Azitromicina

A azitromicina é um antibiótico da classe dos macrolídeos, usado frequentemente no tratamento das infecções respiratórias, doenças sexualmente transmissíveis, diarreias e outras doenças infecciosas.

Neste artigo vamos abordar as principais indicações da azitromicina, suas interações, contraindicações e efeitos colaterais. Nosso objetivo neste texto não é copiar a bula do remédio, mas sim resumir em linguagem simples as principais informações sobre esse antibiótico.

Para uma visão geral dos antibióticos mais usados na medicina, sugerimos a leitura de: ANTIBIÓTICOS – Tipos, resistência e indicações.

O que é a azitromicina

A azitromicina é um antibiótico derivado da eritromicina, um antibiótico mais antigo, que atualmente é pouco utilizado na prática médica, exceto em algumas pomadas e colírios. A claritromicina é outro antibiótico da mesma classe e apresenta muitas semelhanças com a azitromicina.

A azitromicina tornou-se um antibiótico muito popular devido à sua confortável posologia, que costuma ser de apenas 1 comprimido diário por 3 a 5 dias. Há infecções, inclusive, que podem ser tratadas com uma dose única deste antibiótico.

Para que serve a azitromicina

A azitromicina é um antibiótico efetivo contra as bactérias Haemophilus, Moraxella, Legionella, Mycoplasma, Streptococcus, Escherichia coli, Salmonella, Yersinia , Shigella, Campylobacter, Vibrio cholerae, Neisseria gonorrhoeae e Clamidia, o que a torna uma boa opção para o tratamento das seguintes infecções:

– Pneumonia (leia: PNEUMONIA – Sintomas e tratamento).
– Uretrites (gonorreia e clamídia) – (leia: GONORREIA – Sintomas e tratamento e CLAMÍDIA – Sintomas e Tratamento).
– Amigdalites (leia: DOR DE GARGANTA – FARINGITE | AMIGDALITE).
– Sinusite (leia: SINUSITE – Sintomas e tratamento).
– Coqueluche (leia: COQUELUCHE – Sintomas, tratamento e vacina).
– Diarreias infecciosas (leia: DIARREIA – Causas, sinais de gravidade e tratamento).
– Cancro mole (leia: CANCRO MOLE – Haemophilus ducreyi).
– Acne (leia: ACNE | CRAVOS | ESPINHAS – Causas e tratamento).
– Cólera (leia: CÓLERA – Sintomas, Causas e Tratamento).
– Otites (leia: OTITE MÉDIA – Dor de ouvido).
– Doença inflamatória pélvica (leia: DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA – Causas, Sintomas e Tratamento).

Nomes comerciais da azitromicina

A azitromicina pode ser encontrada sob a forma genérica ou através dos vários nomes comerciais existentes no mercado. Entre as marcas mais comuns à venda nas farmácias no Brasil e em Portugal, podemos citar:

– Astro.
– Azi.
– Azitrax Gu.
– Azitrix.
– Azitrolab.
– Clindal Az.
– Selimax Pulso.
– Zitromax.
– Zitromil.

A azitromicina pode ser encontrada em comprimidos de 500 mg ou 1000 mg. Existe também a forma em xarope.

Como tomar a azitromicina

A azitromicina pode ser tomada em jejum ou junto com a comida. O medicamento deve ser tomado apenas uma vez por dia.

Nos tratamentos com mais de um dia de duração, deve-se procurar tomar o antibiótico mais ou menos na mesma hora sempre. Se houver esquecimento, tome o comprimido assim que possível; se já estiver próximo da próxima dose, não é preciso tomar dois comprimidos.

Como qualquer medicamento, a azitromicina deve ser guardada em local seco e longe do calor. O banheiro não é um local apropriado para estocar medicamentos.

Caso haja qualquer reação alérgica, o medicamento deve ser interrompido e o médico que o prescreveu deve ser avisado.

– Posologia mais comum para sinusite: 500 mg por dia por 3 dias.
– Posologia mais comum para clamídia: 1000 mg em dose única.
– Posologia mais comum para pneumonia: 500 mg no primeiro dia, seguido por 250 mg por dia por 4 dias.
– Posologia mais comum para cancro mole: 1000 mg em dose única.
– Posologia mais comum para faringite: 500 mg no primeiro dia, seguido por 250 mg por dia por 4 dias.

obs: não é preciso correção de dose nos pacientes com insuficiência renal crônica.

Efeitos colaterais e contraindicações

A azitromicina é um medicamento muito seguro, com baixas taxas de efeitos colaterais graves. Náuseas, vômito, cólicas e diarreia são os efeitos mais comuns e ocorrem em aproximadamente 5-10% dos casos. Estes sintomas gastrointestinais são mais comuns quando se administram doses maiores ou iguais a 1 g por dia.

A azitromicina não deve ser usada em pacientes com problemas hepáticos, principalmente hepatite ou cirrose (leia: HEPATITE – Tipos, causas e sintomas e CIRROSE HEPÁTICA – Causas e Sintomas), pois é uma droga que pode ser tóxica para o fígado. A azitromicina também não deve ser usada em pacientes com Miastenia Gravis (leia: MIASTENIA GRAVIS – Causas, Sintomas e Tratamento).

Apesar de não haver comprovação de que haja risco de malformações, a azitromicina não é indicada durante a gravidez, uma vez que não há trabalhos que demostrem inequivocamente sua segurança nesta população. Também deve-se evitar este antibiótico durante o aleitamento materno.

Interações medicamentosas

As seguintes drogas apresentam interações com a azitromicina (a lista abaixo não é completa, há muitas outras drogas que podem sofrer interação):

– Amiodarona.
– Antiácidos.
– Ciclosporina.
– Tacrolimo.
– Digoxina.
– Magnésio.
– Nelfinavir.
– Fenitoína.
– Varfarina (leia: INTERAÇÕES COM A VARFARINA (MAREVAN, VARFINE …).

Azitromicina corta o efeito da pílula anticoncepcional?

Não, a azitromicina não interfere nem corta o efeito dos anticoncepcionais hormonais, sejam na forma de pílula, adesivo, injeção ou implante. A minipílula e a pílula do dia seguinte também não sofrem interferências.

Se você quiser conhecer quais são os antibióticos que podem cortar os efeitos dos anticoncepcionais, leia: Antibióticos Cortam o Efeito dos Anticoncepcionais?

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.