Machucado

A pele é o maior órgão do nosso corpo. Ela é também nossa principal arma de defesa contra germes. É o nosso escudo protetor que impede o contato dos micróbios do ambiente com o nosso meio interno.

Apesar da pela ser colonizada por bilhões de bactérias potencialmente causadoras de doença, nós não ficamos doentes porque elas não conseguem entrar no nosso corpo. A pele nos protege.

O problema começa a surgir quando esta proteção é rompida, como nos casos de feridas e lesões da pele. A partir deste momento, estabelece-se uma porta de entrada para os germes externos que poderão levar a infecções.

Sugiro a leitura do texto sobre: O que é o pus ? O que é um abscesso? O que é uma infecção?

Podemos dividir as feridas da pele pelo mecanismo de lesão:

  • Incisas ou cortantes = São aquelas causadas por faca, bisturi, lâmina, etc.
  • Perfurante = Causada por objetos pontiagudos como pregos e alfinetes.
  • Escoriação = Quando a lesão ocorre na superfície da pele, como quando caímos e arrastamos o joelho ou qualquer outra parte no chão.
  • Laceração = É uma escoriação mais profunda e que acomete o tecido subcutâneo
  • Contusas = Lesões traumáticas de grande força que lesam os tecidos abaixo da pele. Como em um soco ou trauma da cabeça. Normalmente causam as equimoses (manchas roxas ao redor da lesão)
  • Queimaduras = O nome já diz tudo.

A maioria das lesões apresenta mais de um tipo de característica, como perfuro-cortantes, corto-contusas, etc.

As feridas também podem ser classificadas pelo grau de contaminação.

  • Limpas: são as feridas provocadas por procedimentos cirúrgicos.
  • Contaminadas: São aquelas que tiveram contato com materiais sabidamente sujos como terra, mordidas de animais ou humanos, cortes na rua, etc.
  • Feridas infectadas: são as que apresentam sinais de infecção.

Como proceder, então, após uma lesão:

– Antes de manusear qualquer lesão, deve-se lavar as mãos com água e sabão, ou álcool gel se disponível.

– Pequenos cortes, perfurações superficiais e escoriações podem ser tratados apenas com limpeza local. Água e sabão neutro são suficientes na maioria dos casos. Outra opção é irrigação com soro fisiológico. Deve-se limpar até desaparecer qualquer sinal de sujeira ou corpo estranho como terra, grama, etc.

– Lesões mais profundas e cortes mais extensos devem ser avaliados por um médico para decidir se há necessidade de realizar sutura com pontos. De qualquer modo, a limpeza primária pode ser feita com água corrente ou soro fisiológico. Se notar presença de corpo estranho na ferida, vá ao médico.

– Nos casos de queimaduras leves sem rompimento da pele, a limpeza é feita com água e sabão de modo suave. Nunca estoure as bolhas! Não use manteiga, margarina, ou qualquer outra substância não esterilizada. Queimaduras mais graves devem ser avaliadas por médicos (leia: QUEIMADURAS | Graus e complicações).

– O uso excessivo de substâncias desinfetantes pode atrapalhar o processo de cicatrização. Mais uma vez, água e sabão são suficientes para a maioria das lesões pequenas. Deixe que o médico indique a utilização de anti-sépticos. Evite usar álcool ou iodo em feridas abertas sem a indicação do médico, já que estas substâncias podem irritar a lesão e piorar a inflamação.

– Mantenha a ferida sempre limpa. Procure protegê-la com um curativo ou Band-Aid, principalmente se forem em locais como mãos e pés que entram em contato com áreas contaminadas com frequência.

– Escoriações ou lesões úmidas, quando cobertas, devem ser feitas somente com curativo não aderente (Band-Aid) para evitar que o mesmo grude na ferida e cause nova lesão quando for ser retirado. Nunca use fita adesiva diretamente na lesão.

– Se a lesão está sangrando, use um pano limpo, gaze ou compressas para comprimi-la. Se o sangramento é intenso ou em jato, vá logo ao médico.

– Nunca lamba as feridas. Você não é cachorro e a sua saliva contém milhões de bactérias que podem causar infecções graves se entrarem em contato com uma ferida. A nossa boca é tão contaminada que uma mordida humana é considerada uma lesão muito mais grave que uma mordida de cão ou gato.

– Em caso de mordida de animais ou humano, procure saber do estado vacinal do animal e vá a um médico. São feridas que infeccionam com muita facilidade. A raiva não tem cura e a mortalidade é de quase 100% (leia: RAIVA HUMANA).

– Se após algumas horas surgirem qualquer sinal de infecção da lesão, como edema, uma área de vermelhidão, febre ou saída de pus, procure atendimento médico, mesmo que a lesão seja pequena.

– Se não for vacinado ou tiver tomado a última dose há menos de 10 anos, procure um hospital para tomar a vacina contra tétano, inclusive em casos de mordidas e queimaduras. Leia: TÉTANO. VACINA E SINTOMAS

– Se você for diabético ou imunossuprimido, tenha especial atenção às suas lesões. Na dúvida, visite um médico. Se você tem uma ferida que não cicatriza apesar de todos os cuidados, procure atendimento, isto pode ser sinal de diabetes mellitus (leia:Diabetes Mellitus | Sintomas e diagnóstico)ou alguma outra doença.

A maioria das pessoas já passou por situações em que tiveram lesões e machucados na pele que não receberam muita atenção e nada aconteceu. Em geral, pequenas lesões são negligenciadas pelos pacientes devido à baixa frequência de complicações.

O problema é que mesmo lesões pequenas e aparentemente inocentes podem complicar.

No início de 2009 saiu na revista New England Journal of Medicine o seguinte caso: um homem de 25 anos, previamente saudável, procurou atendimento porque uma pequena lesão na mão, que surgira 2 dias antes e que ele havia atribuído a uma picada de inseto, estava infectada (imagem ao lado).

FERIDAS E MACHUCADOS

O quadro piorou rapidamente e ele evoluiu com choque séptico (leia: O QUE É SEPSE?). A infecção não respondeu aos antibióticos e se espalhou rapidamente pelos tecidos subcutâneos, causando necrose extensa do braço.

O paciente precisou ir à cirurgia de urgência para retirar os tecidos mortos. Quase teve que amputar o membro superior.

Essa infecção foi causada por uma bactéria chamada de Streptococcus, uma das mais comuns e que com certeza você também tem na sua pele (leia: ERISIPELA | CELULITE | Sintomas e tratamento).

Portanto, cuide bem das suas feridas. Lavar com água e sabão é barato e não dá trabalho nenhum.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.