Terçol - hordéolo

O terçol, chamado em medicina de hordéolo, é uma inflamação das glândulas das pálpebras, localizadas junto à raiz dos cílios (leia: O QUE É INFLAMAÇÃO?).

Antes de falarmos da doença terçol, cabe aqui uma rápida explicação sobre a sua grafia correta. É muito comum encontrarmos a doença terçol escrita erradamente como tersol. Incrivelmente, já encontrei a grafia tersol em sites médicos e até em alguns dicionários online. Tersol com “s” é um tipo de toalha usada em missas pelos padres. Terçol com “ç” é a inflamação nas pálpebras, objetivo deste texto. O plural de terçol é terçóis.

Como já explicado, o nome científico do terçol é hordéolo, sendo este também conhecido popularmente como treçol, terçolho, treçolho, viúvo ou belezinha.

Neste artigo vamos explicar o que é o terçol, como ele surge, quais são os seus sintomas e quais são as opções de tratamento.

Por que surge o terçol?

Nas nossas pálpebras, junto aos folículos pilosos que produzem nosso cílios, temos também glândulas sebáceas, produtoras de gordura, responsáveis por evitar o ressecamento da pele. Temos glândulas sebáceas por toda a pele. Nas pálpebras elas recebem o nome de glândulas de Zeiss e glândulas de Mol (clique na imagem ao lado para ampliá-la)

Como surge o terçol

O terçol ocorre quando há obstrução e contaminação destas glândulas, geralmente pela bactéria Staphylococcus aureus (leia: STAPHYLOCOCCUS AUREUS | quais os riscos desta bactéria). O processo é muito semelhante ao que ocorre na formação da acne comum (espinhas) na pele, com obstrução de uma glândula sebácea e contaminação da mesma por uma bactéria (leia: ACNE | CRAVOS | ESPINHAS | Causas e tratamento).

Um dos principais fatores de risco para o surgimento do terçol é a blefarite, uma condição onde há inflamação na margem das pálpebras, com aumento da secreção gordurosa ao redor dos cílios e a aparência de que há caspa nos mesmos.

Esta inflamação associada à grande produção de gordura facilita a obstrução das glândulas e proliferação de bactérias.

Outras situações que favorecem o aparecimento do terçol incluem poucos cuidados higiênicos ao manusear lentes de contato(leia: LENTES DE CONTATO | Tipos, cuidados e complicações) e uso contínuo de maquiagem, principalmente quando não se lava o rosto à noite antes de dormir.

Sintomas do terçol

O terçol se caracteriza por um pequeno nódulo avermelhado nas pálpebras, que pode parecer com uma pequena espinha, associado a um pequeno inchaço e dor local. Pode também haver algum grau de prurido, secreção, sensação de corpo estranho e aumento da sensibilidade dos olhos à luz.

O terçol não é uma doença contagiosa, portanto, não há necessidade de isolamento ou do uso de óculos escuros, como na conjuntivite, por exemplo.

Tratamento do terçol

O tratamento do terçol é simples e se baseia na higiene adequada dos olho e da pele ao seu redor, associado à utilização de calor local, que pode ser feito com compressas de gaze ou algodão umedecidas com água morna colocadas sob a lesão por 15 minutos, quatro vezes por dia.

Terçol

Na maioria das vezes, o terçol é um processo autolimitado, com duração de no máximo uma semana. Porém, se a inflamação for persistente e não melhorar com as compressas mornas, pode ser necessário o uso de colírios e pomadas contendo antibióticos e corticoides (leia: PREDNISONA E CORTICOIDES | Indicações e efeitos colaterais).

Em alguns casos mais complicados, com inflamação crônica ou grande coleção de pus, uma pequena incisão na pálpebra para drenagem do abscesso pode ser indicada pelo oftalmologista.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.