Vontade de urinar

Um volume diário de urina muito grande ou uma vontade constante de urinar podem ser um dos primeiros sintomas de doenças do trato urinário. Se você não consome líquidos em excesso e ainda assim urina a toda hora, leia com atenção este artigo.

Nem todo excesso de urina é igual. Por exemplo, você pode urinar pouca quantidade de urina várias vezes por dia, muita quantidade de urina várias vezes por dia ou muita quantidade de urina somente em alguns períodos do dia.

A presença ou não sintomas associados também é importante. O excesso de urina pode vir acompanhado de dor para urinar, sangue na urina, urina espumosa, etc. Você também pode urinar demais e sentir muita sede ou urinar demais e não sentir sede alguma.

Neste artigo vamos tentar explicar quais são as principais doenças ou problemas que devem ser pensados quando o paciente refere urinar excessivamente.

Urina em excesso

Como já referido na introdução do texto, nem todo paciente que se queixa de urina excessiva tem exatamente os mesmos sintomas. Antes de entrarmos em detalhes sobre as causas de urina em excesso, é importante diferenciar alguns conceitos.

Poliúria: É o nome dado ao excesso de produção de urina ao longo de 24 horas. Dizemos que há poliúria quando o volume de urina é maior que 3 litros por dia.

A poliúria pode ser apropriada quando o paciente ingere muito líquido e precisa eliminá-lo. Neste caso, faz todo o sentido urinar muito, já que o paciente bebe muitos líquidos. O excesso de urina é apenas uma resposta fisiológica natural.

A poliúria é chamada inapropriada quando o paciente urina demais mesmo sem haver uma grande ingestão de líquidos ao longo do dia. Neste caso, a perda excessiva de urina não é uma resposta natural e leva o paciente à desidratação.

O rim é o órgão responsável pelo controle da água corporal. O corpo está sempre em equilíbrio. Se bebermos líquido demais, o excesso sai na urina. Se estamos em um dia quente e perdemos muita água pelo suor, o rim diminui a produção de urina de forma a impedir perdas excessivas de água.

Quando começamos a urinar demais sem que estejamos consumindo muitos líquidos, é sinal que há algo de errado.

Polaciúria (polaquiúria): É a micção frequente, mas com o volume total de urina ao longo do dia dentro da faixa da normalidade. Trata-se daquela pessoa que vai ao banheiro várias vezes, mas urina sempre pequenas quantidades.

Nictúria: É o excesso de urina que ocorre durante a noite e faz com que o doente acorde várias vezes para urinar. O excesso de urina só ocorre de noite, enquanto o paciente dorme.

Poliúria

A principal causa de poliúria é o consumo excessivo de água. Se você bebe 3 litros de água por dia, irá urinar algo em torno de 3 litros de por dia (um pouco menos em dias quentes).

Às vezes, o consumo excessivo de água não é intencional, sendo este um sinal de doença psiquiátrica. O consumo patológico de água é chamado de polidipsia psicogênica. Algumas pessoas bebem tanta água, que chegam e a urinar mais de 10 litros por dia.

Diabetes mellitus

A principal causa de poliúria inapropriada é o diabetes mellitus (leia: O QUE É DIABETES?). O diabetes é uma doença caracterizada por níveis elevados de glicose (açúcar) no sangue. Toda vez que a taxa de glicose sanguínea ultrapassa 200 mg/dl, parte da glicose em excesso no sangue sai na urina, um sinal que chamamos de glicosúria.

Como nós não podemos urinar açúcar, essa glicose toda tem que ser diluída para ser eliminada. Quanto maior é a concentração de glicose que chega aos rins, mais água é necessária para sua diluição. O resultado final é que, para podermos eliminar esse excesso de glicose, acabamos por ter que eliminar muita água junto. Por isso, o diabético urina muito. E como ele urina muito inapropriadamente, desidrata e sente muita sede. Portanto, poliúria associada a excesso de sede é um sinal típico de diabetes mellitus.

Diabetes insipidus

Mas o diabetes mellitus não é a única causa de poliúria inapropriada. Existem algumas doenças dos túbulos renais que podem levar à perda excessiva de água na urina. A mais comum é uma outra forma de diabetes, chamada diabetes insipidus.

Apesar do nome ser parecido, as duas doenças são completamente distintas. A única semelhança é a produção excessiva e inapropriada de urina. O termo diabetes tem origem grega e significa, em uma tradução grosseira, “perda de água”. O termo mellitus tem a ver com mel, adocicado, enquanto que insipidus, significa falta de gosto.

