Rins policísticos – Causas, sintomas e tratamento

A doença policística renal tem origem genética e provoca o crescimento de dezenas de cistos no tecido renal.

104

O que é a doença policística renal?

A doença renal policística autossômica dominante (DRPAD) é um distúrbio de origem genética que acomete aproximadamente 1 em cada 400 a 1000 pessoas e se caracteriza pelo crescimento descontrolado de inúmeros cistos em ambos os rins.

O surgimento de múltiplos cistos, que são pequenos sacos cheios de líquido, provoca aumento do volume dos rins e perda progressiva da função renal, pois os cistos acabam por destruir e substituir o tecido renal sadio.

A DRPAD é uma doença de progressão bastante lenta, que costuma permanecer silenciosa por várias décadas. Estima-se que pelo menos metade dos pacientes portadores dessa doença acabem nunca recebendo o diagnóstico ao longo das suas vidas.

O que causa os rins policísticos?

Como já referido, a doença policística renal tem origem genética. É uma doença autossômica dominante, ou seja, se um dos seus pais tem rins policísticos, a sua chance de também ter os genes defeituosos é de 50%.

85% dos pacientes com rins policísticos têm uma mutação no gene chamado PKD1. Os restantes 15% herdam a mutação no gene chamado PKD2.

A mutação do PKD1 costuma provocar uma doença mais agressiva, com maior e mais rápido crescimento dos cistos nos rins. Este grupo costuma perder a função completa dos rins ao redor dos 55 anos de idade.

A doença policística renal causada pela mutação no PKD2 é mais branda e de progressão mais lenta. Esses pacientes acabam só precisando de hemodiálise depois dos 70 anos de idade. Muitos falecem por outras causas sem nem sequer terem tomado conhecimento da sua doença policística.

Atualmente, cerca de 5% dos pacientes que entram em hemodiálise, o fazem devido à insuficiência renal crônica causada pela doença policística renal.

Diferenças entre rins policísticos e cisto simples nos rins

Possuir um ou dois cistos renais isolados, principalmente após os 50 anos de idade, não é um sinal de doença e não costuma provocar nenhuma repercussão clínica. A maioria das pessoas idosas tem pelo menos um cisto simples nos rins.

O paciente com rins policísticos é diferente, pois ele tem dezenas de cistos em cada rim, não somente um, dois ou três isolados.

Rins policísticos
Rins policísticos x rim com cisto simples

A presença de cistos simples só deve causar preocupação se ela estiver presente em pacientes jovens, com menos de 30 anos, principalmente naqueles com história familiar do doença policística renal.

Explicamos os cistos simples do rim no artigo: Cisto renal simples – Significado, Riscos e Sintomas.

Sintomas dos rins policísticos

A doença policística renal costuma progredir de forma silenciosa por décadas, só provocando sintomas em fases tardias. Os cistos em si não causam sintomas até estarem bem grandes, quando, eventualmente, podem causar dor ou se romperem.

Pacientes com rins policísticos também podem desenvolver cistos em outros órgãos, como fígado e o pâncreas. Nesses, porém, os cistos não costuma causar maiores problemas nem perda de função.

Os principais sintomas e complicações associados à doença policística renal são:

Os dois sintomas mais comuns são a dor lombar e sangramento urinário episódico, que surgem em cerca de 50% dos casos.

Relação entre rins policísticos e câncer do rim

Ao contrário do que se costuma pensar, na doença policística não há um maior risco de desenvolver câncer do rim ou de qualquer outro órgão que também venha a ter cistos.

O problema é que quando ocorre um câncer no rim é muito mais difícil identificá-lo no meio de tantos cistos. Os cistos em si não viram câncer, mas podem acabar escondendo-o, principalmente porque alguns cânceres podem também ter um aspecto de cisto.

A ultrassonografia feita por um bom radiologista costuma conseguir diferenciá-los com alguma facilidade. Quando há dúvidas, o médico pode solicitar uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética.

Aneurisma cerebral

Em relação ao aneurisma cerebral, cerca de 5 a 10% dos pacientes com rins policísticos têm este problema. O risco é maior se também houver na família algum caso de aneurisma cerebral.

Evolução para insuficiência renal crônica

A insuficiência renal crônica é a complicação mais temida dos rins policísticos. A perda de função renal ocorre de forma bem lenta e só começa a ser detectável quando os cistos já são tão numerosos e grandes, que ocupam o lugar do tecido renal normal.

A insuficiência renal crônica pode ser detectada através da dosagem da creatinina sanguínea. Todo paciente com rins policísticos deve ter sua creatinina dosada pelo menos uma vez por ano.

Além da creatinina, outro modo de se prever a evolução da doença é através da medição anual do volume renal pela ressonância magnética. Rins com volumes maiores que 1,5 litro apresentam pior prognóstico, assim como aqueles que apresentam rápido crescimento dos cistos de um ano para o outro.

O principal fator de risco para evolução para insuficiência renal terminal é tipo genético. Como já referido, os pacientes com com o gene PK1 costumam precisar de hemodiálise ao redor dos 55 anos, enquanto aqueles com o gene PK2 somente aos 70.

Outros fatores que podem acelerar a perda de função renal são:

Diagnóstico da doença policística renal

O diagnóstico da doença renal policística autossômica dominante é habitualmente feito através da ultrassonografia e da pesquisa dos genes PKD1 e PKD2.

Como a pesquisa dos genes nem sempre está disponível nos laboratórios, a ultrassonografia acaba sendo na prática o método mais utilizado.

Se houver algum caso de doença policística renal na família, todos os familiares de primeiro grau (pais e irmãos) com mais de 18 anos devem ser investigados.

Critérios diagnósticos

Os critérios diagnósticos variam de acordo com o tipo de gene familiar.

A) Critérios diagnósticos para pacientes com história familiar de DPRAD, mas sem pesquisa genética.

  • Para indivíduos entre 15 e 39 anos consideramos doença policística renal se houver pelo menos três cistos renais. Podem ser 3 cistos em apenas um rim ou dois cistos em um dos rins e um no outro.
  • Para indivíduos de 40 a 59 anos de idade é preciso haver pelo menos dois cistos em cada rim.
  • Para indivíduos com 60 anos ou mais é preciso existir pelo menos quatro cistos em cada rim.

Se o paciente tiver mais de 40 anos e não tiver nenhum cisto detectável à ultrassonografia, o diagnóstico da DPRAD pode ser descartado.

B) Critérios diagnósticos para pacientes com história familiar de DPRAD pelo gene PKD1

A melhor conduta é realizar a pesquisa genética para identificar o gene PKD1.

Se a pesquisa genética não estiver disponível, os seguintes critérios ultrassonográficos podem ser utilizados:

  • Para indivíduos entre 15 e 30 anos de idade consideramos doença policística renal se houver pelo menos dois cistos unilaterais ou bilaterais.
  • Para indivíduos de 30 a 59 anos de idade, são necessários pelo menos dois cistos em cada rim.
  • Para os indivíduos com 60 anos ou mais, são necessários pelo menos quatro cistos em cada rim.

C) Critérios diagnósticos para pacientes com história familiar de DPRAD pelo gene PKD2

A melhor conduta é realizar a pesquisa genética para identificar o gene PKD2.

Se a pesquisa genética não estiver disponível, utilizamos os mesmos critérios ultrassonográficos dos pacientes sem pesquisa familiar genética.

D) Critérios diagnósticos para pacientes sem história familiar de DPRAD.

Em até 25% dos indivíduos com DRPAD não existe história familiar conhecida de doença policística renal.

Na maioria dos casos, o mais provável é que o familiar acometido pela doença tenha morrido sem ter conhecimento do diagnóstico. Somente em cerca de 5% dos pacientes, a doença pode ser causada por uma nova mutação, que realmente não existia na família.

Na ausência de histórico familiar, o diagnóstico deve ser suspeitado se o paciente tiver 10 ou mais cistos em cada rim. A presença de cistos no fígado reforça a suspeita.

Também é importante investigar os familiares próximos. Se mais alguém da família também tiver múltiplos cistos renais, isso é um forte indício de DRPAD.

Os critérios descritos acima são apenas para a ultrassonografia. Exames de imagem mais modernos, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética, conseguem identificar cistos de tamanhos muito menores que a ultrassonografia.

Tratamento da doença policística renal

Infelizmente ainda não há cura nem tratamento eficaz contra a doença. O que se faz é tentar retardar o crescimento dos cistos e a evolução para insuficiência renal terminal.

