HPV e câncer do colo do útero

70% dos casos de câncer do colo do útero são causados pelo subtipos HPV-16 e HPV-18.

Introdução

O câncer do colo do útero, também chamado de câncer de colo uterino, câncer de cérvix uterino ou câncer cervical, é o segundo tipo de câncer mais comum no sexo feminino, perdendo apenas para o câncer de mama. Mais de 90% das neoplasias malignas do colo do útero são causados pelo vírus HPV, uma infecção transmitida pela via sexual e atualmente prevenível através de vacina.

Neste artigo vamos falar sobre a relação do vírus HPV com o câncer de colo uterino.

O que é HPV

O Papilomavírus humano, ou vírus do papiloma humano, mais conhecido como HPV, é um vírus que possui mais de 150 subtipos. O vírus HPV só causa doença nos seres humanos, sendo ele o responsável pelo surgimento das verrugas comuns de pele e das verrugas genitais, chamadas também de condiloma acuminado. Neste texto falaremos apenas da relação do HPV com o câncer do colo do útero, se você quiser saber mais sobre HPV e verrugas comuns e genitais, acesse o seguinte link: VERRUGAS COMUNS | VERRUGAS GENITAIS.

Apesar das verrugas serem uma alteração de pele muito comum, o que torna o HPV um sério problema de saúde é a sua associação com o câncer do colo uterino. Entre os cerca de 150 subtipos conhecidos, dois deles estão presentes em mais de 70% dos casos de câncer do colo do útero: HPV-16 e HPV-18. O HPV também está associado à ocorrência de outros tipos de câncer, como o câncer do pênis, vagina, vulva e ânus.

É importante destacar que quando falamos da relação do HPV com o câncer do colo uterino estamos nos referindo a um risco estatístico. Estar infectado com o HPV, principalmente pelos 2 subtipos citados acima, aumenta substancialmente o risco de desenvolvimento do câncer uterino, mas não significa que a paciente obrigatoriamente desenvolverá um câncer. Na verdade, a maioria das mulheres contaminadas pelo HPV não irá ter câncer.

O HPV é um vírus transmitido pela via sexual, sendo, na verdade, a doença sexualmente transmissível mais comum do mundo (leia: O QUE É DST?). Estima-se que até 10% da população mundial esteja contaminada com o vírus e que até 50% das mulheres (e dos homens) terão contato com o mesmo em algum momento das suas vidas.

HPV tem cura?

A maioria dos casos de infecção pelo HPV são assintomáticos e transitórios. Após 2 anos, 80 a 90% dos pacientes curam-se espontaneamente, apenas pela ação do seu sistema imunológico. Portanto, para a maioria das mulheres, o HPV tem cura, e ela ocorre sem a necessidade de qualquer tratamento.

Os problemas surgem nos restantes 10 a 20% que não conseguem se livrar do HPV e desenvolvem infecção permanente pelo vírus. São estas pacientes que correm risco de desenvolver o câncer de colo uterino.

Em geral, são necessários cerca de 20 anos de infecção para que o Papilomavírus humano possa provocar um câncer do colo de útero. Por este motivo, o exame preventivo regular com o ginecologista é importante para detectar precocemente qualquer sinal de lesão maligna em desenvolvimento (falaremos do exame Papanicolau mais abaixo).

Para saber mais detalhes sobre a cura do HPV, leia: O VÍRUS HPV TEM CURA OU TRATAMENTO?

Associação entre HPV e o câncer do colo do útero

Existem 15 subtipos de HPV que são considerados de alto risco para o câncer do colo de útero. Porém, como já referido, pelo menos 70%  dos casos de câncer são causados apenas pelos subtipos HPV-16 e HPV-18. Quanto mais tempo uma mulher permanece infectada pelo HPV, maior é o risco dela desenvolver câncer.

O tabagismo aumenta o risco de câncer do colo uterino causado pelo HPV, motivo pelo qual toda mulher com infecção comprovada pelo vírus apresenta ainda mais um motivo para abandonar o cigarro (leia: COMO E POR QUE PARAR DE FUMAR CIGARRO ).

Outro importante fator de risco é a coinfecção pelo HIV (leia: SINTOMAS DO HIV E AIDS (SIDA)). A associação entre HIV e HPV não só aumenta ainda mais o risco de câncer de colo uterino, como costuma provocar tumores extremamente agressivos, que se propagam rapidamente pelo corpo.

Papanicolau e o diagnóstico do câncer de colo do útero

O exame de Papanicolau, também conhecido como exame preventivo, é atualmente a forma indicada para o rastreio do câncer de colo uterino.

O Papanicolau não serve para diagnosticar o câncer, quem faz o diagnóstico é a biópsia do colo do útero. O Papanicolau é apenas um exame de rastreio, ou seja, ele apenas ajuda o médico a identificar quais são as mulheres com maior risco que precisam ser submetidas à colposcopia e biópsia.

O exame de Papanicolau é feito durante o exame ginecológico, com o auxílio de um espéculo vaginal (bico de pato). O ginecologista visualiza o colo do útero e, através de uma espátula de madeira e de uma escovinha, colhe material da região. O material coletado contém células do colo uterino, que são enviadas para avaliação microscópica, visando detectar lesões pré-malignas ou lesões malignas ainda em fases iniciais. A coleta de material também serve para realizar a pesquisa do HPV e outras infecções, como clamídia, gonorreia, sífilis, Gardnerella, etc.

Em geral, recomenda-se o exame preventivo anualmente em todas as mulheres sexualmente ativas. Se o Papanicolau identificar células com características pré-malignas, a paciente precisa ser submetida à biópsia do colo do útero.

O que é NIC (neoplasia intraepitelial cervical)

A neoplasia intraepitelial cervical (NIC) é uma lesão pré-maligna, que pode ser identificada pela biópsia do colo uterino. A NIC não é um câncer, mas sim uma lesão do tecido do colo uterino com alto risco de se transformar em um. Dependendo de fatores como tamanho e local da lesão e do subtipo tipo de HPV detectado, as neoplasias intraepiteliais cervicais são dividas em 3 grupos, em ordem crescente de risco de transformação maligna: NIC 1, NIC 2 e NIC 3.

A maioria dos casos de NIC 1 curam espontaneamente em um prazo de até 2 anos, não precisando de tratamentos mais agressivos. Os casos de NIC 2 e NIC 3 também curam-se sozinhos com grande frequência, porém, como o risco de progressão para o câncer é mais alto, essas lesões precisam ser tratadas.

Caso a biópsia detecte a presença de uma lesão NIC 2 ou NIC 3, o mais indicado é realizar a excisão da zona onde há alterações pré-malignas das células. É importante salientar que as excisões apenas retiram a parte do tecido com risco de transformação maligna, mas o HPV continuará presente no organismo. Retiramos apenas aquela região onde o tecido é composto por células que podem, a longo prazo, virar câncer.

Se a biópsia identificar a presença de um câncer de colo do útero já estabelecido, faz-se necessária a realização de outros exames, procurando identificar a presença de metástases. Geralmente inicia-se com uma tomografia computadorizada de pelve e abdômen.

Se você quiser saber mais sobre o rastreio do câncer de colo uterino, leia também os seguintes artigos:

Vacina para HPV

Naquelas pessoas que desenvolvem infecção permanente pelo HPV, ou seja, que o sistema imunológico não é capaz de eliminar o vírus, não há tratamento curativo disponível. Estas pessoas ficam infectadas pelo vírus pelo resto da vida, estando sempre sob risco de desenvolverem lesões malignas, principalmente se forem o HPV-16 ou HPV-18. Por isso, o advento da vacina foi uma passo importante na luta contra o câncer do colo uterino, pois esta impede a contaminação de pessoas ainda não infectadas.

Existem duas vacinas contra o HPV: uma inclui os subtipos 6, 11, 16 e 18, e outra os 16 e 18. Portanto, a vacina inclui os principais, mas não todos, subtipos relacionados ao câncer de colo uterino. Isso significa que a vacinação não elimina a necessidade do exame preventivo anual já que ela não exclui em 100% o risco de câncer.

A vacinação é feita em três etapas, sendo que a segunda e a terceira dose são administradas 2 e 6 meses após a primeira, respectivamente.

A vacina tem sido indicada a partir dos 9 anos de idade e deve ser preferencialmente oferecida às meninas sem vida sexual ativa. Lembre-se que a vacina é uma prevenção e não tratamento do HPV. Não adianta vacinar quem já teve contato com o HPV. Por esse motivo, a vacinação em mulheres maiores de 26 anos não tem o mesmo efeito protetor, uma vez que boa parte das pacientes já foi exposta ao HPV durante a sua vida.

Os que são a favor da vacinação em mulheres mais velhas argumentam que mesmo que a vacina não sirva para combater o HPV já existente, ela pode proteger contra outros subtipos que a paciente possa ainda não ter sido exposta.

A vacina não é feita com vírus vivo atenuado e, por isso, é bastante segura. Todavia, como ainda não existem trabalhos comprovando a sua segurança na gravidez, ela não está indicada neste grupo.

Para informações mais detalhadas sobre a vacina contra HPV, acesse o link: VACINA CONTRA HPV.

Informações em vídeo

Não deixe de ver também esse curto vídeo, produzido pela equipe do MD.Saúde, que explica de forma simples a vacinação contra o HPV.

Vacina HPV

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

166
Deixe um comentário

avatar
300
carolina
Visitante
carolina

Olá Dr. meus exames diagnosticaram NIC 1 e sou positiva para HPV , a minha médica esta aplicando ATA 90% no meu colo uterino, gostaria de saber se esse método é aficiente, já que pesquiso na literatura e encontro sua eficiência apenas para verrugas. Gostaria de saber tambem se a conização é recomendada neste caso, tenho 25 anos e nao tenho filhos ainda. Muito Obrigada

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

A imensa maioria dos casos de NIC 1 se resolve sozinha, sem nenhum tratamento. Nesse texto aqui eu explico melhor: https://www.mdsaude.com/2014/09/exame-papanicolau.html

Larissa Oliveira
Visitante
Larissa Oliveira

Meus exames preventivos a mais de um ano estão acusando NIC I, porem já fiz duas biópsia com dois médicos diferentes e elas acusam apenas cervicite crônica. O Médicos falam que isso não é nada demais e que eu não tenho lesão por HPV mas o meu preventivo continua acusando. Fiz também duas cauterizações e nada resolve. O que fazer ? Tenho realmente infecção por HPV ou não ?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

NIC 1 não é sinônimo de HPV. Se você fez a pesquisa e foi negativo, até que se prove o contrário, você não tem HPV.

Alice Evelin Ribeiro Xavier
Visitante
Alice Evelin Ribeiro Xavier

Há uns 3 anos atrás eu tive HPV e fiz uma cauterização pois havia uma mancha no útero do tamanho do fundo de um copo, depois de 1 mês voltei a ginecologista pra ver como tinha ficado, pois ela passou pomada vaginal. Ela me informou que o útero estava cicatrizado. Isso quer dizer que após uma cauterização é eliminado o vírus? Porque meus outros preventivos deram normal.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

A cauterização elimina a lesão provocada pelo vírus, mas não o vírus em si. Quem elimina o vírus é o próprio sistema imunológico após alguns meses ou anos.

Alice Evelin Ribeiro Xavier
Visitante
Alice Evelin Ribeiro Xavier

Muito obrigada!

camila
Visitante
camila

Fiz um preventivo um ano atrás que acusou lesão intraepitelial de alto grau. Não soube desse resultado pois o pessoal do posto não entregou o exame, só um ano depois. Fiz dois preventivos nesse período que deram normais. Será que a lesão curou espontaneamente ou o exame está errado?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Ambas situações são possíveis.

joao
Visitante
joao

doutor eu tenho mais minha minha namorada nao pk nao temos relaçao … oque ela deve faser para nao contrair o virus de min

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Camisinha.

rafaela
Visitante
rafaela

Doutor tenho HPV! E estou com um corrimento marrom , oq isso pode ser?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

É possível que uma coisa não tenha relação com a outra.

luciana
Visitante
luciana

Doutor, estou com adenocarcinoma com retirada do utero ou histeroctomia, resolve meu caso.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Se a doença estiver restrita ao útero, sim.

Silvana
Visitante
Silvana

Dr, fiz uma conização que abrangeu o colo do útero e parte da vagina. Já faz 40 dias, e notei que assim que fui liberada para ter relações sexuais tive um pequeno sangramento. Isso é normal? Grata pela orientação!

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

É possível que a região ainda esteja ferida. Comunique o fato ao seu ginecologista.

mart
Visitante
mart

olá doutor, fiz uma biopsia de uma verruga na vulva a dois dias mas esta doendo bastante a região, orincipalmente quando eu sento. é normal esse desconforto? melhora em media após quantos dias? preciso assistir aula!

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Pode ficar dolorido por algum tempo, pois a biópsia faz uma ferida na região.

erika
Visitante
erika

ola quero saber se sentir dor na hora do sexo é normal

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Não, não é normal. Mas isso não significa necessariamente que haja algo de grave. Tem que conversar com seu ginecologista.

luciane
Visitante
luciane

fiz preventivo que acusou células atipicas possivelmente não neoplasicas ai fiz a colposcopia e meu médico não falou nada só me pediu outro preventivo Dr porque?

Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD.Saúde

Não sei. A colposcopia deveria definir o diagnóstico. Tem que perguntar ao seu ginecologista.

jacke
Visitante
jacke

Dr. nos casos de HPV persistente, a pessoa nunca vai conseguir eliminá-lo do organismo, mesmo melhorando o sistema imunológico?

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Se o sistema imunológico sofrer alguma melhora pode ser que a pessoa consiga se ver livre do vírus.

dayane
Visitante
dayane

Olá Doutor tenho hpv e as verrugas eram visíveis vi na internet que o vinagre cauteriza e no meu caso cauterizou mesmo mais gostaria de saber se o vírus ainda esta dentro de mim apesar de ter cauterizado.

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Sim, o vírus continua no organismo.

paula
Visitante
paula

Eu fiz uma biopsia a seis meses atraz o resultado foi que estava com nic 3 passei com a medica e foi retirada um pedaco do utero a pergunta e se estava com nic 3 nesses 6 meses que levou para mostra o exame pode ter virado câncer

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

O pedaço do útero vai para estudo. Se houvesse câncer na amostra, isso seria relatado.

Luana
Visitante
Luana

Olá, boa tarde! Gostaria de saber se antes de fazer a cauterização das lesões deve ser feito algum tipo de exame? Ou o exame só é feito após a cauterização? Desde já agradeço!

Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde
Visitante
Dr. Pedro Pinheiro - MD. Saúde

Geralmente colhe-se amostras do colo uterino (papanicolau) antes da cauterização.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais