Bronquite ou asma

É muito comum ver pessoas chamando asma de bronquite, como se ambos os termos fossem sinônimos. Do mesmo modo, termos como bronquite asmática e bronquite alérgica também são frequentemente empregados para descrever quadros clínicos que são, na verdade, asma.

Asma brônquica, bronquite aguda e bronquite crônica são três doenças diferentes, que apresentam causas, fisiopatologias e tratamentos distintos, mas que podem provocar sinais e sintomas muito parecidos.

Neste artigo nos vamos nos ater apenas às diferenças e semelhanças da bronquite e da asma. Se você está interessado em saber mais detalhes sobre essas doenças, acesse os links abaixo:

CAUSAS E SINTOMAS DA ASMA.
DPOC | Bronquite crônica e enfisema pulmonar.

O que é asma?

A asma é uma doença inflamatória das pequenas vias aéreas dos pulmões (bronquíolos), de causa ainda desconhecida, mas com importante componente genético. O pulmão do paciente asmático é altamente sensível e desenvolve ataques de broncoespasmo sempre que exposto a determinados estímulos ambientais, como pólen, fumaça, poeira, ácaros, ar frio, etc.

pulmão Durante a crise de asma, há uma reação inflamatória das vias aéreas pulmonares, provocada pelos mesmos mediadores químicos que surgem nos processos alérgicos. Com a inflamação, os bronquíolos ficam inchados e se contraem, dificultando a passagem de ar durante a respiração. O broncoespasmo da asma é temporário, podendo ser revertido com medicamentos ou espontaneamente com passar do tempo.

Os principais sintomas das asma são a falta de ar, tosse e chiado no peito (sibilos).

O que é bronquite aguda?

A bronquite aguda é processo inflamatório transitório dos brônquios, vias aéreas mais largas, provocado, habitualmente, por uma infecção de origem viral, como a gripe.

O principal sintoma da bronquite aguda é uma tosse persistente, seca ou com expectoração, que pode durar até 20 dias. Febre não é comum e serve para distinguir o quadro de outras infecções do pulmão, como a pneumonia.

Alguns pacientes podem ter sibilos pelo broncoespasmo, menos intensos que na asma, mas facilmente perceptíveis através da auscultação dos pulmões com o estetoscópio.

O quadro de bronquite aguda é autolimitado e melhora espontaneamente após algumas semanas

O que é bronquite crônica?

A bronquite crônica é um quadro inflamatório persistente das vias aéreas, provocado por exposição prolongada a substâncias nocivas, como o cigarro. A fumaça do cigarro irrita e causa destruição e posterior cicatrização da parede das vias áreas e do tecido pulmonar ao seu redor, levando a uma redução permanente do calibre dos bronquíolos.

A bronquite crônica, junto com o enfisema pulmonar, faz parte de um grupo chamado DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), uma doença progressiva e com mau prognóstico, principalmente naqueles que continuam fumando.

Os principais sintomas da bronquite crônica são uma tosse com exuberante expectoração, falta de ar, broncoespasmo (sibilos) e cansaço para executar atividades.

Diferenças entre bronquite aguda e asma

A bronquite aguda é geralmente um quadro isolado na vida do paciente, sendo a tosse o seu sintoma mais característico. Já a asma é quadro crônico, com períodos de melhora intercalados com períodos de crise, no qual a dificuldade para respirar e o chiado no peito são sintomas importantes. Um sinal característico da asma é o sibilo durante a expiração, pois o o ar tem mais dificuldade para sair dos pulmões do que para entrar.

A crise de asma pode ser, assim como a bronquite aguda, desencadeada por uma infecção respiratória viral, mas a bronquite não surge espontaneamente, após contato com estímulos simples como poeira ou pólen.

Diferenças entre bronquite crônica e asma

Os sintomas da bronquite crônica e da asma podem ser muito parecidos. Muitas vezes, o que diferencia são fatores epidemiológicos, uma vez que a asma é mais comum em crianças e a bronquite crônica costuma surgir em adultos mais velhos, fumantes há vários anos.

A asma é um doença não progressiva e que pode desaparecer sozinha após alguns anos. Exceto pelos casos mais graves, o paciente asmático apresenta-se bem fora dos períodos de exacerbação. A bronquite crônica, por outro lado, é uma doença progressiva, na qual o paciente vai ficando cada vez pior com o passar dos anos, chegando ao ponto de ter dificuldade respiratória permanente e necessidade de receber oxigênio suplementar, mesmo em repouso.

Na asma, a doença fica restrita às vias aéreas e raramente causa lesão permanente nestas estruturas.  Já na bronquite crônica, ocorre destruição e formação de cicatriz  não só nas nas vias aéreas, mas também no tecido pulmonar.

A tosse da asma costuma ser seca ou com pouca expectoração. A tosse da bronquite é tipicamente com catarro persistente.

A redução do calibre das vias aéreas da asma apresenta grande reversão após a administração de broncodilatadores, as famosas bombinhas dos asmáticos. Já na bronquite crônica, o uso de broncodilatadores tem ação apenas parcial, pois os brônquios e bronquíolos já destruídos não apresentam  resposta ao medicamento.

Quando o paciente apresenta asma de início na vida adulta, a distinção entre as duas doenças pode ser mais difícil, principalmente porque muitos pacientes com bronquite crônica também podem apresentar asma.

Por que é importante saber diferenciar bronquite de asma?

A distinção entre bronquite e asma é importante, não só pelo fato de impedir que o paciente seja rotulado com uma doença que não tem, mas principalmente porque o tratamento e o prognóstico a longo prazo dessas doenças é diferente. A asma, na maioria dos casos, é uma doença bem mais benigna que a bronquite crônica.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.