O passo mais importante é o controle da pressão arterial. Quanto mais alta for a pressão, mais rápido a doença se desenvolve. O ideal é mantê-la abaixo de 130/80 mmHg.

Os medicamentos mais indicados para tratar hipertensão na doença policística renal são os inibidores da ECA (captopril, enalapril, ramipril, lisinopril…) ou antagonistas da angiotensina 2 (losartan, telmisartana, candesartan, irbesartan…). Se não houver contraindicações, deve-se dar preferência a este grupo de anti-hipertensivos.

A restrição do sal na dieta também é importante, não só pelo controle da hipertensão, mas também porque a redução da excreção de sal pelos rins parece colaborar para a preservação da função renal (leia: Malefícios do sal para a saúde).

Parece que beber bastante líquido retarda a progressão dos cistos, pois a desidratação seria um fator de estímulo ao crescimento dos cistos. Não adianta exagerar. Basta beber o suficiente para que a urina fique bem clarinha. O importante é evitar aquela urina bem amarelada e com odor forte. Em geral, 2 a 3 litros por dia conseguem esse objetivo.

Alguns trabalhos mostram que o consumo de cafeína também pode acelerar o crescimento dos cistos. Por isso, até que se prove sua segurança, aconselhamos os pacientes a evitar alimentos e bebidas ricos em cafeína.

Nos pacientes que desenvolvem insuficiência renal crônica terminal há duas opções: diálise ou transplante renal.

Tolvaptan

O tolvaptan é um inibidor dos receptores da vasopressina (hormônio antidiurético). Ele é primeiro medicamento a mostrar nos estudos científicos algum grau de eficácia em retardar a perda de função renal.

O benefício, porém, não muito grande. A redução na velocidade é de cerca de 30%. Isso significa atrasar o início da hemodiálise em cerca de 5 a 6 anos.

Devido aos efeitos colaterais possíveis, o uso de Tolvaptan só tem sido indicado aos pacientes com doença mais agressiva, com rápido crescimento dos cistos e perda acelerada da função renal.

Referências


ARTIGOS SEMELHANTES
104 Comentários
  1. marcos

    Pedro, estou aproveitando para entrar no seu blog todos os dias e me atualizar. Ótimo texto.
    Abraço!

  2. Anderson

    Parabéns pelas informações.
    Obrigado. Anderson

  3. Natália Reinecke

    Olá doutor!

    Estou com um projeto de desenvolver um trabalho com pessoas predisponentes a desenvolver hipertensão arterial. Gostaria de saber os mecanismos fisiológicos que desencadeiam a hipertensão arterial em pacientes com rins policísticos.

    Grata,

    Natália Reinecke.

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      Natália, nas fases precoces da doença a hipertensão parece ser mediada por um aumento dos níveis de renina, provavelmente produzida pelos próprios cistos e por obstrução dos vasos sanguíneos pelo crescimento dos mesmos.
      Nas fases avançadas, a hipertensão é causada pela insuficiência renal.

  4. maria aparecida

    Boa tarde,Dr. Pedro.minha filha tem 21 anos e rins policisticos e calculos,carga herdada da avó,li comentarios sobre um complemento chamado NQI,que diz terminar com os calculos?O que o Sr.diz a respeito,no caso dela com rins policisticos ela pode tomar?Obrigado.

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      NQI não serve para tratar nenhuma doença.

  5. Wanderson

    Olá Dr….. Meu Nome é wanderson Sou do Rio de Janeiro e queria Parabenizar pelas informações, passadas.
    Estou com um Calculo no rim direito, 17ml coloquei um duplo J e estou pesquizando sobre varios assuntos, inclusive prevensões já sei sobre “beber muito liquido” etc… mais o que o Senhor tem a dizer de alguns complemento alimentares tipo “NQI” a base de fosforo será que ajudará na prevensão???? ou é mais uma farsa??? de produtos milagroso????

    Um abraço

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      NQI não serve pra tratar nada.

  6. Mónica Salgado

    Bom dia caros Doutores.

    Parabéns pela informação que altruisticamente disponibilizam.

    Gostaria de saber se têm conhecimentos sobre efeitos positivos da Acupunctura no atraso da progressão da doença.

    Muito obrigada.

    Cps,

    Mónica Salgado

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      Não há nenhuma evidência de que a acupuntura funcione para doença policística renal.

  7. Cienemartins77

    Parabéns Dr. pedro , seu Blog é maravilhoso!
    Tenho um cunhado  de 53 anos com a doença dos rins policisticos diagnósticada há 01 ano,(HERANÇA GENÉTICA PATERNA) estar com creatinina 7.6mg/dl com volume renal de mais ou menos 2 litros, abdome distendido duro  e doloroso ao decubito lateral, ainda não fez diálise e não apresnta os sintomas da insuficiencia renal. Ele estar pensando em fazer um transplante renal antes de chegar a fazer hemodiálise. Gostariamos de saber :
    se o transplante nesta situação  é possivel ?
    – E se ao ser transplantado os rins doentes seram retirados do seu local de origem.
    – Se ele tem o doador , é nescessario entrar na fila de espera?
    _ Se Pode pagar para fazer o transplante Renal ele tendo o seu doardor?

    Obrigada! 
    Luciene Martins – Feira de Santana – BA

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      1- Sim, o transplante é uma opção.
      2- Se forem muito volumosos podem ser retirados.
      3- Não, não há fila para transplante entre vivos.
      4- Não.

  8. Ramon Peres

    Boa Tarde Dr. Pedro. Meu nome é Ramon. tenho 43 anos a pouco tempo fui diagnosticado que tenho rins policistos, eu gostaria de saber do Sr. Um rim normal qual é eventualmente o peso normal de cada um.   

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      mais ou menos 150 gramas

  9. ronaldo

    dr, pedro
    visto seu blog primeiramente gostaria de parabelnizalo pelas suas respostas
    meu nome e ronaldo tenho 26 anos e tambem tenho rins policisticos minha mae tem 58 anos e esta
    fazendo emodialize devo confeçar que isso me deixa um pouco assustado
    sera que no futuro proximo todas essas pessoas que lhe interogaram inclusive eu teram chances de cura
    sinceramente eu acredito na medicina acho que os medicos serao capazes de descobrir algo que possa retardar ou ate curar as pessoas com essa doença espero nao precisar passar pelo mesmo camilho e sofrimento que a minha mae esta passando 
    o dr sabe quantas mil pessos possuem essa doença em todo o pais
    acho que deve ter um numero bem significativo para que a medicina invista em pesquizas e tecnologias para o tratamento dessas pessoas

    des de ja agradeço pela sua atençao

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Há muitas pesquisas em andamento sobre o tratamento da doença policística renal. Acho que em mais 5 ou 10 anos haverá no mercado algum tratamento eficiente.

  10. ronaldo

    agradeço doutor pela sua posiçao

    vamos aguardar entao tomara que isso se concretize

    muito obrigado otima semana

  11. ronaldo

    dr. mais uma pergunta se for possivel vc me responder

    pessoas com rins policisticos tem alguma dieta a seguir tanto na comida quanto bebidas alcoolicas

    grato

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Evitar sal e cafeína

  12. Erisvaldo Pinto

    Dr, bom dia.
     
    Parabens pela iniciativa.
     
    Os medicamento Tolvaptan e Rapamicina ja estão sendo testado em humanos?
    Esses medicamentos são eficazes ao problema?
    Existe algum efeito colateral? 

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      1- Sim
      2- Aparentemente sim, mais ainda faltam mais estudos
      3- Sim, principalmente a rapamicina.

  13. Everaldogonalves

    Boa noite!Dr.
     Tem medicamento para eliminação do policistico ou só cirurgia?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Nem um nem outro.

  14. Ricardo

    um cisto renal com 8,8 cm, mesmo sendo simples e homogeneo pode trazer problema pelo tamanho ?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Se continuar crescendo ele pode causar dor.

  15. ronaldo

    agradeço doutor pela sua posiçao

    vamos aguardar entao tomara que isso se concretize

    muito obrigado otima semana

  16. Sta-smith

    Dr. Pedro,boa noite
    Sou Andreia Smith, tenho 35 anos fui mãe aos 21P/22 e desenvolvi os rins policisticos aos 28 anos,tomo o remedio de pressão,evito a cafeína,porem gosto do café com leite pela manhã,ainda sim o efeito da cafeina poderia ser ruim?

                                                                                                                                                   

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Sim, a princípio, pacientes com rins policísticos devem evitar qualquer fonte de cafeína.

  17. Danyella

    Dr boa tarde. Gostaria de saber qual seu contato para agendar consulta médica, pois, me marido tem rins policísticos e queremos consultar m especialista. Danyella Martins

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Eu não moro no Brasil.

  18. juditeGomes de Jesus.

    Parabéns ! Gostei do artigo. Feliz de quem não fica com o conhecimento só para si.
    Somos eternos estudantes e eternos aprendizes. Sempre temos algo a partilhar e algo para aprender.

    o saber não tem limites.
    Aquele que diz saber tudo , ou não é desse planeta, ou é um mentiroso.
    Obrigada por sua partilha.

  19. lucas samuel

    Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo post,
    Comentei sobre a cafeina com meu medico (Dr Fernando Eugenio Pires Do Prado) e o mesmo nao concorda com o dito acima, agora fiquei com mais duvida ainda, tenho 23 anos e estou tentando controlar minha pressao, comecei o tratamento agora, nao sinto nada, os exames indicam tudo normal, meus rins sao policisticos.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Durante a década de 1990 e início dos anos 2000 vários estudos preliminares apontaram para o risco da cafeína acelerar o crescimento dos cistos. Um dos dos trabalhos é esse, que saiu na mais famosa revista de nefro do mundo: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12397042.
      Porém, ainda não foram feitos estudos grandes para que essa relação pudesse ser comprovada de fato. Portanto, o que a comunidade científica aceita no momento é que a cafeína PARECE piorar a doença. Como persiste a dúvida, a recomendação mais prudente é evitar o consumo de cafeína até que sua segurança seja devidamente comprovada.

      1. Lucas Samuel

        Dr. Pedro bom dia!
        Novamente gostaria de agradecer ao exclarecimento sobre o assunto da cafeína,
        minha pressão esta muito alta, meu medico esta tentando controlar, primeiramente comecei tomando enalapril 1 comp ao dia, mais nem surtil efeito, agora no segundo mês de tratamento comecei com benicar faz 2 dias, existe algum tipo de medicamento para pressão alta que como efeito colateral acelere o almento dos cistos? existe alguma lista de medicamentos para outras finalidades(anti emflamatorios comprimidos para gripe dor de cabeça etc) que afetem diretamente a pessoa que tenha rins policisticos?
        Tenho meu medico, mais quanto mais informação sobre a doença melhor para lidar com ela.
        Grande abraço e obrigado + uma vez

        1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

          O tratamento da pressão é sempre benéfico, pois a hipertensão acelera a perda de função renal. Anti-inflamatórios devem sempre ser usados com muito cuidado em pessoas com doença renal.

  20. Josianebarreto56

    Bom dia Dr., faço musculação pra ganho de massa muscular, tomo suplementos, hipercaloricos, bcaa, proteinas, etc, mas tebho rins policisticos e queria saber se pode agravar meu quadro eu tomar estes sulpelementos e tambem pegar muito peso na academia?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Consumo excessivo de proteínas pode atrapalhar. Se os cistos forem grandes, exercícios pesados podem facilitar o rompimentos deles. O ideal é você consultar o nefrologista antes de tomar essas decisões.

  21. Vinícius Zani

    Doutor tenho doença renal policistica, e minha creatinina tinha se estabilizado faz anos em 1.70, mas fiz um exame semana passada e deu 2.15, sempre faço exames de 3 em 3 meses pra o controle e li um artigo na internet que o uso de Infectrin (antibiótico) pode aumentar o nível de creatinina e eu haviia tomado 2 capsulas de 800mg uns 4 dias antes de fazer o exame de sangue, isso pode ter influenciado no resultado da creatinina ?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Pode.

  22. DinaCelia

    Tenho 55 anos e tenho rins e fígado policísticos. Mas o numero de informação a respeito é pequeno, gostaria de saber se por ter a doença renal policística, o abdome pode apresentar mais volume e um pequeno endurecimento.Pois tenho o meu bem aumentado e fico imaginando se pode ser causa da doença, ja que não sou obesa.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Só se os rins estiverem muito volumosos

  23. Guilherme Paiva

    Olá Doutores! Parabéns principalmente pela didática do artigo.

    Meu nome é Guilherme, tenho 29 anos e rins policísticos, por enquanto a função renal não está comprometida.

    Estou querendo incluir em minha dieta chá verde descafeinado, extrato de romã, semente de chia, quinua, amêndoas e castanhas do pará.

    Algum desses alimentos é prejudicial no meu caso? A quinua é rica em potássio e fósforo, isso é um risco?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Guilherme, o ideal é você procurar um nutricionista. Não sei de cabeça a composição de todos os alimentos, principalmente os menos comuns. Não sei nem o que é uma semente de chia.

  24. erisvaldogomes

    Ola Dr° Parabens pela iniciativa.

    Houve evolução nos testes com os medicamentos Tolvaptan e Rapamicina?
    Qual?
    Ja esta a venda esses medicamentos?
    Existem outros medicamentos ou procedimentos em teste?
    Estamos prestes a ter a cura definitiva dessa doença?

    obrigado…

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Já estão à venda, mas seu benefício na doença policística ainda não está comprovado a longo prazo. Não me parece que vá surgir cura a curto prazo.

  25. neuza candeias

    Ola Dr Pedro,obrigada por vc ajudar tanta pessoa voluntariamente.
    Tenho rins policistico q ja esta indo pra 5 estagio ,Chronic KIdney Disease ,stage 4 585.5,a medica ja me mandou providenciar o procedimento pra entrar na fila de transplante e tambem para vascular surgery referral.. como eu tenho essa consulta so em Marco,gostaria de saber se eu ja vou entrar na dialise e como moro fora do brasil ,sera q quando eu fizer dialise poderei viajar pro exterior?sera que poderei ficar estavel nesse stagio por algum tempo ?Gostaria de me tratar com um medico brasileiro,gostaria de saber se o seu consutorio e na Europa ou em U.S.A.
    Muito obrigada pela sua atencao
    neuza

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      1. Eu moro em Portugal.
      2. Quem faz dialise pode viajar, mas antes é preciso agendar as sessões de diálise em uma clínica no destino da viagem. Isso é bastante comum. É a chamada diálise em trânsito.
      3. É possível que a doença se estabilize por algum tempo no estágio 5, mas não é o mais comum.

  26. Weberthon

    Gostaria de saber qual a porcentagem de dar certo o transplante de rins?

    1. Pedro Pinheiro

      Isso depende de vários fatores, se o rim é de doador vivo ou cadáver, o grau de compatibilidade genética entre doador e receptor, circunstâncias da cirurgia, tipo de imunossupressão utilizada, complicações do pós-operatório, idade do paciente e do doador, se o paciente tem comorbilidades, como hipertensão ou diabetes, etc. Em geral, os transplantes dão certo e mais de 90% dos pacientes, após 5 anos, ainda têm seu rim transplantado funcionando bem.

  27. Heliomário Marques

    Olá Doutor, boa tarde !
    Gostaria de saber como faço para saber como andam os testes dos medicamentos Tolvaptan e Rapamicina?
    O senhor conhece alguma associação de portadores de rins policísticos?
    Obrigado!

    1. Pedro Pinheiro

      Só conheço associações internacionais. Não sei se há alguma aí no Brasil. Deve haver.
      Se souber inglês: https://www.pkdcure.org/

  28. nelso lima

    Um doente com fístula pode praticar ginásio, levantementos de pesos??haverá problemas da fístula arrebentar.???

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Não pode.

  29. Luiz Rodrigo Hoffmann

    Doutor, rins policisticos é uma doença exclusivamente hereditária?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      É predominantemente, mas não exclusivamente.

  30. Elane Oitabem

    Tenho rins policísticos, posso engravidar? Obrigada

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Se a sua função renal for boa, sim.

  31. Maria José

    bom dia,
    poderiam dizer-m se a doença poqliquistica é ou não considerada uma doença grave e crónica

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      É uma doença crônica, sem cura e que é grave em fases avançadas, pois leva à insuficiência renal.

  32. Ana

    Bom dia dr Pedro..tenho 33 anos e aos 28 descobri q herdei os rins policisticos da minha mãe,faço acompanhamento com nefrologista,mais gostaria de saber se esses medicamentos q retardam o crescimento dos cistos,estão á venda,como adquiri-los?e se tem alguma contra-indicação..desde já grata,Ana

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Ainda não há nada provado contra o crescimento dos cistos na doença polícistica renal. Nenhum dos tratamento é comprovadamente eficaz.

  33. Alenise Brava

    Gostaria de saber se portadores de rim policísticos possuem alguma contraindicação para esportes de contato, lutas, etc??

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Esportes de impacto devem ser evitados.

  34. Alenise Brava

    verifiquei que em alguns editais para a polícia constam o rim policistico como doença incapacitante para o exercício da função. Com relações aos portadores da doença que possuam funções renais normais, existe algum impedimento, do ponto de vista médico, ao desempenho da função?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Se o cistos forem muito grandes, atividade física intensa pode levar ao rompimentos de alguns. Além disso, os pacientes com rins policísticos, mesmo com função renal normal, têm elevado risco de evoluir para estágios mais avançados de insuficiência renal a médio prazo.

  35. Erisvaldo Gomes

    Ola dr.
    O consumo moderado de vitamina D pode acelerar uma insuficiência renal para uma pessoa com rins policístico?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Não.

  36. Glaucia Rezende

    Olá, Dr. Pedro!

    Tenho 43 anos e recentemente descobri que meu rim esquerdo está coberto de cistos.

    Ter múltiplos cistos em apenas um rim configura doença policística?
    Posso evoluir até insuficiência renal?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Não há cistos no outro rim? Não é comum essa forma de apresentação.

  37. Rui Sérgio

    Quem tem rins poliquisticos pode fazer fotodepilacao na zona dos rins?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      A fotodepilação fica restrita à pele, não há risco de lesão dos rins.

  38. Fernanda Michelle

    Boa noite,
    Minha mãe tem rins policísticos , faz hemodiálise . Qual médico q eu posso consultar para saber se sou portadora da doença. E se caso eu for, terei algo que eu possa fazer para evitar que a doença aumente? Pois as vezes penso que preferia não saber do diagnostico se não possa fazer. E também gostaria de saber se o consumo de álcool aumentam as chaces de desenvolver a doença. Cumprimentos e obrigada.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Nefrologista.
      Não há o que fazer, mas saber da doença precocemente pode ajudar a retardar o processo de perda da função renal.
      Álcool não altera o risco.

  39. Lidiana

    Bom dia! Dr. Pedro Pinheiro, tenho 8 casos na familia de rins policisticos sendo 5 irmaos e 3 primos. Ontem em consulta com minha medica tive uma excelente noticia, faz mais ou mesnos um ano ela me disse que tinha uma remedio para casos de rins policisticos que diminui o tamanho dos cistos e prevenia o surgimento de outros. Ela participou do ultimo congresso que teve esse ano no Brasil e disse que o remedio foi liberado no Estados Unidos.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      Infelizmente, ainda não há nada de novo, além daquilo que eu já cito no texto. Ainda não existe um medicamento para o tratamento da doença policística que seja realmente empolgante.

  40. Valmir cavalcante Lins

    Tenho rins policístcos e tomei conhecimento que existe um medicamento que vende nas farmarcias nos estados unidos e na europa desde 1989 e aqui no brasil ainda não vende esse medicamento. o nome dele é SAMISCA TOLVIPTAN. TEM ALGUMAS EMPRESAS AQUI NO BRASIL, QUE IMPORTA MAS PROCUREI SABER E O CUSTO É ALTÍSSIMO, QUE CHEGA Á CURTAR R$ 12.500,00 JÁ LÁ NO EXTERIOR NÃO CUSTA MAIS QUE $ 160,00 A CAIXA. MAS PARA COMPRAR ESSE MEDICAMENTO É PRECISO IR LÁ FAZER UMA CONSULTA NO MÉDICO PARA DAI ENTÃO CONSEGUIR A RECEIT

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Esse medicamento ainda não possui comprovação científica de que seja benéfico para rins policísticos. E ele pode provocar graves efeitos colaterais, como lesão do fígado. O Tolvaptan atualmente só está aprovado para o tratamento da hiponatremia.

  41. Rodolfo Calvo

    Boa tarde! Tenho um filho de 7 anos ultrassonografia normal desde os 9 meses,o pai a avó paterna e muitos outros parentes tem rim policistico,sei que a doeça pode surgir mais tarde ,mas gostaria de saber não a teoria mas pratica se existem casos de nesta idade já aparecerem cistos pelo ultrason,ou seja existe a chance de ele não ter herdado, uma observação importante descobrimos este ano cisto aracnóide temporal um único cisto pode ter alguma relação, gostaria também de compartilhar com todos que é possível ter filhos sem a doença através da fertilização in vitro essa será nossa opção para um segundo filho através de seleção de embriões que carregam o gene anormal….muito obrigada desde já. Mara

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Sim, ele já poderia ter cistos, mas na maioria dos casos, os cistos só são detectáveis pelo ultrassom a partir da adolescência/ vida adulta jovem.

      O risco dele ter doença policística é de 50% se apenas um dos pais for portador da doença.

  42. Rodolfo Calvo

    Dr.assisti através do yutube uma entrevista de um nefrologista dizendo que nos Estados Unidos já é feito uso do tolvaptan( samsca) para controle dos cistos em rim policistico, disse que todas as pessoas afetadas deveriam se unirem para lutarem e ter o remédio aqui no Brasil ele disse que existe um grupo formado por pacientes no sul, mas não consegui encontrar ainda a medicação fica em torno de 20.000,00 mensais e pode ser comprado.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Esse medicamento ainda está em estudos para doença policística renal. E mesmo assim, os resultados até o momento não são tão maravilhosos assim.

  43. gabriel

    pessoas com rim ferradura podem fazer academia?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

      A princípio, sim.

  44. flavio santos

    Olá Dr. quem tem a DRPAD, pode também participar do plano do governo que da descontos em certas coisas?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Não sei que plano é esse. Eu não vivo no Brasil.

  45. Camila

    Boa tarde, Dr, minha mãe tem rins policísticos (eu tb) tem mais de 70 anos e ainda não precisou de diálise. Pode-se afirmar que o gene, no caso dela, seja o PKD2? Uma pessoa portadora desse gene pode ter filhos portadores do PKD1?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      1- O mais provável é que seja o PDK2
      2- Sim, mas sendo ela PKD2, o mais provável é que você tenha o gene da forma mais branda também.

  46. Camila

    Olá, Dr, quem tem rins policísticos (ainda assintomático) pode consumir café ou deve evitar? Algum outro alimento proibido?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Ainda não existe consenso, mas a maioria dos nefrologista sugere que o paciente com rins policísticos evite alimentos ricos em cafeína.

  47. Camila

    Boa tarde, pacientes com rins policísticos tendem a desenvolver AVC? Existe alguma precaução possível? Obrigada.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Existe um maior risco de aneurisma cerebral. Dependendo do histórico clínico, o nefrologista pode sugerir a realização de uma ressonância magnética ou tomografia do crânio para investigar.

  48. Camila

    Olá, o paciente assintomático deve fazer alguma restrição alimentar? ( o consumo excessivo de alimentos ricos em proteína é contra indicado?)

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      O consumo excessivo de proteínas é desencorajado.

  49. Daniela

    Boa tarde Dr, quem tem rins ferradura pode ter filho?

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Sim, pode.

  50. Caroline Souza

    Boa tarde, Dr. Pedro Pinheiro.

    Gostaria de saber quais os exercícios físicos uma pessoal com Doença Policística Renal pode fazer (Exercícios tipo Funcional). Desde já agradeço.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Em geral, apenas os exercícios de alto impacto são contraindicados.

  51. Thereza Christina Maia

    Dr., Boa tarde!
    Como posso saber se o meu rim policístico é PKD1 ou PKD2? Tenho 34 anos de idade e já apresento hipertensão (faço uso de Losartana) e minha hemoglobina vive na faixa de 9.3
    Desde já agradeço.

    1. Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

      Existem testes genéticos para isso, mas, na maioria dos casos, na prática clínica, isso não é muito relevante, pois não muda em nada o tratamento.

  52. Dr. Pedro Pinheiro

    Lucilene, e uma questão de nomenclatura.

    Doença renal cística é um termo amplo que engloba várias doenças diferentes que se apresentam com cistos nos rins, entre elas, a doença renal policística.

    Existe também a doença renal cística adquirida que é aquela que ocorre nos pacientes renais crônicos após alguns anos em hemodiálise. São vários cistos renais, mas é diferente da doença policística renal, que é de origem genética e inicia-se em pessoas sem insuficiência renal.

  53. Pereira

    Dilatação bi lateral mais sem alteração alguma clínica nem de imagem alguma preocupação

    1. Dr. Pedro Pinheiro

      Dilatação bilateral do quê?

Qual é a sua dúvida?

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais