DICLOFENACO – Para que Serve, Posologia e Efeitos Colaterais.

Bula simplificada do anti-inflamatório diclofenaco, como informações em linguagem acessível a todo mundo.

0

O diclofenaco ou diclofenac pertence ao grupo de medicamentos chamado anti-inflamatórios não esteroides (AINE), que possuem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

Este medicamento é indicado para uma série de condições de origem inflamatória, tais como artrites, dor por traumas, inflamações dentárias, pós-operatórios, etc.

Neste artigo, vamos fornecer as seguintes informações sobre o diclofenaco:

  • Diferenças entre o diclofenaco sódico e o diclofenaco potássico.
  • Nomes comercias mais comuns.
  • Para que serve.
  • Posologia.
  • Efeitos colaterais.
  • Contra-indicações.
  • Interações medicamentosas.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula do diclofenaco. Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações sobre este anti-inflamatório.

Advertisements

Se você deseja mais informações sobre todas os fármacos da classe dos anti-inflamatórios não esteroides, leia: ANTI-INFLAMATÓRIOS – Ação e Efeitos Colaterais.

Diferenças entre o diclofenaco sódico e o diclofenaco de potássio

Na prática, a diferença é praticamente nenhuma. Ambos possuem as mesmas propriedades farmacodinâmicas e farmacocinéticas. A dose de administração é a mesma e os efeitos adversos e a taxa de eficácia são exatamente iguais.

A mólecula ativa desse tipo de anti-inflamatório é o diclofenaco, sendo o sódio ou potássio apenas o sal ao qual ele está associado.

Existem alguns estudos que sugerem que a absorção do diclofenaco de potássio é ligeiramente mais rápida que a do diclofenaco de sódio, o que seria responsável por uma diferença de cerca de 30 minutos em relação ao momento que o fármaco atinge o seu pico de concentração plasmática. Na prática, porém, isso tem pouca relevância clínica.

O diclofenaco sódico é pior para quem tem hipertensão?

Não, qualquer anti-inflamatório não esteroide é ruim para a hipertensão arterial, mas a culpa é do diclofenaco em si, e não do sódio a ele associado, já que a concentração deste sal em cada comprimido é mínima.

A quantidade de sódio em um comprimido de 50 mg de diclofenaco sódico é de 3,6 mg. Na dose habitual de 150 mg por dia, isso significa cerca de 11 mg de sódio. Só como comparação, uma fatia de pão costuma ter entre 100 e 200 mg de sódio.

A quantidade de sódio diária recomendada pela Organização mundial de saúde é de 2000 mg por dia. Portanto, a quantidade sódio que você irá consumir diariamente ao tomar o diclofenaco sódico corresponde a apenas 0,5% do limite recomendado.

O diclofenaco potássico faz mal para quem deve restringir o potássio na dieta?

Advertisements

Não, a quantidade de potássio presente em cada comprimido de diclofenaco é muito pequena. Um comprimido de 50 mg de diclofenaco potássico possui cerca de 5,8 mg de potássio. Só como comparação, uma única banana contém cerca de 400 mg de potássio.

É importante destacar, porém, que a restrição de potássio costuma estar indicada para o pacientes com insuficiência renal crônica avançada. Neste grupo, o diclofenaco, assim como qualquer outro anti-inflamatório, está contraindicado (leia: REMÉDIOS QUE PODEM FAZER MAL AOS RINS).

Nomes comerciais mais comuns

O diclofenaco já é vendido como medicação genérica, sendo muito fácil encontrá-lo nas farmácias.

Existem vários nomes comerciais disponíveis no mercado, tanto do diclofenaco sódico quanto do potássico. Alguns exemplos são:

  • Abiflan.
  • Artren.
  • Belfaren.
  • Biofenac.
  • Cataflam.
  • Clofen.
  • Desinflex.
  • Dflam.
  • Diclac SR.
  • Diclofenac.
  • Fenaflan.
  • Flamatrat.
  • Flodin Duo.
  • Infladex.
  • Maxilerg.
  • Neotaflan.
  • Neotaren.
  • Probenxil.
  • Reutrite.
  • Sifdiclop.
  • Still.
  • Voltaren.

Para que serve o diclofenaco

O diclofenaco é uma droga anti-inflamatória não esteroide indicada para o tratamento das dores de leve a moderada intensidade.

Entre as condições mais indicadas podemos citar:

O diclofenaco tem uma ação antipirética fraca, não sendo uma boa opção quando o paciente apresenta febre isolada, sem algum tipo de dor associada.

Posologia

→ Comprimidos (25 mg, 50 mg, 75 mg ou 100 mg):

A dose diária total recomendada para casos de dor e/ou inflamação é de 75 a 150 mg por dia, divididos em 2 ou 3 doses por dia.

Assim como ocorre com qualquer outro anti-inflamatório não esteroide, o uso do medicamento por mais de 1 semana sem orientação médica deve ser evitado.

Advertisements

Doses até 200 mg por dia (100 mg de 12/12 horas) podem ser utilizadas em algumas situações especiais. Porém, devido ao maior risco de efeitos colaterais, essa dose mais elevada deve ser evitada, a não ser que haja uma explícita orientação médica.

→ Supositórios (12,5 mg, 25 mg, 50 mg ou 75 mg): 

A posologia diária é de 100 a 150 mg, divididos em 2 ou 3 tomadas por dia.

→ Colírio (1 mg/ml):

Instilar 1 gota no saco conjuntival, 4 a 5 vezes por dia.

→ Pomada oftálmica (1 mg/g):

Aplicar pequena quantidade no saco conjuntival, 2 a 3 vezes por dia.

→ Gel creme (10 mg/g):

Aplicar na área inchada ou dolorida, 3 a 4 vezes ao dia.

EFEITOS COLATERAIS

Por ser um anti-inflamatório não esteroide (AINE), o diclofenaco partilha de todos os efeitos colaterais desta classe de fármacos.

Advertisements

Os principais efeitos colaterais do diclofenaco são:

  • Edemas (33%).
  • Agravamento da hipertensão arterial (3%).
  • Dor de cabeça (8%).
  • Tonturas (2%).
  • Náuseas e vômitos (7%).
  • Diarreia (6%).
  • Prisão de ventre (8%).
  • Dispepsia (queimação no estômago) (3%).
  • Flatulência (3%).
  • Coceira na pele (7%).
  • Dor nas articulações (5%).

Duas complicações graves do diclofenaco são a úlcera péptica e a insuficiência renal, que podem surgir com o uso prolongado de qualquer AINE. Pacientes que fazem uso crônico de diclofenaco também apresentam maior risco de complicações cardiovasculares.

Obs: o diclofenaco em gel ou nas formas oftalmológicas apresentam pouca absorção sistêmica e os efeitos colaterais descritos acima são menos comuns.

PRECAUÇÕES E CONTRAINDICAÇÕES

O diclofenaco não deve ser administrado a nenhum paciente que já tenha tido reação alérgica ou crise de broncoespasmo (asma) relacionada a qualquer anti-inflamatório não esteroide ou ácido acetilsalicílico (aspirina).

Como os anti-inflamatórios inibem a ação das plaquetas, nos pacientes com cirurgia programada, o diclofenaco deve ser suspenso pelo menos 48 horas antes para minimizar o risco de sangramento.

O diclofenaco deve ser evitado nos pacientes com as seguintes condições:

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

A associação do diclofenaco com os seguintes fármacos deve evitada ou feita somente sob orientação médica: varfarina, diuréticos, digoxina, metotrexato, ciclosporina, lítio, citalopram, escitalopram, fluoxetina, paroxetina ou sertralina.

Devido ao maior risco de lesão renal, a associação de qualquer anti-inflamatório com anti-hipertensores da classe dos Inibidores da Enzima de Conversão da Angiotensina (IECA) ou Antagonistas dos Receptores da Angiotensina II (ARA2) deve ser evitada.

Quem já está tomando um anti-inflamatório não deve utilizar o diclofenaco. Não há aumento da analgesia e o risco de efeitos colaterais eleva-se muito quando se associam dois AINE.

Este artigo foi útil?  
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, Total: 4,82 de 5)
Loading...
Advertisements
Advertisements
VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

Deixe um Comentário

Antes de comentar, leia as REGRAS PARA COMENTÁRIOS.

Seu email não será publicado.