30 de julho de 2013

EDEMA PULMONAR AGUDO | Sintomas e tratamento

O edema pulmonar agudo, também chamado de edema agudo do pulmão (EAP), é uma emergência médica causada pelo extravasamento de água dos vasos sanguíneos para o tecido pulmonar, tornando a respiração difícil. Neste texto vamos explicar as causas, sintomas e tratamento do edema agudo de pulmão.

Publicidade

Como surge o edema pulmonar agudo?

O edema do pulmão possui o mesmo mecanismo fisiopatológico de qualquer edema em nosso corpo, ocorrendo sempre que há extravasamento de água dos vasos sanguíneos para algum tecido.

Ao contrário do que se possa imaginar, os nossos vasos sanguíneos não são tubos impermeáveis, eles apresentam poros que permitem a saída e entrada de células, bactérias, proteínas e água.

O edema do pulmão ocorre basicamente por dois mecanismos:

1. Aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos »» Quando a pressão fica muito elevada dentro dos vasos do pulmão, a água do sangue tende a “sorar” através dos poros, indo se acumular dentro do tecido pulmonar, principalmente nos alvéolos, que são as estruturas que realizam as trocas gasosas.

Edema pulmonar agudo

2. Aumento da permeabilidade dos vasos »» Algumas doenças, que serão explicadas a seguir, causam um aumento nos poros dos vasos sanguíneos, tornando-os mais permeáveis, o que facilita o extravasamento de água.

Para saber mais sobre a formação de edemas, leia: INCHAÇOS E EDEMAS | Causas e tratamento.

Causas do edema pulmonar agudo

1. Insuficiência cardíaca congestiva (leia: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA | CAUSAS E SINTOMAS).

A causa mais comum de edema pulmonar é a insuficiência cardíaca  Vamos descrever simplificadamente a circulação cardiopulmonar para que este mecanismo fique facilmente compreensível.

O lado esquerdo do coração é o responsável por bombear o sangue rico em oxigênio em direção ao corpo. Depois de nutrir todos os tecidos, o sangue, agora pobre em oxigênio e rico em gás carbônico, retorna ao lado direito do coração, sendo imediatamente bombeado em direção aos pulmões. Nos pulmões, o sangue é novamente oxigenado e retorna para o lado esquerdo do coração, onde será bombeado em direção ao resto do corpo, reiniciando o processo.

Quando o lado esquerdo do coração torna-se fraco, ele passa a ter dificuldade para bombear adequadamente o sangue para o resto do corpo. Como é o lado esquerdo do coração o responsável por bombear o sangue vindo dos pulmões, quando a bomba cardíaca falha, há um congestionamento, provocando um acúmulo de sangue nos vasos pulmonares. Esta congestão causa um aumento da pressão sanguínea dentro dos vasos pulmonares, favorecendo o extravasamento de água.

Na insuficiência cardíaca, o edema pulmonar se desenvolve lentamente a não ser que haja algum fator que desencadeie uma piora aguda da função do coração.

2. Infarto agudo do miocárdio (leia: SINTOMAS DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E ANGINA).

O infarto agudo do miocárdio, chamado popularmente de ataque cardíaco, pode causar edema pulmonar caso haja necrose de uma grande área do músculo cardíaco do lado esquerdo do coração, levando a uma insuficiência cardíaca súbita. Se grande parte músculo cardíaco morre, o coração torna-se incapaz de bombear o sangue adequadamente, provocando retenção deste nos pulmões. O edema agudo do pulmão é um dos possíveis sintomas de um infarto cardíaco.

3. Crise hipertensiva (leia: HIPERTENSÃO ARTERIAL | Sintomas e tratamento).

O aumento da pressão arterial costuma ser uma frequente causa de edema agudo do pulmão, principalmente nos pacientes que já possuem algum grau de insuficiência cardíaca.

Em situações normais, o coração do paciente com insuficiência cardíaca moderada pode ainda ser capaz de bombear o sangue adequadamente. Porém, basta uma elevação súbita na pressão arterial para que haja um aumento na resistência ao fluxo do sangue, exigindo um maior trabalho do músculo cardíaco. Alguns pacientes não possuem um coração apto a trabalhar contra uma pressão arterial alta, o que leva à congestão pulmonar.

4. Doença das válvulas do coração.

Se o paciente possui uma doença das válvulas do coração esquerdo, isto é, da válvula aórtica ou mitral, o coração pode ter dificuldades em bombear o sangue através delas. A estenose aórtica e a estenose mitral são lesões da válvula que atrapalham a sua abertura. Se a válvula cardíaca não abre corretamente, o sangue não pode ser drenado através dela, causando a congestão pulmonar.

5. Insuficiência renal (leia: INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA | Sintomas e tratamento).

A insuficiência renal leva ao acúmulo de água e sal no organismo, provocando um aumento do volume de líquido dentro dos vasos. Em alguns casos, principalmente se o paciente já não urinar volumes adequados, a quantidade líquido retido nos vasos se torna tão grande que este começa a extravasar, causando edemas no corpo e edema pulmonar.

6. Infecções.

Algumas infecções pulmonares, principalmente as de origem viral, podem causar um quadro de intensa inflamação pulmonar, levando a um aumento da permeabilidade dos vasos e consequente extravasamento de líquidos para o pulmão. Este quadro é geralmente chamado de SARA ou SARS (síndrome da angústia respiratória aguda).

7. Altitudes elevadas

Algumas pessoas quando expostas a altitudes acima de 2500 metros podem desenvolver edema pulmonar. Não se sabe bem a causa, mas acredita-se que ocorram alterações na microvasculatura pulmonar que favoreçam o extravasamento de líquido em altas altitudes.

Os fatores de risco para esse tipo de edema agudo pulmonar são:

– Sair do nível do mar e atingir altitudes elevadas em pouco tempo.
– Praticar esforço físico em altas altitudes sem se dar o devido tempo de aclimatação.
– Viajar para altitudes elevadas já tendo histórico de problemas cardíacos.
– Ingestão excessiva de álcool sem tempo adequado de aclimatação à altitude

8. Drogas

O consumo de algumas drogas, como heroína ou cocaína podem provocar uma intensa inflamação pulmonar, causando aumento da permeabilidade dos vasos e consequente edema pulmonar agudo.

A intoxicação por Aspirina (AAS) também pode levar a um quadro de edema agudo do pulmão.

9. Lesão neurológica

Alguns pacientes com lesão neurológica grave, como traumatismo craniano, cirurgia cerebral, convulsões, hemorragia cerebral, etc, podem desenvolver edema do pulmão. O edema surge por alterações na hemodinâmica pulmonar, com aumento da pressão e da permeabilidade nos vasos pulmonares.

Sintomas do edema pulmonar

Dependendo da causa, o quadro de edema pulmonar pode se desenvolver lentamente ou de modo súbito, este último chamado de edema agudo do pulmão.

Nos pacientes que vão acumulando líquido no pulmão de forma lenta e progressiva, os sintomas do edema pulmonar começam com intolerância aos esforços, cansaço (mesmo em repouso), falta de ar quando se deita, havendo necessidade de usar pelo menos dois travesseiros para dormir, edemas nos pés e tornozelos e chiado no peito. Esse quadro é típico nos pacientes com insuficiência cardíaca, que apresentam piora gradual da função do coração e progressiva congestão pulmonar.

Se este mesmo paciente descrito acima apresentar um fator de descompensação da sua insuficiência cardíaca, como um infarto, um pico hipertensivo ou mesmo um infecção grave, o coração subitamente se torna incapaz de bombear adequadamente o sangue para o corpo, havendo, então, uma quadro agudo de retenção de líquidos no pulmão. Neste caso, os sintomas do edema agudo pulmonar são intensa falta de ar, sensação de afogamento, agitação, tosse com secreção espumosa, incapacidade em se deitar e taquicardia (coração acelerado).

A água no pulmão impede a oxigenação do sangue e funciona basicamente como um afogamento. O edema agudo do pulmão é uma emergência médica e se não tratado a tempo, fatalmente levará à parada cardiorrespiratória.

Tratamento do edema agudo

O primeiro passo no tratamento do edema pulmonar agudo é fornecer oxigênio ao paciente. Geralmente o paciente chega ao serviço de urgência em hipoxemia, ou seja, com baixos níveis de oxigenação do sangue. Em alguns casos o edema pulmonar é tão grave e a oxigenação tão baixa, que o paciente precisa ser intubado e acoplado a um ventilador mecânico para não falecer.

O objetivo do tratamento é retirar água do pulmão. Se o paciente urina, diuréticos são administrados por via venosa para terem rápida ação (leia: DIURÉTICOS | Furosemida, Hidroclorotiazida, Indapamida…) Baixar a pressão arterial também é importante para facilitar o trabalho do coração, por isso, vasodilatadores também costumam ser usados.

Se o paciente não urina ou não responde adequadamente aos diuréticos, a opção é a hemodiálise de urgência, um método capaz de remover até mais de um litro de água dos pulmões em apenas 20-30 minutos (leia: HEMODIÁLISE | Como funciona, cateter e fístulas).

"EDEMA PULMONAR AGUDO | Sintomas e tratamento", 5 out of 5 based on 24 ratings.
Publicidade
  • evandro fonseca

    trabalho sensacional

  • http://twitter.com/lorenafreitas lorena freitas

    Minha tia tem agua no pulmao, o medicos ja disceram q tentaram de tudo, porem nao tiverema resposta com o tratamento, agora querem fazer a ciruriga, mais disseram q e uma cirurgia de risco, compensa ela fazer a cirurgia ou continuar com o tratamento?
    obrigada

  • tel-silva

    MEU IRMAO TEM INSUFUCIENCIA CARDIACA, TEVE PNEUMONIA 3 VEZES, NO MOMENTO ENCONTRA-SE COM EDEMA NOS MEMBROS INFERIORES. ESTVA TOMANDO REMEDIO CONTRA TUBERCULOSE, APESAR DA PESQUISA E CULTURA DAREM NEGATIVAS. PEDIRAM PARA SUSPENDER A MEDICAÇAO POIS DISSERAM QUE ELE NAO TEM TB E QUE O SANGRAMENTO NO ESCARRO É PROVOCADO PELA INSUFICIENCIA CARDIACA. ELE JA FEZ QUIMIOTERAPIA HA 20 ANOS, SERA QUE PODERA FAZER TRANSPLANTE DE CORAÇÃO?

  • Nadson

    meu pai esta com problema de coração e tem diabete e agora deu agua no pulmão e sofreu um avc

  • Mariamoretto26

    muito obrigado dr.Pedro Pinheiro pelas suas explicações.Me ajudaram muito.Mamãe esta internada em um PA de Guarapari com esses sintomas que o senhor descreveu muito bem.Muito obrigada ficarei atenta.Um grande abraço.E continue ajudando a salvar vidas do jeito que o senhor esta fazendo.Parabéns Dr. Moro no Esp´rito Santo e me chamo Maria Moretto.Obrigada professor.

  • Alessandra

    Anônimo disse…
    gostaria de saber se uma pneumonia pode causar avc, pois minha filha de nove anos morreu, com sintomas de avc isquemico, mas os medicos nao tinham um diagnostico certo. esclareci a morte com exame de necropsia, e deu q ela teve um edema agudo de pulmao devido a um foco de pneumonia. Como os medicos nao conseguiram diagnosticar uma pneumonia? porque ela paralisou o lado direito do corpo? ja viu algum caso parecido?

  • Anonymous

    Parabéns pelo belo trabalho realizado por vocês. sou acadêmico de medicina do último ano e sempre que posso passo por aqui para relembrar alguns assuntos.