20 PRIMEIROS SINTOMAS DE GRAVIDEZ

Conheça os principais sinais e sintomas de gravidez que podem surgir desde 2 semanas após a fecundação até o fim do primeiro trimestre.

Sintoma de gravidez descritos neste artigo: Sangramento vaginal | Atraso menstrual | Dor abdominal | Dor mamária | Aumento das mamas | Alterações dos seios | Náusea | Constipação | Inchaço abdominal | Cansaço | Micção frequente | Desejos alimentares | Alteração do paladar | Aversão a odores | Gases | Tontura | Variações do humor | Dor de cabeça | Corrimento vaginal | Acne

Por que é importante reconhecer os primeiros sinais de gravidez?

Os primeiros sintomas de gravidez são os sinais de alerta que servem de estímulo para as mulheres fazerem um teste de gravidez, seja ele o teste de farmácia ou a dosagem sanguínea do beta-hCG.  Algumas mulheres recorrem a testes caseiros de gravidez quando suspeitam estar grávidas, mas esses, além de não serem confiáveis, podem ainda fazer mal, conforme explicamos no artigo: Teste de Gravidez Caseiro – Mito ou Verdade?.

Quanto mais cedo uma mulher souber que está grávida, mais cedo ela poderá iniciar seu pré-natal. Dessa forma, ela poderá tomar logo medidas benéficas ao feto, tais como controlar a glicose no sangue, aprimorar a dieta, usar suplementos – como ácido fólico e ferro –, vigiar a pressão arterial, tratar prontamente infecções e evitar o consumo de álcool ou medicamentos potencialmente nocivos ao bebê no primeiro trimestre de gestação.

É importante salientar que os sintomas de gravidez não são os mesmos para todas as mulheres. Além disso, uma mesma mãe pode ter sintomas na segunda gravidez completamente diferentes daqueles da primeira. E mesmo quando esses sinais repetem-se, eles podem variar em intensidade, frequência, época do surgimento e duração.

Outro dado que deve ser destacado é o fato de muitos dos sintomas iniciais da gestação podem ser semelhantes aos desconfortos pré-menstruais aos quais você está habituada. É muito comum mulheres que não estão grávidas confundirem os sintomas pré-menstruais com os de uma possível gravidez inicial.

Curiosamente, o oposto também é verdade, pois muitas gestantes não valorizam os primeiros sintomas e só vão descobrir que estão grávidas lá no final do primeiro trimestre, quando os sinais tornam-se óbvios demais para serem desprezados (leia: É Gravidez ou Menstruação? para entender melhor as diferenças entre os sinais iniciais da gravidez e os sintomas pré-menstruais).

Informações em vídeo

Antes de seguirmos em frente com as explicações sobre cada um dos 20 sintomas de gravidez, assista ao vídeo abaixo do nosso canal do Youtube, que resume as informações contidas nesse texto.

Quais são os sintomas de gravidez nos primeiros dias e semanas?

Em geral, os primeiros sinais e sintomas da gravidez surgem de 2 a 3 semanas após a relação sexual que deu origem à gravidez, época na qual o embrião se implanta no útero. Explicamos em detalhes porque isso acontece no artigo: Quando surgem os primeiros sintomas de gravidez?

Da implantação do embrião no útero até mais ou menos a 13ª semana de gestação, o aumento na produção de hormônios fará a mulher experimentar uma grande quantidade de manifestações clínicas.

Os principais sintomas de gravidez e a época mais comum de aparecimento de cada um deles estão descritos na tabela abaixo:


Sintoma de Gravidez

Quando surge (DUM)
1. Sangramento vaginal3ª a 4ª semana
2. Atraso menstrual4ª semana
3. Dor abdominal4ª a 5ª semana
4. Dor mamária5ª semana
5. Aumento das mamas5ª semana
6. Alterações dos seios5ª a 6ª semana
7. Náuseas e vômitos5ª a 6ª semana
8. Constipação intestinal5ª a 6ª semana
9. Inchaço abdominal5ª a 6ª semana
10. Cansaço5ª a 6ª semana
11. Micção frequente5ª a 6ª semana
12. Desejos alimentares6ª semana
13. Alteração do paladar6ª semana
14. Aversão a odores6ª semana
15. Aumento dos gases6ª semana
16. Tonturas6ª semana
17. Variações do humor6ª semana
18. Dor de cabeça8ª semana
19. Corrimento vaginal8ª semana
20. Acne10ª semana

1. Pequeno sangramento vaginal

→ Frequência deste sinal: pouco comum.

O primeiro sinal de gravidez costuma ser um discreto sangramento vaginal. Nem todas as mulheres apresentam esse sinal e algumas das que apresentam não o reconhecem como um sintoma de gravidez.

Quando o óvulo é fecundado, ele transforma-se em zigoto (primeira fase do embrião) e começa a viajar pela trompa uterina em direção ao útero. Após 6 a 12 dias de viagem, o embrião chega ao útero e implanta-se na sua parede. Esta implantação pode causar um pequeno sangramento uterino, que se manifesta como um discreto sangramento vaginal.

Como o sangramento da implantação dura até três dias, pode causar uma leve cólica abdominal e costuma ocorrer próximo à época em que a menstruação é esperada, algumas mulheres o interpretam como uma menstruação que veio fraca e não desconfiam que esse é o seu primeiro sinal de gravidez.

É importante destacar que a implantação do embrião no útero é apenas uma das várias causas de sangramento vaginal na gravidez. Mais de 20% das grávidas apresentam algum sangramento no primeiro trimestre de gestação.

Portanto, se você está tentando engravidar e apresenta uma menstruação diferente da usual, fique atenta, pois isso pode ser um sinal de gravidez inicial.

2. Atraso menstrual

→ Frequência deste sinal: ocorre em 100% dos casos.

Como o sangramento da implantação não é algo assim tão comum, na prática, o primeiro sintoma de gravidez para a maioria das mulheres acaba sendo o atraso da menstruação. Esse é o sinal que habitualmente leva as mulheres a fazerem o teste de gravidez.

Todavia, nem todas as mulheres têm facilidade em reconhecer uma menstruação atrasada. Algumas mulheres têm ciclos menstruais muito irregulares e apresentam períodos de anovulação (não ovulam durante um determinado mês), o que faz com que o intervalo habitual entre as suas menstruações seja frequentemente maior que 1 ou até 2 meses.

Além disso, como explicado acima, episódios de sangramento vaginal no início da gravidez podem mimetizar uma menstruação, fazendo com que a mulher demore a notar que não está mais menstruando.

É importante ressaltar que a menstruação pode atrasar por vários outros motivos que não uma gravidez, entre eles, estresse, infecções, troca de anticoncepcional, alterações o peso, cansaço, etc.

A própria expectativa de menstruação, quando a mulher não quer de jeito nenhum engravidar, mas se descuidou tendo relações sexuais desprotegidas, pode causar um atraso menstrual.

3. Cólicas ou dor abdominal

→ Frequência deste sintoma: comum.

Sintoma de gravidez: cólicas abdominais.
Dor abdominal é um sinal de gravidez comum

Além de um sangramento leve, a gravidez inicial também pode causar algum desconforto na parte inferior do abdômen ou uma sensação de inchaço na barriga, parecendo-se muito com os sintomas pré-menstruais.

Estes incômodos e cólicas, quando associados a um sangramento vaginal, podem muito bem enganar as grávidas, fazendo-as pensar que menstruaram.

A dor abdominal é um sintoma que pode surgir no primeiro, segundo ou terceiro trimestre de gravidez. Nas primeiras semanas de gestação ela é mais um peso ou um desconforto do que propriamente uma cólica.

4. Dor nas mamas

→ Frequência deste sintoma: muito comum.

Outro sinal típico de gravidez, o aumento da sensibilidade das mamas pode surgir precocemente, apenas duas ou três semanas após a fecundação. Muitas vezes, o simples ato de tocar nos seios ou vestir um sutiã pode ser bastante incômodo.

Nas mulheres que não apresentam sangramento de implantação e não identificaram um atraso na menstruação, a dor nas mamas pode ser o primeiro sintoma de gravidez a ser notado.

5. Aumento do tamanho dos seios

→ Frequência deste sinal: muito comum.

Além da sensibilidade, as mamas das gestantes também costumam ficar maiores, causando uma sensação de inchaço.

Esse aumento dos seios ocorre por alterações hormonais que estimulam o desenvolvimento das glândulas mamárias, preparando-as para o período de amamentação que virá nos próximos meses.

O aumento no volume das mamas costuma surgir 1 ou 2 semanas depois da gestante notar que elas estão mais sensíveis.

6. Alterações na aparência dos seios

→ Frequência deste sinal: muito comum.

Além do aumento de volume e da dor, os hormônios produzidos na gravidez também fazem as mamas das grávidas mudar de aparência. É comum haver escurecimento dos mamilos e aparecimento de veias ao redor dos seios. Estas alterações duram até o fim da amamentação.

Outra alteração nítida na aparência das mamas é o surgimento dos tubérculos de Montgomery, pequenos nódulos localizados nas aréolas. Esses nódulos são glândulas que produzem secreções que mantêm a aréola e o mamilo lubricados. Conforme a mama cresce ao longo da gestação, os tubérculos ficam cada vez mais visíveis.

7. Náusea e vômitos

→ Frequência deste sintoma: muito comum.

Sintoma de gravidez: enjoos e vômitos.
Enjoo é um sintoma de gravidez que pode surgir nas primeiras semanas

As náuseas e vômitos costumam surgir a partir da 6ª semana de gestação. Entretanto, há mulheres que apresentam esses sintomas já na 4ª ou 5ª semana.

Náusea e vômitos são sintomas típicos do primeiro trimestre de gravidez e tendem a desaparecer no segundo trimestre. Na maioria dos casos, os enjoos melhoram a partir da 12ª semana e 90% das grávidas já não apresentam mais qualquer grau de náuseas na 18ª semana.

Em alguns casos, os enjoos são tão intensos que a mulher não consegue nem sequer alimentar-se. Enjoos graves, que requerem apoio médico, fazem parte de uma quadro chamado hiperemese gravídica.

8. Constipação intestinal

→ Frequência deste sintoma: comum.

O aumento da produção do hormônio progesterona na gravidez faz com que alguns órgãos e tecidos do corpo fiquem mais “frouxos” ou “relaxados”. Isso ocorre de forma a facilitar a grande expansão de volume do útero que está por vir.

Entre esses órgãos estão os intestinos, que, por sofrerem redução de sua capacidade de contrair, têm mais dificuldade de manter o trânsito intestinal normal, o que resulta em prisão de ventre.

Para saber mais sobre a prisão de ventre, leia: Constipação intestinal.

9. Barriga inchada

→ Frequência deste sinal: comum.

Você jurava até a semana passada que você cabia naquela calça jeans super justa, e agora, de repente, a calça já não fecha mais em volta da sua barriga.

Isso pode ocorrer porque, mesmo quando o feto ainda é muito pequeno para expandir o útero, algumas mulheres apresentam um certo inchaço na região abdominal, que ocorre como preparação do corpo para suportar o crescimento uterino.

Esse inchaço é outro sintoma que pode ser confundido com os sintomas pré-menstruais.

10. Cansaço e sono excessivo

→ Frequência deste sintoma: muito comum.

Uma sensação de cansaço desproporcional às suas atividades diárias é um sintoma de gravidez muito comum. Se você já tem uma rotina cansativa durante o dia, ela pode tornar-se exaustiva.

Aumento do sono também é muito comum. O seu corpo dá sinais de que precisa descansar com mais frequência. Você pode começar a querer ir para a cama mais cedo e ter mais dificuldade do que o habitual para acordar pela manhã. Durante o dia, uma boa soneca parece ser tudo o que você mais deseja.

O cansaço e o sono na gravidez ocorrem por alterações hormonais, principalmente da progesterona, que age diretamente no sistema nervoso central e nos sistemas respiratórios e cardiovascular.

O cansaço é um sintoma do início da gravidez que habitualmente desaparece no segundo trimestre. No entanto, ele retorna no final da gravidez, quando o bebê já se encontra grande e pesado.

11. Vontade frequente de urinar

→ Frequência deste sintoma: muito comum.

Após cerca de seis semanas de gravidez, a grávida começa a sentir vontade de urinar com maior frequência. Estas viagens ao banheiro podem ocorrer, inclusive, durante a madrugada, atrapalhando o sono da gestante.

Nas primeiras semanas, o aumento da urina ocorre por redução da capacidade da bexiga se esvaziar completamente, devido ao relaxamento provocado pelos hormônios da gravidez. No final da gravidez, o feto muito grande comprime a bexiga, reduzindo sua capacidade de armazenamento e fazendo com que pequenos volumes já desencadeiem vontade de urinar.

O aumento da frequência urinária é um sintoma de gravidez que surge precocemente, ocorre em praticamente 100% das grávidas e que, infelizmente, dura até o final da gestação.

É importante notar que se o aumento na frequência urinária vier acompanhada de urina mais escura e/ou ardência para urinar, uma infecção urinária pode ser a causa.

12. Desejos alimentares

→ Frequência deste sintoma: comum.

Sintoma de gravidez: desejos alimentares na grávida
Desejo por comidas especiais é um sintoma que costuma surgir no segundo mês de gestação

O desejo por certas comidas nas primeiras semanas de gestação é um dos sintomas mais clichés da gravidez. Esses desejos estranhos podem até fazer mulheres vegetarianas sentirem vontade de comer hambúrguer.

Do mesmo modo que adquirem esses desejos, as grávidas também podem apresentar aversões a certas comidas e/ou cheiros. Aquele restaurante japonês que você adora pode, durante a gestação, causar-lhe náuseas só de passar pela porta.

13. Alterações do paladar e do olfato

→ Frequência deste sintoma: comum.

Além de ter desejos e aversões alimentares, a mudança de paladar é um outro sintoma muito comum de gravidez.

Doces podem ser tornar demasiadamente doces, o café que você adora passa a ter um sabor esquisito e durante o dia você pode sentir um gosto de metal na boca sem motivo aparente.

14. Aversão a odores fortes

→ Frequência deste sintoma: comum.

Assim como alguns alimentos causam enjoos nas primeiras semanas de gravidez, odores intensos, mesmo que agradáveis, como os de perfumes ou comidas, podem fazer você se sentir enjoada. Odores ruins ou muito fortes, como fumaça de cigarro, gasolina, álcool, produtos de limpeza, etc., causam o mesmo efeito.

Um sintoma comum de gravidez é uma maior sensibilidade do olfato. A gestante refere a sensação de ter desenvolvido uma super-olfato. Odores que passavam despercebidos ou não incomodavam, agora se tornam insuportáveis.

15. Eliminação frequente de gases

→ Frequência deste sinal: comum.

Algumas mulheres experimentam um aumento dos gases intestinais nas primeiras semanas de gravidez. Este pode ser um sintoma embaraçoso nos casos em que a gestante precisa ficar horas presa dentro de um escritório ou sala com outras pessoas. Há um aumento da necessidade de arrotar e de soltar flatos (pum).

16. Tontura

→ Frequência deste sintoma: comum.

Tonturas é um dos daqueles clássicos sintomas de gravidez que aparecem em todos os filmes quando a personagem fica grávida.

Os hormônios da gravidez provocam diversas alterações no organismo da mulher, que realmente podem provocar tonturas, entre as quais estão a queda da pressão arterial, redução do níveis de açúcar no sangue, anemia, aumento da frequência respiratória (que pode levar à hiperventilação durante um esforço físico), alimentação insuficiente devido aos enjoos, etc.

17. Variações do humor

→ Frequência deste sintoma: comum.

Outro sintoma de gravidez que todo mundo já viu em filmes. A grávida pode chorar até quando vê comercial de televisão. Coisas pequenas podem ganhar uma relevância desproporcional.

Variações súbitas de humor também são comuns. A grávida pode ir da alergia à tristeza ou da simpatia a explosões de mau humor com pessoas próximas de uma hora para outra. Há casos de grávidas que até demissão do emprego pediram.

18. Dor de cabeça

→ Frequência deste sintoma: pouco comum.

Alterações hormonais, relaxamento dos vasos sanguíneos e alterações do fluxo sanguíneo cerebral explicam por que algumas grávidas passam a ter dor de cabeça durante a gestação. O estresse e o cansaço também contribuem. A dor de cabeça é um sintoma que costuma surgir já nas primeiras semanas de gravidez.

19. Corrimento vaginal

→ Frequência deste sinal: comum.

O surgimento de corrimento vaginal ou intensificação do seu corrimento habitual são sintomas normais na gravidez. Em geral, esse corrimento é igual ao corrimento fisiológico que algumas mulheres têm, sendo espesso, leitoso ou transparente e sem odor.

20. Acne

→ Frequência deste sinal: pouco comum.

Alterações hormonais podem fazer com que algumas grávidas desenvolvam acne ou apresentem agravamento da acne que já possuíam antes.

No sexo feminino, acne está muito relacionada a desbalanços dos hormônios sexuais que provocam aumento da oleosidade da pele. A acne na gravidez pode ser leve ou grave e surgir em qualquer momento da gestação.

Para mais informações sobre a gravidez, acesse nosso arquivo de textos sobre o assunto através do seguinte link: Gravidez.

Referências


VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais