Amebíase – Infecção provocada pela ameba Entamoeba histolytica

A amebíase é uma forma de parasitose muito comum, que costuma ser assintomática na maioria dos pacientes.

Amebíase é o nome da doença causada pela ameba Entamoeba histolytica, um protozoário que pode causar graves sintomas gastrointestinais, como diarreia sanguinolenta e abscesso no fígado. A amebíase é uma infecção que ocorre no mundo inteiro, mas é mais comum em regiões pobres e com saneamento básico precário.

Neste artigo vamos abordar os seguintes pontos sobre a amebíase causada pela Entamoeba histolytica:

  • Como se pega ameba.
  • Ciclo de vida da Entamoeba histolytica.
  • Sintomas da amebíase.
  • Amebíase extra-intestinal.
  • Diagnóstico da amebíase por Entamoeba histolytica.
  • Tratamento da amebíase.

Atenção: não confundir a Entamoeba histolytica com outras amebas inofensivas, como a Entamoeba dispar, Entamoeba moshkovskii, Endolimax nana ou Entamoeba coli.

Como se pega ameba

A amebíase intestinal é um doença que ocorre quando o indivíduo se contamina com a ameba Entamoeba histolytica. A transmissão é feita pela via fecal-oral, ou seja, uma pessoa contaminada elimina o parasita nas fezes, e outra, de algum modo, acaba engolindo-o.

Esse modo de transmissão pode se dar de diversas maneiras, principalmente através do consumo de  água ou alimentos contaminados. A transmissão pode ocorrer, por exemplo, quando uma pessoa evacua, não lava as mãos adequadamente e vai preparar alimentos para outros. Banhar-se ou consumir água de locais com más condições sanitárias também são um fator de risco para amebíase.

Pessoas que moram no mesmo domicilio de pacientes infectados apresentam alto risco de contaminação, uma vez que os cistos da ameba são bastante resistentes, podendo contaminar objetos de uso comum e sobreviver neles durante vários dias.

Qualquer contato com fezes contaminadas pode causar a transmissão, incluindo pessoas que têm relação sexual anal, seguida de sexo oral.

Ciclo de vida da Entamoeba histolytica

A Entamoeba histolytica eliminada nas fezes encontra-se na forma de cistos, que é muito resistente a meios hostis, podendo sobreviver no ambiente por vários meses. A ingestão de um único cisto de Entamoeba histolytica é suficiente para contaminar o paciente.

O cisto, após ser ingerido, passa incólume pela acidez do estômago, e muda para a forma trofozoíta ao chegar nos intestinos. Quando alcançam o cólon, os trofozoítas se aderem a sua parede e passam a colonizá-la. Na maioria dos casos a Entamoeba histolytica tem um comportamento comensal, isto é, vive em harmonia com o hospedeiro, alimentando-se do nossos alimentos e não produzindo sintomas.

Os trofozoítas se multiplicam no cólon de forma binária e voltam a formar cistos, que são eliminados nas fezes. O paciente contaminado elimina a Entamoeba histolytica em forma de cistos e trofozoítas, mas apenas os primeiros são capazes de sobreviver no ambiente. Mesmo que outro indivíduo venha a ingerir a forma trofozoíta, esta não é capaz de provocar doença, pois é destruída pela acidez estomacal. Portanto, apenas os cistos de Entamoeba histolytica são capazes de provocar doença.

Doença amebíase

Em cerca de 90% dos casos, o paciente contaminado se torna um portador assintomático da ameba. Porém, por mecanismos ainda não totalmente esclarecidos, em uma pequena parte dos pacientes contaminados, a Entamoeba histolytica pode ter um comportamento agressivo, invadindo a parede do cólon, destruindo as células epiteliais e provocando grande inflamação intestinal, o que leva à diarreia sanguinolenta e outros sintomas de amebíase que serão expostos mais à frente.

A ameba também pode atravessar a parede do cólon e cair na circulação sanguínea, indo se alojar em outros órgãos, como fígado, pulmões e cérebro.

Não sabemos exatamente por que em uma minoria dos casos a amebíase se torna uma doença agressiva, mas alguns fatores já estão esclarecidos, como a existências de cepas mais virulentas da ameba e alterações no estado imunológico do paciente.

