QUAL SERÁ A COR DOS OLHOS DO BEBÊ?

Introdução

A cor dos nossos olhos é produto da pigmentação da íris, estrutura que fica ao redor da pupila.

O principal pigmento da íris é a melanina, que é um pigmento complexo, presente na pele, olhos e cabelos, cuja principal função é absorver os raios ultravioleta do sol, protegendo as células dos tecidos contra os danos dessa radiação.

A cor dos olhos é determinada principalmente pela quantidade de melanina presente na íris, mas também pela forma como a luz interage com outros pigmentos e substâncias presentes nos olhos, tais como colágeno, vasos sanguíneos e lipocromo. De modo geral, pessoas com mais melanina apresentam olhos mais escuros; pessoas com menos melanina apresentam olhos mais claros.

Não existe um pigmento de cor azul nos olhos. Algumas pessoas têm olhos azuis da mesma forma que o mar e o céu são azuis: as estruturas presentes na íris absorvem os comprimentos de onda mais longos da luz e refletem os comprimentos de onda mais curtos, que são azulados.

A quantidade de melanina na íris é determinada geneticamente, sendo o castanho a cor mais comum, presente em quase 80% da população mundial. Outras cores possíveis para os olhos são cinza, verde, azul, âmbar e avelã.

Se você não se interessa pela explicação genética e só quer saber quais são as probabilidades do seu bebê nascer com olhos de cor azul, verde ou castanha, clique no seguinte link para saltar diretamente para a parte intitulada: Qual será a cor dos olhos do meu filho?

Genes que definem a cor dos olhos

Como a cor dos olhos é determinada geneticamente, até algum tempo atrás achávamos que era mais ou menos simples estimar qual seria a cor dos olhos de um bebê baseado apenas na cor dos olhos dos pais e dos avós.

Aprendemos na escola que os olhos de cor castanha são regidos por genes dominantes e os olhos de cor azul ou verde são regidos por genes recessivos. Mas o modelo de um gene único para a cor dos olhos não é o correto.

O modelo genético clássico que explica e prevê a cor dos olhos de um indivíduo é baseado em dois genes. São eles:

  • OCA2 – gene com traço dominante para olhos castanhos (B) e recessivo para olhos azuis (b).
  • EYCL1 ou gey – gene com traço dominante para olhos verdes (G) e recessivo para olhos azuis (b).

* (B) brown, (G) green e (b) blue.

Nesse modelo, o alelo (B) é sempre dominante, o alelo (G) é dominante em relação ao (b) e o alelo (b) é sempre recessivo.

Portanto, a cor dos olhos de uma pessoa varia de acordo com as possíveis combinações entre esses dois genes. A tabela abaixo mostra as variações que existem.

Genes (OCA2 e gey)Cor do olhos
BB e bbCastanho
BB e GbCastanho
BB e GGCastanho
Bb e bbCastanho
Bb e GbCastanho
Bb e GGCastanho
bb e GGVerde
bb e GbVerde
bb e bbAzul

Conclusões:

  • Se você tiver um alelo (B) no gene OCA2, seus olhos serão castanhos, não importando quais outros alelos você tenha.
  • Se você não tiver o alelo (B) no gene OCA2 e tiver um alelo (G) no gene gey, seus olhos serão esverdeados.
  • Se você só tiver o alelo (b) em ambos os genes, seus olhos serão azuis.

Esse modelo explica porque os olhos castanhos são muito mais comuns que os olhos verdes e azuis.

Pais de olhos castanhos podem ter filhos de olhos azuis?

Sim, é perfeitamente possível, e relativamente comum, pais de olhos castanhos terem filhos de olhos azuis.

Como os alelos para olhos castanhos são dominantes, é comum que alguém de olho escuro possa ser carreador dos genes para olhos claros. Se essa pessoa tiver filho com outra que também seja carreadora dos genes para olhos azuis ou verdes, há uma chance do filho receber apenas os genes recessivos e nascer de olhos azuis ou verdes.

Exemplos:

  • Pai “Bb bb” + Mãe “Bb bb”: o filho pode nascer “BB bb” (olhos castanhos), “Bb bb” (olhos castanhos carreador do gene para olhos azuis) ou “bb bb” (olhos azuis).
  • Pai “Bb bb” + Mãe “Bb GG”: o filho pode nascer “BB Gb” (olhos castanhos), “Bb Gb” (olhos castanhos carreador do gene para olhos verdes), “bb Gb” (olhos verdes) ou “bb GG” (olhos verdes).

Pais de olhos azuis podem ter filhos de olhos castanhos?

Quase todo mundo acredita que pais de olhos azuis terão obrigatoriamente filhos de olhos azuis. Isso é verdade em 99% dos casos, mas como em tudo na genética, há sempre exceções. Pouco menos de 1% dos pais com olhos azuis têm ao menos um filho com olhos castanhos.

De acordo com o modelo genético descrito acima, mãe e pai de olhos azuis sempre teriam filhos de olhos azuis. Afinal, se o pai é “bb bb” e a mãe “bb bb”, o filho só poderia ser também “bb bb”. O problema é que o modelo descrito acima não está completo. Ele funciona bem para quase todos os casos, mas não para todos.

O que ocorre é que o gene OCA2 é, na verdade, dois genes, chamados OCA2 e HERC2, que estão localizados no cromossomo 15. A razão pela qual esses dois genes podem explicar crianças de olhos castanhos com pais de olhos claros é que os dois precisam um do outro para funcionar. Se um dos genes estiver inativado ou com defeito, não haverá produção de melanina na íris.

Algumas pessoas de olhos azuis têm genes para olhos castanhos, mas pelo menos um deles está “quebrado” e não funciona como deveria. E não faz diferença ter o gene se ele não funciona. É como não tê-lo.

A ilustração abaixo ajuda a entender como uma pessoa com gene para olhos castanhos pode ter olhos azuis ou verdes.

Genética da cor dos olhos
Porque pais de olhos azuis podem ter filhos de olhos castanhos

Portanto, se o pai e a mãe forem pessoas de olhos azuis por defeito em um dos genes para olho castanho, e o filho deles receber apenas os genes sem defeito, ele pode nascer com os olhos castanhos. Essa situação é obviamente rara, motivo pelo qual isso só ocorre em menos de 1% dos casos.

Outra possibilidade é um dos pais com olhos azuis ter o gene perfeito para olhos castanhos, mas este ser inativado por algum outro gene qualquer. Nesse caso, o gene perfeito para olhos castanhos pode ser passado para o filho sem o gene que o inativa. Sendo assim, como o gene para olhos castanhos é dominante, o filho terá olhos castanhos.

Qual será a cor dos olhos do meu filho?

É impossível prever com certeza qual será a cor dos olhos do seu filho, mas a gente pode estimar as probabilidades. A tabela abaixo mostra os percentuais de acordo com a cor dos olhos dos pais.

Probabilidades da cor dos olhos
Cor dos olhos – Probabilidades

Porque existem outras cores de olhos além de azul, verde e castanho?

Porque o modelo genético explicado acima continua incompleto. Não são apenas dois ou três genes que definem a produção de melanina na íris. Esses são os principais, mas existem vários outros que exercem efeito mais fraco de forma sinérgica ou antagônica aos genes OCA2 e HERC2.

Exemplos de genes que também influenciam a cor dos olhos incluem ASIP, IRF4, SLC24A4, SLC24A5, SLC45A2, TPCN2, TYR e TYRP1. Os efeitos desses genes combinados com os do OCA2 e HERC2 é que produzem um continuum de cores, gerando olhos de cor cinza, violeta, azul, verde, mel, avelã, castanho claro ou castanho escuro.

Por que os bebês não nascem com a cor dos olhos definitiva?

Bebês de pele clara costumam nascer com olhos acinzentados ou azuis porque a produção de melanina ainda é muito pequena ao nascimento.

Somente a partir dos 3 a 6 meses de idade é que o olho do bebê já possuirá melanina suficiente para que ele tenha uma cor semelhante à cor que terá ao longo da sua vida.

Curiosidades

Olhos cinzas

Pessoas com olhos cinzas são aquelas com pouquíssima melanina na íris. Elas correspondem a cerca de 3% da população e são mais comuns no norte e leste da Europa.

Na verdade, olhos cinzentos são olhos azuis muito claros. Dependendo da cor da roupa, do ambiente e da intensidade de luz, a cor acinzentada pode ficar mais azulada ou esverdeada.

Olhos cinzentos
Olhos cinzentos

Olhos verdes

Olhos verdadeiramente verdes são raros e estão presentes em apenas 2% da população.

O que normalmente chamamos de olhos verdes são, na verdade, olhos azuis com tonalidade mais esverdeada ou olhos castanhos claros também com tonalidade esverdeada.

Olhos verdes verdadeiros surgem pela dispersão da luz através da interação entre a cor azul da baixa quantidade de melanina com a cor amarelada de um pigmento chamado lipocromo. Os olhos verdes podem ter regiões mais amareladas e outras azuladas, dependendo de como os raios de luz incidem sobre eles.

Esse tipo de olho é mais comum no norte da Europa e em pessoas ruivas.

Olhos verdadeiramente verdes
Olhos verdadeiramente verdes

Olhos vermelhos

Pessoas que sofrem de albinismo têm tão pouca melanina na íris, que fica quase transparente. Nesses indivíduos, os olhos podem ser avermelhados devido à coloração da retina e dos vasos sanguíneos que passam por trás da íris.

Cor dos olhos em albinos
Cor dos olhos em albinos

Olhos cor de mel

Olhos cor de mel ou âmbar ocorrem em 5% da população mundial. Essa coloração dos olhos também é causada pela presença do pigmento lipocromo, que é amarelado. Pessoas com pouca melanina e muito lipocromo costumam ter essa coloração.

Apesar de raro nos seres humanos, os olhos cor de mel são bastante comuns no reino animal, principalmente em cães, felinos, peixes e pássaros.

Olhos cor de mel
Olhos cor de mel

Pessoas com um olho de cada cor

Uma anomalia genética chamada heterocromia pode fazer com que cada um dos olhos apresente uma cor diferente em consequência de concentrações distintas de melanina em cada íris.

A heterocromia pode ser completa, quando cada um dos olhos é inteiramente de uma cor, ou parcial, quando um dos olhos é apenas parcialmente de outra cor.

A heterocromia é comum em algumas espécies de animais, como cães e gatos, mas é rara nos seres humanos.

heterocromia
Heterocromia

Cirurgia para mudar a cor dos olhos

Há alguns anos surgiram nas mídias sociais noticias de uma cirurgia de implante de silicone colorido na íris que seria capaz de mudar definitivamente a cor dos olhos.

Esse tipo de cirurgia não é aprovado por nenhuma associação de oftalmologia no mundo e é sabidamente insegura.

Estudos feitos com pacientes submetidos a esse tipo de cirurgia mostraram que complicações graves podem surgir, incluindo:

  • Perda da visão.
  • Glaucoma.
  • Catarata.
  • Lesão na córnea, que pode ser grave o suficiente para ser necessário um transplante de córnea.
  • Inflamação da íris ou áreas ao redor, causando dor, visão turva e lacrimejamento.

Referências


Este artigo foi escrito em co-autoria com o Dr. Renato Souza Oliveira, oftalmologista especializado em doenças da córnea, com predileção pela cirurgia de catarata e tratamento do Ceratocone.

RELACIONADOS

Regras para Comentários

Antes de comentar, clique no link a seguir para ler as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.
Perguntas fora das regras serão descartadas.

Deixe um comentário