Lente de contato

O uso de lentes de contato ganhou muita popularidade ao longo das últimas duas décadas. Estima-se que, atualmente, mais de 130 milhões de pessoas em todo mundo as usem frequentemente.

As lentes de contato apresentam algumas vantagens em relação aos óculos, como a comodidade para se praticar esportes, um maior campo de visão e o fato de serem praticamente imperceptíveis, o que esteticamente acaba sendo conveniente.

As lentes de contato apresentam três indicações básicas:

– Correção visual de grau, seja por miopia, hipermetropia, astigmatismo ou presbiopia.
– Cosmética, como no caso das lentes de contato coloridas.
– Terapêutico, para correção de algumas doenças oculares como ceratocone ou após cirurgias.

O uso cosmético das lentes tem se tornado muito popular. Algumas pessoas usam lentes coloridas para mudar a cor dos olhos. Outros usam lentes estilizadas para alterar o formato dos olhos, o que tem sido muito comum em filmes e festas. Nos E.U.A, durante a época de Halloween, é frequente as pessoas usarem este tipo de lentes junto com suas fantasias.

As lentes de contato costumam ser divididas em gelatinosas e rígidas.

Tipos de lente de contato

a) Lentes de contato gelatinosas

São as lentes de contato mais confortáveis e de fácil adaptação, sendo por isso mesmo, as mais vendidas e usadas.

Entre as lentes gelatinosas existem várias marcas diferentes, compostas por diversos materiais distintos. Cada uma apresenta uma taxa própria de oxigenação da córnea e acúmulo de detritos. Dependendo destas características, o tempo de uso pode variar bastante:

Lentes de contato por um dia: devem ser descartadas diariamente. São ideais para pessoas que usam lentes apenas esporadicamente ou que tenham sensibilidade às soluções desinfetantes, já que este tipo de lente dispensa o seu uso.

Lentes de contato por duas semanas: podem ser usadas por até 15 dias. Indica-se retirá-las para dormir, apesar de algumas destas poderem ser usadas por até seis dias ininterruptos.

Lentes de contato por um mês: devem ser usadas durante o dia e retiradas à noite, porém, algumas marcas têm aprovação para uso ininterrupto por 30 dias.

A escolha de qual tipo de lente de contato mais apropriada é individual e deve ser feita em conjunto com seu médico oftalmologista.

b) Lentes de contato rígidas gás permeável

Ao contrário do que muitos pensam, as atuais lentes de contato rígidas são menos nocivas aos olhos. Entretanto, são mais incômodas e necessitam de um tempo maior de adaptação.

Atualmente menos de 10% das lentes vendidas são do tipo rígida.

Complicações das lentes de contato

O uso de lentes de contato não é um procedimento inócuo. Apesar de bastante seguro, se não forem tomadas as devidas precauções, problemas oculares sérios podem surgir, incluindo infecções e lesões irreversíveis da visão. Por mais modernas que sejam as atuais lentes de contato, todas elas causam algum grau de obstrução à oxigenação da córnea e podem levar à destruição das suas células se usadas de forma incorreta.

Lembrem-se que para o nosso organismo as lentes de contato não deixam de ser um corpo estranho nos seus olhos durante várias horas por dias, vários dias por semana. Se não forem bem cuidadas, elas acumulam excessos de detritos e proteínas, e ainda podem se infectar com fungos, bactérias ou amebas.

O manuseio das lentes de contato sem a devida higiene pode causar infecções nos olhos, sendo a mais comum o terçol (leia: TERÇOL (TERSOL) | HORDÉOLO | Causas e tratamento)

Portanto, nunca se deve usar lentes sem orientação de um oftalmologista.

Cuidados com a sua lente de contato

– Tenha as mãos limpas todas as vezes que for por as lentes de contato. Lave-as com sabão neutro, de preferência.
– Ao secar as mãos após lavá-las certifique-se que não há fiapos de toalha nos dedos.
– Mantenha as unhas bem cortadas para evitar sujeiras e lesões nos olhos na hora de tirar e colocar as lentes de contato
– Use as soluções de limpeza da lente de acordo com as orientações do seu oftalmologista. Diferentes tipos de lentes necessitam de cuidados higiênicos diferentes.
– Antes de colocar as lentes sempre certifique-se que não há detritos visíveis ou danificações.
– Mantenha seu estojo de lentes sempre limpo. Lave-o uma vez por semana com água quente e esfregue-o com uma escova de dentes limpa. Não é preciso usar sabão.
– Troque seu estojo a cada seis meses, pelo menos.
– Sempre coloque as lentes antes de aplicar maquiagem para evitar contaminação.
– Sempre que possível, evite dormir com suas lentes, mesmo quando autorizado. Durante o sono elas não têm nenhum uso e você ainda dá um descanso aos olhos.
– Se surgirem sinais de infecção ou irritação, retire as lentes e procure seu oftalmologista
– Mesmo que esteja tudo bem, uma consulta anual com o oftalmologista é sempre bem-vinda.

O que NUNCA fazer em relação as suas lentes de contato

– NUNCA use saliva para limpar suas lentes. Nossa boca é das regiões do corpo com maior concentração de bactérias.
– NUNCA lave suas lentes com água da pia ou qualquer produto que não tenha sido explicitamente indicado pelo oftalmologista. O uso de água corrente para limpeza está associado a um maior risco de contaminações por amebas.
– NUNCA troque de lentes com amigos. As lentes são pessoais e intransferíveis.
– NUNCA use as lentes por mais tempo que indicado.
– NUNCA durma com suas lentes se não houver autorização para tal. Nem todas as lentes podem ser usadas durante o sono.
– NUNCA reuse as soluções de limpeza. Uma vez usada, esta deve ser descartada do estojo.

Lentes de contato e colírios

Existem basicamente dois tipos de colírios, aqueles que possuem medicamentos e os que possuem apenas substâncias lubrificantes. Qualquer colírio que possua medicamento NÃO DEVE ser usado nas lentes de contato, pois podem danificá-la. Se o uso do colírio com medicamento for necessário, deve-se retirar as lentes, aplicar o colírio e só depois de vinte minutos é que se pode colocar as lentes de contato novamente.

Entre os colírios que são apenas lubrificantes e podem ser usados com lentes de contato, citamos:

– Lacrifilm.
– Systane.
– Fresh Tears.
– Refresh.
– Genteal.
– Ecofilm.

Incômodos relacionados às lentes de contato

As lentes de contato devem passar despercebidas pelo paciente. Se a lente está causando olhos vermelhos, vista embaçada ou dor, interrompa o seu uso e procure um oftalmologista. Você pode estar desenvolvendo uma úlcera de córnea.

Uma lente que causa ardência nos olhos logo após ser colocada pode estar suja ou com resíduos de produtos de limpeza, sejam líquidos próprios para lente ou até restos de sabonete nos dedos.

Se você coloca a lente de contato e fica o tempo notando sua presença, com sensação de corpo estranho nos olhos, provavelmente é necessária uma prescrição personalizada. As lentes são feitas com tamanhos e curvaturas padrões, que podem não ser as mais indicadas no seu caso.

Se os seus olhos coçam muito com as lentes, isso pode ser alergia a algum componente da lente de contato ou aos produtos de limpeza.

Outra queixa comum é o incômodo que surge no final do dia. Isto pode ser devido a baixa oxigenação da córnea após várias horas com a lentes de contato. Muitas vezes a mudança do tipo de lente ajuda.

O fato é que as lentes devem estar sempre confortáveis. Se você sente desconforto, não force o uso. Procure seu oftalmologista e explique o tipo incômodo que está ocorrendo.

Lentes de contato para vista cansada

Pacientes com presbiopia, a famosa vista cansada que surge com o passar dos anos, também podem continuar usando lentes de contato. Porém, algumas adaptações precisam ser feitas. A mais simples consiste em se continuar usando as lentes para longe e passar a usar óculos para ler de perto.

Quem não quer usar óculos tem 3 opções:

– Usar uma lente de contato para perto em um olho e outra para longe no outro olho. Pode parecer estranho, mas esta opção funciona muito bem. Este método é chamado de monovisão.
– Usar lentes de contato bifocal. Todavia, o que na teoria seria a solução ideal, na prática se mostra uma opção na qual vários pacientes não se adaptam. A maioria acaba preferindo usar o método de monovisão descrito acima.
– Usar uma lente para longe em um olho e uma lente bifocal no outro olho.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.