Artigo atualizado em 20/09/2013

INFARTO DO MIOCÁRDIO | Causas e prevenção

Você deve saber o que é um infarto, mas provavelmente não sabe por que ele ocorre. Neste texto vamos explicar como surgem as obstruções das artérias coronárias e quais são as opções de tratamento para prevenir o infarto e a angina de peito.

Vamos começar com alguns conceitos básicos.

Entendendo o que são artérias coronárias, miocárdio, isquemia e infarto

- As artérias que levam sangue para nutrir o miocárdio (músculos do coração) são chamadas de artérias coronárias. Nosso coração é vascularizado por duas artérias coronárias: artéria coronária esquerda e artéria coronária direita, que se ramificam inúmeras vezes de modo a cobrir todo o músculo cardíaco.

- Infarto significa morte (necrose) de um tecido por falta de suprimento sanguíneo. Muita gente associa imediatamente a palavra infarto ao infarto do miocárdio, mas o infarto pode ocorrer em qualquer tecido ou órgão do corpo que sofra uma interrupção de seu aporte sanguíneo, como infarto cerebral, infarto pulmonar ou infarto intestinal, por exemplo.

O infarto do miocárdio, que é a necrose de uma parte do músculo cardíaco, ocorre quando uma das artérias coronárias, ou suas ramificações, sofrem uma obstrução, fazendo com que o aporte de sangue para uma determinada região do coração torne-se insuficiente.

artérias coronárias

Antes de seguirmos em frente com o texto é preciso entender mais um conceito: a diferença entre infarto e isquemia.

- Isquemia é o é um estado pré-infarto, quando um tecido está recebendo menos sangue que o necessário, mas suficiente para ele não entrar em necrose. Quando há uma isquemia, o tecido que está sofrendo irá morrer se o fluxo de sangue não for rapidamente restabelecido.

Um tecido isquêmico é um tecido em sofrimento, sob iminente risco de necrosar, enquanto que um tecido infartado é um tecido já morto, sem chances de recuperação.

Bom, entendidos estes conceitos, vamos então explicar por que uma artéria coronária pode ficar obstruída causando isquemia ou infarto do miocárdio.

Como ocorre o infarto do miocárdio?

Todo mundo já ouviu falar que o colesterol alto é um fator de risco para o infarto do miocárdio (leia: COLESTEROL BOM | COLESTEROL RUIM | TRIGLICERÍDEOS), o que é verdade, pois o excesso de colesterol no sangue faz com que placas de gordura se depositem nos vasos sanguíneos, um processo chamado de aterosclerose.

As placas de gordura ocupam espaço dentro do vaso, fazendo que o fluxo sanguíneo fique reduzido. Esse acúmulo de gordura nos vasos é assintomático até fases bem avançadas. Os sintomas só começam a surgir quando mais de 70-80% de uma artéria encontra-se obstruída. Esta ausência de sintomas até fases tardias ocorre por dois motivos: 1- quando estamos em repouso o coração não necessita de um fluxo muito elevado de sangue; 2- quando necessário, as artérias conseguem dilatar aumentando temporariamente o fluxo sanguíneo que passa por elas.

Todavia, quando a obstrução começa a ficar muito grande, a artéria já não consegue se adaptar e a quantidade de sangue que chega ao músculo cardíaco passa a ser suficiente apenas quando o paciente está em repouso, tornado-se insuficiente quando o coração acelerar e precisa de um maior aporte de sangue. Neste momento surge a angina de peito, que é a dor causada pela isquemia do músculo cardíaco.

Tipicamente a angina é uma dor no peito que surge durante um esforço físico ou estresse emocional, momentos em que o músculo cardíaco exige um maior aporte de sangue. Portanto, a angina é o sintoma de uma isquemia que surge devido a incapacidade da artéria coronária parcialmente obstruída em fornecer este fluxo extra de sangue que o coração demanda. Outra característica da angina é a sua melhora após alguns minutos de repouso. Quando o coração desacelera, passa a demandar menos sangue e a isquemia desaparece. Para saber mais sobre os sintomas da angina e do infarto, sugerimos a leitura de INFARTO DO MIOCÁRDIO E ANGINA| Sintomas.

O infarto surge quando a obstrução da artéria coronária é completa, fazendo com que o aporte de sangue para o músculo seja nulo, ou tão baixo que o mesmo não consiga ser suficiente nem para o funcionamento mínimo do coração. Ao contrário do que vocês possam estar pensando, o infarto não ocorre, normalmente, por um crescimento progressivo das placas de gordura que vão lentamente fechando a artéria. Isto até pode ocorrer em alguns casos, mas o infarto é, na maioria das vezes, um evento súbito que ocorre após uma rápida obstrução da artéria coronária por um coágulo. Explico.

Como surge o infarto

Reparem na imagem ao lado. Normalmente as placas de gordura ficam bem aderidas à parede dos vasos, crescendo lentamente ao longo do tempo. Eventualmente, porém, essas placas podem sofrer uma lesão pela passagem constante do sangue, fazendo com que surja uma pequena rachadura. Este é o momento crítico do infarto; o organismo interpreta essa rachadura na placa de colesterol como se fosse uma rachadura na parede do vaso. O resultado desta má interpretação é a ativação dos fatores de coagulação que se dirigem para o local da lesão com o objetivo de formar um coágulo e impedir que a suposta lesão na parede do vaso rompa e cause um sangramento. Passamos, então, a ter uma artéria coronária, que previamente já tinha cerca de 70% da sua luz obstruída pela placa de gordura, com a presença de um coagulo, o que acaba por obstruir rapidamente os 30% de espaço que ainda permitiam a passagem do sangue.

A gravidade do infarto depende da artéria que encontra-se obstruída e, principalmente, da extensão da área de músculo cardíaco necrosado. O infarto fulminante é aquele que acomete uma porção tão grande do coração, que o mesmo torna-se insuficiente para bombear o sangue para o resto do corpo. Outra possibilidade é um infarto que cause instabilidade da atividade elétrica cardíaca, causando arritmias cardíacas graves (leia: INFARTO FULMINANTE | Causas e sintomas).

Prevenção do infarto

Sabendo-se que o infarto é causado pelo acúmulo de gordura nas artérias e pela formação de um coagulo em cima desta placa, podemos lançar mão de algumas ações na tentativa de prevenir a doença isquêmica cardíaca.

Vamos falar um pouco de como se pode tentar reduzir a aterosclerose e o risco de lesão nas placas de gordura dos vasos.

- Parar de fumar (leia: MALEFÍCIOS DO CIGARRO | Tratamento do tabagismo): fumantes apresentam uma aterosclerose até 50% maior que não fumantes, fazendo com que o colesterol não só adira mais facilmente às paredes das artérias, como também cresça mais rapidamente. O cigarro também causa uma inflamação dos vasos, facilitando a rotura das placas e a formação de coágulos. Por último, a nicotina tem um efeito vasoconstrictor, impedindo que as artérias se dilatem quando necessário para aumentar o fluxo de sangue.

- Controlar a pressão arterial (leia:  HIPERTENSÃO ARTERIAL (PRESSÃO ALTA) | Sintomas e tratamento): o ideal é procurar manter a pressão arterial abaixo de 130/80 mmHg com emagrecimento, controle do sal na dieta e uso de medicamentos se necessário

- Controlar o colesterol (leia: COLESTEROL BOM | COLESTEROL RUIM | TRIGLICERÍDEOS): níveis de HDL (colesterol bom) baixo e/ou LDL (colesterol ruim) elevados estão associados a um maior risco de doença coronariana. Dieta e controle do peso ajudam, mas muitas vezes é necessário recorrer a medicamentos para se conseguir reduzir satisfatoriamente o colesterol. As estatinas, principal grupo de drogas para o controle da dislipidemia, também parece aumentar a estabilidade da placa gordurosa, reduzindo o risco de lesões da mesma.

- Dieta controlada: indica-se uma dieta pobre em gorduras saturadas e rica em fibras, vegetais e frutas. Dê preferência à carne de peixe (leia: DIETA PARA BAIXAR O COLESTEROL).

- Atividade física regular: 30 minutos de caminhada diariamente são suficientes para reduzir o risco de doença coronariana.

- Controle do diabetes (leia: DIABETES MELLITUS | DIAGNÓSTICO E SINTOMAS): o diabetes é um dos principais fatores de risco para doença cardiovascular. Um bom controle dos níveis de glicose no sangue está associado a uma grande redução na taxa de mortalidade.

- Evitar a obesidade (leia: OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA | Definições e consequências): Pessoas obesas (IMC maior que 30 kg/m2) têm duas vezes mais chances de desenvolver doenças cardiovasculares que a população sem excesso de peso. A obesidade também aumenta o risco de hipertensão, dislipidemia (colesterol alto) e diabetes, fatores de risco para doença coronária, como expostos acima.

Aspirina para prevenir infarto (leia: ASPIRINA | AAS | Indicações e efeitos colaterais)

A aspirina (ácido acetilsalicílico) é uma droga que em doses baixas é capaz de inibir a ação das plaquetas, as células do sangue que iniciam o processo de coagulação. Deste modo, diminui-se a formação de coágulos quando um placa gordura sofre lesão. A aspirina reduz o risco de infarto em pacientes que possuem alguns fatores de riscos. Toda vez que o cardiologista, através da avaliação clínica, encontrar dados que sugiram que o paciente apresenta um risco maior do que 10% de chance de infarto nos próximos 10 anos, a prescrição da aspirina está indicada. A dose sugerida é entre 75 e 325 mg/dia.

Publicidade
  • Anonymous

    Excelente texto doutor. Bem escrito e de fácil entendimento sem palavras difíceis e termos técnicos.
    Carlos – RJ

  • Fred

    Dr, o uso de corticoides pode aumentar o risco de infarto?

  • http://www.blogger.com/profile/07948507723271517173 Dr. Pedro Pinheiro

    @Fred
    Sim, se usado por tempo prolongado é um fator de risco.

  • Irina Cavalcante

    Muito bom o site, estou encantada. Parabéns.

  • Li

    Sempre passo por este site, acho-o excelente, assim que tiver um tempo, você poderia falar sobre a DAOP (Doença Arterial Obstrutiva Periférica). Obrigada.

  • Anonymous

    MUITO CLARO E DE FÁCIL ENTENDIMENTO!!
    PARABÉNS..

  • http://www.blogger.com/profile/06924522485416181185 VALÉRIA

    ótimo comentário,pois sofri um enfarto do miocádio..e fiquei muito satisfeita pelos os esclarecimentos!!

  • Djkillvy

    muito bom

  • Djkillvy

    muito bom

  • Alessandra_17costa

    graças a este site eu consegui fazer  o meu trabalho de ciÊncias e tanbem aprender um pouco de cada
    coisa que se relata nesse texto!
    Alessandra-Campinas

  • Rosa

    Olá, parabens pelo blog, acordei no meio da noite com uma pressão muito forte no peito e um pouco de falta de ar, aos poucos foi desaparecendo, pode ser inicio de infarto??
    Obrigada

  • rosemeire da silva aguirre

    gostei muito tirei as duvidas muito bom mesmo achei que tinha colaborado para a morte do meu pai um infarto nao da da noite para o dia cg ms

  • Alvaro Lemos

    Bom dia, Sou Alvaro, e sou cardíaco há 14 anos; tenho miocardiopatia dilatada leve. Só que de um mês pra cá tenho sentido alguns batimentos diferentes, ex: Estou em estado de repouso e sinto um movimento ou batimento diferente que chega até a base do pescoço. O que pode ser? Será que a medicação que tomo Cardilol 25mg não tá mais fazendo efeito? Alguem pode me dar uma dica antes que eu vá ao cardilogista?

  • Alessandra_17costa

    graças a este site eu consegui fazer  o meu trabalho de ciÊncias e tanbem aprender um pouco de cada
    coisa que se relata nesse texto!
    Alessandra-Campinas

  • Cremilda Convidado

    Por favor me orienta, estou sentindo dores forte no braço direito, o que pode ser?meu Email e, cbs1956_2@hotmail.com

  • Elias Novais

    fiz uma angioplastia há dois meses o que posso e não posso realmente fazer? tipo força….peso….subir morro…

  • Ferlubripar

    to com uma dor no braço direito … q esta me encomodando! o que sera isso???

  • reinaldo

    muito bom ,o problema e que nem sempre se tem a resposta de uma pergunta feita ao medico .e claro por email.tem que ir ao medico meu jovem afinal, de que eles vão viver?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Tem que ir ao médico porque é impossível e irresponsável clinicar à distância. É o mesmo que tirar uma foto de uma ponte e mandar para um engenheiro atestar que a estrutura está segura.

  • Luciana-thomazolli

    esse site é muito bom!!! parabéns
    me esclareceu muitas dúvidas

  • Loucianacruz

    Dr. Minha mãe tem 65 anos, e toda vez que ela vai dormir aparece um chiado estranho no peito, não é um chiado comum parece estralos, tem muita insônia, reclama de dores na parte de trás do pescoço, ultimamente tem tido enjoo, há pouco tempo foi diagnosticado fibromialgia, as vezes ocorre um pico de pressão

  • Baiakatia

    Dr. Pedro, muito obrigada você me ajudou bastante. sou acdêmica de farmácia, e também sou cardíaca, sou portadora de marca passo há 8 anos, tenho doença do nó sinusal e não faço uso de nenhum medicamento por que ainda não teve necessidade, também gosto de saber sobre doenças cardíacas

  • EDSONMFERRAZ

    DR.PEDRO ,OBRIGADO PELO ARTIGO,ESTOU CURSANDO PÓS EM EMERGÊNCIA,PRE´E INTRA HOSPITALAR, SOU ENFERMEIRO .

  • Marcos

    Boa tarde, doutor, tenho 35 anos e tenho cardiomeopatia hipertrofica, percebo que no decorrer da vida , nunca consegui ter erreçoes duradourar e potentes, gostaria de saber se posso tomar cialis ou viagra, ja que tenho esse problema. por favor preciso dessa ajuda, obrigado!

  • http://profile.yahoo.com/FGQGQT7AMN4LBGULNOHU46FJQY Marcio

    Dr. Pedro,

    senti fortes dores do lado direito do peito e fui ao pronto socorro.

    Meus índices foram, respectivamente:

    CKNAC 130/u/l
    CKMB 34,5 u/l
    Troponina Negativo

    O médico disse que estes valores caracterizam lesão muscular e que pode ter sido devido a exercícios que eu vinha fazendo maiores do que a intensidade adequável para mim.

    Devo ficar preocupado com estes valores ou não?

  • Monica Rocha

    Dr. Pedro,
    Tenho 38 anos, não fumo e nem bebo, mas tenho histórico de doença cardiaca na familia (vô e pai), tenho sentido uma especie de ardor no lado esquerdo do peito e dores também, não chega a ter irradiação para o braço, mas tenho dores nas costas, enjoos e até sintomas de vomito, mas nunca chegou a acontecer de fato. Tenho um encomôdo frequente até para dormir tenho a impressão que meu coração é ou está muito grande para o lugar onde ele ocupa. Tenho percebido uma certa indisposição parecido com preguiça, na verdade não fui ao médico ainda porque não sei explicar exatamente o que sinto, pois é como se meu coração quando bate encostasse nas costelas, pois um tempo atrás eu nem lembrava que ele existia, agora até dormindo ele me encomoda. Pode me dar um pré-diagnostico para poder me expressar melhor quando for a uma consulta.

    Grata,
    Monica Rocha

  • Isaias Ornelas

    Bom dia doutor, parabéns pelo excelente site, de fato ele consegue tornar mais acessível a linguagem médica para leigos como eu. Agora eu queria tirar uma dúvida: vasoespasmo coronário, que é uma causador de infarto cardíaco, pode ser causado por estresse ou cafeína?

    • https://plus.google.com/+PedroPinheiro/ Dr. Pedro Pinheiro – MD.Saúde

      Não costuma ser.