Sinais e sintomas de uma tireoide doente

Conheça os principais sinais e sintomas que sugerem a existência de algum defeito no funcionamento da glândula tireoide.

Introdução

Os hormônios produzidos pela glândula tireoide (ou tiroide) são essenciais para o desenvolvimento do sistema nervoso das crianças e para o controle metabólico nos adultos, afetando o funcionamento de praticamente todos os órgãos do nosso corpo.

Quando a tireoide está doente, ela começa a funcionar de forma inapropriada, seja produzindo hormônios em excesso, como no caso do hipertireoidismo, ou produzido hormônios de menos, como no caso do hipotireoidismo.

Neste texto vamos explicar quais são os sinais e sintomas de uma tireoide mal funcionante, as diferenças entre hipertireoidismo e hipotireoidismo e quais são as principais doenças que acometem a glândula.

Informações em vídeo

Antes de seguirmos em frente assista a esse curto vídeo que explica de forma simples quais são os principais sintomas de uma tireoide doente.

Como saber se tenho tireoide?

É muito comum ouvirmos as pessoas dizerem que têm tireoide, como se isso fosse um problema de saúde. Tiroide todo mundo tem, ela é um órgão, assim como são os rins, o coração, o pâncreas, os pulmões, etc. Dizer “eu tenho tireoide” é o mesmo que dizer “eu tenho cérebro” ou “eu tenho fígado”. Para que essa afirmação faça algum sentido, é preciso dizer qual é o problema que a sua sua glândula apresenta, como, por exemplo, “eu tenho hipotireoidismo”, “eu tenho nódulos na tiroide” ou “eu tenho uma tiroide preguiçosa”.

O que é a tireoide?

A tireoide é uma glândula em formato de borboleta, localizada na base do pescoço, à frente da traqueia e logo abaixo da laringe (também conhecida como cartilagem tireoide ou pomo-de-Adão). A glândula produz dois hormônios: triiodotironina e tiroxina, mais conhecidos como T3 e T4, respectivamente.

Glândula tireoide
Onde fica a glândula tireoide

Esses hormônios tireoidianos são os responsáveis pelo metabolismo do corpo, ou seja, pelo modo como as células utilizam os nutrientes para gerar energia.

Quando a tireoide funciona muito e produz hormônios em excesso, chamamos de hipertireoidismo. Quando funciona pouco, chamamos de hipotireoidismo.

Principais doenças relacionadas à tiroide

Para efeitos didáticos, podemos dividir as doenças da tireoide em quatro grandes grupos:

  • Doenças que provocam hipertireoidismo.
  • Doenças que provocam hipotireoidismo.
  • Nódulos da tireoide.
  • Câncer da tireoide.

Vamos falar resumidamente sobre cada um desses grupos.

1. Doenças que provocam hipertireoidismo.

A principal causa de hipertireoidismo é a Doença de Graves, uma doença de origem autoimune, na qual o sistema imunológico produz de forma inapropriada anticorpos contra receptores presentes na tireoide, fazendo com que a glândula fique hiperestimulada e produza mais hormônios que o necessário.

Para mais detalhes sobre a doença de Graves, leia: Hipertireoidismo e doença de graves.

Outras causas possíveis de hipertireoidismo são:

  • Tireoidites subagudas.
  • Adenoma tóxico (tumor benigno produtor de hormônio tireoidiano).
  • Bócio multinodular tóxico (múltiplos nódulos produtores de hormônio tireoidiano)
  • Excesso de iodo (raro, mas pode ocorrer na administração venosa de contrates iodados para exames radiológicos).
  • Fármacos: amiodarona, lítio, interferon alfa, sunitinib, pazopanib ou axitinib.
  • Tratamento do hipotireoidismo com levotiroxina em doses acima do necessário.
  • Struma ovarii (tumor do ovário).
  • Mola hidatiforme (tumor trofoblástico gestacional).
  • Tumor do testículo.
  • Adenomas da hipófise produtores de TSH.
  • Metástases de câncer da tireoide.

2. Doenças que provocam hipotireoidismo

A principal causa de hipotireoidismo é a Tireoidite de Hashimoto, que também é uma doença de origem autoimune. Nesse caso, porém, os auto anticorpos são dirigidos contra o tecido da própria tireoide, causando progressiva destruição da glândula e consequente redução da produção de hormônios tireoidianos.

Para mais detalhes, leia: Hipotireoidismo – Tireoidite de Hashimoto.

Além do Hashimoto, outras causas possíveis de hipotireoidismo são:

  • Remoção cirúrgica da tireoide.
  • Destruição da glândula por iodo radioativo.
  • Radioterapia realizada próxima à região do pescoço.
  • Deficiência de iodo (ver bócio mais à frente).
  • Fármacos: metimazol, propiltiouracil, etionamida, lítio, amiodarona, sunitinib, sorafenib e imatinib.
  • Exposição a éteres difenílicos polibromados (PBDE).
  • Tireoidite de Riedel.

3. Nódulos da tireoide

Os nódulos da tireoide são pequenos tumores, habitualmente benignos, de forma ovalada que surgem no tecido da glândula. Menos de 5% dos nódulos tireoidianos são causados por uma doença maligna, o que significa que 95% dos nódulos tireoidianos não são câncer.

A imensa maioria dos nódulos da tireoide não provoca sintomas. Alguns deles, porém, podem ser produtores de hormônios tireoidianos, o que leva o paciente a desenvolver hipertireoidismo.

Também existem casos de nódulos que crescem muito, podendo provocam aumento do volume na região anterior do pescoço. Os sintomas mais comuns dos nódulos grandes são dor ou incômodo para engolir.

Para saber mais detalhes sobre os nódulos da tireoide, leia: Nódulo de tireoide – Sintomas, causas e risco de câncer.

4. Câncer de tireoide

O câncer de tireoide é um tipo raro de câncer. Ele é mais comum nas mulheres e entre pessoas na faixa etária dos 30 aos 60 anos.

O câncer tireoidiano costuma ser assintomático, provocando sintomas somente quando o tumor começa a ficar muito grande. Os mais comuns são.

  • Um nódulo palpável na tireoide.
  • Alterações na sua voz, incluindo rouquidão.
  • Dor no pescoço ou na garganta.
  • Aumento dos gânglios do pescoço.
  • Dificuldade para engolir.

Sintomas de hipo ou hipertireoidismo não são comuns nos casos de câncer tireoidiano.

O câncer de tireoide costuma ser tratável e, em muitos casos, pode ser completamente curado.

Sintomas de uma tireoide doente

A grande maioria dos pacientes com problemas na tireoide têm uma doença que provoca hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Portanto, o que costumamos ver na prática clínica são pacientes com sinais e sintomas de excesso ou deficiência de hormônios tireoidianos.

a. Sintomas do hipotireoidismo

A falta de hormônios tireoidianos diminui o ritmo do nosso metabolismo e pode causar os seguintes sinais e sintomas:

Para mais detalhes sobre os sintomas do hipotireoidismo, leia: Sintomas do hipotireoidismo.

B. Sintomas do hipertireoidismo

Já o excesso de hormônios tireoidianos pode provocar os seguintes sinais e sintomas:

  • Aumento do volume da tireoide, chamado de bócio (pode ocorrer tanto no hipotireoidismo quanto no hipertireoidismo).
  • Excesso de suor, mesmo em locais não tão quentes.
  • Intolerância ao calor.
  • Fraqueza das unhas.
  • Coceira generalizada.
  • Pele ruborizada e úmida.
  • Cabelos mais finos e fracos.
  • Fraqueza muscular.
  • Proptose ocular (olhos esbugalhados).
  • Palpitações e arritmias cardíacas, principalmente fibrilação atrial.
  • Colesterol baixo, principalmente o colesterol HDL.
  • Hipertensão arterial.
  • Aumento da glicose no sangue.
  • Baqueteamento digital (alargamento das pontas dos dedos).
  • Cansaço durante esforços.
  • Alterações da menstruação.
  • Diarreia.
  • Anemia.
  • Aumento do volume diário de urina.
  • Perda de peso.
  • Aumento da sede e da fome.
  • Osteoporose.
  • Irritabilidade e ansiedade.
  • Depressão.
  • Amnésia.
  • Insônia.
  • Dificuldade de concentração.
  • Tremores das mãos.

O que é o Bócio

O bócio é o aumento de tamanho da tireoide, que pode ser notado como um abaulamento na região anterior do pescoço. Pode ocorrer no hipotireoidismo e no hipertireoidismo.

Bócio

O bócio era um sinal muito comum até o início do século XX devido à deficiência de iodo na alimentação (o iodo é um elemento necessário para a formação dos hormônios tireoidianos). A partir da metade do século passado, o iodo foi adicionado ao sal de cozinha, e, desde então, a sua carência deixou de ser uma causa comum de bócio e de doenças da tiroide.

Porém, doenças tireoidianas que não estão relacionadas à falta de iodo, como a tireoidite de Hashimoto e a doença de Graves, também podem cursar com bócio, principalmente se não estiverem bem controladas.

Na maioria dos casos, o bócio é apenas um problema estético. Hoje em dia, com os atuais tratamentos, dificilmente a glândula tireoide cresce o suficiente para formar um bócio grande, que chegue a obstruir estruturas do pescoço, levando a sintomas como falta de ar, tosse, rouquidão ou dificuldade para engolir. Para o bócio causar sintomas de obstrução dos órgãos do pescoço, ele tem que estar muito grande.

Referências:

VEJA OUTROS ARTIGOS SEMELHANTES

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OkSaiba mais