Laqueadura tubária – Como é feita e chance de reversão

A laqueadura tubária funciona como método anticoncepcional definitivo porque é um procedimento que causa interrupção no trajeto de ambas as trompas.

O que é a laqueadura tubária

A laqueadura tubária, também chamada de ligadura de trompas, é um procedimento de esterilização que tem como objetivo impedir que a mulher consiga engravidar. Essa técnica é considerada um método contraceptivo permanente e sua taxa de sucesso é elevadíssima, ao redor de 99%.

A laqueadura funciona como método anticoncepcional definitivo porque é um procedimento que causa interrupção no trajeto de ambas as trompas, impedido, assim, que os espermatozoides cheguem ao óvulo liberado por qualquer um dos dois ovários.

A ligadura das trompas não impede a ovulação nem interfere no ciclo hormonal feminino, não causando, portanto, nenhuma alteração no ciclo menstrual. Ela é exclusivamente um método contraceptivo, sem qualquer efeito protetor contra as doenças sexualmente transmissíveis.

A laqueadura é um método de esterilização feminina. Para ler sobre a vasectomia, método de esterilização masculina, clique no link:  Vasectomia – Cirurgia e reversão.

Quem pode fazer

Por ser um método de esterilização praticamente irreversível, existem algumas regras para que o procedimento possa ser feito.

No Brasil e em Portugal, a lei exige que a mulher tenha mais de 25 anos ou pelo menos 2 filhos vivos. O procedimento só pode ser feito mediante declaração escrita e devidamente assinada, contendo a inequívoca manifestação de que a paciente deseja se submeter-se ao procedimento de esterilização e a menção de que foi devidamente informada sobre as suas consequências.

No Brasil, após uma reunião com equipe multidisciplinar, composta por psicólogos, médicos e assistente social, a paciente precisa esperar um tempo de 60 dias, que é chamado de “tempo de reflexão”. Somente após esse intervalo é que o processo pode ser iniciado no hospital escolhido.

Essa burocracia é feita porque a taxa de arrependimento é de cerca de 10% e a reversão da laqueadura é muito difícil.

No Brasil, mas não em Portugal, ainda há uma burocracia extra. Se a mulher for casada, é necessário uma autorização do cônjuge para que a esterilização possa ser realizada (na vasectomia nos homens também existe essa condição).

Como é feita a laqueadura

O sistema reprodutor feminino é composto basicamente por dois ovários, duas trompas de Falópio, um útero e uma vagina. As trompas de Falópio, também conhecidas como tubas uterinas, são uma espécie de tubo que liga os ovários ao útero.

A cada ciclo menstrual um dos ovários libera um óvulo para ser fecundado. Este óvulo é lançado em direção a uma das trompas, e lá fica à espera da chegada de um espermatozoide para uma eventual fertilização.

Existem várias técnicas para realizar a laqueadura tubária, mas todas elas consistem na interrupção do caminho pelas trompas, seja por grampos, cauterização, anéis elásticos ou remoção de parte das trompas.

Laqueadura tubária - técnicas mais comuns.
Laqueadura tubária – técnicas mais comuns.

Atualmente existem três opções para realização da laqueadura tubária: via laparoscópica, via mini-laparotomia ou via histeroscopia. Vamos resumir como cada uma delas é feita.

Laparoscopia

A laqueadura por laparoscopia é um procedimento cirúrgico realizado através de uma pequena incisão perto do umbigo e na parte inferior do abdômen, com introdução de um dispositivo chamado laparoscópio, usado para ver as trompas de Falópio. O médico pode usar anéis ou clips para fechar as trompas. Outra possibilidade é cauterizar as mesmas através de calor.

Mini-laparotomia

A mini-laparotomia é um procedimento cirúrgico feito imediatamente após o parto ou até dois dias depois. O médico faz uma pequena incisão no abdômen e, em seguida, remove uma parte das trompas de Falópio de cada lado. O procedimento não deve ser feito muitos dias após o parto para que o útero ainda esteja grande, o que facilita a cirurgia.

Laqueadura tubária histeroscópica

A laqueadura tubária histeroscópica é uma laqueadura sem cirurgia, que pode ser feita fora de ambiente hospitalar, apenas com anestesia local. Esse tipo de laqueadura é feito por via endoscópica, através da vagina.

Técnica Essure®

Neste procedimento, o aparelho endoscópico, chamado histeroscópio, entra pela vagina, atravessa o útero e chega às trompas, onde insere uma pequena mola chamada Essure.

A inserção de um objeto estranho nas trompas, como o Essure, causa uma reação do sistema imunológico, provocando inflamação e posterior crescimento de tecido cicatricial, o que provoca o fechamento das trompas.

Esse processo de fechamento demora cerca de três meses para se concretizar. Após esse período, a mulher realiza um exame chamado histerossalpingografia, que consiste em uma radiografia do sistema reprodutor feminino após a administração de contrate. Se o Essure tiver causado interrupção efetiva das trompas, o contraste não conseguirá chegar até o final das mesmas, comprovando obstrução completa da tuba uterina.

Apesar de popular, a técnica histeroscópica está sendo abandonada devido ao elevado número de complicações. Desde 2017, o procedimento já não é mais realizado na maioria dos países, incluindo Brasil e Portugal. Frequentes casos de dor pélvica crônica e sangramentos uterinos são os efeitos adversos que levaram a própria fabricante Bayer a acabar com a comercialização do Essure (a decisão foi tomada após o procedimento ter sido proibido por várias agências de saúde ao redor do mundo).

Complicações da ligadura de trompas

A laqueadura cirúrgica, realizada por laparoscopia ou por mini-laparotomia, apresenta uma taxa de complicações de 0,1%. As mais comuns incluem infecção, lesão de bexiga ou dos intestinos, hemorragia interna ou problemas relacionados à anestesia.

As três técnicas de laqueadura apresentam uma taxa de sucesso acima de 99%. Há trabalhos que mostram que após 15 anos de ligação das trompas, menos de 1% das mulheres acabaram engravidando. O grande problema é na maioria dos casos a gravidez acaba sendo sendo ectópica (gravidez tubária). Por isso, toda mulher laqueada deve procurar logo o seu ginecologista caso apresente atraso menstrual.

A laqueadura tubária não altera o ciclo menstrual nem interfere no desejo sexual da mulher.

Reversão da laqueadura tubária

O arrependimento em relação à esterilização definitiva geralmente surge nas mulheres que realizaram a laqueadura ainda jovens, antes do 25 anos. São mulheres que muitas vezes separam-se, casam-se novamente e passam a querer ter um filho com o novo marido.

A laqueadura é considerado uma esterilização definitiva. Em alguns casos a reversão até é possível, mas há riscos e o procedimento é muito mais complexo do que a ligadura das trompas. A taxa de sucesso da reversão é de apenas 20%. Por isso, se a paciente tiver qualquer dúvida ou insegurança, a laqueadura não deve ser o método contraceptivo de escolha.


Referências:


VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

121
Deixe um comentário

avatar
300
elaine da silva
Visitante
elaine da silva

oi b0a noite fiz laquiadura tubaria ha 4 anos tenho chance de engravidar

Sonia Alves
Visitante
Sonia Alves

Olá Dr. Pedro, tenho trombofilia e histórico de 6 abortos retidos, nessas últimas duas gravidez tomei a clexane de 60mg mas a gravidez não evoluiu, já tenho uma filha de 19 anos, tenho 42 anos, a uma semana fiz laqueadura creio ter feito a melhor opção.

eirivania
Visitante
eirivania

Boa tarde!!!
Fiz laqueadura com corte ha 1 ano e três meses , minha menstruação esta atrasada a vinte dias, o que será que ocorreu? será um descontrole hormonal? Ja que nunca atrasou tanto.

Tatiane
Visitante
Tatiane

Quando se faz laqueadura, sabemos que as trompas são bloqueadas afim de impedir que os espermatozoides cheguem até o ovulo. mas minha dúvida é… o ovulo chega até as trompas? Ou eles cortam essa parte também?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Chega até a parte da trompa que não foi laqueada.

Alexandra da Silva
Visitante
Alexandra da Silva

Eu tenho 34 anos foi feita uma laqueação seguida pelo parto do meu filho mas me foi dito que até 5 anos depois da laqueação podia entrar na menopausa ? Isso é verdade

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Não, a laqueadura não tem nada a ver com menopausa ou com o funcionamento dos ovários.

Viviane
Visitante
Viviane

Doutor acabei de completar 32 anos, em Janeiro de 2012 realizei a laqueadura por conta de uma gravidez tubária na trompa esquerda, doutor ah alguma possibilidade que eu venha engravidar usando o meu próprio óvulo? Obs: extrair as duas trompas.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Sim, com fertilização invitro.

Daniela
Visitante
Daniela

Eu sou laqueada tem 4 anos e meio tenho 26anos e gostaria de engravidar novamente

Renata Vasques De Lima
Visitante
Renata Vasques De Lima

Tenho 30 anos e não desejo ter filhos. Atualmente utilizo o DIU mirena e desejo fazer a laqueadura, mesmo dentro da lei encontro barreiras por parte dos médicos que menosprezam minha vontade. Por que raios esse pensamento de que toda mulher deve ser mãe? Qual a dificuldade em aceitar e respeitar que a maternidade não é uma condição intrínseca a mulher?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

A questão não é essa. Eu também não faria vasectomia num homem de 30 anos sem filhos. Você ainda tem pelo menos 10 a 12 anos de vida fértil, e muita coisa pode acontecer na sua vida. Quantas e quantas vezes a gente não vê mulheres e homens que anos depois se arrependem de terem feito cirurgias esterelizantes. Essa situação é muito mais comum do que você imagina. Estudos mostram que entre 15 a 25% das mulheres se arrependem da laqueação. E o risco de arrependimento é maior para mulheres com menos de 30 anos ou sem filhos. A laqueação é uma medida extrema, que só deve ser utilizada em situações especiais. Existem métodos contraceptivos de longa duração, como o DIU, que não precisam de cirurgia, duram de 5 a 7 anos e podem ser revertidos a qualquer momento. Porque você precisa tomar uma decisão radical e irreversível ainda tão jovem?

raquel
Visitante
raquel

Interessante. Eu não tenho habilidade nenhuma para ser mãe, nem vontade. A ideia me causa pavor. E gostaria de operar também para não ter mais necessidade de usar anticoncepcional que acredito ser muito prejudicial para a saúde.

Vaneia Rodrigues
Visitante
Vaneia Rodrigues

Dr Pedro fiz reversao o medico diz que minhas trompas ficaram curtas, pois o medico quando fez a cirurgia, laqueadura cortou o inicio das trompas,nesse é possivel engravidar.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Você pode fazer exames pra ver se as trompas estão permeáveis.

iasmin
Visitante
iasmin

Tenho 25 anos quase 26 uma filha de 4 anos casada a 5 anos meu marido mais velho não quero mais filhos poderia fazer Uma laqueadura..

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

25 anos, com apenas 1 filho, a laqueadura não é a melhor opção. Você ainda tem pelo menos 15 anos de fertilidade pela frente. Por que você não utiliza um método de longa duração, mas reversível, como o DIU por exemplo? Ele dura até 5 anos. Depois, quando você tiver uns 35 anos, você decide se quer fazer mesmo a laqueadura.

mara
Visitante
mara

oi fiz laqueadura ah 4 anos. foi cortada, quero muito engravida de novo. quais sao minhas oportunidades dotor?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Só indo ao ginecologista para saber. Tem que fazer exames e ver se a cirurgia pode ser revertida. Se não puder, a única chance de gravidez é através da inseminação in vitro.

andresia
Visitante
andresia

Casei de novo a 3 anos e pretendo ter 1 filho com meu atual esposo mas fiz laqueadura aos 21 anos como posso reverter?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Nem sempre é possível. Mas caso você não consiga a reversão, ainda existe a possibilidade de engravidar com auxílio médico, como através da fertilização in vitro.

flavia
Visitante
flavia

Vou fazer laqueadura semana que vem..porém deu um problema de bloqueio de ramos esquerdo no meu coração? Será que corro algum risco.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Geralmente, não.

Hellyka
Visitante
Hellyka

Fiz laquiadura em 2011 mais gostaria de reverter onde procurar em Portugal?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Qualquer serviço que tenha um ginecologista pode avaliar se há possibilidade de reversão.

vanusa
Visitante
vanusa

gostaria de saber qual é o procedimento para engravidar de novo.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Se a ligadura não for reversível, a única chance é através da inseminação artificial.

kedma
Visitante
kedma

tou com um mês q fiz a laqueadura, gostaria de saber se posso comer ovo?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Pode, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais