Artigo atualizado em 23/09/2013

MASTITE DA AMAMENTAÇÃO | Sintomas e tratamento

A mastite puerperal, também chamada de mastite lactacional ou mastite da amamentação, é uma inflamação das glândulas mamárias que ocorre em mulheres em fase de aleitamento materno. Neste texto vamos explicar por que surge a mastite da amamentação, quais os seus sintomas e como é o seu tratamento.

Como surge a mastite da amamentação?

Até 10% das mulheres desenvolvem pelo menos um episódio de mastite durante o período de amamentação. Na maioria dos casos, a mastite ocorre nos três primeiros meses de aleitamento, todavia, nada impede que esta inflamação da mama possa ocorrer em fases mais tardias.

As mastites são causadas por diversos microrganismos, sendo o Staphylococcus aureus o agente mais comum, responsável por mais da metade dos casos (para saber sobre a bactéria S. aureus, leia: STAPHYLOCOCCUS AUREUS | Quais os riscos desta bactéria?).

Mastite puerperal

O principal fator de risco para a mastite puerperal é a estase láctea, ou seja, a permanência de leite represado em um dos ductos mamários por prolongado tempo. A estase do leite pode ocorrer por alguma obstrução de um dos ductos da mama ou por um incompleto esvaziamento dos seios pelo bebê durante a amamentação. Outro importante fator de risco são as fissuras do mamilo, que favorecem a invasão de bactérias da pele para dentro do tecido mamário. Portanto, a mastite da amamentação ocorre basicamente quando uma bactéria vinda da pele consegue alcançar uma região da mama em que há estase de leite.

Podemos então concluir que o melhor modo de se prevenir a mastite do puerpério é através da correta técnica de amamentação, com adequada pega do bebê, visando um eficaz esvaziamento da mama em cada mamada e evitando a ocorrência de lesões nos mamilos que servem de porta de entrada para a invasão de bactérias.

Sintomas da mastite da amamentação

A mastite puerperal apresenta como principais sinais e sintomas o endurecimento da mama (leite empedrado), vermelhidão local, dor, cansaço, calafrios e febre, geralmente acima de 38ºC. Ao toque, a área da mama acometida costuma estar endurecida, com aumento de temperatura e dolorosa. A mastite da amamentação costuma acometer apenas um dos seios, sendo rara a infecção bilateral ao mesmo tempo.

O quadro costuma começar de forma branda, primeiro com o endurecimento de uma região da mama, indicando estase do leite neste sítio. A partir daí podem surgir dor e uma pequena vermelhidão local. O esvaziamento adequado da mama neste momento é importante para evitar a progressão da inflamação. Se a estase se mantiver, pode haver infecção do local, surgindo então os sintomas de febre alta, calafrios e prostração.

Se não tratada corretamente a mastite da amamentação pode evoluir com a formação de abscessos (leia: O QUE É INFLAMAÇÃO? O QUE É UM ABSCESSO?), tornando-se um quadro grave com risco de sepse e necessidade de internação hospitalar (leia: O QUE É SEPSE E CHOQUE SÉPTICO?). Se houver sinais de inflamação da mama, procure o seu ginecologista ou o pediatra do seu filho para que o tratamento adequado possa ser iniciado precocemente.

Tratamento da mastite da amamentação

Devido ao desconforto, à prostração e à dor, e também por acreditarem que o leite da mama inflamada está contaminado e fará mal ao bebê, muitas mulheres suspendem precocemente o aleitamento materno. Este procedimento está errado! A suspensão do aleitamento favorece ainda mais o ingurgitamento da mama e a proliferação das bactérias. O esvaziamento frequente da mama é essencial para o sucesso do tratamento.

Em relação à segurança do bebê, não se preocupe. O leite materno é muito rico em anticorpos e substâncias antibacterianas. Além disso, a acidez do estômago do bebê se encarrega de destruir as bactérias e toxinas que venham a ser ingeridas. Portanto, o aleitamento materno durante a mastite puerperal não só é permitido, como é plenamente indicado.

Se o bebê estiver inquieto durante a mamada no seio acometido, pode ser por alguma demora na descida do leite devido à obstrução. Não tome isso como um sinal de que o leite está fazendo mal ao bebê. Mantenha o aleitamento e drene o restante do leite com um bomba, caso necessário, após o final da amamentação. Massagens, compressas ou banhos quentes ajudam na descida do leite.

Nos casos mais brandos apenas o esvaziamento correto da mama pode ser suficiente para o controle da mastite. Porém, quando há febre alta e prostração, o uso de antibióticos é mais indicado (leia: ANTIBIÓTICOS | Tipos, resistência e indicações).

Os antibióticos mais usados são as penicilinas ou cefalosporinas, como dicloxacilina, cefalexina (leia: INFORMAÇÕES SOBRE A CEFALEXINA) ou cefradina. O tratamento costuma ser prescrito por pelo menos 10 dias. Estas classes de antibióticos são consideradas seguras durante a amamentação, já que as quantidades eliminadas no leite são mínimas e não causam prejuízo ao bebê.

Se após 48-72h de antibióticos não houver sinais de melhora, indica-se a realização de uma ultrassonografia da mama para descartar a presença de um abscesso.

Após a resolução do quadro, é preciso rever as técnicas de aleitamento para minimizar as chances de um novo episódio de mastite.

Publicidade
  • Kamila

    Conheci seu blog atráves da galeria de blogs e adorei. Achei muito interessante!

  • Franncy_araujo

    Po adorei sua informasão me ajudou dou dez de terça feira com dor no seio direito ai fui no medico particular ela mandou tomar antibiotico e continuar a amamentar mas a dor nao parou nem o inxaco ai sexta fui no medico de novo nao era o mesmo ele mandou eu cancelar a amamentasão e hj sendo domingo isso foi sexta ke ele mandou minha filha ta sofrendo por nao poder mama e eu tbm mas com o que eu li vou procurar a pediatra dela para saber o ke e o melhor a fazer porque eu nao concigo tira o leite das mamas……….Muito obrigado pela a ajuda

  • Elicleide Sousa

    Tive mastite à 9 anos e como não sabia o que era passei 10 dias internada, foi feito ate cirurgia para drenagem, qndo penso em ter outro filho lembro de tudo q passei….meu filho não mamou depois disso pq enquanto estive internada ele acostumou se com mamadeira…aconteceu antes do primeiro mes de vida do bebe. Foi muito ruim.

  • Elicleide Sousa

    Tive mastite à 9 anos e como não sabia o que era passei 10 dias internada, foi feito ate cirurgia para drenagem, qndo penso em ter outro filho lembro de tudo q passei….meu filho não mamou depois disso pq enquanto estive internada ele acostumou se com mamadeira…aconteceu antes do primeiro mes de vida do bebe. Foi muito ruim.

  • tatiane

    minha filha esta com mastite desde uns quinze dias apos o parto hoje minha neta ja esta com quase tres meses e nada melhora ja mudou de medico e nada,da uma aliviada por uns dias depois parece que volta pior ja fez tres cirugia e nada so melhora naquele momento depois vemv pior.óquei eu faço já estou com dó da minha filha.

    • Pedro Pinheiro

      Tatiana, infelizmente não tenho como ajudá-la à distância. Há casos médicos difíceis mesmo. Nem sempre nós conseguimos resolver os problemas dos pacientes de forma rápida.

  • Deise

    Gostaria de saber se posso medicar com os antibióticos indicados sem consultar um médico?

    • http://www.mdsaude.com Pedro Pinheiro

      Claro que não. E se não for o que você pensa que é? E se não for caso de antibióticos? E se os antibióticos indicados por algum motivo forem outros? Nunca se auto medique.

  • carliane

    estou com o peito dolorido, resolvir tirar o leite com uma bomba ,quando o peito esvaziou saiu um pouco de liquido visgozo amarelo parecendo pus fiquei muito preocupada ,tive muita febre e calafrios e o seio esta latejando,so que meu leite é pouco não chega a endurecer .por favor o que devo fazer?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Vá ao seu ginecologista. Febre, calafrio e mama dolorida podem ser sinais de mastite.

  • Luana Vieira

    Já tive mastite quando meu filho estava com 2 meses é fiz a drenagem também,mas até hoje sinto uns formigamento isso é normal,e hoje em dia ele esta com 2 anos me dei uma informação por favor.

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não é normal ficar sequela.

  • Thays Barbosa

    oii… estou com mastite puerperal. Fui numa ginecologista e ela me passou antibiótico e anti-inflamatório, oral! Tbm compressa de água morna. Porém, não melhorou. Voltei no consultório dela e ela fez uma punção, e me passou Rosefin e Tilatil pra eu poder tomar todo dia, durante 5 dias , na veia! Hoje foi o ultimo dia da medicação na clinica e nada aconteceu. To com medo da drenagem cirúrgica ? como é feita ? bjs

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Em geral, é um um corte pequeno para drenar o pus, caso haja coleção no local.

  • rafaela

    obg vc mi ajudou muito

  • jonson pereira alves

    eu to com mastiti mais grave ja foi no medico ele
    passou antibioticos e mando eu retorna com sete dias.eu gostaria de saber quando tempo e a internçao?eu nao queria fica longe do meu bebe ele so tem 1mes.

    • https://plus.google.com/u/0/113288925849694682313/posts Pedro Pinheiro

      Em geral, não precisa internar. Os antibióticos por via oral costumam ser suficientes para mastite.