Fimose

Chamamos de fimose a incapacidade de expor a glande (cabeça do pênis) devido a um prepúcio com anel estreito. Já a parafimose ocorre quando é possível retrair o prepúcio, mas este não retorna ao seu ponto de origem, comprimindo a base da glande e causando obstrução do fluxo venosos e linfático. Neste texto vamos explicar a fimose e a parafimose com uma linguagem acessível a todos.

O que é o prepúcio?

O prepúcio é aquela camada de pele retrátil, uma espécie de capa que recobre e protege a glande, conhecida popularmente como cabeça do pênis. O prepúcio, nos adultos, encobre a glande quando o pênis está flácido, mas se retrai quando o mesmo está ereto.

O prepúcio começa a ser formado já nas primeiras semanas de desenvolvimento do feto. Desde o nascimento até os primeiros anos de vida do homem, o prepúcio encontra-se aderido à glande, um processo chamado de fimose fisiológica. Com o crescimento, a região interna vai se desprendendo gradualmente da glande, até ser totalmente retrátil quando o pênis encontra-se ereto. Não se deve forçar o descolamento do prepúcio nas crianças, pois o mesmo ocorre naturalmente com o passar dos anos. Em 90% dos meninos, a fimose fisióloga desaparece nos 3 primeiros anos de vida.

A partir de agora, sempre que falarmos em fimose estaremos nos referindo a fimose patológica, ou seja, a fimose que não é fisiológica.

O que é o prepúcio
Prepúcio (clique p/ampliar. Atenção: A imagem acima  pode ser considerada ofensiva para certas pessoas)

O que é a fimose?

A fimose ocorre quando não é possível retrair o prepúcio e expor completamente a glande. Mesmo com o pênis ereto, a glande não fica exposta, como pode ser visto nas fotos abaixo.

3 fotos de Fimose

Imagens de fimose (clique p/ampliar. Atenção: A imagem acima  pode ser considerada ofensiva para certas pessoas)

A fimose pode surgir de dois modos:

1) Fimose desde o nascimento, quando o indivíduo chega a adolescência sem nunca ter conseguido retrair o prepúcio, isto é, uma fimose que não desapareceu nos primeiros anos de vida, e portanto, não pode ser considerada fisiológica.

Alguns homens nascem com o anel do prepúcio (abertura) muito apertado, o que impossibilita a retração da pele mesmo após o descolamento do prepúcio nos primeiros anos de vida. Outra causa de fimose desde o nascimento ocorre nos homens que, quando criança, os pais tentaram forçar a retração do prepúcio, causando lesões e criando cicatrizes que perpetuaram a fimose.

2) Fimose adquirida, que é o caso do adulto que não tinha fimose, mas por causa de infecções ou traumas no pênis criou cicatrizes que causaram aderência do prepúcio, impedindo sua retração. Este tipo de fimose ocorre geralmente por má higienização do pênis, favorecendo o acúmulo de secreções e proliferação de bactérias dentro do prepúcio.

Sintomas da fimose

O principal sinal na fimose é um prepúcio que não se retrai. Existem graus variados de fimose, desde aquelas com retração parcial e compressão da glande, até obstruções completas, onde não é sequer possível ver o meato uretral (orifício na ponta do pênis, onde sai a urina), como na imagem mais à esquerda da foto acima.

A fimose pode causar ereções dolorosas,  hematúria (sangue na urina – leia: HEMATÚRIA | URINA COM SANGUE), jato urinário fraco e infecções urinárias de repetição (leia: INFECÇÃO URINÁRIA | CISTITE | Sintomas e Tratamento).

Tratamento da fimose

Todo caso de fimose deve ser avaliado por um médico urologista. A redução manual do prepúcio geralmente é suficiente para corrigir a fimose, mas deve ser feita preferencialmente por um profissional para não haver complicações. A aplicação de gelo local pode ajudar no processo. Se houver sinais de inchaço, alguns médicos indicam pomadas à base de corticoides para diminuir a inflamação e facilitar na redução posteriormente (leia: PREDNISONA E CORTICÓIDES).

A circuncisão é um simples procedimento cirúrgico que corrige a fimose e impede sua recidiva (leia: CIRCUNCISÃO | Riscos e benefícios). É geralmente o modo mais usado, senão em um primeiro momento, logo após a resolução do processo inflamatório.

O que é parafimose?

A parafimose ocorre quando o prepúcio consegue ser retraído, mas não consegue retornar ao seu ponto de origem, causando estrangulamento da glande e obstrução do fluxo sanguíneo. Ao contrário da fimose, a parafimose é uma emergência médica que, se não tratada a tempo, pode causar gangrena do pênis.

Parafimose

Imagens de parafimose (clique p/ampliar. Atenção: A imagem acima  pode ser considerada ofensiva para certas pessoas)

Entre os fatores de risco para a parafimose estão:

– Fimose.
– Infecções do pênis, como balanopostite.
– Traumas.
– Implantação de piercings (leia: BODY PIERCING ).

Eventualmente, a parafimose pode surgir após uma relação sexual, principalmente quando o homem não limpa o pênis e não retorna o prepúcio ao local correto após o mesmo ficar flácido. Há casos em que o paciente dorme imediatamente após uma relação sexual e acorda com uma parafimose no pênis.

A parafimose também pode surgir em crianças com fimose fisiológica nas quais pais impacientes tentam reduzir a fimose de modo equivocado, causando uma retração permanente do prepúcio e compressão do pênis.

Sintomas da parafimose

Assim como na fimose, o diagnóstico da parafimose é feito pelo exame físico, que detecta uma pênis com inchaço na glande e uma espécie de cordão constritor ao redor da base da mesma. Se o atendimento não for rápido, a glande pode começar a ficar arroxeada, denotando isquemia do tecido peniano. A parafimose é um processo bastante doloroso.

Tratamento da parafimose

Como já referido, a parafimose é uma urgência e deve ser reduzida o mais rápido possível. A redução pode ser feita manualmente, geralmente sob algum grau de anestesia, se não houver sinais de necrose do pênis. Se já existirem sinais de isquemia ou se a redução manual não for efetiva, o paciente deve ser encaminhado para cirurgia.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.