nos rins.

Valores de referência:

  • Citrato urinário: 300 a 900 mg/24h.

Dosagem do Oxalato urinário (oxalúria)

Também é importante na investigação das causas de formação dos cálculos renais, pois vários cálculos possuem oxalato na sua composição.

A dosagem também serve para o diagnóstico de uma doença chamada hiperoxalúria primária.

Valores de referência:

  • Homens : 7,0 a 44,0 mg/24 h.
  • Mulheres : 4,0 a 31,0 mg/24 h.
  • Crianças : 13,0 a 38,0 mg/24 h.

Dosagem do potássio urinário (caliúria)

A quantificação do potássio urinário é útil na investigação de algumas doenças dos túbulos renais e nos pacientes com alterações crônicas na concentração de potássio no sangue.

Valores de referência:

  • Potássio urinário: 25,0 a 125,0 mEq/24h.

Problemas da urina de 24 horas

A urina de 24 horas foi durante muitos anos o melhor e mais utilizado meio para se avaliar a função dos rins. Porém, devido às inerentes dificuldades em sua coleta e aos frequentes erros que esta ocasiona, tem sido cada vez menos pedida na prática médica, principalmente entre os nefrologistas, os especialistas em rins.

O fato é que grande parte dos pacientes não colhe a urina de 24 horas de modo correto. Uma urina mal colhida gera resultados errados que mais atrapalham do que ajudam a avaliação do médico. Um agravante está no fato de que uma considerável parte dos médicos não sabe reconhecer quando a urina está colhida de modo errado. Isto faz com que condutas sejam tomadas baseadas em resultados que não correspondem com a realidade.

Para saber se a urina foi realmente colhida durante as 24 horas, basta dividir o valor da creatinina urinária pelo peso do paciente. Por exemplo, se uma pessoa de 70 kg eliminou 1400 mg de creatinina em 24 horas, isto corresponde a 20 mg/kg.

Os valores normais são:

  • Homens 15 a 25 mg/kg.
  • Mulheres 10 a 20 mg/kg.

Valores abaixo ou acima destes indicam uma urina colhida de modo errado.

A urina de 24 horas nos dias de hoje

Atualmente já existem maneiras de se obter as mesmas informações da urina de 24h com exames mais simples. Como já referido, o cálculo da função renal, por exemplo, é atualmente feito com fórmulas matemáticas baseadas apenas na creatinina do sangue. A própria medição da proteinúria e da albuminúria também já pode ser feita de modo mais simples, apenas com uma amostra simples de urina.

A urina de 24 horas ainda é um exame útil naqueles pacientes que conseguem colhê-la corretamente. Porém, é um exame pouco confortável para o paciente e na maioria dos casos já não é mais preciso solicitá-la com frequência, já que é possível obter as mesmas informações com exames mais simples.

Referências


ARTIGOS SEMELHANTES

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais