8 sintomas do hipotireoidismo (tiroide preguiçosa)

Hipotireoidismo é a doença que surge quando a glândula tireoide produz hormônios em quantidade insuficiente.

O que é hipotireoidismo

Hipotireoidismo (ou hipotiroidismo) é o nome da doença na qual a glândula tireoide produz quantidades insuficientes de hormônios. Como o objetivo principal dos hormônios tireoidianos é controlar o metabolismo do corpo, é compreensível que as pessoas com hipotireoidismo apresentem sintomas associados a um metabolismo lento.

O hipotireoidismo é uma condição muito comum em todo o mundo. Estima-se que até 10% das mulheres tenham algum grau de disfunção da tireoide, muitas delas, porém, ainda em grau leve e com pouca repercussão clínica.

As manifestações clínicas do hipotireoidismo abordados nesse artigo são:

  • Bócio.
  • Sinais de lentificação do metabolismo.
  • Alterações na pele.
  • Alterações cardiovasculares.
  • Alterações músculo-esqueléticas.
  • Alterações reprodutivas.
  • Alterações neurológicas.
  • Alterações gastrointestinais

Informações em vídeo

Antes de seguirmos em frente, assista a esse curto vídeo que explica de forma simples quais são os principais sintomas de uma tireoide doente.

Sinais e sintomas do hipotireoidismo

1 – Bócio

Bócio é o nome dado ao aumento do tamanho da glândula tireoide, que torna-se facilmente perceptível como um abaulamento na região anterior do pescoço. O bócio pode surgir no hipotireoidismo, no hipertireoidismo, na deficiência de iodo e nas tireoidites. O bócio também pode aparecer devido ao surgimento de múltiplos nódulos na tireoide, sendo chamado neste caso de bócio multinodular.

No hipotireoidismo, como há falta de hormônios tireoidianos, o cérebro aumenta a produção de TSH, um hormônio que estimula a tireoide. Com o aumento do TSH no sangue, a glândula tireoide começa a crescer na tentativa de conseguir produzir mais hormônios tireoidianos.

Na maioria dos casos o bócio não causa nenhum sintoma, sendo apenas um inconveniente estético. Todavia, se o a glândula tiroide crescer demais ela pode comprimir as estruturas que passam pelo pescoço, como o esôfago e a traqueia, levando à tosse, dificuldade para engolir, rouquidão e até dificuldade para respirar.

2 – Metabolismo lento

Como os hormônios da tireoide são essenciais ao nosso metabolismo, isto é, ao modo como o corpo gera e gasta energia, a falta dos mesmo provoca sinais e sintomas de um metabolismo lentificado. Entre eles, os mais comuns são:

  • Intolerância ao frio.
  • Discurso e movimentos lentificado.
  • Desânimo.
  • Dificuldade de concentração.
  • Ganho de peso*.

* Atenção, o ganho de peso no hipotireoidismo costuma ser de alguns poucos quilos e está também muito relacionado a retenção de líquidos. Ninguém torna-se obeso apenas por ter hipotireoidismo.

3 – Alterações dermatológicas

O hipotireoidismo causa uma diminuição do aporte de sangue para a pele, deixando-a mais pálida e fria. A palidez da pele também pode ser causada por anemia, um achado comum nesta doença (leia: ANEMIA | Sintomas e causas).

A queda de cabelo é um achado frequente e as unhas tornam-se frágeis. O paciente também apresenta uma menor capacidade de suar.

Os pacientes com hipotireoidismo apresentam um acúmulo de duas substâncias, chamadas de ácido hialurônico e condroitinossulfato. Ambas se depositam na pele e formam uma especie de gelatina quando misturadas à água. Por isso é comum haver um espessamento da camada mais superficial da pele, tornando-a mais grossa e ressecada.

Nos casos de hipotireoidismo grave podem haver retenção de líquidos nas pernas e no resto do corpo, que se misturam a essas duas substâncias formando um edema duro, chamado de mixedema.

4 – Alterações cardiovasculares

A falta de hormônios tireoidianos causa uma diminuição da contratilidade do músculo cardíaco e da sua capacidade de bombear o sangue. O resultado é uma menor tolerância ao esforço físico e cansaço fácil.

Pacientes com hipotireoidismo frequentemente apresentam colesterol elevado (leia: COLESTEROL HDL | COLESTEROL LDL | TRIGLICERÍDEOS).

Hipertensão arterial também é um achado comum. Nos pacientes que já eram previamente hipertensos, a pressão arterial costuma ficar mais alta, havendo necessidade de aumentar a medicação (leia: CAUSAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL (PRESSÃO ALTA)).

5 – Alterações músculo-esqueléticas

Dores musculares e câimbras são as alterações musculares mais comuns no hipotireoidismo (leia: CÂIMBRAS | Causas e tratamento). Em alguns casos há lesão espontânea do músculo (chamada de rabdomiólise) com intensa dor muscular e fraqueza, principalmente nos músculos do quadril, coxas e ombros.

Em relação às articulações, dor articular é o sintoma mais comum.

Os pacientes com hipotireoidismo apresentam níveis de ácido úrico mais elevados que a média da população, estando, assim, sob maior risco de desenvolverem gota (leia: ÁCIDO ÚRICO | GOTA | Sintomas e dieta).

Outra alteração comum é a síndrome do túnel do carpo, que costuma regredir sem necessidade de cirurgia após o início da reposição de hormônios tireoidianos (leia: SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO | Sintomas e tratamento).

6 – Alterações reprodutivas

Mulheres com hipotireoidismo podem apresentar alterações na menstruação, que variam desde uma redução, ou até ausência do período, até aumento do sangramento e do tempo de menstruação. Estas alterações menstruais podem não melhorar mesmo após o início do tratamento.

O hipotireoidismo não tratado também aumenta a chance de infertilidade. Naquelas que conseguem engravidar, há maior risco de aborto.

Nos homens, o hipotireoidismo causa disfunção erétil (leia: IMPOTÊNCIA SEXUAL | Causas e tratamento) e dificuldade para ejacular. Tanto homens como mulheres apresentam queda da libido.

7 – Alterações neurológicas

O paciente com hipotireoidismo não controlado pode apresentar vários distúrbios neurológicos, entre eles:

  • Alterações do discurso.
  • Alterações da marcha.
  • Dor neuropática (dor de origem nos nervos periféricos).
  • Perda da sensibilidade nos membros.
  • Perda de memória.
  • Dificuldade de raciocínio.
  • Apatia.

Nos casos de hipotireoidismo grave o paciente pode evoluir para o coma e, posteriormente, ao óbito se não tratado a tempo.

8 – Alterações gastrointestinais

O sintoma gastrointestinal mais comum do hipotireoidismo é a constipação intestinal (prisão de ventre). Outro sintoma comum é a alteração do paladar, que provoca diminuição do sabor dos alimentos.

Atrofia da mucosa do estômago (atrofia gástrica) pode ocorrer. A ocorrência de doença celíaca é quatro vezes maior nos pacientes com hipotireoidismo do que na população em geral (leia: DOENÇA CELÍACA | Enteropatia por glúten).

Também pode haver aumento do tamanho da língua, o que costuma levar à apneia obstrutiva do sono (leia: APNEIA DO SONO – Causas, Sintomas e Tratamento).

ARTIGOS SEMELHANTES

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais