DOENÇA DE PARKINSON | Sintomas e tratamento

O mal de Parkinson, também chamado de doença de Parkinson, ou simplesmente Parkinson, é uma doença do sistema nervoso central que afeta a capacidade do cérebro de controlar nossos movimentos. O mal de Parkinson recebe esse nome em homenagem ao Dr. James Parkinson, o primeiro médico a descrever a doença.

Publicidade

Mal de Parkinson: introdução

O nosso cérebro não é responsável apenas pelos nossos pensamentos e raciocínios, todo movimento que fazemos, desde um simples piscar de olhos até o ato de andar, nasce de uma ordem vinda do sistema nervoso central, que através de neurotransmissores chega ao seu destino final, os músculos.

Um grupo de células cerebrais, chamado de neurônios dopaminérgicos, são responsáveis pela produção de dopamina, um neurotransmissor que age no controle dos movimentos finos e coordenados. Algumas atividades do nosso dia-a-dia são tão triviais que nunca paramos para pensar na sua complexidade. O ato de beber um copo d’água, por exemplo, requer um grande controle dos nossos músculos, não só para levar o braço até o copo, mas também para agarrá-lo de modo estável, levá-lo até a boca e virá-lo apenas o suficiente para que uma quantidade x do líquido chegue a nossa boca. Isso são chamados de movimentos finos, muito dependentes da ação dos neurônios dopaminérgicos. O mal de Parkinson se caracteriza pela destruição destes neurônios, levando a uma escassez de dopamina no sistema nervoso central e, consequentemente, a um distúrbio dos movimentos.

Fatores de risco para o mal de Parkinson

Os sintomas da doença de Parkinson só surgem quando cerca de 80% dos neurônios encontram-se destruídos. O porquê desta destruição ainda é desconhecido, o que faz com que o mal de Parkinson seja considerada uma doença idiopática, ou seja, sem causa definida. Entretanto, alguns fatores de risco já foram identificados:

– Idade: a doença de Parkinson é um enfermidade tipicamente de pessoas idosas, iniciando-se normalmente ao redor dos 60 anos de idade. É raro encontrar pacientes com mal de Parkinson antes dos 40 anos.
– História familiar: familiares de pacientes com Parkinson têm maior risco de desenvolver a doença
– Sexo Masculino: o mal de Parkinson é mais comum em homens que em mulheres
– Traumas no crânio: isolados ou repetitivos, como nos lutadores de boxe, podem lesar os neurônios dopaminérgicos.
– Contato com agrotóxicos: certas substâncias químicas podem causar lesões neurológicas que levam ao Parkinson.

Sintomas do mal de Parkinson

Os sinais e sintomas do mal de Parkinson podem ser divididos em 2 categorias: motores e não-motores

1) Sintomas motores do mal de Parkinson

Sintomas mal de Parkinson- Tremores: ocorrem principalmente quando o paciente encontra-se em repouso e melhora quando se movimenta o membro. Esta é uma característica que distingue o tremor da doença de Parkinson dos tremores que ocorrem por outras causas.

Em fases inicias da doença, o tremor é intermitente e costuma passar despercebido pelos familiares e amigos. O paciente pode referir uma sensação de “tremor interno”, como se algum dos membros estivesse tremendo, quando na verdade, o tremor não é perceptível para outros. Os tremores perceptíveis costumam começar em uma das mãos, normalmente com movimentos entre o dedo indicador e o polegar, como se estivesse a contar dinheiro. Com o passar dos anos a doença avança e os tremores se tornam mais generalizados, alcançando outros membros.

O tremor em repouso é o sintoma inicial do mal de Parkinson em 70% dos casos. Com o evoluir da doença, praticamente todos os pacientes apresentarão algum grau de tremor. São poucos os casos de Parkinson que não causam tremores.

Como o tremor da doença de Parkinson ocorre em repouso e melhora à movimentação, este acaba não sendo um sintoma muito incapacitante, ao contrário da bradicinesia.

Sintomas mal de Parkinson- Bradicinesia: significa movimentos lentificados. A bradicinesia é o sintoma mais incapacitante do Parkinson. O paciente sente-se cansado, com intensa fraqueza muscular e sensação de incoordenação motora. Tarefas simples tornam-se muito difíceis, como abotoar uma camisa, digitar no computador, pegar moedas dentro do bolso ou amarrar os sapatos. O doente refere dificuldade para iniciar qualquer movimento voluntário. O paciente torna-se hesitante e descoordenado.

Com o tempo até andar vira uma tarefa difícil; os passos tornam-se curtos e lentos, o paciente apresenta dificuldade para se levantar e sente-se desequilibrado quando em pé.

Rigidez: a rigidez dos músculos é outro sintoma importante do mal de Parkinson. Assim como o tremor e a bradicinesia, a rigidez inicia-se apenas de um lado, generalizando-se conforme a doença progride. A sensação que se tem é a de que os músculos estão presos, muitas vezes limitando a amplitude dos movimentos e causando dor. Um dos sinais típicos é a perda do balançar dos braços enquanto se anda.

Instabilidade postural:  nosso equilíbrio enquanto andamos ou permanecemos em pé depende do bom funcionamento do cérebro; é ele que controla nosso tônus e reflexos musculares que mantêm nosso centro de gravidade estável. A perda da estabilidade postural é um sintoma que só ocorre em fases avançadas da doença de Parkinson, manifestando-se principalmente com quedas regulares.

Outros sintomas comuns do mal de Parkinson:
– Perda expressão facial (expressão apática).
– Redução do piscar dos olhos.
– Alterações no discurso.
– Aumento da salivação.
– Visão borrada.
– Micrografia (caligrafia altera-se e as letras tornam-se pequenas).
– Incontinência urinária (leia: INCONTINÊNCIA URINÁRIA | Causas, tipos e diagnóstico).

2) Sintomas não-motores do mal de Parkinson

Além de todas as alterações motoras, os pacientes com doença de Parkinson também podem desenvolver uma data de alterações neurológicas como demência, alterações do sono, depressão, ansiedade, memória fraca, alucinações, psicose (leia: O QUE É PSICOSE?), perda do olfato, constipação intestinal, dificuldades para urinar, impotência sexual, raciocínio lentificado e apatia.

Progressão da doença

As complicações da doença de Parkinson ocorrem naqueles indivíduos que desenvolvem demência ou que ficam com grave incapacidade física. Pneumonia, quedas e aspiração de alimentos são complicações que podem ocorrer nas fases mais avançadas, e que podem levar ao óbito. Em geral, porém, o paciente com Parkinson não tem sua expectativa de vida muito menor que o resto da população idosa. O grande problema do Parkinson é mesmo a grande perda da qualidade de vida.

A progressão na doença de Parkinson é muito variável e não há sintomas ou sinais que permitam prever com precisão como a doença irá evoluir a longo prazo em cada paciente.  No entanto, a revisão de alguns estudos conseguem nos fornecer uma visão ampla sobre a evolução da doença de Parkinson:

Em um estudo antigo, realizado entre 1949-1964, a proporção dos pacientes que encontravam-se incapacitados ou mortos dentro do prazo de cinco anos após o início da doença era de 25%. Esse número aumentou para 67% em 9 anos, e para 80% entre os pacientes com doença há cerca de 14 anos. O estudo também identificou a existência de um pequeno grupo de pacientes que  apresentavam uma progressão lenta, mantendo o equilíbrio, estabilidade postural e ausência de incapacidade grave mesmo após mais de 20 anos de doença.

Um estudo semelhante foi realizado entre 2000 e 2012 e identificou complicações, como demência, incapacidade física ou morte em cerca de 77% dos pacientes com cerca de 10 anos de doença.

Diagnóstico do mal de Parkinson

Várias outras doenças neurológicas podem apresentar um quadro clínico semelhante ao mal de Parkinson, o que torna difícil a distinção, principalmente me fases inicias da doença.

O grande problema é que não existe um exame complementar, seja de sangue ou de imagem, que forneça o diagnóstico da doença de Parkinson. O médico baseia-se apenas na história clínica e no exame físico para fechar o diagnóstico, o que torna importante a experiência do especialista.

Em geral, para o diagnóstico é preciso identificar 2 dos 3 principais sintomas motores (tremor em repouso, bradicinesia ou rigidez), associado a uma melhora destes com o uso de medicamentos específicos para doença de Parkinson. Nem sempre o quadro clínico inicial é suficientemente claro para se estabelecer o diagnóstico.

Tratamento do mal de Parkinson

Não há cura para o mal de Parkinson, porém, os tratamentos atuais são bastante efetivos no controle dos sintomas.

Uma das drogas mais usadas é a levodopa + carbidopa (Sinemet), que é transformada em dopamina dentro do cérebro. Várias outras drogas que simulam a ação da dopamina no cérebro podem ser usadas, entre elas: bromocriptina, pramipexol e ropinirol.

Além do tratamento medicamentoso,  a prática de exercícios regulares é importante para retardar os sintomas motores da doença.

"DOENÇA DE PARKINSON | Sintomas e tratamento", 5 out of 5 based on 60 ratings.
Publicidade
  • Nayara Ariane

    nao tem as consequencias da doença?

    • Dr. Pedro Pinheiro – MD. Saúde

      Atualizei o texto com uma parte que fala da progressão da doença. Veja se era isso que você sentia falta.

  • Wiviany

    tenho 29 anos e estou com movimento involuntario somente no indicador esquerdo..o que faço

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Procure um neurologista.

  • Pedro

    Uma pessoa obesa também pode ter Parkinsonismo??

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Somente pela obesidade, não.

  • Pedro

    Obrigado me ajudou no meu trabalho de ciências e agora sei quais são os sintomas para se eu um dia tiver que Deus me livre ja falar com um neurologista muito obrigado.

  • Yara

    Meu marido tem 53 anos e a mais ou menos 1 ano foi diagnosticado com tremor de parkinson, só que ele faz tratamento com a medicação de Prolopa(Levodopa mais cloridrato de benserazida) e já está no nível de 200/50 mg e não está surgindo nenhum efeito fora que os efeitos colaterais são horríveis, o que posso fazer para consultar com o senhor, ele foi diagnosticado com tremor de parkinson. Obrigado.

    • https://plus.google.com/u/0/113288925849694682313/posts Pedro Pinheiro

      Yara, eu não sou neurologista. Não sou a melhor indicação para tratar o seu marido.

  • Fabiane

    Boa tarde!

    Tenho uma amiga, que descobriu que esta com Parkinson, e gostaria de saber se ela pode fazer caminhada, pois a doença afetou sua coordenação.

    Grata

    Fabiane

    • http://www.mdsaude.com Pedro Pinheiro

      Pode, a caminhada não faz mal, mas se a coordenação dela já está muito comprometida, é preciso ter sempre alguém do lado para ajudá-la, pois a há risco de queda.

  • nenethe

    Ouvi dizer que cha de folha de goiageira e bom para mal de Parkinson. tem alguma coisa a ver

  • Davidson Marcos

    Tenho 18 anos e frequentemente venho sentindo tremores ao pegar copos e talheres nas horas das refeições isto pode se um sinal que tem algo errado comigo
    Ou pode ser falta de vitaminas já que mos últimos tempos não venho me alimentando direito ?

  • Marco Indi

    Gostaria de saber se o medicamento Ocylyn é recomendado para o tratamento do Parkinson Juvenil.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Ocylin é Amoxicilina, um antibiótico comum usado para tratar infecções de garganta e ouvido. Não tem nada a ver com Parkinson.

  • Vanda-sarah

    estou muito grata pelas informações; as pessoas viveriam melhor se pudessem prevenir-se de tais doenças.

  • miriam

    ola, boa tarde, Fatima se vc encontrar algum médico bom que trata da doença de parkinson, por gentileza , me informe, tb estou proximo a Sorocaba, Mais precisamente em São Roque, obrigada Miriam

  • monica

    Minha mae tem 70 anos e  está com tremores nas mãos, toda hora ela cai a ponto de ser machucar,  estamos querendo fazer um exame de ressonancia, mais não sabemos em qual especialidade devemos levá-la primeiro pois esses sintomas combina muito com que está escrito no seu artigo

  • Sandra

    Meu nome e Sandra e tenho 42 anos de idade, desde os 35 anos tenho tremores dentro do ouvido esquerdo, e raramente do ouvido direito, isso pode ser sintomas de parskison? eu já procurei um medico de ouvido e ele disse que não era problema de audição. Ou será que pode ser por causa de sinusite? Se alguém tem esses sintomas por favor com grande favor me fale, às vees tenho medo

  • Gabriel

    Quero saber se tem chance de eu ter mal de parkinson tenho 15 anos ninguem na minha familia tem esta doença sou jogador de futebol amador pratico varias atividades fisicas!tem alguma chance de eu ter?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não entendi porque vc está preocupado em ter Parkinson.

  • http://twitter.com/viverbememelhor Sidnei & Luisa

    Ola Ricardo meu e Sidnei gostaria que voce conhecesse  meu trabalho sei que posso te ajudar e muitas pessoas vou deixar um link e voce entra e leia e entra contato posso de ajudar sim 

    http://www.facebook.com/ViverbemvVvemelhor

  • selma regina

    boa noite,meu nome e selma tenho 45 anos moro em sao goçalo tenho sindrome de miniere ha 6 anos,faço tratamento com otorrino,e psiquiatra,de ums tempo pra ca estou com muito tremor.tomo remedios muito forte mais nao esta adiantando nada acho que estou com parkinson,preciso de um medico q me ajude ;;;;;;;;

  • Rdnogueirarocha

    Bom dia, minha mãe tem 73 anos e foi diagnosticada pelo neurologista com uma distonia oro mandibular: Ele disse que os sintomas são parecidos com os de Parkinson, só que no começo apenas a lingua ficava sem controle, agora a mão treme muito e o joelho e perna também . Será que ela pode ter desenvolvido a doença de Parkinson? Se for o caso , o neurologista já não teria que ter percebido?? Desde já agradeço pela resposta.

  • fatima m s araujo

    preciso de um medico em doença de parkinsn em sorocaba sera que algum bem bom posso encontrar aqui

  • Márcia Girello

    Boa tarde! Li seu artigo sobre mal de Parkinson e, gostaria que me esclarecesse algumas dúvidas.
    Meu pai com 73 anos, tem diabetes, pressão alta, tremores nas mãos (principalmente mão direita), sente muita fraqueza nas pernas, fica irritado à toa, xinga e bate em quem estiver por perto (geralmente minha mãe), ele nunca foi uma pessoa agressiva e agora com essa atitude, estamos estranhando. É normal isso?
    Grata pela atenção.
    Márcia

  • killer

    tem como eu fazer o teste em casa pra saber se tenho o mal de parkinson

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não existe um teste que dê o diagnóstico. É preciso ser consultado por um neurologista para saber se tem Parkinson.

  • Edson

    tenho 35 anos e sofro com tremores na mao esquerda desde  que tinha 32 anos  perdi a força e ca capaçidade de controlar os tremmores ja penssei em fazer loucura  ,os medicos deconhec o caso e assim fc dificil sera que nao ha nd que diminua um pouco atenciosamente edson e
     meu msn é edsonmt1@hotmail.com

  • Gerusa batista

    ola, minha mae esta com tremor nas pernas ja faz 5 meses e cada dia mas tem piorado, ela tomava varios medicamentos como : fluexitina, haldol(injetavel) e compromido, diazepam etc.. ela parou por conta propria em dezembro quando foi em janeiro ela começou apresentar esse tremor ela pode esta coma parkson?
    desde ja agradeço.

  • Simone Silva

    Boa noite,acabei de chegar do neuro com minha mãe,e foi diagnosticada que esta com parkinson, estou muito triste comendo do medicamento não da certo que foi prolopa,o equilíbrio dela esta muito ruim,por isso estou com medo, de inicio 1/2 porque e de 100/25 de quatro em quatro horas,mais esta diante do meu senhor que pode tudo.
    att;simone silva

  • Natanael miranda freitas

    olá j riccardo,
    estou com os mesmos sintomas relacionados com os descritos por vc. Gostaria de entrar em contato c vc. meu e–mail: natanfreitas@hotmail.com

  • Jriccardo

    Grato pela resposta! estamos falando com o neurolista quase toda semana, tentamos readequar a dose dos remédios, inclusive mudamos do stalevo para prolopa e agora estamos fazendo uma junção dos dois, mas está dificel acertar. Bem vamos continuar tentando. Existe algum remédio alternativo, tipo adesivo cutâneo ou algum procedimento cirurgico?

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Infelizmente não.

  • Jriccardo

    Boa Noite! Minha Mãe foi diagnosticada com Parkinson há cerca de 8 anos. Ela apresenta todos os sintomas descritos, mas ultimamente vem apresentando um mal estar muito grande, geralmente que ela diz que é reação dos remédios, tal como taquicardia, falta de ar, e uma compressão no torax. Sinceramente não sei se é do remédio ou da falta dele ou até mesmo do fato de que o remédios está perdendo a eficácia. Já falamos com o méidico, alteramos a medicação, mas as crises estão mais frequentes e fortes. Alguém sabe de algum caso assim e possa ajudar?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Os remédios para o Parkinson podem dar muitos efeitos colaterais mesmo. É preciso conversar com o neurologista para saber se é por aí.

  • Eliene

    O que vocês podem fazer para retardar a evolução da doença é fazer os tratamentos não só com um especialista clínico, mas também fazer o trabalho interdisciplinar, com fisioterapeutas, nutricionistas, fonaudiólogos, um bom acompanhamento é muito importante.

  • Diego Tavares

    Tenho vários sintomas do mal de Parkinson. Algo está errado com meu SNC. Tenho 16 anos! Tenho que procurar um neurologista! :(

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Acho q sim.

  • Maria Tinoco

    Maria

    o mal de Parkinson e Alzheimer os sintomas são os mesmos , porem a doença e diferente uma da outra ?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Os sintomas são bem diferentes.

  • Sandra

    Ola!! Meu pai tem 76 é a um ano foi diagnosticado que ele esta com mal de parkison. Tudo que vc descreveu esta acontecendo, mas existe algo a mais que acontece com ele, dificuldade em falar e se alimentar. Tbem é uns dos causas do Parkison?? 

    • Eliene

      Com certeza também são sintomas do Mal de Parkinson.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Pode ser.

  • Janalinerosa

    ola este assunto ajudou muito meu trabalhor escolar pois a explicaçaote esta bastante clara 

  • maria lucia

    continuo na dúvida quanto aos sintomas, pois minha mãe tem 80 anos, e há
    2 anos atrás  têve AVC,  fêz tratamento, e a neurologista disse que
    está controlado, pois bem, de alguns meses pra cá, ela começou a tirar
    às escondidas, dinheiro dos pagamentos que separo e de qualquer outro
    boleto, quando perguntei à ela uma vez, me disse que não era ladra e
    falando outras coisas. sei que é ela, pois continuou o mesmo problema, e
    agora sou obrigada a depositar ou levar comigo o dinheiro. reconheço que no momento não estou trabalhando, pois na época saí do emprêgo,
    para tomar conta dela e de um filho e uma neta adolescentes, e esse
    ordenado é dela como pensionista, mas, não acho correto ela apanhar e
    não dizer, e acredito que ela nem lembra onde guarda o dinheiro. outra
    coisa, às vezes ela deixa o gás ligado,  não lembra das coisas que
    dizemos para ela e muda constantemente de humor;  ela só não tem
    tremores. por favor, isso tudo seria início de mal de alzheimer? qual especialidade médica devo procurar? quero muito ajudá-la. agradeço desde já.

    • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Procure um neurologista.

  • Lidia Tereza Rusciano

    Parabéns, estou com meu marido com esse problema e de maneira clara, vc. explicou tudo de forma que o leigo entendesse

  • https://plus.google.com/113288925849694682313 Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

    Neurologista

  • Mtjmarcondes

    Quero agradecer ao Dr. Pedro Pinheiro por esse artigo tão valiosa, meu esposa  com 65 anos de idade, acaba de apresentar esse mal, qual especialidade devo procurar para iniciar o tratamento, ele apresenta tremor  (tremedeira), na mão direira, sente dores no braço e não consegue controlar os movimentos do braço.

  • http://twitter.com/sergio200947 sergio dos santos

    muito bom esse artigo eu conhenço, um amigo que tem a doença, e sofreu preconceito por não conhencer  a doenças dos amigos por causa sistomas da doença……

  • sergio dos santos

    muito boa esse artigo

  • Luzia Dantas

    achei muito importanteeste artigo. Fui bem esclarecida em minhas dúvidas.
    Luzia Dantas

  • Silene Costa

    Lí todo o artigo sobre Parkinson e fui ansiosa conferir a parte de tratamento.
    Cuido de uma pessoa que tem 73 anos de idade e é portador de Parkinson. Essa pessoa é medicada com PROLOPA 200/50 sendo um comprimido ao dia, dividido em 4 vezes. Ao deitar toma um comprimido de LYRICA, 75mg.
    A rotina dele é assim:
    -Logo ao acordar, alongamentos, ainda na cama. 
    -Parte da manhã, caminhada
    -banho e vai para a Fisioterapia Global
    -Após o almoço, dorme por duas ou três horas (penso que devido a medicação).
    -Final da tarde, 3 vezes na semana, faz hidroginástica.
    Assim, vamos levando. Dia melhor, dia pior, problemas locomotores, confusão mental…etc…
    Gostaria de saber mais sobre tratamento para esta doença.
    Ele é atendido por um neurologista.
    Também toma OSCAL D – 500. Dois comprimidos ao dia, para o problema de osteoporose.
    Agradeço qualquer informação mais que puder ser fornecida.

    Silene