Entre os fatores de risco para amebíase sintomática podemos citar:
– Gravidez.
– Uso de drogas imunossupressoras.
– Uso de corticoides (leia: PREDNISONA E CORTICOIDES | efeitos colaterais).
– Alcoolismo (leia: ALCOOLISMO | Quando a bebida se torna um problema).
– Extremos de idade (bebês e idosos).
– HIV (leia: SINTOMAS DO HIV | AIDS).
– Câncer (leia: O QUE É O CÂNCER?).
– Desnutrição.

Sintomas da amebíase

Como já foi dito, mais de 90% dos pacientes contaminados com Entamoeba histolytica não apresentam sintomas. Quando há doença sintomática, ela geralmente surge entre 1 a 4 semanas após a contaminação pelo cistos do parasito.

Nos 10% dos pacientes que apresentam doença pela ameba, os sintomas mais comuns costumam ser dor abdominal, tenesmo (dor ao evacuar), diarreia aquosa e volumosa, com várias evacuações por dia, e perda de peso. O quadro costuma ser mais arrastado que os das gastroenterites virais ou intoxicação alimentar, com piora dos sintomas ao longo de 1 a 3 semanas. Não é incomum haver também febre e disenteria (diarreia sanguinolenta).

A maioria dos casos de amebíase é de leve a moderada intensidade, mas raramente, em cerca de 0,5% dos casos, a doença pode se apresentar de forma fulminante, com necrose intestinal, perfuração do cólon e peritonite grave. Nestes casos, a mortalidade ultrapassa os 40%.

A amebíase também pode ter uma forma crônica, com episódios recorrentes de cólicas e fezes sanguinolentas, um quadro muito parecido com o que ocorre nas doenças inflamatórias intestinas, como a retocolite ulcerativa e a doença de Crohn (leia: DOENÇA DE CROHN | RETOCOLITE ULCERATIVA).

Amebíase extra-intestinal

O órgão extra-intestinal mais acometido pela Entamoeba histolytica é o fígado. A forma de apresentação mais comum é o abscesso hepático, que ocorre em até 5% dos pacientes com amebíase intestinal sintomática. Os sintomas mais comuns do abscesso hepático pela ameba são febre e dor na região do fígado (quadrante superior direito do abdômen) (leia: DOR NA BARRIGA | DOR ABDOMINAL | Principais causas).

Mais raramente, a ameba também pode formar abscessos no pulmão ou no cérebro.

Diagnóstico da amebíase

O diagnóstico da infecção por Entamoeba histolytica é geralmente feito através do exame parasitológico de fezes (EPF) (leia: VERMES | EXAME PARASITOLÓGICO DE FEZES). Como os cistos e trofozoítos não são eliminados de forma constante pelas fezes, no mínimo 3 amostras colhidas em dias diferentes são necessárias para o diagnóstico.

O laboratório que realizará a pesquisa precisa ser capaz de distinguir a Entamoeba histolytica de outras amebas que são morfologicamente semelhantes, mas não causam doenças nos humanos, como Entamoeba dispar e a Entamoeba moshkovskii.

A sorologia, que consiste na pesquisa de anticorpos contra a Entamoeba histolytica, também é uma opção, sendo positiva em mais de 90% dos pacientes com amebíase intestinal.

Tratamento da amebíase

Todas as infecções pela ameba Entamoeba histolytica devem ser tratadas, mesmo na ausência de sintomas, devido ao potencial risco de complicações futuras e de disseminação da ameba para os membros da família.

Existem várias opções de tratamento para a amebíase. As formas leves ou assintomáticas podem ser tratadas com Teclozam. Para as formas sintomáticas, as opções são Metronidazol, tinidazol ou secnidazol (leia: METRONIDAZOL | Comprimido, creme e gel).

As infecções por Entamoeba dispar ou Entamoeba moshkovskii não necessitam de tratamento. Outras amebas, como a Endolimax nana e a Entamoeba coli também não provocam doenças e não precisam ser tratadas.

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

75
Deixe um comentário

avatar
300
Mirian Tereza de Sena Carvalho
Visitante
Mirian Tereza de Sena Carvalho

Achei o seu artigo muito importante por isso sugeri a minhas colegas da área de enfermagem a citá-lo no projeto sobre parasitoses intestinais da UNINASSAL 2018.

gabriela
Visitante
gabriela

Dr. tomei albendazol para ameba , depois soube q não funcionava!
pode me fazer mal o fato do ter tomado o albendazol ?

Jarlize
Visitante
Jarlize

Eu tou lendo isto porque eu tou fazendo um trabalho de ciências

Gerusa Rocha
Visitante
Gerusa Rocha

Bom dia DR.
Gostaria de tirar uma dúvida.
Meu marido está com a Endolimax nana, e já tomamos anita, inclusive remédios naturais para tentar matar essa verme. Ele sente muitas dores abdominais e tem incontinência urinária, não sei se devido esta ameba. Gostaria de saber uma indicação de tratamento e qual o melhor médico a procurar?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

A Endolimax nana não costuma provocar sintomas. E mesmo nos raros casos com sintomas, incontinência urinária não costuma ser um deles. Sugiro que ele vá a um urologista.

Cida Almeida
Visitante
Cida Almeida

Bom dia Dr.
meu exame deu cistos de entamoeba coli, a médica me receitou Anitta, tá correto?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Em geral, não é indicado o tratamento da Entamoeba coli, pois ela é um tipo de ameba que não costuma causar nenhuma doença. Seria bom você entrar em contato com a médica pra ela lhe esclarecer o motivo de ter optado pelo tratamento.

cicero
Visitante
cicero

Dr. Pedro, estou com entamoeba coli; qual o tratamento? Obrigado, Cícero.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Cicero, o texto fala quais são as opções de tratamento.

jEwerton Gomes
Visitante
jEwerton Gomes

Olá Doutor. Fiz o tratamento com metronidazol durante 10 dias e não houve melhora. O que devo fazer?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Tem que confirmar o diagnóstico e mudar o antibiótico.

jEwerton Gomes
Visitante
jEwerton Gomes

Muito obrigado, doutor.

Vitor Viana
Visitante
Vitor Viana

Doutor , a má alimentação pode provocar a ameba ? quais alimentos evitar ? e quais alimentos consumir ?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Não, o que provoca amebíase é a ingestão de água ou alimentos contaminados.

Franciete lobato
Visitante
Franciete lobato

A ameba Pode prejudicar o bebê na gravidaez?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Pode.

davi gouveia de melo
Visitante
davi gouveia de melo

Dr. Foi diagnosticado em meu exame de fezes (1° amostra), cistos de Entamoeba histolyca e Endolimax nana. Sinto muitas dores abdominais principalmente à noite. É possivel algum tratamento?
Muito obrigado!

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Sim, tem que tratar. Tem que levar o resultado para o médico que solicitou o exame.

Patrícia Matos Botelho
Visitante
Patrícia Matos Botelho

Ola, Dr. a Annita serve para o tratamento da amebíase?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

É uma opção.

GildaVelloso
Visitante
GildaVelloso

Boa noite. Gostei muito do site e achei o sr. muito gentil, com boa vontade p orientar.Agradeço por isso. Tenho uma pergunta: Existe algum medicamento alternativo para tratar ameba? Tenho intolerancia ao metronidazol e à Annita. O q devo tomar? Agradeço.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Sim, existe a paromomicina. Há também o tinidazol, mas ele é da família do metronidazol.

rose
Visitante
rose

doutor, minha filha de 5 anos tem améba, queria saber se isso é contagioso, pq ela costuma dividir com a irmã a chupeta e teve um dia ate q ela mascou um chiclete e passou para a irmã mascar , ou seja corre o risco de pegar pela saliva ? por favor me ajude.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

É contagioso através das fezes. Geralmente são mãos contaminadas que transmitem a ameba.

Sanya Luana
Visitante
Sanya Luana

Nossa muito legal esse site, e bem claro e objetivo. Me ajuda muito em meus estudos acadêmico. Parabéns pelo trabalho Dr. Pedro Pinheiro e muito obrigada.

Fernanda Borges
Visitante
Fernanda Borges

DR. cade a bibliografia ?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Não coloco a bibliografia porque o artigo não é científico, ele é voltado para a população leiga. Mas se você quiser a fonte bibliográfica de qualquer informação do texto, eu posso lhe fornecer. Basta dizer o que deseja.

Fernanda Borges
Visitante
Fernanda Borges

Sim eu gostaria de saber, porque eu fiz um trabalho da Faculdade, e usei algumas coisas daqui, será que poderia me mandar?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Exatamente o que você precisa?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais