COMO ENGRAVIDAR MAIS RÁPIDO

Conheça algumas dicas que podem ajudar a aumentar a sua fertilidade.

145

Casais que querem engravidar geralmente não estão dispostos a esperar vários meses para conseguirem atingir este objetivo. A maioria das mulheres consegue esperar por até dois ou três ciclos menstruais sem se estressar muito com a sua fertilidade. Porém, conforme o tempo passa, e o casal não consegue engravidar, inseguranças começam a surgir.

– “Será que há algo de errado no meu sistema reprodutor?”
– “Será que eu não conseguirei engravidar?”
– “Será que eu vou precisar de tratamento médico para engravidar?”

Cada descida da menstruação passa a ser uma decepção e o sonho de ter filhos pode acabar se tornando um fator de estresse na vida do casal. O problema é que a ansiedade pela gravidez por si só pode ser um fator de perpetuação da infertilidade.

Há quem apele para produtos ditos naturais ou simpatias, há que passe a ter relações sexuais todos os dias, há quem tente novas posições e há aqueles que procuram ajuda profissional para conseguir engravidar.

Neste artigo nós vamos explicar como otimizar a fertilidade natural do homem e da mulher, aumentando, assim, as chances de uma gravidez mais rápida.

Os tópicos que serão abordados neste texto são os seguintes:

  • O que é fertilidade e infertilidade.
  • Como estimar o dia da ovulação.
  • Como engravidar rápido.
  • Período ideal para ter relações sexuais.
  • Frequência ideal de relações sexuais para engravidar.
  • Alterações de hábito de vida que aumentam a chance de engravidar.
  • Interferência do álcool e do cigarro na fertilidade.

Diferenças entre fertilidade, infertilidade e esterilidade

Para facilitar a compreensão do texto, vale a pena reforçarmos alguns conceitos para que não haja confusão na hora que formos explicar como engravidar mais rápido.

Fertilidade é capacidade natural do indivíduo ou do casal de produzir uma gravidez através de relações sexuais. Um homem fértil é aquele que consegue engravidar uma mulher através de uma ou mais relações sexuais. Do mesmo modo, uma mulher fértil é aquela que consegue engravidar após uma ou mais relações sexuais.

Para um casal ser considerado fértil, tanto o homem quanto a mulher têm que ser férteis. Se um dos dois for infértil, o casal obrigatoriamente será infértil. Geralmente, um casal fértil é aquele que, mantendo relações sexuais frequentes, consegue engravidar dentro do período de 12 meses.

Infertilidade é a redução da capacidade fértil, provocando uma maior dificuldade em produzir uma gravidez. A infertilidade é geralmente um estado transitório, que pode ser revertido com ou sem tratamento médico. Por exemplo, uma mulher que para de tomar anticoncepcionais após anos de uso pode demorar alguns meses até ficar novamente fértil. Existem diversas causas para infertilidade, tanto no homem quanto na mulher, muitas delas reversíveis.

Um casal é dito infértil quando não consegue produzir uma gravidez após um ano de relações sexuais frequentes (obviamente sem uso de nenhum fator contraceptivo, como camisinha ou pílula, por exemplo). O fato do casal ser considerado infértil não significa que uma gravidez não possa surgir sem tratamento médico. Este casal pode engravidar naturalmente após 2 ou 3 anos. Portanto, o que classifica um casal como infértil não é a incapacidade de ter filhos, mas sim uma maior dificuldade em tê-los. Alguns médicos preferem chamar a infertilidade de fertilidade.

Já a esterilidade é a incapacidade permanente e irreversível de gerar uma gravidez. Uma pessoa estéril é aquela que não consegue se reproduzir, mesmo que tenha relações sexuais desprotegidas por anos, com um ou mais parceiros(as). Exemplos: uma mulher que nasce sem o útero é estéril. Um homem que faz vasectomia, fica estéril (leia: VASECTOMIA | Cirurgia e reversão). Homens que retiram os testículos ou mulheres que retiram os ovários cirurgicamente, ficam estéreis.

A imensa maioria das pessoas que tem dificuldade para engravidar são inférteis. Apenas uma pequena parcela é estéril.

Como saber o dia da ovulação?

Para engravidar é preciso que um espermatozoide encontre um óvulo. Para que isso ocorra, é necessário haver relações sexuais próximo ao momento em que a mulher está ovulando.

Sem a realização de exames médicos, como a ultrassonografia dos ovários, é impossível descobrir o dia exato da ovulação. Entretanto, existem maneiras de se tentar estimar este dia. Sabemos que a ovulação ocorre 14 dias antes da próxima menstruação. Isto significa que se o primeiro dia da nova menstruação foi em 28 de Maio, a ovulação ocorreu no dia 14 de Maio. Portanto, se a mulher tiver ciclos muito regulares, ela consegue estimar quando virá a próxima menstruação. Para saber o dia da ovulação basta subtrair 14 dias. Nas mulheres com ciclos irregulares, que num mês menstrua com 35 dias no outro com 28, é impossível estimar o dia da ovulação.

Para saber mais sobre o período fértil e os sinais de ovulação, sugerimos a leitura do artigo: PERÍODO FÉRTIL.

Para aprender a calcular o período fértil, leia: COMO CALCULAR O PERÍODO FÉRTIL

Qual o melhor dia para ter relações sexuais para engravidar?

O óvulo só fica viável por 12 a 24 horas. Se após a ovulação nenhum espermatozoide chegar ao óvulo em 24 horas, este se degenera e é absorvido pelo organismo.

Se por uma lado o óvulo tem vida muito curta, por outro o espermatozoide saudável pode permanecer viável para fecundação por até 5 a 7 dias. Isto significa que uma relação sexual ocorrida até uma semana antes da ovulação pode gerar uma gravidez. Estudos mostram que o período de maior chance para engravidar ocorre quando a relação sexual se dá dentro do intervalo de 48 horas antes da ovulação. Este é período em que o espermatozoide encontra-se mais saudável e ativo. Espermatozoides mais antigos, que já estão 4 ou 5 dias no trato reprodutor feminino, já não se locomovem como deveriam tendo mais dificuldades de atravessar as trompas para chegar ao óvulo.

Qual a frequência de relações sexuais mais indicada?

A qualidade do sêmen do homem é afetada pelo tempo de abstinência. A maioria dos estudos indica que o sêmen ideal, medido em termos de motilidade, morfologia e contagem total de espermatozoides, ocorre com um intervalo de dois ou três dias de abstinência ejaculatória. Ou seja, se o homem ejaculou hoje, o seu esperma estará novamente ideal daqui a 2 ou 3 dias. Após cinco dias sem ejacular a qualidade do sêmen começa a cair. Portanto, as maiores taxas de gravidez ocorrem em casais que têm relações sexuais com intervalos de um ou dois dias.

Como aumentar as chances de engravidar?

Baseado no que foi explicado até agora, podemos concluir que a maior chance de engravidar ocorre se a relação sexual for realizada dentro de 48 horas antes da ovulação, estando o homem não mais do que 3 dias sem ter ejaculado.

Como nem sempre é fácil prever o dia da próxima ovulação, o mais aconselhável é que, assim que a menstruação for embora, o casal comece a ter 3 relações sexuais por semana, nunca com mais de 3 dias de intervalo entre elas. Se após 6 meses mantendo este esquema o casal não tiver conseguido estabelecer uma gravidez, a ajuda de um médico especializado em fertilidade pode ser necessária.

Fatores que influenciam na chance de engravidar

Não há comprovação que a posição em que se pratica o sexo tenha influência na taxa de fecundação. Ficar com as pernas para o alto ou qualquer outro tipo de posição ao final da relação sexual também não têm influência nenhuma. Nada indica que ocorra diminuição das chances de fecundação se a mulher retomar suas atividades diárias logo após o fim do coito. Do mesmo modo, o ato da mulher ter tido ou não orgasmo não parece mudar a taxa de fertilidade.

O uso de alguns lubrificantes vaginais como KY e Astroglide inibem a motilidade dos espermatozoides e podem reduzir as chances de fecundação. Para casais com dificuldade em engravidar, sugere-se evitá-los.

A saliva inibe a motilidade dos espermatozoides, por isso, em tese, o sexo oral antes da penetração pode  diminuir a chance de haver fecundação. Este dado é apenas teórico, pois não há estudos que comprovem que a presença de saliva na vagina realmente diminua a chance de engravidar.

A idade da mulher tem grande peso na fertilidade. As mulheres são mais férteis entre os 19 e 26 anos, época em que a chance de engravidar tendo relações sexuais no dia fértil é de 50%. Nas mulheres entre 27 e 34 anos a taxa de fertilidade é de 40%. Entre 35 e 40 anos a chance é de apenas 30% em cada ciclo e acima dos 40 anos a chance é menor que 20%. A idade do homem tem uma influência muito menor.

A prática de exercícios físicos ajudam a melhorar a fertilidade, porém mulheres que fazem atividades intensas, como mais de 7 horas semanais de atividade aeróbica, apresentam uma maior taxa de infertilidade. Nos homens, a prática de atividades físcias não parece ter influência, exceto quando feito com bicicleta. Homens que ficam mais de 5 horas por semana sentados na bicicleta costumam apresentar uma qualidade pior do sêmen.

Trabalhos recentes demostraram que o uso frequente de laptops no colo diminui a qualidade do sêmen do homem, podendo causar infertilidade. Este efeito parece não ser exclusivamente do calor, mas também das ondas de radiofrequência que a máquina emite. Há suspeitas de que celulares possam ter o mesmo efeito.

Ainda falando dos homens, cuecas apertadas também pioram a qualidade dos espermatozoides. Deve-se dar preferências às cuecas largas, do tipo boxers.

O estresse é um fator importante. Nos casais mais velhos que têm pressa para ter o primeiro filho, a ansiedade gerada a cada vez que a menstruação desce, confirmando que não houve gravidez, provoca uma efeito de bola de neve. A frustração gera mais estresse e ansiedade, que por sua vez diminui a chance de sucesso na fecundação.

Outros fatores que podem reduzir a fertilidade:

Tabagismo (leia: MALEFÍCIOS DO CIGARRO)

O fumo diminui as chances de gravidez, tanto do lado masculino, por diminuir a qualidade do sêmen, quanto do lado feminino por diminuir a motilidade das trompas e por danificar os folículos ovarianos. O cigarro acelera o envelhecimento dos ovários, podendo antecipar a menopausa em até 4 anos (leia: SINTOMAS DA MENOPAUSA).

Estes efeitos danosos na qualidade do esperma e dos óvulos melhoram após 1 ano sem o consumo de cigarro.

Filhos e filhas de mulheres que fumaram durante a gravidez, apresentam uma maior taxa de infertilidade na vida adulta por má qualidade dos espermatozoides e do ovário.

Obesidade (leia: OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA)

Mulheres com IMC maior que 27 kg/m2 apresentam ciclos anovulatórios (ciclos sem ovulação) com mais frequência. Do mesmo modo, a qualidade do sêmen masculino também encontra-se alterada em homens com excesso de peso.

Magreza em excesso também diminui a fertilidade. IMC abaixo de 17 kg/m2 reduz a chance de ovulação e piora a qualidade dos espermatozoides.

Consumo elevado de álcool (leia: EFEITOS DO ÁLCOOL E ALCOOLISMO)

Consumo ocasional de álcool não parece influenciar na fertilidade do homem, mas consumidores mais frequentes, que bebem quase que diariamente, podem ter reduções na sua capacidade fértil. Os efeitos do álcool na fertilidade são mais evidentes no sexo feminino, por isso, nos casais com dificuldade em engravidar sugere-se que a mulher evite bebidas alcoólicas.

Fertilidade na segunda gravidez

Após uma primeira gravidez a chance de se conseguir engravidar de novo é maior, principalmente nos primeiros 6 ciclos menstruais após o retorno da menstruação. São comuns as histórias de casais que precisaram de tratamento para engravidar do primeiro filho, mas conseguiram ter o segundo por métodos naturais. Este aumento da fertilidade ocorre até mesmo nas mulheres que sofreram aborto na primeira gravidez.

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES