REMÉDIOS PARA DOR DE GARGANTA INFLAMADA

Descubra as melhores opções de tratamento para as faringites e amigdalites.

14

A dor de garganta é um sintoma extremamente comum. Sua origem é, habitualmente, uma inflamação da faringe (faringite) ou das amígdalas (amigdalite). Em mais de 50% dos casos, a dor de garganta tem origem viral ou alérgica, não havendo, portanto, um tratamento específico para melhorar a inflamação, já que os antibióticos só estão indicados nos casos de faringite ou amigdalite de origem bacteriana.

Na verdade, as dores de garganta de origem viral são autolimitadas e melhoram espontaneamente após alguns dias. Isso significa que o seu tratamento deve ser apenas sintomático, ou seja, voltado para os sintomas, e não necessariamente para a causa.

A distinção entre faringites (ou amigdalites) virais e bacterianas é muito importante, pois os remédios indicados para tratar a dor de garganta serão diferentes de acordo com a sua causa.

Neste artigo vamos abordar apenas o tratamento sintomático da dor de garganta, ou seja, excluiremos os antibióticos, que é a forma de tratamento diretamente voltada contra infecções bacterianas.

Para saber mais detalhes sobre as faringites/amigdalites, incluindo sintomas, complicações e como distinguir dores de gargante de origem viral e bacteriana, acesse o seguinte link: DOR DE GARGANTA | FARINGITE | AMIGDALITE.

Para saber sobre as faringites bacterianas, que devem ser tratadas com antibióticos, leia: Faringite Estreptocócica – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento.

Remédios para garganta inflamada

Dor de gargantaIndependentemente da origem da dor de garganta, o médico deve estar sempre aberto a tratá-la, pois mesmo nas formas benignas e autolimitadas, os sintomas costumam ser muito incômodos. O fato da faringite ter origem viral ou alérgica, e, portanto, não necessitar de antibióticos, não significa que outros medicamentos voltados para alívio dos sintomas não possam ser usados. Se o paciente expressa desejo de tratar os sintomas, há uma gama de opções para se alcançar esse objetivo.

Também nas amigdalites bacterianas, a prescrição de medicamentos sintomáticos é importante e indicada, pois os antibióticos demoram de 24 a 48 horas para fazerem efeito. O paciente não precisa ficar sofrendo esse tempo todo com a garganta irritada à espera de um resultado.

O que vem a seguir é uma revisão sobre os medicamentos sintomáticos mais utilizados para dor de garganta.

Pastilhas para dor de garganta

Existem atualmente no mercado dezenas de tipos diferentes de pastilhas para dor de garganta, que podem ser adquiridas facilmente em qualquer farmácia sem prescrição médica. As principais substâncias presentes nestas pastilhas são o mentol, ambroxol, benzidamina, lidocaína, benzocaína e alguns anti-inflamatórios.

As pastilhas têm efeito melhor que os sprays, mas não devem ser utilizadas em crianças com menos de 4 a 5 anos pelo risco de engasgo.

Selecionamos algumas das substâncias mais estudas para fazermos uma rápida revisão da sua eficácia e efeitos colaterais. Todas as pastilhas descritas abaixo são indicadas apenas para tratamento sintomático, não possuindo nenhum efeito antibacteriano relevante.

Mentol

O mentol é uma substância frequentemente presente nas pastilhas para dor de garganta, seja ela sozinha ou em combinação com outras substâncias ativas.

O mentol comprovadamente possui propriedades anestésicas, embora ele não tenha sido estudado especificamente para o tratamento sintomático da inflamação da garganta. Ele é uma opção válida e com baixíssima taxa de efeitos colaterais para quem procura alívio da ardência na garganta em casos leves a moderados.

Ambroxol

o ambroxol é um anestésico local, já relativamente bem estudado para o tratamento das dores de garganta, principalmente as de origem viral e alérgica. As pastilhas contendo ambroxol são comprovadamente efetivas no alivio da dor de garganta moderada a grave. O efeito costuma ter o seu pico após 30 minutos e chega a durar até 3 horas.

Este tratamento costuma ser bem tolerado, apesar de alguns pacientes queixarem-se de dormência da língua ou na cavidade bucal e alterações temporárias na percepção do paladar.

Lidocaína

A lidocaína é um anestésico local mais forte e com ação mais longa que o ambroxol. Seu uso em pastilhas para faringite é muito comum e a sua eficácia no controle da dor é cientificamente comprovada. Porém, assim com as pastilhas de ambroxol, a maioria dos estudos foi feita somente com pacientes que apresentavam faringite viral ou alérgica. Nas faringites bacterianas, as pastilhas de lidocaína foram poucos estudadas, mas admite-se que a sua eficácia sintomática seja semelhante.

A lidocaína está associada a uma bastante rara, mas potencialmente fatal, complicação que se chama meta-hemoglobinemia.

Benzocaína

A benzocaína também é um anestésico local, com ação semelhante à lidocaína. A benzocaína também está, raramente, associada à ocorrência de meta-hemoglobinemia.

Benzidamina

A benzidamina é uma substância anti-inflamatória e anestésica muito utilizada em pastilhas contra dor de garganta. Estudos clínicos comprovam sua eficácia no controle da dor. O efeito colateral mais comum é uma dormência temporária na boca.

Difenidramina

A difenidramina é um anti-histamínico, ou seja, um droga antialérgica. Sua principal indicação é nas faringites de origem alérgica, sendo um pouco menos efetiva que as pastilhas citadas acima para as dores de garganta de origem infecciosa.

Sprays para dor de garganta

A maioria dos medicamentos existentes em pastilhas também podem ser encontrados em spray. Em geral, a eficácia da pastilha é superior, sendo o spray a melhor opção quando há risco do paciente se engasgar com as pastilhas, como no caso de crianças pequenas.

Analgésicos e anti-inflamatórios para dor de garganta

Há uma grande variedade de analgésicos e anti-inflamatórios em comprimidos que podem ser usados para alivio das dores em casos de garganta inflamada. Analgésicos e anti-inflamatórios também têm ação antipirética, servindo não só para controlar a dor, mas também a febre, caso ela esteja presente.

É sempre importante relembrar que anti-inflamatórios não são antibióticos e, portanto, não agem diretamente sobre as bactérias em caso de amigdalite ou faringite bacteriana (leia: DIFERENÇAS ENTRE ANTIBIÓTICOS E ANTI-INFLAMATÓRIOS).

Entre os analgésicos mais usados, destacam-se o Paracetamol e a Dipirona. Entre os anti-inflamatórios, as opções são muito numerosas, incluindo Ibuprofeno, Diclofenaco, Nimesulida, Piroxicam, Celecoxibe e outros. Dentre todos os anti-inflamatórios, o mais estudado para a dor de garganta é o Ibuprofeno.

Em geral, os anti-inflamatórios são mais efetivos que os analgésicos, mas têm taxas de efeitos colaterais um pouco mais elevadas (leia: ANTI-INFLAMATÓRIOS | Ação e efeitos colaterais).

A aspirina (ácido acetilsalicílico) também é uma boa opção, mas o seu uso não está indicado para crianças ou adolescente pelo risco de uma rara complicação chamada síndrome de Reye, que provoca edema cerebral e insuficiência hepática.

Remédios caseiros para garganta inflamada

Algumas medidas simples, que podem ser instituídas em casa, ajudam a melhorar os sintomas da dor de garganta. A mais popular é o gargarejo com água morna e sal. Não há estudos que tenham comprovado a sua real eficácia, mas por se tratar de uma medida barata e sem riscos de efeitos adversos, ela é muito indicada. Diluia meia colher de sal em 300 ml de água morna e faça vários gargarejos ao longo do dia. Tenha cuidado apenas para não engolir essa água para que você não fique ingerindo quantidades desnecessárias de sal.

Se você tem dor e sensação de garganta seca, hidrate-se bem. Beba bastante água durante o dia. O mesmo vale caso você tenha febre.

Ao contrário da crença popular, a maioria das pessoas pode consumir água fria durante uma crise de dor de garganta. Algumas delas até preferem, pois o frio alivia os sintomas. Chupar gelo ou tomar sorvete também podem ajudar. É preciso lembrar, porém, que algumas pessoas referem ter dor de garganta ao tomarem líquidos gelados. Somente nessas, a ingestão de alimentos frios deve ser evitada.

Bebidas mornas são permitidas, mas se elas estiverem muito quentes, podem ser prejudicais, pois aumentam a inflamação da garganta.

Chupar balas ou mascar chicletes ajudam a aumentar a salivação, mantendo a cavidade bucal mais bem hidratada, o que em muitos casos alivia a dor de garganta. É por isso que muitos remédios para faringite vêm sob a forma de pastilhas. Escolha uma que contenha mentol ou eucalipto, pois elas têm um efeito “refrescante” que ajuda no controle da dor.

Sopas mornas ajudam, pois, além do fato do consumo de líquidos ser mais bem tolerado que  o de sólidos, a sopa tem água e sal, o que pode trazer alívio dos sintomas.

O descanso é essencial no tratamento de qualquer infecção. Se a sua garganta está inflamada, evite fazer esforços e procure dormir bastante. Também é importante evitar ambientes com fumaça ou locais muito frios e secos para não perpetuar a irritação da garganta. Fumar durante a crise costuma agravar a inflamação.

Tratamentos com pouca ou nenhuma eficácia para dor de garganta

Existem muitas substância com grande apelo popular para o tratamento da dor de garganta que, aparentemente, apresentam pouca ou nenhum eficácia. As mais conhecida é o mel. Não há nenhum trabalho científico que tenha conseguido demonstrar um real benefício do mel como tratamento de faringites ou amigdalites. Todos os estudos mostram que o efeito é semelhante ao placebo.

O própolis é outra substância muito famosa e frequentemente associada ao mel. O própolis até apresenta algum efeito anti-inflamatório, mas ele é muito pequeno. Funciona muito menos que qualquer anti-inflamatório comum ou pastilhas para dor de garganta.

A papaína, além de não melhorar a inflamação na garganta, em grandes quantidades pode agravar a dor de garganta.

A planta do marshmallow tem sido usado há séculos como tratamento para o alívio da dor de garganta. Acredita-se que o marshmallow moderno, produzido industrialmente sob a forma de doces, possa manter algumas dessas propriedades. Esse fato, porém, nunca foi devidamente estudado.

O consumo de vitamina C, ou qualquer outra vitamina, não melhora nem acelera a cura das infecções de garganta, sejam elas de origem viral ou bacteriana. Frutas são sempre uma opção saudável de alimentos, para tratar inflamações de garganta elas não têm nenhum efeito.

Não há trabalhos que provem a eficácia da homeopatia ou da fitoterapia no tratamento das amigdalites ou faringites. Estudos mostram que o tempo de doença e a incidência de complicações com esses tratamentos são iguais aos do placebo.

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES