POR QUE LAVAR AS MÃOS AJUDA A EVITAR DOENÇAS?

4

Lavar as mãos
Lavar as mãos é uma das medidas mais importantes para impedir a propagação de doenças. A higienização adequada das mãos pode impedir que você fique doente e também é capaz de interromper a transmissão de infecções virais, bacterianas e parasitárias para outras pessoas.

Grande parte das infecções comuns, tais como resfriados, gripes, intoxicação alimentar, hepatite A, parasitoses intestinais e muitas outras, são transmitidos habitualmente por mãos contaminadas. Mesmo as infecções respiratórias, que podem ser transmitidas através da tosse ou do espirro, são, na verdade, transmitidas com mais frequência pelas mãos do que pelo ar.

Não é exagero, portanto, dizer que o simples hábito de lavar as mãos com frequência pode salvar vidas, não só a sua, como também as das pessoas que você têm contato. Isso é especialmente importante se você tiver contato próximo com bebês, idosos ou pessoas debilitadas.

Publicidade - Publicidad

Neste artigo vamos explicar por que a mão é uma via tão importante para transmissão de doenças. Vamos ensinar também em que momentos a higienização das mãos é importante e quais são as formas corretas de lavar as mãos.

Por que a mão pode transmitir tantas doenças?

Pense bem: quando você tosse ou espirra, qual é a parte do corpo que você usa para proteger a boca? Quando o seu nariz está escorrendo, qual é a parte do corpo que você mais usa para limpá-lo. Quando você termina de evacuar qual é a parte do corpo que você usa para se limpar? E para dar descarga? Quando você desce uma escada em um local público, o que você usa para se apoiar no corrimão? E para abrir portas ou segurar em dinheiro? Quando o metrô ou ônibus estão lotados e você fica em pé, que parte do corpo você usa para se apoiar e não cair? E para trocar as fraldas do seu bebê?

Agora reflita: que parte do corpo você usa para preparar a comida? Que parte do corpo você usa para comer? E para coçar os olhos ou o nariz. E para escovar os dentes ou usar o fio dental?  Quantas vezes por dia você passa a mãos nos lábios?

Mesmo que você em alguns desses casos utilize panos ou papel para auxiliá-lo, a verdade que são sempre as mãos que estão diretamente envolvidas em todas essas atividades.

Existem neste exato momento trilhões de micróbios nas suas mãos. Obviamente, a maior parte deles é inofensiva e faz parte da flora microbiana natural da sua pele. Porém, nem todos os micróbios no qual as nossas mãos entram em contato ao longo do dia são inofensivos.

Só para ilustrar a enormidade de microrganismos que uma mão pode carrear, repare na imagem na baixo de 2 placas de Petri, que são recipientes utilizados para cultivar micróbios em laboratório. À esquerda, vemos o resultado após uma pessoa tossir diretamente contra a placa. À direta, é o resultado após uma criança de 8 anos encostar a mão contra a placa. Cada bolinha é uma colônia de micróbios que cresceu ao longo dos dias. Cada colônia dessas possui milhões de micróbios. Quanto maior o diâmetro da colônia, maior é o número de microrganismos.
Lavar as mãos

Como as mãos transmitem doenças

Existe incontáveis maneiras de uma infecção ser transmitida de uma pessoa para a outra através das mãos. Vírus, fungos, bactérias e parasitos são todos germes passíveis de serem transmitidos por um simples aperto de mão.

Vamos descrever três simples situações cotidianas para mostrar como esse tipo de contaminação é comum.

Publicidade - Publicidad

1- Uma pessoa na sua escola ou trabalho está gripada. Ela usa as mãos para proteger a boca ao espirrar e para limpar as secreções do nariz. Sem lavar as mãos, ela toca no mouse do computador, encosta no telefone, apoia-se na mesa e depois usa o corrimão para descer a escada. Os vírus das vias respiratórias que estão nas suas mãos contaminadas são transportados para todos os objetos que essa pessoa gripada manuseou ao longo do dia. O vírus da gripe que acabou de ser depositado nesses objetos pode sobreviver nos mesmos por várias horas.

Tempos depois, você chega à sala que a pessoa doente esteve utilizando. Você usa o mesmo mouse e teclado, fala ao telefone e apoia suas mãos na mesma mesa. De repente, você sente uma leve coceira nos olhos e inocentemente usa a mão para coçá-los. Pronto, você acabou de levar os vírus que estavam no ambiente para dentro do seu corpo. Se você vai ficar gripado ou não vai depender agora da virulência do vírus e da competência do seu sistema imunológico em impedir a replicação desse germe que você acabou de adquirir. O fato é que existe uma grande chance de você ficar doente mesmo sem nunca ter encontrado a pessoa que lhe passou o vírus.

Se a pessoa gripada tivesse o hábito de lavar as mãos após contato com suas secreções, ela evitaria a contaminação de objetos utilizados por outras pessoas. Por outro lado, se você tivesse o hábito de lavar as mãos antes de levá-las aos olhos ou à boca, provavelmente não teria se contaminado.

2- Uma pessoa que trabalha na cozinha de um bar ou restaurante sente vontade de evacuar durante o seu expediente. Em um único grama de fezes existem mais de 1 trilhão de germes. Mesmo que a pessoa tenha cuidado na hora de se limpar com o papel higiênico, o simples ato de ativar a descarga faz com que milhares de germes sejam lançados no ar. Num banheiro, praticamente tudo ao redor do vaso sanitário está contaminado. Ir ao banheiro e não lavar as mãos, portanto, é quase certeza de sair de lá com as mãos contaminadas por germes que vivem nas fezes.

Se o cozinheiro não lavar as mãos, a partir deste momento, qualquer comida que ele for preparar será contaminada e poderá ser transmitida para os clientes do restaurante, principalmente se forem alimentos crus. Se o cozinheiro estiver contaminado com alguma doença, a situação é ainda mais grave. Após evacuar, a sua mão pode ter grandes quantidades de ovos de parasitos, vírus que causam gastroenterites, vírus da hepatite A ou bactérias diversas causadoras de diarreia.

3- Uma médico ou um enfermeiro passa visita num paciente contaminado com algum germe. Ele o examina, encosta na roupa de cama e aperta a sua mão. Qualquer germe que esteja infectando o paciente, automaticamente passa para as mãos do médico. Em seguida, o médico vai para outro quarto e repete o mesmo procedimento com o novo paciente. Se o médico não tiver lavado as mãos, ele acabou de levar germes de um paciente para o outro. Um paciente que foi internado por um problema, pode acabar tendo sua internação prolongada por uma infecção hospitalar, provocada por um membro da equipe de saúde que não realizou a higienização adequada das mãos.

Estudos mostram que a lavagem das mãos pela equipe de saúde antes e depois de examinar qualquer paciente é a medida mais importante para reduzir a ocorrência de infecção hospitalar.

Quando as mãos devem ser lavadas

Para evitar a transmissão de doenças, as mãos devem sempre ser lavadas nas seguintes situações:

Publicidade - Publicidad
  • Antes e depois de preparar comidas.
  • Antes de começar a comer.
  • Antes de tratar qualquer ferida ou machucado.
  • Antes e depois de entrar em contato com qualquer pessoa doente.
  • Depois de usar o banheiro.
  • Depois de trocar fraldas ou limpar alguma criança que tenha ido ao banheiro.
  • Depois de assoar o nariz, tossir, espirrar ou ter contato com qualquer tipo de secreção corporal.
  • Depois de apertar as mãos de outra pessoa.
  • Depois de entrar em contato com animais.
  • Depois de manusear lixo.
  • Toda a vez que a mão estiver nitidamente com alguma sujeira.

Você também deve lavar as mãos após o contato com superfícies de uso público, como corrimão, transporte público ou dinheiro. Enquanto você não tiver acesso à água ou álcool em gel, evite levar as mãos à boca, ao nariz ou aos olhos. Enquanto o germe estiver restrito à pele, ele não irá lhe faz mal. A nossa pele é uma espécie de armadura contra microrganismos. O problema é que quando levamos a mão suja à boca ou tocamos em alguma ferida,  estamos dando aos germes acesso à parte interior do nosso corpo.

Como lavar as mãos de forma correta

Para que você consiga eliminar de forma relevante os germes presentes nas suas mãos, o processo de higienização deve seguir alguns passos. Não basta lavar as mãos apenas com água, é preciso usar sabão. O sabão em barra é aceitável, mas a forma líquida é a melhor.

O processo de lavagem das mãos precisa durar pelo menos 30 a 40 segundos. Estudos mostram que se você demora menos de 10 segundos lavando as mãos, uma grande quantidades de germes ainda permanecem viáveis. E se você não gasta nem 5 segundos nesse processo, o resultado final é praticamente nulo, como se você não tivesse lavados as mãos.

Abaixo, mostramos a forma mais adequada de lavar as mãos e eliminar qualquer germe que possa lhe causar alguma doença.

Como lavar as mãos
Fonte: Organização Mundial de Saúde

Sabão comum ou sabão antibacteriano?

Apesar de haver muita publicidade dos sabões antimicrobianos, reforçando o senso comum de que esse tipo de sabonete é mais eficiente, o fato é que ele não é melhor que o sabão comum e ainda pode fazer mal.

Ao contrário do que ocorre no sabonete antimicrobiano, o mecanismo principal de ação do sabão comum não é matar os germes, mas sim fazer com eles sejam removidos e eliminados quando a mão é enxaguada.

Abaixo, listamos os motivos pelo qual você deve usar sabão comum em vez de sabão antibacteriano ou antimicrobiano:

  1. Estudos mostram que os sabões antimicrobianos não são superiores aos sabonetes comuns na prevenção da transmissão de doenças.
  2. Sabão comum é mais barato.
  3. O uso disseminado de sabão antimicrobiano pode levar ao desenvolvimento de bactérias resistentes.
  4. Estudos em animais mostram que o triclosan, substância ativa utilizada nos sabões antibacterianos, pode causar problemas de saúde, tais como alteração no funcionamento da tireoide, infertilidade, puberdade precoce ou outras alterações endocrinológicas.
  5. Crianças expostas frequentemente ao triclosan têm maior risco de desenvolver quadros de alergia, incluindo alergia ao pólen, rinite alérgica e alergia ao amendoim.
  6. O sabonete antimicrobiano é mais agressivo ao meio ambiente que o sabão comum.

Sabão comum ou álcool em gel?

O álcool em gel (com pelo menos 60% de álcool) é uma forma alternativa e muito eficaz de higienizar as mãos e impedir infecções.

Muitas pessoas preferem o álcool em gel em relação ao sabão pelos seguintes motivos:

  • O álcool em gel é tão eficaz quanto a lavagem das mãos.
  • O álcool gel não é mais agressivo à pele que os sabonetes comuns.
  • Enquanto a higienização adequada das mãos demora de 3o a 40 segundos, em apenas 20 segundos o álcool em gel já é eficaz (tempo que leva para o álcool secar totalmente).
  • O álcool em gel não precisa de enxágue.
  • Você pode carregar um pequeno frasco na bolsa, tendo ele disponível a qualquer momento.

Todavia, quando as suas mãos estiverem nitidamente sujas ou engorduradas, você deve dar preferência à lavagem com água e sabão. Também é importante lembrar que o álcool em gel é bem mais caro que o sabonete comum.

Os profissionais de saúde podem utilizar o álcool em gel em substituição à lavagem das mãos, mas devem ficar atentos ao fato de que o álcool gel não é tão eficaz como o sabão contra a bactéria Clostridium difficile, que é uma importante causa de diarreia em pacientes hospitalizados (leia: COLITE PSEUDOMEMBRANOSA | Clostridium difficile).

Este post também está disponível em: Espanhol

Assuntos Relacionados:

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.

4 Comentários

  1. Renata Silva Diz

    Olá doutor, que artigo interessante. Fiquei com uma dúvida, faz mal pra pele lavar as mãos várias vezes por dia?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde Diz

      Em algumas pessoas o sabão em excesso pode ressecar a pele. O ideal nesses casos é utilizar produtos hidratantes depois da higienização para prevenir problemas.

  2. Marc Diz

    Muito bom texto! Então aquele pessoal que sai do banheiro e passa a mão na água por 3 segundos e vai embora não adianta nada, não é?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde Diz

      Exatamente, não adianta nada.