O diabetes insipidus é causado por um problema no hormônio antidiurético (ADH), uma substância produzida no cérebro, que é responsável por controlar a quantidade de água que o rim vai eliminar ou reabsorver. Quando o ADH está em excesso no sangue, urinamos pouco; quando o ADH está em falta, urinamos muito. O Diabetes Insipidus ocorre quando o cérebro produz pouco ADH ou quando o rim fica doente e perde a capacidade de responder ao ADH presente no sangue. Para entender melhor o diabetes insipidus, leia: DIABETES INSIPIDUS | Causas e sintomas.

Consumo excessivo de álcool

Todo mundo que consome bebidas alcoólicas já notou que depois do 2 ou 3º copo de cerveja ou vinho começamos a ter vontade urinar a toda hora. O excesso de urina não ocorre só pelo consumo da bebida, mas sim porque o álcool age no sistema nervoso central inibindo a produção do hormônio ADH. Por isso urinamos muito sempre que ingerimos bebidas alcoólicas (leia: RESSACA E POR QUE FICAMOS BÊBADOS? para mais detalhes). É uma ilusão achar que bebidas alcoólicas servem para hidratar em dia de forte calor. O efeito é exatamente o oposto. Como o álcool é uma causa transitória de diabetes insipidus, o resultado final é uma desidratação pelo excesso de urina eliminado.

Diuréticos

Outra origem comum para um excesso de urina é o uso de diuréticos (leia PARA QUE SERVEM OS DIURÉTICOS?). Em geral, a causa é óbvia, basta perguntar ao paciente que remédios ele toma para saber se há algum diurético envolvido.

Todavia,  nem sempre o paciente consome substâncias diuréticas de forma consciente. Algumas fórmulas mágicas para emagrecer ou remédios ditos naturais apresentam substâncias diuréticas escondidas em suas fórmulações. O paciente começa a tomar o medicamento, perde peso e acha que emagreceu. Na verdade, ele apenas perdeu água por causa do diurético escondido na fórmula.

Cafeína

A cafeína é uma substância com efeito diurético.  Se for consumida em excesso pode levar ao aumento do volume urinário diário. A cafeína não está presente só no café, mas também em chás, refrigerantes e energéticos.

Insuficiência renal crônica

A insuficiência renal crônica em fases avançadas pode levar a um aumento da produção de urina pela perda da capacidade do rim em reter água. Ao contrário do que se imagina, às vezes, o primeiro sinal perceptível de doença nos rins não é uma redução na produção urina, mas sim o oposto (leia: INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA).

Polaciúria

A polaciúria, como já explicado, é a vontade frequente de urinar, mas sempre em pequenas quantidades. Enquanto a polaciúria é um sintoma relacionado aos frequentemente aos rins, que produzem urina em excesso, a polaciúria é geralmente causada por problemas no trato urinário inferior, isto é, próstata, bexiga ou uretra.

Infecção urinária

A polaciúria é um sintoma clássico da cistite, nome que damos à infecção da bexiga (leia:INFECÇÃO URINÁRIA – CISTITE ). A bexiga quando está inflamada não consegue reter grandes quantidades de líquido, por isso, pequenos volumes de urina já provocam vontade de ir ao banheiro.

O paciente urina várias vezes por dias, sempre em pequenas quantidades. É muito comum o paciente esvaziar toda a bexiga, mas ainda permanecer com vontade de urinar.

A polaciúria causada pela infecção urinária frequentemente vem acompanhada de disúria, que é a dor ou ardência na hora de urinar.

Doenças da próstata

A polaciúria também pode ser causada por doenças da próstata. A próstata aumentada atrapalha a saída da urina, dificultando o esvaziamento completo da bexiga. Como a bexiga está sempre com algum volume residual, ela se enche mais rapidamente e a vontade de urinar ocorre com mais frequência (leia: SINTOMAS DA PRÓSTATA).

Gravidez

A gravidez é uma causa comum tanto de polaciúria quanto de poliúria (leia: SINTOMAS DE GRAVIDEZ).

Nictúria

Indivíduos com nictúria são aqueles que se levantam pelo menos 2 vezes por noite para urinar.  Todas as doenças e alterações que provocam polaciúria ou poliúria podem também causar nictúria.

Nos homens mais velhos, a nictúria é um sinal típico de doença da próstata.

Porém, muitas vezes a causa da nictúria é mais simples. Muitas vezes basta reduzir o consumo de líquidos a partir do fim da tarde para que a nictúria não seja tão intensa. Se o paciente toma diuréticos, o ideal é que a horário da última dose seja antes das 18 horas.

Doentes com insuficiência cardíaca, cirrose ou qualquer outra doença que cause edema (inchaço) nas pernas, pode apresentar nictúria. Ao deitar, a tendência é que o edema seja reabsorvido para o sangue e esse excesso de água é então eliminado pelos rins.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.